logo lance
undo
Nacionais
Internacionais

BlogsL!

Colunistas

2 Pontos

por Rodrigo Borges e Fabio Chiorino

Blog da L!TV

Vídeos

Blog do Baldini

por Wilson Baldini

Blog do Bechler

por Marcelo Bechler

Blog do Kfouri

por André Kfouri

Blog do Garone

por André Schmidt

Blog do Gui Gomes

por Guilherme Gomes

Blog do Guilherme de Paula

por Guilherme de Paula

Blog do Janca

por João Carlos Assumpção

Blog do Mansell

por Eduardo Mansell

Blog do Marra

por Mário Marra

Blog do Salata

por Thiago Salata

Blog do Tironi

por Eduardo Tironi

Bulla na Rede

por Rafael Bullara

Crônicas do Morumbi

por Ricardo Flaitt

De Prima

por Fábio Suzuki e Igor Siqueira

Em Cima do Lance

por Bernardo Cruz e Igor Siqueira

Fora de Campo

O dia-a-dia dos atletas

Futebol & Ficção

por Valdomiro Neto

Futebol na Terrinha

por Thiago Correia

Gol de Canela FC

por Jonathan Oliveira

Humor Esportivo

Trollagem e zoação

Laguna Olímpico

por Marcelo Laguna

Lance! Livre

por Lucas Pastore

Made in USA

por Thiago Perdigão

Marketing & Economia da Bola

por Amir Somoggi

Números da Bola

por André Schmidt

O Mundo é Uma Bola

por Leonardo Pereira e Luiza Sá

Papo com Boleiro

por Luiz Otávio Abrantes

Planeta Fut

por Luiz Augusto Veloso

Press Start

por Lazlo Dalfovo e Pedro Scapin

Quem Não Sonhou?

por Gabriel Carneiro

Saque

por Daniel Bortoletto

Segunda Pele

por Leonardo Martins, Rafael Pereira e Vinícius Perazzini

Sua Saúde

por Fabiano de Abreu

Super-Raio X

por Alexandre Guariglia

Tênis

por Fabrizio Gallas

Clubes

Doentes

Como jogar na altitude? | Blog Mauro Beting
logo lance
undo
Nacionais
Internacionais

BlogsL!

Colunistas

2 Pontos

por Rodrigo Borges e Fabio Chiorino

Blog da L!TV

Vídeos

Blog do Baldini

por Wilson Baldini

Blog do Bechler

por Marcelo Bechler

Blog do Kfouri

por André Kfouri

Blog do Garone

por André Schmidt

Blog do Gui Gomes

por Guilherme Gomes

Blog do Guilherme de Paula

por Guilherme de Paula

Blog do Janca

por João Carlos Assumpção

Blog do Mansell

por Eduardo Mansell

Blog do Marra

por Mário Marra

Blog do Salata

por Thiago Salata

Blog do Tironi

por Eduardo Tironi

Bulla na Rede

por Rafael Bullara

Crônicas do Morumbi

por Ricardo Flaitt

De Prima

por Fábio Suzuki e Igor Siqueira

Em Cima do Lance

por Bernardo Cruz e Igor Siqueira

Fora de Campo

O dia-a-dia dos atletas

Futebol & Ficção

por Valdomiro Neto

Futebol na Terrinha

por Thiago Correia

Gol de Canela FC

por Jonathan Oliveira

Humor Esportivo

Trollagem e zoação

Laguna Olímpico

por Marcelo Laguna

Lance! Livre

por Lucas Pastore

Made in USA

por Thiago Perdigão

Marketing & Economia da Bola

por Amir Somoggi

Números da Bola

por André Schmidt

O Mundo é Uma Bola

por Leonardo Pereira e Luiza Sá

Papo com Boleiro

por Luiz Otávio Abrantes

Planeta Fut

por Luiz Augusto Veloso

Press Start

por Lazlo Dalfovo e Pedro Scapin

Quem Não Sonhou?

