O Atlético Mineiro não é cavalo paraguaio. Nunca foi. Nunca será. E ninguém é

por Mauro Beting em 05.out.2009 às 17:32h

Caros leitores, leiam ou releiam o texto:

GALO PARAGUAIO? – Quem ainda pode dizer que o Atlético é um “cavalo paraguaio”? O Galo tem jogado bem, ganho melhor que a encomenda, e com elenco gabaritado, experiente e com boas opções de banco. É o terceiro colocado e pode sonhar com a manutenção da posição. Não apenas por qualidades próprias. Também por deméritos alheios.

É da minha coluna desta semana em uma das empresas onde trabalho.

Como alguém pode achar que é uma crítica ao Atlético Mineiro?

É um elogio.

Apenas uma crítica a colegas que insistem em chamar o Atlético e outros times que não têm tanta mídia (merecida ou não) de “cavalos paraguaios”.

Infelizmente, alguém apressadamente não viu o ponto de interrogação depois da expressão “Galo paraguaio”. Ou não quis ler e/ou entender o restante do comentário. Que é inteiramente elogioso para o Atlético.

É absurdo imaginar ou interpretar de outro jeito o meu texto.

Ele é só elogio ao clube, ao time e à torcida.

E crítico apenas em relação aos que insistem em dizer que o time não tem força. Não irá se classificar para a Libertadores-10.

Ou mesmo lutar pelo título nacional.

Lamento profundamente a deturpação do sentido que me parece muito claro.

Para quem ainda não quer entender, reitero:

O ATLÉTICO MINEIRO NÃO É GALO PARAGUAIO, NEM CAVALO PARAGUAIO.

Ponto final.

Até porque eu jamais escrevi, jamais falei, e não pretendo chamar clube algum da expressão que desonra não apenas um clube, mas também um país que nada tem a ver com a história.

Abraços a todos, e desculpem-me pelo desabafo.

  • Cláudio

    Seu comentário foi claríssimo, Mauro. É que o nível educacional da esmagadora maioria da população brasileira é crítico, mesmo. A popularização da Internet deu a esta geração um canal de expressão com o qual as anteriores jamais sonharam. Mas a tecnologia evoluiu mais rápido do que a qualidade da escola e o ambiente de interação da “web” ainda depende de alguma fluência textual. Infelizmente, isso ainda é pedir demais para boa parte dos “leitores” de lan house. Tenha calma e siga sua missão civilizatória. A próxima geração já será um pouco melhor.

    PS.: É seu mesmo aquele texto sensacional sobre o Galo que circula na Internet, citando inclusive a final de 77 e as garfadas da década de 80?

    CLÁUDIO, muito grato.
    o texto do centenário do Galo é meu, sim.
    para quem não o conhece, foi publicado no site oficial do clube, e no meu blog, em 25 de março de 2008:

