Jogo do Século para esquecer amanhã

por Mauro Beting em 15.out.2009 às 2:52h

O que era para ter sido a maior partida da história das Eliminatórias de todas as Copas foram 90 minutos com apenas três chances do mandante que precisava vencer para evitar a repescagem, e uma oportunidade do visitante que jogava pelo empate. Que teve 100% de aproveitamento – o chute fraco no meio de um bolo de jogadores caiu no pé do zagueiro que acabara de entrar para fazer história no Centenário.

Méritos, festa e classificação para os argentinos. Mas era só isso para tão pouco? Foi um jogo entre a atual quarta força e a quinta força (ou primeira das seis fraquezas) sul-americanas. Não se poderia esperar demais. Ou era dever ao menos muito mais de bola, de garra, de gana, de suor, de saber?

Nem briga se viu. Nem bola se dividiu. Nada. Um jogo para não lembrar do futebol jogado, apenas da vitória épica. Mas com um futebolzinho de doer. Fora Verón, senhor do campo e dos tempos, o que mais teve a Argentina além de sorte? Um goleiro sofrível, uma zaga que se superou, um meio-campo sem ideias, um Messi mais uma vez devedor, Higuaín correndo, e o torcedor dormindo. Ou irritado.

Nem o sufoco dos apuros de uruguaios e argentinos se sentiu. Um Uruguai medíocre não teve defesa, meio-campo e ataque. Nem a torcida. Nem a pressão. Nem a bola. Nada.

Não quero ser ainda mais chato. Mas as duas equipes que amo de paixão se classificaram por exclusão. E fizeram das mais decepcionantes partidas históricas já vistas.

Tags:

  • andre

    muita espuma, pro uruguai conseguir o mesmo que conseguiria se empatasse… o gol só serviu pra tornar o jogo um pouco menos decepcionante…

  • Rodrigo

    Mauro, a verdade é que as duas seleções esperaram o Chile ganhar. Se o Equador tivesse abrido o placar, ae sim veríamos um bom jogo. Abraços.

  • http://blogdobranzzani.blogspot.com Mauricio Branzani

    Mauro, ao final do jogo de ontem, eu me senti enganado, pois a expectativa para a partida era enorme. Porém, como você disse, porque esperar um bom logo de times medíocres?

  • Felipe Dias

    Onde assino? Estava pensando a mesmíssima coisa enquanto assistia o jogo ontem. A impressão que eu tive é que os dois times aceitaram o risco da repescagem sem pestanejar. O medo era não ser eliminado de vez, e como o Equador não conseguiu estar à frente do placar com o Chile em nenhum momento, esse grande medo não veio à tona, não houve a faísca para o incêndio. As equipes jogaram sem vontade e apáticas. Bom pra Argentina, ruim para o futebol.

  • Leandro

    Não entendo porque para você o goleiro argentino é sofrível. Não comprometeu em nehuma partida.

    Na coluna da semana sobre o jogo Argentina-Perú, comentou a mesma coisa.

    Abs

  • Rodrigo

    Na verdade ambas se classificaram graças às lamentáveis arbitragens de Quito e Buenos Aires na penúltima rodada. E ao belo time do Bielsa.

  • Lucas Souza

    uma seleção de tradição pode passar aperto nas eliminatórias, nas fase de grupo da copa…e mesmo assim ser campeão assim como em 94 e nas 2 copa anteriores….
    mas uma coisa é vc ter Romário, Rivaldo, Ronaldo, Pirlo, Buffon, Canavarro e etc…
    Agora com esse goleiro e zaga medonhos, meio sem idéias, não vai dar pros hemanos, messi não vai fazer milagre!!!

  • Paulo

    A Seleção Nacional da Argentina tem história, independentemente da arrogância de seu treinador, que faz de tudo para destruir a imagem do craque fantástico que foi dentro dos gramados. A despeito do nosso ufanismo permanente com relação a Seleção Nacional do Brasil, que atualmente atua com um futebol extremamente burocrático, os jogadores argentinos em sua média, sempre mereceram nosso respeito. São aguerridos, determinados. Muitos leitores não entenderam, mas o André, mais uma vez, inteligentemente, brincou com a expressão “inspira… expira”, que é o que os médicos dizem quando precisam ouvir com perfeição o bater do coração das pessoas para saber se estão vivas. A Argentina está viva e pronta para enfrentar o Brasil na Copa, se cruzá-lo pela frente. Maradona “machucado” ou “ferido” é muito mais perigoso do que se tivesse classificado seu time em primeiro lugar… Com relação a nossa performance também residem dúvidas. A única coisa que podemos confirmar mesmo é o frêvo, pagode e a festa que faremos antes das sempre difíceis disputas. Taça só se o time jogar muito, mas muito bem mesmo e não perder gols como fez contra a Bolívia e a Venezuela. É esperar e conferir!