logo lance
undo
Nacionais
Internacionais

BlogsL!

Colunistas

2 Pontos

por Rodrigo Borges e Fabio Chiorino

Blog da L!TV

Vídeos

Blog do Baldini

por Wilson Baldini

Blog do Bechler

por Marcelo Bechler

Blog do Kfouri

por André Kfouri

Blog do Garone

por André Schmidt

Blog do Gui Gomes

por Guilherme Gomes

Blog do Guilherme de Paula

por Guilherme de Paula

Blog do Janca

por João Carlos Assumpção

Blog do Mansell

por Eduardo Mansell

Blog do Marra

por Mário Marra

Blog do Salata

por Thiago Salata

Blog do Tironi

por Eduardo Tironi

Bulla na Rede

por Rafael Bullara

Crônicas do Morumbi

por Ricardo Flaitt

De Prima

por Fábio Suzuki e Igor Siqueira

Em Cima do Lance

por Bernardo Cruz e Igor Siqueira

Fora de Campo

O dia-a-dia dos atletas

Futebol & Ficção

por Valdomiro Neto

Futebol na Terrinha

por Thiago Correia

Gol de Canela FC

por Jonathan Oliveira

Humor Esportivo

Trollagem e zoação

Laguna Olímpico

por Marcelo Laguna

Lance! Livre

por Lucas Pastore

Made in USA

por Thiago Perdigão

Marketing & Economia da Bola

por Amir Somoggi

Números da Bola

por André Schmidt

O Mundo é Uma Bola

por Leonardo Pereira e Luiza Sá

Papo com Boleiro

por Luiz Otávio Abrantes

Planeta Fut

por Luiz Augusto Veloso

Press Start

por Lazlo Dalfovo, Pedro Scapin e Thiago Bicego

Quem Não Sonhou?

por Gabriel Carneiro

Saque

por Daniel Bortoletto

Segunda Pele

por Leonardo Martins, Rafael Bullara e Vinícius Perazzini

Super-Raio X

por Alexandre Guariglia

Tênis

por Fabrizio Gallas

Clubes

Doentes

HISTÓRIA EM JOGO – ARGENTINA 0 X 5 COLÔMBIA – Eliminatórias-94 | Blog Mauro Beting
logo lance
undo
Nacionais
Internacionais

BlogsL!

Colunistas

2 Pontos

por Rodrigo Borges e Fabio Chiorino

Blog da L!TV

Vídeos

Blog do Baldini

por Wilson Baldini

Blog do Bechler

por Marcelo Bechler

Blog do Kfouri

por André Kfouri

Blog do Garone

por André Schmidt

Blog do Gui Gomes

por Guilherme Gomes

Blog do Guilherme de Paula

por Guilherme de Paula

Blog do Janca

por João Carlos Assumpção

Blog do Mansell

por Eduardo Mansell

Blog do Marra

por Mário Marra

Blog do Salata

por Thiago Salata

Blog do Tironi

por Eduardo Tironi

Bulla na Rede

por Rafael Bullara

Crônicas do Morumbi

por Ricardo Flaitt

De Prima

por Fábio Suzuki e Igor Siqueira

Em Cima do Lance

por Bernardo Cruz e Igor Siqueira

Fora de Campo

O dia-a-dia dos atletas

Futebol & Ficção

por Valdomiro Neto

Futebol na Terrinha

por Thiago Correia

Gol de Canela FC

por Jonathan Oliveira

Humor Esportivo

Trollagem e zoação

Laguna Olímpico

por Marcelo Laguna

Lance! Livre

por Lucas Pastore

Made in USA

por Thiago Perdigão

Marketing & Economia da Bola

por Amir Somoggi

Números da Bola

por André Schmidt

O Mundo é Uma Bola

por Leonardo Pereira e Luiza Sá

Papo com Boleiro

por Luiz Otávio Abrantes

Planeta Fut

por Luiz Augusto Veloso

Press Start

por Lazlo Dalfovo, Pedro Scapin e Thiago Bicego

Quem Não Sonhou?

por Gabriel Carneiro

Saque

por Daniel Bortoletto

Segunda Pele

por Leonardo Martins, Rafael Bullara e Vinícius Perazzini

Super-Raio X

por Alexandre Guariglia

Tênis

por Fabrizio Gallas

Clubes

Doentes


HISTÓRIA EM JOGO – ARGENTINA 0 X 5 COLÔMBIA – Eliminatórias-94

por Mauro Beting em 13.out.2009 às 17:30h

Cinco de setembro de 1993. O dia em que nasceu para o mundo o futebol colombiano. A noite da maior vergonha da história da seleção albiceleste, derrotada em casa pela primeira vez num jogo de Eliminatórias para um Mundial, no maior alfajor caseiro de sua rica história. Não tivessem empatado em Lima as seleções de Paraguai x Peru por 2 a 2, nem repescagem teria encarado a Argentina, então bicampeã da Copa América, vice mundial em 1990. Para tanto, teve de recuperar Maradona, e só chegou ao Mundial de 1994 depois de eliminar a campeã da Oceania, num mata-mata.