    O melhor lance do Atlético não foi num jogo.
    Foi fora dele. Foi numa derrota.
    Minto, num empate de um time invicto, o supervice-campeão do BR-77.
    Não foi o melhor jogo ou jogada.
    Mas não teve nada mais atleticano que aquilo: depois da derrota nos pênaltis para o São Paulo, Mineirão e Brasileirão estupefatos pela queda sem derrota de um senhor time de bola, os jogadores baqueados e barreados pela chuva e pela lama se abraçaram no gramado e assim foram ao vestiário.
    Foi a primeira vez que vi a cena reverente que virou referência.
    Ninguém estava fazendo marketing (nem existia a tal palavra).
    Nenhum jogador estava jogando pra galera.
    Era fato.
    Time e torcida estavam juntos naquele abraço doído e doido.
    Como tantas vezes o atleticano esteve junto com o time. Qualquer time.
    Nada é mais atleticano que aquilo: um time que se comportou como o torcedor.
    Solidário na dor, irmão no gol.
    O atleticano é assim: tem a coragem do galo, mas não a crista.
    Luta e vibra com raça e amor. Mas não se acha o dono do terreiro.
    Sabe que precisa brigar contra quase tudo e contra quase todos. Até contra o vento, na célebre imagem de Roberto Drummond.
    Aquela que fala da camisa preta e branca pendurada num varal durante uma tempestade. Para o escritor atleticano, ou, melhor, para o atleticano escritor, o torcedor do Atlético sopraria e torceria contra o vento durante a tormenta.
    Não é metáfora. É meta de quem muitas vezes fica de fora da festa. Não porque quer. Mas porque não querem.
    Posso falar como jornalista há 17 anos e torcedor não-atleticano há 41: não há grande equipe no país mais prejudicada pela arbitragem.
    Os exemplos são tantos e estão guardados nos olhos e no fígado.
    Não por acaso, o atleticano acaba perdendo alguns jogos e títulos ganhos porque acumulou nas veias as picadas do apito armado.
    Algumas vezes, é fato, faltou time. Ou só sobrou raça. Mas não faltou aquilo que sobra no Mineirão, no Independência, onde o Galo for jogar: torcida.
    Pode não ser a maior, pode não ser a melhor, pode até se perder e fazer perder por tamanha paixão, cobrando gols do camisa 9 como se todos fossem Reinaldo, pedindo técnica e armação no meio-campo como se todos fossem Cerezo, exigindo segurança e elegância da zaga como se todos fossem Luisinho.
    Mas não se pode cobrar ninguém por amar incondicionalmente.
    O atleticano não exige bola de todo o time. Não cobra inspiração de cada jogador. Quer apenas ver um atleticano transpirando em cada camisa, em cada posição, em cada jogada.
    Por isso pede para que o time lute.
    É o mínimo para quem dá o máximo na arquibancada.
    A maior vitória atleticana é essa. Mais que o primeiro Brasileirão, em 1971, mais que o vice mais campeão da história do Brasil, em 1977.
    Os tantos títulos e troféus contam. Mas tamanha paixão, essa não se mede. Essa é desmedida. Essa é a essência atleticana.
    Essa é centenária.
    Essa é eterna.

    o link para o texto que foi reprisado no aniversário de 101 anos:

    http://blogs.lancenet.com.br/maurobeting/2009/03/25/galo-101/

  • Junio Rodrigues

    Bem que dizem que a torcida do Parmeira é amiga da cachorrada….

  • Renan

    “Roth é um técnico muito bom. Cair na tabela é normal. O que surpreend é onde ele consegue levar as equipes que comanda. Ele faz muito com pouco. Mas o Galo não brigará pelo titulo”

    Lembra dessas palavras??!

    RENAN, lembro, sim. quando as chances do Atlético caíram para menos de 5%. e quando não haviam chegado Ricardinho, Carini e Correa.

  • Vladimir

    Mauro, sou torcedor do Galo e você impressiona pelo teu compromisso em analisar os fatos futebolísticos não de acordo com o estado do time, mas pela importância que o clube tem no Brasil e até no mundo.

    O Galo vai brigar pela ponta até o fim. Temos somente jogos dificeis pela frente, botafogo, cruzeiro, são paulo … mais para frente o flamengo no mineirão, palmeiras fora … Fluminense que ja pode estar na 2a divisão ou lutando contra a degola. Vai ser um fim de ano emocionante.
    Abraços,

    Vladimir

  • Eder

    Como sempre sensato em suas opiniões, uma pena que a imprensa de sua cidade seja tendenciosa e extremamente bairrista….
    porém há alguns que ainda se salvam no meio desse lamaçal, voce e o PVC.
    Os unicos que respeito e admito uma crítica em relação ao meu Clube Atlético Mineiro.

  • Rogério

    Mauro,
    Infelizmente temos muitos analfabetos funcionais que leem mas não conseguem interpretar o que leram e depois ficam arrotando absurdos. Quanto mais saber pra serve um ponto de interrogação.
    Sou atleticano e tenho acompanhado a seriedade com que você tem tratado não só o GALO mas todos os times, apontando erros e elogiando os acertos sempre que merecidos, em todos demonstrando conhecer muito sobre futebol, diferentemente de outros “analistas” que ficam só na base do pitaco.
    Obrigado pela imparcialidade e pela lucidez.

