logo lance
undo
Nacionais
Internacionais

BlogsL!

Colunistas

2 Pontos

por Rodrigo Borges e Fabio Chiorino

Blog da L!TV

Vídeos

Blog do Baldini

por Wilson Baldini

Blog do Bechler

por Marcelo Bechler

Blog do Kfouri

por André Kfouri

Blog do Garone

por André Schmidt

Blog do Gui Gomes

por Guilherme Gomes

Blog do Guilherme de Paula

por Guilherme de Paula

Blog do Janca

por João Carlos Assumpção

Blog do Mansell

por Eduardo Mansell

Blog do Marra

por Mário Marra

Blog do Salata

por Thiago Salata

Blog do Tironi

por Eduardo Tironi

Bulla na Rede

por Rafael Bullara

Crônicas do Morumbi

por Ricardo Flaitt

De Prima

por Fábio Suzuki e Igor Siqueira

Em Cima do Lance

por Bernardo Cruz e Igor Siqueira

Fora de Campo

O dia-a-dia dos atletas

Futebol & Ficção

por Valdomiro Neto

Futebol na Terrinha

por Thiago Correia

Gol de Canela FC

por Jonathan Oliveira

Humor Esportivo

Trollagem e zoação

Laguna Olímpico

por Marcelo Laguna

Lance! Livre

por Lucas Pastore

Made in USA

por Thiago Perdigão

Marketing & Economia da Bola

por Amir Somoggi

Números da Bola

por André Schmidt

O Mundo é Uma Bola

por Leonardo Pereira e Luiza Sá

Papo com Boleiro

por Luiz Otávio Abrantes

Planeta Fut

por Luiz Augusto Veloso

Press Start

por Lazlo Dalfovo, Pedro Scapin e Thiago Bicego

Quem Não Sonhou?

por Gabriel Carneiro

Saque

por Daniel Bortoletto

Segunda Pele

por Leonardo Martins, Rafael Bullara e Vinícius Perazzini

Super-Raio X

por Alexandre Guariglia

Tênis

por Fabrizio Gallas

Clubes

Doentes

Vá e volte, Sorín. Como siempre | Blog Mauro Beting
logo lance
undo
Nacionais
Internacionais

BlogsL!

Colunistas

2 Pontos

por Rodrigo Borges e Fabio Chiorino

Blog da L!TV

Vídeos

Blog do Baldini

por Wilson Baldini

Blog do Bechler

por Marcelo Bechler

Blog do Kfouri

por André Kfouri

Blog do Garone

por André Schmidt

Blog do Gui Gomes

por Guilherme Gomes

Blog do Guilherme de Paula

por Guilherme de Paula

Blog do Janca

por João Carlos Assumpção

Blog do Mansell

por Eduardo Mansell

Blog do Marra

por Mário Marra

Blog do Salata

por Thiago Salata

Blog do Tironi

por Eduardo Tironi

Bulla na Rede

por Rafael Bullara

Crônicas do Morumbi

por Ricardo Flaitt

De Prima

por Fábio Suzuki e Igor Siqueira

Em Cima do Lance

por Bernardo Cruz e Igor Siqueira

Fora de Campo

O dia-a-dia dos atletas

Futebol & Ficção

por Valdomiro Neto

Futebol na Terrinha

por Thiago Correia

Gol de Canela FC

por Jonathan Oliveira

Humor Esportivo

Trollagem e zoação

Laguna Olímpico

por Marcelo Laguna

Lance! Livre

por Lucas Pastore

Made in USA

por Thiago Perdigão

Marketing & Economia da Bola

por Amir Somoggi

Números da Bola

por André Schmidt

O Mundo é Uma Bola

por Leonardo Pereira e Luiza Sá

Papo com Boleiro

por Luiz Otávio Abrantes

Planeta Fut

por Luiz Augusto Veloso

Press Start

por Lazlo Dalfovo, Pedro Scapin e Thiago Bicego

Quem Não Sonhou?

