Flamengo 1 x 0 Corinthians

por Mauro Beting em 29.abr.2010 às 0:18h

 

Quem conta é Rogério Lourenço, vice-campeão mundial pelo Brasil Sub-20 no ano passado, treinador interino (como todos) do Flamengo:

 

– Sou eu mesmo, professor?

 

A frase é do volante Rômulo, quando chamado a treinar com o time principal rubro-negro. Se não foi um dos destaques, foi um dos volantes-zagueiros que liberaram Leo Moura e Juan para armarem por um Flamengo ainda desprovido de grandes ideias, também pela prematura expulsão de Michael, no biribol no piscinão do primeiro tempo.

 

Mas foi ele mesmo quem ajudou a construir a heroica vitória.

 

* Um absurdo ter jogo naquele tempo e circunstância. Ainda mais absurdo um Corinthians jogar tão pouco, e só ter criado um lance decente aos 37 do segundo tempo, ainda com um mais, embora com um Ronaldo deprimente. Ainda assim o único que criou algo para Iarley e Jorge Henrique se atrapalharem e desperdiçarem a única jogada criada pelo Corinthians em todo o jogo.

 

Quase nada. Ainda pior pelo pênalti sub-5 cometido por Moacir em Juan. Bem executado por Adriano. Que só não executou de vez o rival paulista por Júlio César ter feito grande defesa na cabeçada imperial, aos 36. Quando o Flamengo, valentemente, mais uma vez acossou um Timão acovardado em campo. Sem inspiração no meio-campo. Sem inteligência para superar o gramado impraticável e um rival em reconstrução, e com um atleta a menos.

 

Mas ainda Flamengo. Como foi Flamengo demais no Maracanã. Como o Corinthians foi pouco Corinthians no Rio. Para não dizer que Ronaldo teve a mais patética atuação da brilhante carreira.

 

Qualquer um não conseguirá estar em ponto de bola em uma semana para a dureza da volta. Mas como estamos falando de Ronaldo, é dever aguardar. Ele pode se superar, pela zilionésima vez. Mas precisa reencontrar a forma, pela bilionésima vez.

 

Comente o biribol do primeiro tempo e a vitória dos 10 rubro-negros contra os 11 amuados corintianos desfalcados do onipresente Ronaldo.