A sessão HISTÓRIA EM JOGO do blag revive a quase tragédia argentina como homenagem àqueles brilhantes colombianos que não passaram da primeira fase na Copa-94. E, também, aos argentinos que tiveram de purgar pecados na repescagem. Como ainda correm riscos em 2009. Ano da primeira derrota como mandante em Eliminatórias desde 5 de setembro de 1993. Não por acaso, num 5 de setembro, no estádio de Rosário, contra o Brasil de Dunga.

A capa da revista argentina “El Gráfico”daquela semana foi inteira negra, com a manchete “Verguenza”. E ainda foi pouco.

No blag, na sessão HISTÓRIA EM JOGO, vamos contar o que vi então, e o que estou revendo agora, com a inestimável ajuda de Gustavo Roman (www.futebolpitacos.blogspot.com), que disponibilizou as imagens, e de André Rocha (http://blogs.abril.com.br/futebolearte), que inspirou a série. Teipe completo que será entregue a Freddy Rincón, que não tem cópia do maior jogo da vida dele.

ONDE? QUANDO? QUANTOS? POR QUÊ? – Monumental de Núñez, Buenos Aires, 5 de setembro de 1993. Último jogo do Grupo A das Eliminatórias para a Copa-94. Quem vencesse estaria classificado para o Mundial de 1994. No jogo de ida do quadrangular em turno e returno, vitória colombiana por 2 a 1, em Barranquilla (gols de Valenciano e Valencia, e Medina Bello para os co-hermanos).

ARGENTINA – 4-3-1-2 – Treinador Alfio Basile

Goycochea-1;

Saldaña-14-, Borelli-15, Ruggeri-6, Altamirano3;

Zapata-17, Redondo-5 e Simeone-10;

Leo Rodríguez-20;

Medina Bello-18 e Batistuta-9

COLÔMBIA – 4-3-1-2 – Treinador Francisco Maturana

Córdoba-1;

Herrera-4, Perea-15, Mendoza-3 e Pérez-20;

Rincón-19, Gómez-8 e Álvarez-16;

Valderrama-10;

Asprilla-11 e Valencia-13

PLACAR VIRTUAL 1º. TEMPO – ARGENTINA 1 X 2 COLÔMBIA

PLACAR VIRTUAL 2º. TEMPO – ARGENTINA 5 X 4 COLÔMBIA

PLACAR VIRTUAL – ARGENTINA 6 X 6 COLÔMBIA

COMEÇOU – Torcida canta a la Argentina. E o time já vem todo para cima da Colômbia.

1min – Medina Bello leva com a mão a bola, arbitragem não vê, e zagueiro-esquerdo Mendoza salva primeira chance albiceleste, depois de belo lançamento de Saldaña.

2min – Argentina troca bolas na defesa e torcida no Monumental grita “olé”…

3min – Valderrama se move e recebe a marcação individual do lateral-direito Saldaña. Colômbia tenta tocar a bola e esfriar a dona da casa. Era um time que sabia muito bem trocar passes.

4min – Goleiro Córdoba tem de atuar adiantado e dar um bico na bola. Colômbia diminui a área de atuação em campo. Maturana era fã do Milan de Sacchi. Marcação opressiva pressiona a Argentina, que acha brechas nas bolas longas às costas da linha de zaga alta dos colombianos.

7min – Mais um bom lançamento às costas de Wilson Pérez para Saldaña. O caminho é pela direita argentina. E com boas inversões de bola explorando a zaga mais adiantada colombiana.