por Gabriel Carneiro

Saque

por Daniel Bortoletto

Segunda Pele

por Leonardo Martins, Rafael Bullara e Vinícius Perazzini

Super-Raio X

por Alexandre Guariglia

Tênis

por Fabrizio Gallas

Clubes

Doentes


Vá e volte, Sorín. Como siempre

por Mauro Beting em 30.jul.2009 às 12:41h

Em campo, começava o jogo na lateral esquerda. Se a bola fosse do Cruzeiro de 2000 a 2002, ou da grande Argentina de Marcelo Bielsa no mesmo período, em segundos já estava na área rival, como se fosse centroavante, para subir de cabeça como um Yao-Ming de 1m73. Como mágica, no contragolpe rival, lá irrompria Juampi na área celeste para aliviar o perigo, para assumir a bucha, para ganhar as bolas que para ele não eram perdidas.

Prefiro dizer que Sorín atacava e Juampi defendia. Porque, por vezes, tive a impressão de ver no Mineirão ou pela TV uma mesma camisa fazer duas coisas ao mesmo tempo. Quando não fez muito mais. E não só pelo Cruzeiro. Pergunte a algum atleticano se ele respeita e admira alguém pintado de azul. A resposta é “sim”. É Sorín.

Vá além de Minas e pergunte nas gerais do Brasil: tem algum gringo que você gostaria ver não apenas jogando, mas suando por sua camisa? “Sim”. Sorín! Jogador Mercosul. Integração entre brasileiros e argentinos, cruzeirenses e atleticanos. Tão bom dentro quanto fora de campo. Daqueles que só fazem bem ao esporte e à vida. Tanto que, sabedor das más condições clínicas que não o fizeram ainda maior do que foi por estes trópicos, preferiu pendurar as imortais chuteiras a eventualmente prejudicar o Cruzeiro que tão bem defendeu – e atacou, e marcou, e correu.

Não vá embora, Sorín. Ou vá como você ia ao ataque: vá e volte ao mesmo tempo.

Tags:

  • Haroldo Maia

    Infelizmente as contusões abreviaram a carreira deste excelente jogador. Talvez sua categoria e experiencia tenham feito falta na final da Libertadores.

  • Otto

    O Cruzeiro informa que fez proposta ao Sorim para que assuma o cargo de Coordenador de Futebol ou Técnico dos Juniores.

    Seria ótimo se o Cruzeiro pudesse dispor de um treinador que transmitisse aos garotos da base toda a sua garra e técnica.

    Que bom seria para o futebol se a maioria dos jogadores futebol tivesse o caráter dele.

    Não à toa, tornou-se um ídolo em nossa torcida.

    Obrigado Sorim pelos momentos que nos proporcionou e tive o prazer de poder assistir no Mineirão.

  • Jefferson Fernando

    Bonito e merecido texto, sobre o Sorin. Eu sou saopaulino, mas também gostaria de ter o Sorin jogando no meu time. Na seleção da Argentina nos anos de 2000 a 2004 foi um dos grandes jogadores daquela seleção. Uma pena que por problemas fisicos encerre a carreira ainda jovem. Boa sorte a ele.

  • Pedrinho S

    deitou mauro, parabéns !

  • Ricardo Antunes

    Sorin foi um cara que marcou época no Cruzeiro. Raçudo, técnico, habilidoso, artilheiro…sendo lateral esquerdo! Quantas vezes não vi ele tentando cabecear a bola dentro da área do adversário e depois impedindo o contra ataque na defesa…

    Além de craque, um cara honrado, que respeitou a torcida e as cores do clube, a quem sempre teceu inúmeros elogios, onde quer que estivesse.

    Foi também protagonista de uma das mais belas partidas que assisti no Mineirão, quando foi homenageado durante TODO o jogo pela torcida e retribuiu com um gol e o título da Copa Sul Minas.

