Palmeiras, quinto colocado do BR-09

por Mauro Beting em 10.dez.2009 às 10:36h

O Palmeiras remontou o time para 2009. Nenhum grande mexeu tanto na estrutura. E para melhor. Pagou para não perder atletas importantes na janela do meio do ano. Demitiu Luxemburgo quando o desgaste parecia inevitável. Investiu num centroavante e ídolo que interessava a todo o Brasil. Pagou para jogar e ganhar uma partida com Danilo, ex-atleticano. Buscou o treinador tricampeão nacional. Fez de tudo e um pouco mais pelo penta (até o que não deveria, muitas vezes se perdendo pela boca mais que pela bola). Fez quase tudo como manda o figurino.

Mas se perdeu. Ficou 19 rodadas na ponta. Perdeu o penta que parecia ganho. A ponta. Logo depois foi perder a cabeça. Perdeu até a Libertadores-10. Deve perder muitas das receitas e investimentos. Também por conta das contusões que minaram o bom time-base no returno. As ausências de Pierre, Cleiton Xaiver e Maurício Ramos foram letais – como outras lesões já haviam prejudicado no BR-08.

Time para ser o que o Palmeiras não é desde 1994 precisa ter o que Muricy não tinha – banco. Do mesmo modo que o treinador campeoníssimo não foi o que se esperava ao entrar no meio do campeonato. Seria melhor ter feito com Jorginho o que o campeão Flamengo fez com Andrade? Jorginho deixou o Palmeiras líder. Muricy saiu com o time fora do G-4. Onde esteve por 32 rodadas.

O Palmeiras foi o segundo time que mais desarmou – 33 por partida – havia sido o terceiro em 2008. Foi o segundo time que mais cometeu faltas – 20 por jogo. No BR-08, tinha sido o terceiro mais faltoso – a característica se manteve. Cometeu cinco pênaltis, e bateu seis a favor.

Pelo segundo ano seguido foi o time que mais driblou. Mas foi apenas a 11ª. equipe que mais concluiu a gol. E a sexta pior equipe no aproveitamento. Tanto que o mehor finalizador foi o zagueiro Danilo… A média de gols foi de 1,5. A defesa sofreu 1,1 gol por jogo. Por 16 rodadas (até a 28ª.) foi a melhor defesa do BR-09. Depois, pesaram os desfalques.

Foi o quinto time que mais lançou. Mas teve apenas o 10º. melhor aproveitamento no fundamento. O que foi péssimo para uma equipe que, com Muricy, insistiu na ligação direta. Foi a décima equipe a trocar mais passes. E o décimo melhor desempenho (87%). Números muito inferiores a 2008, quando teve o melhor passe. Ainda assim, teve a maior posse de bola do BR-09 – repetindo 2008: 16min04s.

O pior número para o Palmeiras acabou sendo o de vitórias: foram 17 contra 18 do Cruzeiro. O que determinou a passagem para a Libertadores do clube mineiro, que teve 8 gols a menos de saldo que o Palmeiras. Como o São Paulo, o Verdão perdeu apenas um jogo como mandante. Só o Grêmio perdeu menos. Fora de casa, porém, foram nove derrotas. Nenhum dos seis melhores perdeu tanto.

APROVEITAMENTO: 54% (fez 57% em 2008, quando foi quarto colocado)

RODADAS NA LIDERANÇA – 19

RODADAS NO G-4 – 32

TREINADORES – Wanderley Luxemburgo (7 jogos, saiu na 4ª,. colocação); Jorginho (7 jogos, deixou o clube líder, com 80% de aproveitamento); Muricy Ramalho (começou líder, terminou em quinto).

BASE: Marcos; Figueroa, Maurício Ramos, Danilo e Armero; Edmílson e Pierre; Cleiton Xavier e Diego Souza; Obina e Vágner Love (3 da base de 2008)

OS 32 DO PALMEIRAS NO BR-09 (foram 29 em 2008)

GOLEIROS: Marcos (35 jogos), Bruno
LATERAIS-ALAS-DIREITOS: Figueroa (13), Wendel (26), Fabinho Capixaba, Henrique
LATERAIS-ALAS-ESQUERDOS: Armero (29), Jefferson
ZAGUEIROS: Danilo (35), Marcão (27), Maurício Ramos (14), Maurício, Paulo Miranda
VOLANTES: Souza (29), Edmílson (22), Pierre (21), Sandro Silva, Jumar, Mozart
MEIAS: Diego Souza (34), Cleiton Xavier (32), Deyvid Sacconi, Felipe
ATACANTES: Ortigoza (29), Obina (26), Willians, Vágner Love (12), Robert, Marquinhos, Keirrison, Daniel Lovinho, Lenny