13min – Valderrama dá um show técnico e de mobilidade. Rincón começa a se mover da direita para o centro e Valencia e Asprilla confundem o frágil sistema defensivo argentino. Para piorar para os co-hermanos, Simeone não joga e não bate. Redondo erra todos os passes. Zapata só marca. Leo Rodríguez não faz a bola chegar a Batistuta…

14min –Gómez dá um carrinho feio no tornozelo de Redondo. No mínimo para amarelo. Juizinho amarela e se borra. Nem bater a Argentina está batendo. Mas como Valencia deu um bico na bola jogando longe (a Colômbia atuava pelo empate), sobrou para o atacante colombiano o amarelo que o companheiro também merecia…

18min – Rincón entra com a “plancha” no tornozelo do maldoso Simeone. Para não ser quebrado pelo argentino, Freddy entra de sola no volante rival. Falta para amarelo. Jogo vai ficando mais pesado. E a Argentina mais nervosa, só ligando direto o ataque.

19min – Batistuta isola a bola em cobrança de falta. Mal o grande centroavante. O 4-3-1-2 argentino não suporta o time. Leo Rodríguez tenta fazer o jogo pela esquerda, mas vai mal.

20min – Valencia faz lindo lance pela esquerda e bate para boa defesa de Goyco, para escanteio. Lance começou pela direita com Rincón. Notável na composição no meio e na saída de bola. PLACAR VIRTUAL – COLÔMBIA 1 X 0 ARGENTINA.

21min – Saída errada de bola da defesa amarela quase dá em gol de Batistuta, que domina bisonhamente a bola. Muito nervosa a Argentina. Não se mexe e erra demais à frente. Medina Bello não consegue dar dois passes certos e está isolado na direita do ataque. PLACAR VIRTUAL – ARGENTINA 1 X 1 COLÔMBIA.

23min – Transmissão da TV argentina pela primeira vez acha Maradona no meio da torcida, ao lado da então mulher Claudia Villafane. Diego roi as unhas. Ele e todo o país. Ao menos a Argentina chega mais e melhor perto da área rival.

24min – Nem tiro de meta sabe bater Goyco… O melhor goleiro que vi para catar pênalti. Um ataja-penales perfeito. Mas um goleiro abaixo da média no restante dos fundamentos.

25min – Valencia aparecia livre à frente de Goyco se não fosse erro admissível do bandeirinha. Naquela da zagueiro sair e o atacante entrar, o camisa 13 colombiano estava habilitado. Poderia ter sido o primeiro gol colombiano, em lindo lançamento de Valderrama.

30min – AMARELO. Valderrama por impedir cobrança de falta. Simeone… por ser Simeone. Foi para cima do 10 colombiano para arrumar treta.

33min – Tesoura por trás de Perea em Redondo. Juiz dá vantagem. Vermelho. No mínimo. Colômbia bate muito mais que a Argentina. Jogo igual.

35min – Asprilla abriu enfim pela esquerda e levou pernada feia do violento lateral-esquerdo Altamirano. Com a marcação individual, Colômbia tem mais é de se mexer um tanto mais. Tudo aquilo que pouco faz o time da casa.

40min- GOOOOOLAÇO. 1 X 0 COLÔMBIA. RINCÓN. PÉ DIREITO. DENTRO DA ÁREA. Valderrama recebeu na meia esquerda no meio de quatro, derivou para dentro e lançou às costas de Altamirano para Rincón, que invadiu a área como flecha, limpou Goyco como craque, e completou para o fundo da rede com a categoria de artilheiro. Golaço. PLACAR VIRTUAL – COLÔMBIA 2 X 1 ARGENTINA.

41min – Argentina dá saída de bola com quase todo o estádio cantando. Mas falta futebol ao time platino. Logo na saída, bola longa para Bati que tromba com goleiro. Nada. Apenas a dor de ambos.

44min – AMARELO. RUGGERI. Falta em Asprilla, que puxava belo contragolpe.

INTERVALO – Algumas vaias. E um placar justo.

RECOMEÇOU – Torcida canta junto. Argentina tenta atacar. Colômbia gasta o tempo trocando bem a bola, passando sempre de Leonel Álvarez a Valderrama, com Rincón ajudando bastante na contenção e na armação de jogo. Zapata vem marcar Rincón pela esquerda. O 4-3-1-2 argentina é mantido e espelhado no colombiano. Com a diferença que Asprilla se manda mais à esquerda, entre Saldaña e Borelli.

5min – GOOOOOOOLAÇO. 2 X 0 COLÔMBIA. ASPRILLA. PÉ DIREITO. PONTA ESQUERDA, DENTRO DA ÁREA. Lançamento primoroso de Rincón da meia direita para o atacante, que driblou como quis Borelli, e matou Goyco com um tiro a queima-luvas, entre as pernas do argentino. PLACAR VIRTUAL – COLÔMBIA 3 X 1 ARGENTINA.