por Gabriel Carneiro

Saque

por Daniel Bortoletto

Segunda Pele

por Leonardo Martins, Rafael Pereira e Vinícius Perazzini

Sua Saúde

por Fabiano de Abreu

Super-Raio X

por Alexandre Guariglia

Tênis

por Fabrizio Gallas

Clubes

Doentes


Como jogar na altitude?

por Mauro Beting em 25.jan.2010 às 9:17h

Cruzeiro vai ao inferno mais próximo do céu na altitude de Potosí, amanhã, pela primeira fase da Libertadores.

Lugar onde não há como jogar futebol, apenar sobreviver em campo. Para Adilson Batista, é como jogar com dois a menos. É quase isso. Tecnicamente, o Real Potosí parece sempre atuar com três a menos, em qualquer longitude e latitude. Apenas isso equilibra uma partida na altitude.

O que fazer?

Não espere a resposta aqui. Nem em Potosí. Não há o que fazer. Amanhã. E na próxima geração.

Morrer, ninguém deve morrer jogando. Mas não é preciso tanto para rediscutir a questão.

Tags:

  • Leandro

    Me parece que o Cruzeiro tomou a atitude correta ao ir para Sucre como forma de adaptação à diferença de pressão atmosférica. Acredito que o time tem boas chances de trazer um bom resultado! O Cruzeiro pela tradição é fortíssimo candidato ao título da libertadores esse ano e quem sabe do Mundial que é o único título que falta ao time celeste!

  • WALMIR

    Você está de brincadeira né Mauro Beting? O Potosi não existe,o Cruzeiro ganha lá e aqui.

  • http://www.cox.net Mauricio Lizardo (USA)

    Mauro, realmente eh um crime jogar em uma altura superior a 4.ooo metros…
    Mas, o Cruzeiro nao tem nada com isso… entao vamos pra lah pra mostrar nossa superioridade, mostrar que somos um time copeiro e que somos respeitados por toda America…
    Aqui eh Cruzeiro, aqui o chao eh mais duro!!!!!!!
    Saudacoes Celestes…

  • Ermerson M

    Como jogar na altitude imposivel responder mas se o Cruzeiro for esperto vai jogar proximo e ser muito rapido nos contra ataque, vamos Cruzeiro querido de tradição, libertadores ser campeão.

  • Dárcio

    Porque a implicância com o fato dos bolivianos jogarem em casa? Eles jogam futebol nos Andes há mais de 1 século e não há registros de mortes de atletas por causa da altitude. Parece que é a desculpa de bolso para caso a derrota aconteça. Por exemplo: Não há reclamação se o Brasil quiser jogar as 13 hs em Teresina, em pleno verão, contra a Noruega. Para ser franco, já encheu esse papo de altitude…

  • Paulo

    O Cruzeiro tem técnica, mas quando lhe falta a inspiração para vencer geralmente apresenta um joguinho “treme-treme” que pode não ser suficiente nesta quarta-feira à noite,lá na altitude de Potosí. De repente, a crise eclode por lá e o Kleber vem mais cedo pro Verdão! Abram o olho e joguem bola, porque senão a Libertadores termina antes de começar! Sobre a altitude, lembro que basta chegar com antecedência ao local dos jogos e buscar uma melhor adaptação climática. O resto é lobby de jogador brasileiro fresco que só sabe jogar bola nas CNTP (condições naturais de temperatura e pressao) e precisa dar desculpa pela falta de empenho e garra, já naturais em quem é sempre badalado pela qualidade de seu jogo. Homens de verdade, não temem as grandes altitudes dos gramados andinos.

  • Alberth

    Claro que a altitude atrapalha e muito. A adaptação é muito importante pois nós seres humanos nos adaptamos de acordo com cada situação, mas para isso é preciso tempo. Uma semana foi pouco, mas ainda acho que pela qualidade que a equipe do Cruzeiro tem , a vitória é mais que certa. Se bem que o empate já tá mais que bom!