  • André Carneiro

    É Mauro Beting, não consigo deixar de me emocionar nem uma vez quando leio esse texto que você escreveu sobre o centenário. Só que desta vez preciso fazer criticas negativas e positivas sobre esse seu texto. Está bem claro o que você tentou passar! A culpa não e sua se para não ser analfabeto no Brasil você precise saber adicionar e subitrair numeros até 10, e entender um “texto”(parágrafo) de 5 linha e saber redigir outro “texto” de 5 linhas que não precise estar com a ortografia correta(ai vem o jeitinho brasileiro) so precisa “dar pra entender”. Minha crítica negativa ao seu texto é simples, não fique explicando para os “viseiras de burro”(pessoas que só enxergam o que querem). Você pode ter certeza que para bom entendedor uma exclamação é bem diferente de um ponto de interrogação; Continue escrevendo brilhantemente e imparcialmente sobre os times do nosso Brasil.

  • Rafael

    Mauro

    Por acaso estava navegando e vi a matéria na íntegra que você escreveu, não tem como concordar. Agora, o que marcou foi em especial este texto, não só para mim, mas para todos atleticanos e aqueles que gostam de futebol, independente de torcer por A, B ou C. Depois de lê-lo mais uma vez, não tenho dúvida nenhuma que você é a pessoa mais indicada para escrever o livro com a história do Galo, assim como fez pelo Palmeiras.

    Cara, é bom desabafar, mas infelizmente nem todos conseguem compreender aquilo que é dito ou escrito. É sempre bom ver que existem jornalistas gabaritados principalmente como você, o PVC, o Juca Kfouri.

    Abraço.

  • thiago alvim

    Ótimo texto Mauro Beting , realmente o hoje o Clube do Atlético apresenta um encorpado e capacitado elenco, para chegar a libertadores e também briga pelo título brasileiro . obrigado

  • Marcus Paulo

    Mauro, vejo seu blog com frequência e sei que seu trabalho sempre é pautado pela imparcialidade e coerência. Por isso peço desculpas pela massa que interpretou de forma equivocada seu post, que ao meu ver, foi perfeitamente claro.
    A massa atleticana esta acostumada a jornalistas de “viseiras” atadas em Rio e Sâo Paulo que analisam os fatos sempre de forma precipitada e sem o devido conhecimento acerca dos times q estão fora do “eixo”. Talvez por isso ela tenha se condicionado a sempre ajir de forma defensiva em relação à aqueles que se manifestam em relação ao GALO . A grande maioria da mídia esportiva nacional não é com você, Ledio Carmona, PVC e mais algumas outras raras exceções, que se dão ao trabalho de pesquisar e acompanhar todos os times de forma igualitária
    Continue sendo imparcial e reconhecendo o bom trabalho daqueles que o fazem.

  • José Eduardo Diniz

    Bom dia a todos !

    Eu ia dizer mas o André (19:30) dize por todos nós :
    o texto sobre o centenário foi o maior e melhor publicado
    em toda a imprensa .
    Ali você revelou fatos que realmente marcaram e fizeram
    história .
    Agora , quem critica o que você escreve é porque realmente
    não tem o hábito da leitura : deve dormir depois de algumas
    linhas , se é que me entende ….
    Parabéns !!!

  • José Eduardo Diniz

    Bom dia a todos , de novo .
    Por favor , onde está “dize” , por favor , leiam ‘DISSE”.
    Erro de digitação , claro .

  • Wagner Locke

    Só posso dizer uma coisa: SAUDAÇÕES CELESTES!!!!O melhor time do Brasil e pronto!!!!!!!!!

  • Théo

    Ai, tenho que ser sincero. Quando do post sobre a pergunta ao Diego Souza de quem seria ameaçaria o “suposto” título do Palmeira e não colocaram o Galo, eu fiquei muito puto e disse que não comentaria mais no blog do Mauro Beting neste ano, só comentando em 2010. No entanto, nunca deixei de acompanhar o Blog, que eu considero o melhor da internet sobre futebol, pela imparcialidade e pela capacidade de prender o leitor e passar o que a gente sente do clube. Entretanto, após ler e reler o desabafo do Mauro Beting, não poderia deixar meu cometário e rever minha decisão. O cara fala da realidade, coloca o Clube Atlético Mineiro no lugar de onde ele nunca saiu, mas os bairristas de são paulo insistem em nos colocar fora dele.
    Caro Mauro, obrigado pelas palavras que nos fazem felizes, pois temos história, fazemos parte de uma nação apaixonada por um clube. O único clube que levou mais de 500 mil apaixonados ao estádio neste BR/09.
    Valeu pelo post e pela sinceridade. Você nunca disse que o Galo era paraguaio, nunca desdenhou de nossa capacidade, sempre viu a realidade. Parabéns e obrigado mais uma vez pela emoção transmitida pelo texto que você postou.
    Sou leitor e vou continuar comentando e dando os pitacos.
    Lembre-se meu caro Mauro Beting, “O Galo é amor, não simpatia”.
    Abraços.