6min – Torcida canta como se nada acontecesse. Maradona é flagrado com o rosto entre as mãos.

8min – Nervosa, Argentina erra todos os lances.

9min – MUDA ARGENTINA – Entra García-16, sai Leo Rodríguez. São três atacantes e nenhum articulador.

10min – Asprilla voa agora pela esquerda, por todos os lados. Um show físico colombiano.

11min – Ruggeri, El Cabezón, manda por cima da meta de Córdoba, depois de escanteio. Só na bola parada chega a desanimada Argentina.

11min – García pega feio Leonel Álvarez. Era para amarelo.

13min – Batigol arranca pela direita e enche o pé para boa defesa de Córdoba, em lançamento sensacional de Redondo. PLACAR VIRTUAL – COLÔMBIA 3 X 2 ARGENTINA.

14min – Bati pega da entrada da área de canhota. Aquelas porradas indefensáveis de Batistuta. Mas estava iluminada a Colômbia. Defesaça espetacular de Córdoba. PLACAR VIRTUAL – ARGENTINA 3 X 3 COLÔMBIA.

14min – Medina Bello pega mal pela enésima vez e perde boa chance. PLACAR VIRTUAL – ARGENTINA 4 X 3 COLÔMBIA.

15min – Córdoba sai de modo estúpido da meta, mas nada acontece. Redondo passa a jogar e organizar a Argentina, que enfim joga. Batistuta se mata à frente e começa a acertar os lances. Colômbia muito retraída, abdica do contragolpe.

17min – Córdoba se antecipa e divide bem com Batigol, depois de belo lançamento do zagueiro Borelli.

22min – Argentina esbarra na forte marcação colombiana, ajudada por Valderrama.

22min – Ruggeri toca de bico na mão de Córdoba. O zagueiro se manda a todo momento, com Zapata fazendo a cobertura. PLACAR VIRTUAL – ARGENTINA 5 X 3 COLÔMBIA.

25min – Mão na bola de Gómez? Dava para marcar, depois de cruzamento de Simeone. Argentinos podem reclamar de um pênalti – discutível – não marcado.

26min – MUDA ARGENTINA. ENTRA ACOSTA (atacante), SAI REDONDO. Poderia sair qualquer um. Menos o volante… Faz tudo errado Coco Basile e o time dele. É praticamente um 4-2-4, com Simeone e Zapata no meio, Medina Bello, Acosta,. Batistuta e García na frente.

27min – Acosta invade a área, domina mal, e chuta em cima de Córdoba, que fecha bem o ângulo. Belo toque por cobertura de García por sobre a zaga alta da Colômbia. PLACAR VIRTUAL – ARGENTINA 6 X 3 COLÔMBIA.

28min – GOOOOOOOOL. 3 X 0 COLÔMBIA. RINCÓN. PÉ DIREITO, DENTRO DA ÁREA. Sensacional arrancada de Asprilla desde o grande círculo colombiano. Passou por três e bateu da linha de fundo; Goyco espalmou. No rebote, o volante Álvarez foi ao fundo e cruzou para Valencia que não alcançou; vindo na corrida, Rincón não pegou bem na bola, mas matou de vez a Argentina, num chute cruzado. Alguns aplausos são ouvidos no Monumental. PLACAR VIRTUAL – ARGENTINA 6 X 4 COLÔMBIA.

30min – GOOOOOOOOOOLAÇO. 4 X 0 COLÔMBIA. ASPRILLA. PÉ DIREITO, DA PONTA ESQUERDA, DENTRO DA ÁREA, POR COBERTURA. Borelli saiu errado e perdeu bovinamente a bola. Asprilla avançou sozinho e cavou a bola por sobre o goleiro. Golaço. Colômbia cirúrgica, Argentina bisonha. PLACAR VIRTUAL – ARGENTINA 6 X 5 COLÔMBIA.

31min – Se o Paraguai fizer um gol no Peru, neste momento, a Argentina não pega nem a repescagem. Estará eliminada. O jogo vai empatando por 1 a 1, em Lima.

32min – Torcida argentina tenta se animar.

33min – Peru faz gol. Paraguai vai perdendo por 2 a 1. Argentina pode respirar mais ou menos tranquila. Torcida faz festa com o gol peruano.

34min – “Olé” da torcida argentina para a troca de bola colombiana… Que fase dos co-hermanos…

34min – Lindo taquito de calcanhar de Valderrama. Colômbia joga sério, mas também bonito.