(levando em conta os que jogaram ao menos 20 jogos, pelas contas do Footstats)
O ASSISTENTE – Cleiton Xavier (12, em 32 jogos – superou Leandro, no BR-08)
DESARMES – Pierre (6,6 em média – superou-se em relação a 2008)
DRIBLADOR – Diego Souza (4,4 por jogo – menos que Kléber no BR-08)
O FALTOSO – Pierre (3,3 por jogo – mais que Kléber)
A VÍTIMA – Diego Souza sofreu 2,9 faltas por partida – Kléber sofreu quase o dobro, em 2008.
O FINALIZADOR – Danilo acertou 50,0% das conclusões.
PASSE CERTO – Danilo acertou 93,2% dos passes – menos que Gustavo, no BR-08
DONO DA BOLA – Armero a dominou por 2min em média, a cada jogo – mais que Leandro, também lateral-esquerdo, no BR-08.

MELHOR DO TIME NO BR-09 – Diego Souza
SURPRESA – Figueroa
DECEPÇÃO – Vágner Love

EXPECTATIVA NO BR-09 – Título. Fracassou. Nem Libertadores.

GOLEADORES PRINCIPAIS –

Obina (12 gols; média 0,4 – menos que Alex Mineiro

Diego Souza (8 gols, média 0,2);

Keirrison (5 gols, média 0,7).

Robert (5 gols, média 0,4)

Vágner Love (5 gols, media 0,4)

Tags:

  • http://do-ouglinhas@hotmail.com Douglas DUARTINA SP

    NÃO TENHO DUVIDAS de QUE o MURICI FOI SIM o MAIOR CUPADO!
    Ele tinha que concretizar o DISCURSO dele, QDO o V.LOVE chegou no
    Palmeiras.
    O Murici na coletiva ao lado do V.Love falou: “AQUI no PALMEIRAS o V.LOVE SABE que VAI TER que JOGAR e SE APLICAR p/ CONQUISTAR
    UMA VAGA de TITULAR”
    No entanto ELE (Murici) PERDEU o GRUPO e o CAMPEONATO que PARECIA GANHO pra ELES por NÃO CUMPRIR com o DISCURSO DELE na PRATICA.
    O V.Love não tava jogando nada, E MESMO ASSIM ELE NÃO TIRAVA o CARA do TIME!
    VAI SER MANDADO EMBORA MERECIDAMENTE…

  • Eduardo NAKAMURA

    Pelos investimentos que fez, pelo treinador que tem, a quinta colocação pode ser sim, considerada uma baita decepção.

    Uma pena que não faturaram esse título e deram de mão beijada pra “favelada framerdista”.

    São Marcos não pôde fazer nada desta vez. Quem sabe ano que vem na Copa do Brasil(oops!)…