  • http://www.esquemastaticos.blogspot.com/ Marcelo Costa

    Ótimo texto. Porque esclarece uma polêmica artificialmente criada e, principalmente, tenta abolir essa expressão odiosa “cavalo paraguaio”. O desrespeito que temos pelo novo vizinho é imenso. O que o Paraguai fez com a gente? Que eu saiba, nós é que fizemos com eles. Abraços.

  • Alex RJ

    Ótimo comentário. Infelizmente para algumas pessoas é difícil mesmo entender um post, ou até mesmo uma frase. Sou do Rio, torço pelo Fogão até o fim e, mesmo depois de alguns episódios que acirraram a rivalidade entre o Fogão e o Galo mineiro, em Minas torço pelo Galo. Tirando esse próximo jogo contra o Botafogo, torço para que o Atlético e sua torcida empolgante avançem no Brasileirão, conseguindo uma vaga na Libertadores 2010 e quem sabe até o Título. Essa história de cavalo paraguaio é alimentada por uma imprensa tendenciosa, que gosta de depreciar aqueles times que não são os seus preferidos. Um lástima, uma vergonha para a nossa imprensa. O Mauro Beting, felizmente, não faz parte dessa imprensa podre, tendenciosa, parcial. Parabéns Mauro, ainda existe salvação para o nosso jornalismo.

  • Marcelo Andrade

    Só uma constatação…

    Se o corte de 16 cm fosse na perna do Ronaldo, do Adriano ou Wagner Love, esse beque do barueri já estava em todos os canais, com todas as câmeras possíveis, em câmera lenta, e depois o beque já seria jogado no chão do STJD. Mas como foi no pobre do Chico Bento do Eder Luis, passa batido… Ô imprensa que faz o que ela quer com quem ela quer…
    Nada contra você, só a imprensa de uma maneira geral. Ou acha que estou enganado nessas afirmações?

    MARCELO, nada a declarar. já disseste tudo.

  • ita

    Atleticanos como eu, quem acompanha seu trabalho sabe q o mauro é um cara de muito responsa…

  • Igor

    Que culpa tenho eu de amar incondicionalmente!
    Yes, we C.A.M

  • Enrique

    O texto citado pelo usuário “Cláudio” compara-se à célebre frase dita por Roberto Drummond, de que “se houver uma camisa branca e preta pendurada na varal, durante uma tempestade, o atleticano torce contra o vento”.
    São expressões que retratam, com fidelidade, o amor que o atleticano tem pelo clube, que beira as raias da insanidade.
    Creio que, vindo de você, não seria necessária sequer a correção, pois seu texto já entrou para a nossa história.
    Quanto ao time, YES, WE CAM!

  • MARCELO SILVA CARVALHO

    Se fosse ano passado, retrasado e por aí vai, poderia dizer que o galo era um “cavalo paraguaio”…mas hoje??? Senão vejamos: se não bastasse o time titular, que é ótimo, olha o banco de reservas (que o galo não tinha em anos anteriores) – Aranha, Coelho, Welton Felipe, Benitez e Junior; Renan, Serginho, Ricardinho e Renan Oliveira; Renteria e Alessandro. Ainda tem o Tchô, Pedro Oldoni de fora…
    Realmente o galo esse ano é outro e de cavalo paraguaio não tem nada…

  • Cláudio

    De fato, seu texto é antológico. Digno de se juntar ao poema de Roberto Drummond, ao mascote, ao hino, à camisa alvinegra e à voz de Willy Gonser como símbolos deste que é um dos únicos clubes do Brasil e um dos poucos do mundo a ter uma torcida que se confunde com o próprio time. Nos anos bons e nos ruins.

    PS.: Sugiro um post sobre a carreira de Willy Gonser, que no final deste mês deixará a Itatiaia. Saudações atleticanas, velho Willy. Cresci ouvindo sua voz, ao lado do meu pai, no rádio de casa ou no Mineirão. Um verdadeiro ritual atleticano.