35min – Gol de empate do Paraguai. 2 a 2 em Lima. Se o Paraguai fizer mais um, a Argentina não pega nem repescagem… As duas seleções ficariam iguais em pontos, mas o saldo negativo argentino, cada vez pior, seria fatal.

39min – GOOOOOOOLAÇO. 5 X 0 COLÔMBIA. VALENCIA. PÉ DIREITO. DENTRO DA ÁREA. Valderrama lança bonito na esquerda para Asprilla que arranca e toca com enorme inteligência para Valencia infiltrar na zaga, se antecipar a Goyco, e só dar o toque para acabar com o jogo. Que gol! Que vitória! PLACAR VIRTUAL – ARGENTINA 6 X 6 COLÔMBIA.

41min – Simeone dá cotovelada no colombiano. Árbitro fica com pena e não o expulsa.

45m21s – ACABOU a maior vergonha da história da seleção argentina jogando em casa. E a maior vitória da história do futebol colombiano. Ao final do jogo, poucas vaias ou xingamentos para os argentinos; muitos aplausos para os colombianos.

PÓS-JOGO –Maradona foi reconvocado, a Argentina eliminou a Austrália, foi para a Copa e ganhou bem os dois primeiros jogos contra Grécia e Nigéria. Mas perdeu Maradona suspenso por doping, levou uma tunda da Bulgária, e foi eliminada nas oitavas pela Romênia de Hagi, “o Maradona dos Cárpatos”.

A Colômbia foi para a Copa como “favorita” para Pelé. Perdeu dois jogos (o primeiro para a mesma Romênia) e foi eliminada na primeira fase. Na volta ao país, o zagueiro Andrés Escobar foi assassinado em sua cidade natal. Também por ter sido responsabilizado pelo gol contra marcado a favor dos Estados Unidos.

NOTAS –

ARGENTINA – ALFIO BASILE – 3 – Não tinha um bom grupo para arrumar. Mas foi infeliz nas mexidas e pediu para ser goleado.

GOYCOCHEA – 4 – O maior atajapenales da história não sabia bater nem tiro de meta. O arqueiro do River Plate não tinha muito a fazer contra a iluminada Colômbia.

SALDAÑA – 4 – Um baile de Valencia no primeiro tempo, outro de Asprilla na segunda etapa. O lateral-direito do Newell’s foi outra vítima da noite trágica.

BORRELLI – 4 – O zagueiro-direito do Racing tinha boa técnica e antecipação. Mas falhou horroroso no quarto gol e foi vencido quase sempre pela espantosa velocidade colombiana.

RUGGERI – 5 – Mandou-se (com permissão) para o ataque no segundo tempo. Na raça, o capitão e zagueiro do América mexicano tentou fazer o que ninguém conseguia. Na zaga, assistiu ao baile colombiano.

ALTAMIRANO – 4 – O violento lateral-esquerdo do Boca nem pegar feio conseguiu fazer com Rincón e Asprilla. Eles passavam voando sobre ele. Também não ajudou no ataque.

ZAPATA – 5 – Pela direita na primeira etapa, cobrindo Ruggeri na segunda, foi um fantasma entre tantos. O volante do River Plate foi mais sacrificado taticamente.

REDONDO – 6 – Cresceu na segunda etapa, mas, como todo o time, deveu bola na primeira etapa. Erradamente substituído por Acosta, abrindo ainda mais o buraco no meio argentino. Ainda assim, abaixo da excepcional média do excelente volante do Tenerife espanhol.

[ACOSTA – 4 – O atacante do Boca entrou para ser o quarto homem de frente e, indiretamente, ajudou a abrir o rombo platino].

SIMEONE – 4 – Nem bater bateu o ótimo e violento volante canhoto do Sevilla espanhol. Mais sacrificado taticamente na segunda etapa destrambelhada argentina, deveria ter sido expulso no fim da partida.

LEO RODRÍGUEZ – 3 – Meia-atacante da Atalanta italiana esteve absolutamente perdido. E, mesmo se tivesse se achado, não era o condutor suficiente para um fragilizado time argentino.

[GARCÍA – 5 – 0 esforçado atacante do Racing deu um pouco mais de luz pela esquerda. Mas era tamanho o prejuízo que pouco pôde fazer.]

MEDINA BELLO – 1 – Pífio. Nunca foi uma sumidade. Mas foi o perfeito exemplo da imperfeita atuação platina. Pela direita nada fez pelo ataque argentino o jogador do Yokohama Marinos japonês.