  • o país do futebol tem que ter o maior classico do mundo

    A mídia anda falando a todo tempo sobre a expectativa que se está criando em torno do jogo entre Flamengo e Corinthians pela Libertadores do ano que vem. Com justiça esse está sendo chamado de o maior clássico do futebol mundial. Com todo o respeito a clubes do porte de Milan, Real Madri, Juventus, Barcelona e muitos outros, tenho que me curvar ao poderio e imensidão do clube carioca e do paulista e concordar que seja esse sim o maior clássico já disputado em torneios internacionais. Na verdade, se formos constatar a torcida dessas potências da Europa, veremos que não somam números maiores que nosso Bugre de Campinas. Se não fosse o poderio financeiro de tais times, nenhuma projeção internacional teriam. Por outro lado, ao analisarmos o Sport Club Corinthians Paulista e o Clube de Regatas Flamengo, veremos que, mesmo sem recursos e com imensas dívidas (situação, aliás, que nenhum clube do Brasil escapa. Sem exceções, a despeito do que muito dirigentes querem fazer o brasileiro crer), somam uma legião tão gigantesca de torcedores que muitos países de primeiro mundo sequer possuem em número de habitantes. No mundo todo, Corinthians e Flamengo, mesmo com apenas um título mundial cada um, são tão conhecidos que chegam a ser manchete em jornais internacionais toda semana, e não por causa de contratações e especulações, como os demais times do Brasil. Para se ter uma idéia, o Flamengo, por seu título brasileiro, foi manchete em jornais da Itália e Espanha, sendo que o campeão dos anos anteriores nem sequer foi citado em tais imprensas. O caso do Corinthians, então, ultrapassa os limites do globo. O time se tornou internacionalmente famoso com a conquista do 1º Campeonato mundial interclubes pela FIFA em 2000, sendo até hoje lembrado por qualquer dos clubes europeus por tal título, eis que, ao contrário do que ocorre no Brasil, onde há muita rivalidade e inveja sobres os times de mais projeção na mídia, como o Corinthians, na Europa, somente os campeonatos avalizados pela FIFA são reconhecidos e respeitados pelos clubes europeus. Mas a projeção do Corinthians no âmbito internacional alcançou proporções dignas de Hollywood, a partir do momento em que o jogador Ronaldo foi contratado. Não há hoje, em todos os cantos do planeta um único cidadão que não conheça o Ronaldo Fenômeno e, por conta disso, todas essas pessoas sabem o nome do clube em que ele joga. No Campeonato Paulista deste ano, os gols marcados por Ronaldo eram exibidos nas TV’s esportivas da Espanha, Italia, França, Portugal etc e isso em concorrência com os clubes daqueles países. O Corinthians alcançou fama inigualável e passou a ser o time mais conhecido do Brasil. Por tudo isso, eu concluo que nada mais justo que a mídia, de fato, promova esse jogo, pois somos o país do futebol, pentacampeão mundial e, quando se fala em grandes jogos, só pensamos em jogos europeus, mesmo tendo em nosso país os dois maiores clubes do mundo. Ano que vem, torcerei por esse clássico e a meus filhos direi que se trata do maior clássico do futebol mundial, pois reúne duas nações, dois clubes que são mais que futebol, são religiões para seus fiéis torcedores. Deixarei a rivalidade de lado (sou santista) e elevarei o nome de meu país, pois muito me orgulha saber que mesmo sendo o Brasil um país tão pobre e que acaba perdendo jogadores juvenis para os clubes europeus, ainda temos condições de levantar a cabeça e dizer: Temos os dois maiores clubes de futebol do mundo.

  • http://www.locusdelokos.blogspot.com Rafael

    Fala Mauro!!!

    Tenho várias críticas e restrições a alguns de seus colegas da imprensa esportiva, mas tenho de admitir uma coisa: vocês que administram blogs devem possuir uma paciência de Jó para aguentar tantos analfabetos funcionais, bairristas e recalcados Brasil afora!!!! Essa historia do penta ou hexa do Flamengo, além de tão bizantina e inútil, me faz pensar como o ódio ao diferente produz tantas opiniões irracionais de seres pretensamente racionais e me ajuda a entender o que aconteceu tantas vezes na história da humanidade, notadamente na Itália e na Alemanha da primeira metade do séc. XX, ódio ao semelhante disfarçado por sentimentos de “nacionalismo” (bairrismo, no nosso caso) ou pretensa “superioridade” (o que torcedores de alguns clubes adoram arrotar com arrogância).

    A adoração às bandeiras dos clubes subistituiu no mundo globalizado de hoje a paranóia nacionalista dos séculos XIX e XX, e a internet é a ferramenta contemporânea para estes homens vomitarem todos seus recalques e preconceitos!!!!…os alemães da primeira metade do XX utilizaram a perseguição aos judeus (o elemento “diferente”) e todos nós sabemos onde isso deu…resumindo, estamos em um caminho perigoso….

    Em tempo: não sou flamenguista, pelo contrário, não tenho nenhuma simpatia pelo time da gávea, pois sou torcedor do Fluminense e paulista de nascimento e coração (uma heresia imperdoável para a turma do bairrismo, podem me achar um “traidor” da “nação” paulista…rsrss).

