Internacional 2 x 1 Emelec

por Mauro Beting em 23.fev.2010 às 12:55h

* Os cinco clubes brasileiros são favoritos na Libertadores-10. Hoje, o Cruzeiro parece estar um pouco à frente dos rivais. Mas pegou o grupo mais duro. Creio que todos passam. Se fosse um torneio por pontos corridos, os cinco primeiros estariam entre os seis melhores colocados. Mas…

* Libertadores não é conquistada apenas pelo melhor elenco. Tem uma série de fatores que definem um título. Confiança. Paciência. Sorte. Algumas das coisas que faltaram para o Inter na estreia (sempre difícil, ansiosa…) contra o pouco complicado Emelec, dono de uma defesa pior que o BBB-10, de um lado esquerdo propício à festa, e que o lado direito colorado até soube explorar com o ala Nei e o atacante Edu. Mas não soube finalizar no primeiro tempo.

* Os três zagueiros podem ser usados por Fossati. Até por Bolívar e Danilo Silva saberem atuar mais à frente, como laterais que foram no Inter. Só que, no caso, era possível abrir um pouco mais o time. Havia como. Só Giuliano não conseguia armar. Edu e Alecsandro se esforçavam, mas o gol não apenas não saía; faltavam chances para concluir. Sandro e Guiñazú tentaram jogar. Mas não conseguiram.

* E como pode um time com três atrás e mais dois volantes levar o gol que levou o Colorado, às costas de Bolívar, aos 3min do segundo tempo?

* Aos 7min, a torcida estava uma arara com o Inter que tudo errava. Até Nei fazer o que o time pouco fizera: chutar. E chutou como raros. Um golaço. E o canto do White Stripes ecoou no Beira-Rio. Mas ainda era pouco. Só não era pouca a água que começou a cair. E levantar a torcida molhada.

* Mas foi uma noite atrapalhada. Nei saiu machucado, aos 17min. Fossati colocou Taison pela esquerda. Fez a defesa a quatro, com Bolívar e Kléber como laterais, Danilo Silva e Sorondo na zaga. Sandro e Guina marcando mais à frente. Giuliano centralizado, com Edu e Taison pelas pontas, Alecsandro por dentro. Um 4-2-1-3.

* Mas ainda não dava liga. Aos 31, Walter entrou na direita, no lugar de Edu. Aos 35, Giuliano, em má jornada, cedeu lugar a Andrezinho. E os que entraram viraram o placar. Andrezinho achou Walter, que rolou com frieza para Alecsandro. Um belo gol, enfimm aos 42. Uma vitória emocionante. Mas cheia de preocupações pela atuação colorada.

* Quando a Conmebol terá um mínimo de vergonha para impedir os intervalos de 20 minutos em suas competições? Ou isso é mesmo para atender a interesses de outros canais de televisão latinos? E depois ousam querer comparar com a Champions League.

Tags: