São Paulo 1 x 2 Santos, Neymar & Robinho

por Mauro Beting em 07.fev.2010 às 18:41h

Este texto estará na edição desta segunda-feira do LANCE!

Dorival Júnior não quis começar com Robinho o San-São. Como se Beyoncé só entrasse depois do bis no show de sábado, no Morumbi. Mas havia Ivete Sangalo para abrir o espetáculo. Havia Neymar no primeiro tempo, em Barueri. E pouco mais de 30 minutos no segundo tempo de um dueto com Robinho contra uma zaga cansada para desequilibrar um jogo igual com dois lances sensacionais: um defendido espetacularmente por Rogério, aos 29 minutos, depois de genial tabela entre o 7 e o 17. O outro, fatal, de letra, aos 40, em cruzamento de Wesley. Um gol de Pelé. De Robinho. Do Santos que encanta historicamente pela vontade em jogar pra frente. De jogar bonito como essa molecada abusada armada por outro baita jogador – Ganso.

Ricardo Gomes repetiu o time e o 3-4-2-1 que vencera bem o São Caetano. Novamente com Dagoberto e Marcelinho Paraíba pelos cantos, Hernanes saindo um pouco mais como armador, e Jean e Jorge Wagner mais como laterais que como alas. Dorival repetiu o 4-2-3-1, com Arouca sainda mais à direita nas costas de Jorge Wagner, os meias Marquinhos, Ganso e Neymar se mexendo bastante, e André contra os três zagueiros tricolores (bela partida do garoto Xandão). Às costas dos laterais o Santos cresceu. O jogo vinha esfriando pelo calor até o pênalti discutível cometido por Miranda em Arouca, que Neymar bateu aos 38, com paradinha, digo, paradaça que destronou Rogério Ceni.

O São Paulo inverteu o posicionamento de Jean e Hernanes, no intervalo. Pela ala, o meia tricolor chegou um pouco mais, e Ganso teve menos liberdade com Jean. O Santos recuou demais e o São Paulo foi crescendo. Aos 10, Robinho entrou para jogar de costas para o gol, de centroavante, fora de ritmo e de posição. Gomes tirou o outro centroavante (Washington), colocou Cléber Santana para pensar o jogo, mas não achou a meta rival. Apostou em outra referência de área (Roger), aos 20, no lugar do apagado Dagoberto. No minuto seguinte, Paraíba colocou na cabeça dele o empate tricolor.

Dorival respondeu avançando Neymar para não deixar Robinho isolado. Com o recuo excessivo são-paulino, e o talento que abunda na criação santista, os dois lances antológicos de Neymar & Robinho definiram o clássico. E projetam dias muito felizes para o santista e para quem gosta de futebol abusado.

Tags:

  • http://www.carlosrobertopuia.com.br Carlos Roberto Puia

    Vencer apenas, não basta…..o mais importante é convencer e esnobar eficácia e técnica. Que o diga, Rogerio…eheheheh

  • Fernando Morales

    Puxa Mauro. Não entendo vocês jornalistas blogueiros do futebol. Ganso joga mais bem jogado que Neymar. Fácil de se ver. A dupla, se é que deve-se formar duplinhas, deveria ser P.H. e Robinho. Neymar terceiro elemento.
    São Paulo não jogou o que eu esperava. Sorte a minha, pois me agradou o futebol do Santos. Se impôs na partida. Deve dar medo em alguns jogadores saber que tem o Santos pela frente.

  • Gabriel

    o santos joga muito neymar e robinho agora não tem para ninguém

  • Quinho

    Todo time tem suas características, e sem dúvida a do Santos é essa, mulecada abusada, jogando pra frente, sem medo de ser feliz!
    Tem coisa melhor que assistir o time do Santos, quando joga desse jeito?
    Por isso meu eterno orgulho de ser santista…
    Talvez não pinte o título, mas só a sensação maravilhosa que da de ver esse time jogando, já vale a pena!

  • http://www.octacampeao.com.br Octacampeo.com.br

    Mauro, parabéns pela isenção.
    Você é dos poucos jornalistas que não procuram qualquer motivo para desqualificar qualquer coisa que o Santos faça.
    Mas me diga. Porque ninguém vai falar nada que voaram caixas de papelão e garrafas pet na comemoração do Gol do Santos vindos da torcida do São Paulo? Em 2004 o Santos foi punido por um copo d´água. Porque só o Santos? Não acho bonito jogar nada no campo. Mas porque as outras agemiações não são punidas e criticadas com igual veemência.
    Muito obrigado e parabéns!

  • Eduardo

    2 x 1 foi pouco, o Santos teve pelo menos duas bolas que mereciam entrar, o gol feito perdido pelo menino André no primeiro tempo e a linda tabela entre Robinho e Neymar.
    Sem dúvida o Santos foi o time que mereceu ganhar o clássico.

  • http://Notenho Vinicius

    Acho que a zaga do São Paulo deixou o Robinho fazer o gol,pois deixaram ele livrinho da silva no segundo gol do Santos.