  • Fernando

    Mudando um pouco de assunto, gostaria de deixar minha opinião sobre a questão do mundial de clubes, que tenho ouvido muita gente sugerindo formas de torná-lo mais chamativo e forte.
    O ideal seria adequar os calendários de futebol mundiais para que ou termi
    nem no final de novembro, no caso de temporada corrente no mesmo ano, ou um
    fim de primeiro turno, no caso de temporada que passam de um ano para outro,
    deixando o mês de dezembro exclusivo para a disputa do mundial de clubes,
    daria muito mais visibilidade e importância para a competição.
    Acho interessante que campeões continentais que não sejam da Libertadores da
    América ou da Liga dos Campeões da uefa participem do mundial, e acredito
    que eles devam passar por uma “prévia”, eliminatória para uma posterior fase
    de grupos.
    Mas para que a disputa seja a mais equilbrada possível, acredito que o cam
    peão e vice da Libertadores e da Liga dos Campeões devessem ter vaga direta
    a uma fase de grupos, e os demais campeões continentais, mais os campeões e
    vices da copa da uefa e de um torneio equivalente na América (que ainda não
    existe) disputassem uma repescagem para as outras quatro vagas, considerando
    dois grupos de quatro equipes como o ideal.
    Claro, para dar uma moral ao país sede, o campeão nacional também participa
    ria do mundial, também participando das eliminatórias, mas tendo que fazer
    um jogo a mais…mas algum campeão continental acabaria tendo que fazer um
    jogo a mais também, definido por sorteio.
    Assim sendo, um bom mundial de clubes na minha opinião teria inicio no come
    ço do mês de dezembro, com fim na véspera do natal, com as seguintes equipes
    : campeão e vice da Libertadores da América, campeão e vice da Liga dos Cam
    peões (diretamente na fase de grupos), campeão e vice da Copa da Uefa e cam
    peão e vice de um torneio equivalente na américa, que atualmente não tem
    (sul-americana?), campeão da Concacaf, campeão da África, campeão da Ásia,
    campeão da Oceania, e campeão nacional do país sede (fase eliminatória para
    a fase de grupos).
    Somente para efeito de avaliação, dessa forma, o mundial de clubes do ano de
    2008 teria as seguintes equipes na fase de grupos (não gosto de zebra, por
    isso ou listar os participantes europeus e americanos somente, não incluindo
    os clubes mexicanos, que devem ter seu futuro título da Libertadores da Amé
    rica, ou de outro torneio comparável à Copa da Uefa considerados):Manchester
    United, Chelsea, Zenit, Rangers, LDU, Fluminense (quem diria…rs), Interna
    cional e Estudiantes, divididos em dois grupos de quatro equipes, classifca
    ndo dois de cada para as semi-finais.
    Assim, um campeão de Libertadores por exemplo, jogaria ao menos três parti
    das, em tese todas contra “bons” adversários, chegando a cinco, se chegar na
    final, e um outro campeão continental para chegar ao título faria seis parti
    das, e o campeão nacional sete…seria muito mais chama
    tivo do que apenas três jogos de mata-mata.

  • Paulo

    O Palmeiras não perdeu só 1 jogo como visitante, como foi escrito…

  • Eduardo Godinho

    O duro é ver a Mancha Verde e a oposição criarem caso e desestabilizarem o Palmeiras.
    O trabalho no geral foi feito certo, mas infelizmente o resultado não foi positivo, espero que o Belluzzo não mude seus pensamentos, com excessão de dar espaço para torcidas organizadas, que além de não darem retorno financeiro ao time ainda levam dinheiro, recebendo ingressos, custeios para ônibus em excursões e subvenções para carnaval entre outras.
    Torço pela manutenção do Belluzzo, Muricy, Jorginho, Toninho e que o Palmeiras reerga a cabeça e volte a lutar por seus objetivos.

  • Milton de Oliveira

    Ô caco de vidro, c já tá de férias?

  • seu ridiculo

    Nem pra comentar como que o time perdeu a ponta….lamentavel

    SEU RIDÍCULO, você é autoexplicativo.

  • http://www.palmeirasaovivo.com.br Lucas

    a minha espectativa era exatamente onde terminou. tem elenco pra titulo mas n inteligencia pra escalar e mexer no time

    no meu blog eu explico

  • Carlos Augusto

    O time pipocou essa é a verdade. A decepção foi o DS7 q pipocou na reta final. O Love fez uns golzinhos(poucos mas vez) DS7 era o dono do time se mostrou um jogador mole q precisa d alguem para dividir as resposabilidades…
    Mas não vamos caçar as bruxas continuando a base reforçando o time no Ataque(parceiro pro love), reserva para o Meio (Marquinhos do Avai me parece um cara viavel), Zaga o Leo e o Rodrigo aumentaria o nivel dela e deixaria o MR jogar com 3 zagueiros do jeito q ele gosta… formaria um belo time –
    Marcos; Mauricio, Rodrigo, Danilo; Figueroa, Pierre, CX10, DS7, Armero; Love, Sobis(quem sabe?) otimo time e com um certo entrosamento!