BATISTUTA- 5 – Pela luta e presença na segunda etapa, ganha um pouco mais. Mas pouco fez no primeiro tempo o excepcional centroavante da Fiorentina italiana.

COLÔMBIA –

FRANCISCO MATURANA – 9 – Estrategista responsável pela maturidade tática e pela excelência técnica da equipe.

CÓRDOBA – 8 – Pelo menos uma defesa espetacular. Ótimo posicionamento como homem de sobra da adiantada linha de zaga colombiana. Goleiro faria história pelo Boca. Havia acabado de ser contratado pelo América de Cali.

HERRERA – 6 – O lateral-direito só foi ter algum problema na marcação com García, na segunda etapa. Muito pouco precisou fazer. Nem apoiar, porque Rincón garantiu tudo o jogo todo.

PEREA – 7 – O zagueiro do Junior de Barranquilla ajudou a travar Batistuta. Atuação muito segura.

MENDOZA – 7 – Outro que atuou muito bem. Até porque, por ali, quando aparecia alguém, era Medina Bello.

WILSON PÉREZ – 7 – Marcou, apoiou, chutou bem de longe. Sem problemas com Saldaña e Medina Bello.

RINCÓN – 9 – Dois gols, uma assistência preciosa, marcação pelo lado direito, inteligência, força e técnica pela direita. Um monstro do América de Cali.

GÓMEZ – 7 – Bateu além da conta o cabeça-de-área do Atlético Nacional de Medellín. Mas marcou muito bem Leo Rodríguez e ajudou a linha de quatro zagueiros da Colômbia. Do losango de meio-campo, era o mais próximo à própria meta.

LEONEL ÁLVAREZ – 8 – O volante que atuou pela esquerda e ajudou a fechar o losango do meio-campo colombiano ainda deu o passe para o terceiro gol e iniciou sempre o jogo da equipe. Um senhor jogador o volante do América de Cali.

VALDERRAMA – 9 – Um monstro. Em todos os sentidos. O meia-atacante organizou o ataque, apanhou, pensou o jogo, e encostou nos dois atacantes Asprilla e Valencia. O Junior de Barranquilla era o time dele na época.

ASPRILLA – 9 – Ou seria nota dez? Não sei. Só se sabe que foi a maior partida dele e da Colômbia. Um gol espetacular – o quarto -, uma jogada de fôlego – para o terceiro gol -, um passe genial – para o quinto, e um festival de lances de técnica e rapidez do atacante do Parma italiano.

VALENCIA – 9 – O atacante do Bayern de Munique foi um show na primeira etapa atuando mais à esquerda. Na segunda etapa, mais por dentro, não foi tão brilhante. Mas foi também essencial no combate aos rivais. Outra grande atuação.

ARBITRAGEM – ERNESTO FILIPPI (Uruguai), com Pedro Risso e Juan Kerekes – Um impedimento mal marcado pelo assistente 2 poderia ter feito a Colômbia abrir o placar mais cedo. Amarelos e vermelhos foram poupados. Nota 5.

Tags:

  • Renato Laghi

    Na boa, ninguem quer saber de um jogo desses. Publica alguma coisa negativa dos bambis aí.

  • Pingback: Fique por dentro Bola » Blog Archive » HISTÓRIA EM JOGO - ARGENTINA 0 X 5 COLÔMBIA - Eliminatórias-94 …()

  • http://bvb.de Borusso

    Laghi, eu quero saber sim.
    Quer negatividade? Vai pro Orkut ou outros espaços favelizados.

    Partida memorável e impressionante nas plateas e no relvado. Um épico dos nineties. A representação da Nova Granada com seu fb ofensivo despontava como candidata à taça pro Mundial nos Est. Un.

  • STYVE

    Ótima matéria, Rincon realmente era fora do normal. Acredito que, se muitos dos jogadores deste time colombiano não fosse apadrinhado por El Pablo Escobar e não se envolvese com algumas coisitas (não provadas) obscuras, acredito que ninguém os pararia na década de 90, e conseguiriam pelo menos um mundial.

  • rogerio silva de oliveira

    essa derrota culminou com a perda de titular no gol de goycochea nº 1, na copa de 1994, e assim goyco se lascou e perdeu a posição titular , e luis islas reserva nº 12, o substituiu e assim, foi a gota da agua e alfio basile pagou caro e assim argentina caiu por terra.

  • Guilherme

    Cara, que irado isso aqui…
    legal acha algo tao completo sobre um jogo historico desses…