São Paulo 1 x 0 Palmeiras

por Mauro Beting em 26.maio.2010 às 21:30h
 

Tudo que parece fácil e leve para o São Paulo nos últimos anos, parece muito difícil e pesado para o Palmeiras nos últimos tempos. Com menos desfalques, com mais time, elenco, entrosamento, ousadia e futebol, o São Paulo não precisou de muita bola para vencer o primeiro clássico estadual em 2010.

Ricardo Gomes manteve o 3-4-2-1, com Xandão pela direita, com Alex Silva, em grande fase, fazendo a de Miranda, na sobra; Jean substituiu Rodrigo Souto, como volante. No mais, o mesmo time. O Palmeiras repetiu o 4-2-2-2 que venceu, e bem, o Grêmio. Mas errando todos os passes no meio, isolando demais Ewerthon no ataque, sacrificando taticamente o promissor Vinícius, muito mais um marcador de Cicinho que o necessário segundo atacante verde.

O São Paulo foi melhor, ainda mais com Marlos, pela direita. Tinha a vontade de atacar, a velocidade que o rival não tinha, e a confiança pela boa fase. Mas os bons primeiros 20 minutos não deram em muita coisa. O Palmeiras só chegou uma vez, com a jovem dupla Vinícius e Gabriel Silva. Lincoln sentiu a falta de ritmo. E o time, mais ainda com a lesão de Cleiton Xavier, aos 32. Parraga só tinha Ivo para armar. Preferiu fechar o meio com o terceiro volante – Souza.

Gomes também perdeu Marlos. Mas, com Fernandinho, não mudou o jeito de jogar. Só trocou o lado do apagado Dagoberto. Fernandinho entrou bem, e fez o belo lance do gol de Fernandão, aos 8 do segundo tempo, aproveitando-se da marcação infantil de Maurício Ramos. O São Paulo recuou demais, deu a bola e espaços perigoso ao rival que, mesmo destrambelhado, e mal mexido por Parraga (que sacou Vinícius, o melhor do time, por Ivo), ainda assim ganhou um pênalti mal marcado de Cicinho, aos 43. Mas, desta vez, o demérito não foi de Ewerthon. Rogério Ceni fez belíssima defesa que garantiu a vitória do melhor time.

Abaixo, veja o desenho tático da partida, com as principais mexidas dos treinadores. Campinhos acrescidos online, enquanto transmitia a partida pela Rádio Bandeirantes.

O 3-4-2-1 de Ricardo Gomes, com Hernanes saindo para o jogo

O 4-2-2-2 de Parraga virava um 4-2-3-1 com o recuo de Vinícius

Apenas com Ivo para armar, Parrraga preferiu reforçar o meio sem C.Xavier

Quase num 4-2-1-3, com Ivo aberto, o Palmeiras atacou um SPFC mais fechado com Jorge Wagner no lugar de Dagoberto

Tags: , ,