    Taí um hermano com sangue azul…e branco. Grande Sorín, um grande abraço e todo o sucesso para você e sua família.

  • Lets

    Acho que o Sorin tem muito carater, não daria certo atuando no futebol fora das quatro linhas, é um mundo muito obscuro para pessoas dignas como o Sorin, e falar em obscuros é falar Perrelas(competentes, mas obscuros).

  • http://voltasorin.cruzeiro.org Walmiro Muzzi

    Acessem e deixem suas mensagens para o grande ídolo cruzeirense:

    http://voltasorin.blogspot.com/2009/07/nossa-homenagem-ao-idolo.html

    Viva o Super Sorín!!!

  • Maurilio

    Vi, nas minhas idas ao Mineirão, colado no radio ou zapeando a TV, diversos jogadores que me encantaram vestindo a camisa azul. Aplaudi Careca (eterna promessa), Douglas, Boiadeiro, Renato Gaúcho, Dida, Ronaldo, Nonato, Marcelo Ramos. Mas apenas dois jogadores me fizeram ficar emocionado quando foram embora: Alex e Sorín. E apenas um, tão somente um, conseguiu o feito de arrancar lágrimas nos olhos quando li, estupefato, a notícia de que, dignamente, se retiraria dos gramados. Sorín foi, sem o menor resquício de dúvida, o maior ídolo celeste contemporâneo. E perguntem isso a maioria da torcida cruzeirense. O misto de jogador-torcedor encarnou o sonho da maioria de nós. Era como se um “peladeiro” sortudo, e torcedor genuíno do time, tivesse sido escolhido para acompanhar e jogar ao lado dos “profissionais”. Eu sempre tinha essa sensação ao vê-lo lépido em campo.
    Ficará um vazio. Imenso. Mas o nome de Juan Pablo Sorín entrará em qualquer lista, em qualquer tempo, dos maiores que já envergaram a camisa azul-estrelada.

    Valeu Juampí….

  • andre

    EI EI SORIN É NOSSO REIIIII
    EI EI SORIN É NOSSO REIIIII
    EI EI SORIN É NOSSO REIIIII
    EI EI SORIN É NOSSO REIIIII
    EI EI SORIN É NOSSO REIIIII

  • Gerson

    Ei, vc aí, avisa pro Ronaldo que o Sorín é travesti!!!!

  • http://www.91rock.com.br/blog/futebolecoisaseria/ Cleverson Bravo

    Sorín foi, é e será o único brasilero dos argentinos, e não o mais brasileiro dos argentinos, como poderia sugerir a analogia

  • José Camacho Santos

    Parabéns MAURO BETING,

    JUAN PABLO SORÍN foi – e será – mais que um jogador, porque em suas atuações sempre foi com ALMA e SANGUE. No Cruzeiro, por exemplo, mesmo machucado e enfaixado, decidiu com galhardia a “Copa Sul-Minas” de 2002.

    Por isso, “OBRIGADO JUAMPI ! NÃO SE VÁ!”.

    J. CAMACHO

  • isaias

    “meu vínculo com o cruzeiro será eterno”
    (juan pablo sorín)

  • DUDU DU SANGUE AZUL

    FORA PERRELA!…FORA ADILSON…!….\O/ E FICA SORÍN \O/

  • José Alves

    Sorin foi um cara que marcou época no Cruzeiro. Raçudo, técnico, habilidoso, artilheiro…sendo lateral esquerdo! Quantas vezes não vi ele tentando cabecear a bola dentro da área do adversário e depois impedindo o contra ataque na defesa…

    Além de craque, um cara honrado, que respeitou a torcida e as cores do clube, a quem sempre teceu inúmeros elogios, onde quer que estivesse.

    Foi também protagonista de uma das mais belas partidas que assisti no Mineirão, quando foi homenageado durante TODO o jogo pela torcida e retribuiu com um gol e o título da Copa Sul Minas.