  • Jovaneli

    Lembrei da ótima coluna do Xico Sá sobre LQNL (leitor que não lê).

  • Xandinho

    Mauro Beting, entendi o seu pensamento. Respeito. Mas olha o meu. Primeiramente, o Atlético realmente está com um time infinitamente superior ao dos últimos anos. Mas, pela sequência de jogos que resta ao time, acho que ele não consegue nem a vaga pra Libertadores. Para começar ele já tem esta sequência de Botafogo fora, Cruzeiro Mineirão e São Paulo fora. Esta sequência irá definir o que o Atlético quer e vai ser.
    Mas ao analisar que o time do Atlético é o melhor dos últimos anos, não quero dizer que é um dos melhores do Brasil. O time esta ganhando porque o nível está baixo. Tirando o Tardelli, analise alguns titulares. Carlos Alberto, Werlei, Jorge Luís, Tiago Feltri, Renan volante, Evandro, Jonílson. Estes jogadores não seriam nem reservas de outras equipes.

  • adson

    Caro Maurão, estava no Mineirão em 77 e infelizmente perdemos o campeonato invíctos !!! Forças estranhas tiraram o REI da final ??? Com ele era CAIXA !!! Após o jogo, a torcida atleticana ficou horas no mineirão tentando entender a tragédia, até hoje me lembro dos atleticanos chorando perplexos. Com certeza foi o dia mais triste de Belo Horizonte…
    GALO IMORTAL: É TRISTE SABER QUE UM DIA EU VOU PARTIR E TE DEIXAR !!!!
    att
    AC

  • rmdns

    Mauro, boa tarde!

    Mais uma vez você tem que vir a público ser imparcial em relação ao CAM. Isto se deve, porque a grande maioria das pessoas não sabem diferenciar um ponto de interrogação de um ponto de exclamação. Devido à pouca atenção que se dá a educação no nosso país, temos que conviver com estas situações. E o pior é que muitos acham que o senhor está defendendo a instituição CAM, quando realmente está apenaas nos tratando com respeito e imparcialidade, o que é difícil de acontecer com outros cronistas do eixo do mal (a que nós Mineiros denominamos os profissionais de Rio-São Paulo, o Sr, deve saber porque, né).
    Isto se deve, porque alguns dos seus companheiros de imprensa só conseguem enxergar o próprio Universo Umbigo! Há times que estão com 97% de chances do descenso, e os colocam como se não fossem cair. Há muito mais do que o futebol praticado nas quatro linhas para que um time vença um campeonato ou caia pra segundona. Temos plena consciência de onde nosso Galo pode chegar, e estaremos sempre com o Galo, lotando o Mineirão. Há muito não víviamos um momento tão bom, e não será por comentário de ignorantes que não sabem o básico da língua portuguesa que iremos nos irritar. Mais uma vez, agradecemos o respeito pelo qual o Sr sempre tratou o Galo.
    Como dizia Raul (Seixas): é uma pena eu não ser burro… assim eu não sofreria tanto!

  • gustavo

    boa noite mauro!!!!! estou do seu lado cara….
    cá entre nós,não esquenta a cabeça com certas pessoas não,alguns são burros ou fingem de besta.
    mauro,o importante é que a massa te adora e te respeita
    quando vejo vc comentando algum assunto,que seja do galo ou não,paro para te ver ou ouvir!!!!! vc sabe oq diz…..
    tem certos comentários aki que vc
    não pode levar a sério oq algumas pessoas dizem….
    as pessoas não conseguem engolir um time que há 38 anos não ganha nada,e ter a torcida que tem,a paixão que tem…damos um chocolate em muita gente que tem libertadores e tudo +!!!!! isso é uma vergonha……
    mauro,um grande abraço e obrigado por honrar e respeitar o galo…..
    “o mundo pode ser azul,mas minas gerais é preto e branco…..”
    vcs vão ter que nos engolir!!!!!
    abraços

  • http://bvb.de Borusso

    Mauro, não se preocupe. Você sempre busca ser mto correto. Faço minhas as palavras do Cláudio.

    Discordo do Gustavo, são 2½ anos.

  • WARLEY

    O galo é um belo cavalão paraguaio, como sempre!!!!rsrsrsrs