  • João Paulo Barbosa da Silva

    Dárcio, tá foda mesmo… E todo ano, em época de Libertadores, vai ser a mesma coisa, sempre a mesma conversa mole… Não falo de vc Mauro, mas de toda a imprensa… Como foi bem salientado em um dos comentários, esse lance de o que é ou nao desumano é muito relativo…

  • silvio bertier

    A pergunta é como jogar na altitude? A melhor resposta é outra pergunta….
    Para quê jogar na altitude?

    O time entra em campo.
    Antes de estar perdendo por 4 ou 5, faz exatamento o que o adversário quer, ou seja, sinta os efeitos da altitude.
    Que os jogadores passem mal, caiam, não façam cera.
    Apenas passem muito mal.

    Bola na arquibancada? Pode!
    Vomitar? Pode!
    Desmaiar? Pode!!
    Sair de campo um atrás do outro? Pode!!!.

    Se o árbitro expulsar um ou 2, forçar para expulsar 4 e acabar com “WO”, por 1 a 0.

    Evitar o máximo possível correr com a bola ou sem a bola.

    Praticar um tipo de futebol de 90 minutos, sendo 80 de bola parada.

    Acabar com a graça do jogo,
    Acabar com a festa da torcida.
    Acabar com a audiência da TV.
    Acabar com a renda.

    Se possível, perder de 1 ou 2 , o que comparado com 4 ou 5 é perfeitamente aceitável .

    Se todos fizerem assim, o Clube mandante, a Fifa, as TVs, os torcedores,
    todos vão desejar ver futebol e acabar com os mandos na altitude.

    E não me venham falar que é covardia,

    É apenas jogar o jogo….

    OK?

  • Luis

    Mauro, que bom que você voltou de férias, ficou muito feliz mesmo.
    Pois é ridículo e despretencioso oque certos “comentários”, “jornalistas” fazem com o futebol fora Rio-São Paulo, nenhum tirando o grande Alberto Helena Jr. foi capaz de comentar sobre a goleada do Cruzeiro por 6×0 no Uberlândia nem o grande jogo entre América-Mg 1×1 Atlético pelo Mineiro, é ridículo e patetico, ainda mais nos dias de hoje, onde deveríamosser um País mais desenvolvido, crescer e aprender com todos, e é assim que queremos um Brasil melhor não é mesmo???Sei que não estou exagerando….Obrigado por pessoas como você existiremefazerem realmente seu trabalho respeitando a todos. Fico muito feliz por isso, enquanto outros ai… que até renegam suas raízes…
    O Mundo da voltas…
    Desejo a você sorte e sucesso sempre na sua vida pessoal e profissional…

    PARABÉNS e o Cruzeiro rumo ao tri, vamos torcer “juntos” hein….
    VALEU!!!

  • Alexis

    Tudo bem, eles enfrentam o frio/calor

    Mas contra frio e calor existem mangas curtas, compridas, aquecimento e hidratação…
    e contra a altitude?

    Alem do mais no Brasil times estrangeiros so jogam de noite amenizando o calor.

  • Leandro

    Meu querido Paulo. Você ainda está nessa de sonhar que o Kleber vai voltar pro “Verdão”? O que impede o Kleber de voltar ao Palmeiras não é a Libertadores, e sim a falta dos 10 mi de euros que é o valor da clausula contratual que obriga o Cruzeiro a vendê-lo. O Palmeiras não tem esse dinheiro nem em sonho. A Traffic também não. E, se tivesse, não o colocaria no Kleber, pois não conseguiria fazer um bom lucro no jogador ainda que ele fizesse uma boa temporada. Esquece essa conversa que ela é mais boba que essa estória de altitudade. Em tempo: Real 1×1 Cruzeiro.