Corinthians 0 x 0 Avaí

por Mauro Beting em 02.ago.2009 às 18:34h

Perdendo gordura

Corinthians perde peso sem Ronaldo. Sem reforços e entrosamento, só empata sem gols com o Avaí, no Pacaembu, numa partida de grandes goleiros

OLHO 1 –

Martini e Felipe evitaram a abertura do placar num jogo de pouca técnica

OLHOS 2 –

Janela aberta do mercado defenestra qualidade e entrosamento dos times

Até o corintiano presidente Lula sabe que é preciso adequar o calendário ao europeu. Para evitar que o melhor time de junho no Brasil seja despedaçado em julho. O que explica o fraco empate sem gols alvinegro com o recuperado Avaí.

Pela primeira vez em 50 jogos em 2009, Mano armou o Timão num 4-2-1-3: Jorge Henrique e Bill como pontas, Souza centralizado, e Boquita armando por dentro; com os três na frente, anulando a sobra catarinense, o 3-4-2-1 do Avaí não funcionou nos primeiros 15 minutos. O Corinthians teve três grandes chances até Paulo Silas mostrar que sabe muito bem o que faz: recuou o ala Eltinho para a lateral esquerda, adiantou o ala improvisado Luiz Ricardo para o ataque (para fazer companhia a William e segurar um pouco mais o Corinthians), recuando o meia Caio para a função mais defensiva à direita. A mudança de números e nomes do Avaí mudou o jogo. O time catarinense equilibrou a partida e começou a criar as chances que eram só corintianas.

Se Mano não tinha três titulares, Silas também não tinha seu principal criador (Muriqui), o tiro longo do volante Léo Gago, e o polivalente Ferdinando. Sem muito para trabalhar, o Avaí se virou muito bem como pôde. O Corinthians até surpreendeu no início. Mas faltou qualidade, entrosamento e espaço. Ainda assim, aos 28, o árbitro Ricardo Ribeiro poderia ter marcado pênalti de Eduardo Martini em Jorge Henrique. Uma coisa é o goleiro se proteger de um eventual choque. Outra é erguer e perna e procurar o rival. O goleiro catarinense mais atacou que se defendeu. Pênalti não marcado. Diferentemente do jogo, que seguiu muito marcado de lado a lado.

Na segunda etapa, Mano trocou o 4-2-3-1 por um 4-1-4-1, com Jucilei na cabeça da área, Jorge Henrique e Bill mais recuados, e apenas Souza no comando. O Avaí ficou preso no tráfego mais congestionado na intermediária, e o jogo não fluiu. Só melhorou quando Marcelinho entrou bem à direita, e ajudou a criar as três únicas chances alvinegras, entre 33 e 35. Placar que não foi aberto porque Martini mais uma vez defendeu tudo que ele quase pôs a perder na falta não marcada no primeiro tempo. Numa bolha de futebol de um Corinthians ainda em reformas.

Tags:

  • http://rodrigofutebolgarcia.blogspot.com Rodrigo Garcia

    O Avaí me surpeendeu com esta arrancada;sobre o jogo, o resultado foi justo,ambos perderam oportunidades.
    Mas…Mauro,como o fenômeno faz falta não ??

    http://rodrigofutebolgarcia.blogspot.com ( Futebol sem Cesnura)

  • Alex

    Mauro, assistindo a uma entrevista do dr.Gobbi na TV fiquei impressionado com a feição de assustado dele. Como pode um delegado de polícia se curvar ao ataque desta corja que ainda dá as cartas lá no time da marginal s/nr.?!?!?!?!? Será que ele só sabe falar grosso atrás de uma mesa e cheia de repórteres por perto? Vergonhoso. Agora, toda vez que pode, ele parece que fica justificando o que disse…

  • João

    Mauro…

    Esse AVAÍ faz coisa… com 3 desfalques… foi lá e segurou o timão (tava mais para timinho)…

    VAMO VAMO AVAêEêÊÊeêê……. já são 6 jogos invictos…..e se não fosse o bandeirinha seriam 6 vitórias seguidas…

    SAUDAÇÕES AVAIANAS!!!

  • rod moreira

    não consigo entender, pq os bandeirinhas erram tanto protejendo o corinthians, no jogo do pálmeiras o bandeirinha viu um impedimento em cima do devid saconi, que daria o quarto gol do verdão, e ontem contra o avai foram 5 impedimentos que resultaria em gol, oq estaria acontecendo?? seria normal??