    Taí um hermano com sangue azul…e branco. Grande Sorín, um grande abraço e todo o sucesso para você e sua família. 2

  • Juliano Viana Bahia

    Muito obrigado, Sorin!
    Exemplo de raça, garra e determinação!

    SORIN ETERNO!

  • Robert S. T.

    “Sorin só existe um, o resto é jogador de futebol.”

    Gracias Guerrero!

    O Povo azul-celeste nunca te esquecerá!

  • MARCOS ROSA

    SORÍN, É UM ÍDOLO DE VERDADE…MESMO QUANDO ESTAVA EM OUTRO PAÍS TORCIA PELO CRUZEIRO E VISITAVA A TOCA FREQUENTEMENTE…É UM ÍDOLO DOS ÍDOLOS…O MAIOR QUE TIVE NOS ÚLTIMOS 10,15 ANOS.

    TÃO COMBATIDO…JAMAIS VENCIDO!!!

    Áh, este tal gerson que fez o comentário…como tem gente imbecíl neste país…hein?
    No mínimo deve ser alguém que apanha da mamãe pra dormir…se liga moleque!!!

  • Isnaldo

    Sorín foi/é um desses poucos jogadores a dignificar a camisa que usa.
    Era bonito vê-lo jogar, seja na seleção Argentina ou no Cruzeiro.
    Valeu Sorín!!! Como mesmo disse, dignificou o manto celeste com sangue e alma.

  • Luis

    É Mauro, que belo texto, é difícil falar de um cara como o Sorin, Juampí, como ele era chamado e não encher os olhos de lágrimas, é difícil ler os comentários do pessoal e não se arrepiar todo com cada palavra!!!Pra mim, Sorín é bem mais do que um simples jogador de futebol, e o engraçado é que há tempos eu não tinha uma emoção, uma vibraçãotão forte, quanto fiquei sabendo da volta deste eterno ídolo ao Cruzeiro, a emoção que Juampí, transmitia aos seus companheiros, mesmo estando fora de campo é impressionante, com certeza, faltou Sorin na final da Libertadores,o Adílson ontem, deu uma declaração dizendo que as vezes, mesmo jogadores experientes como Sorin(não citou o seu nome, mas claro se referia à ele), não entendiam o porque de ficar fora de uma final, pois ele vinha de algumas contusões, mas o Adílson(que é um excelente treinador, competente, sério, trabalhador, comprometido) tem que se lembrar que ele também mesmo sendo experiente como ex-jogador, ainda é um treinador que pega um pouco, por sua falta de humildade e por achar que sabe tudo, quem sabe essa experi~encia de um cara como o Sorín, não faltou ao time do Cruzeiro????Depois do 1 x 0, saber administrar o jogo??
    Mas vamos falar do craque, do guerreiro, do herói, do lendário Sorín, poucos como ele, foram capazes de fazer oque ele fez!!Já vendido para um time da Europa, Sorín, jogou a final da Sul-Minas contra o Atlético-PR, não bastava para JUampí, jogar apenas a final, ele tinha que dar o seu sangue para o time, como sempre deu,início do jogo, uma disputa de bola e pronto, seu supercílio se corta, e o médico quis tirá-lo do jogo. Ele, porém, não aceitou:“Não posso sair, doutor, não faz sentido ficar fora desse jogo.” palavras de Juampi,Dr. Ronaldo Nazaré fez uma touca com bandagens e Sorín voltou a campo. Juan continuou jogando como estivesse em perfeitas condições físicas, mas levou outra cabeçada, perdeu a touca e voltar a sangrar, agüentou até o intervalo,quando recebeu seis pontos!Volta ao segundo tempo como um guerreiro, guerreiro azul, O guerreiro argentino mesmo ferido continuou jogando, não apenas como sua última partida pelo Cruzeiro, mas também com se fosse sua última partida da história do futebol mundial, mas não bastava para este guerreiro, apenas dar sangue pelo seu time, ele tem gana, ele tem vontade, ele tem sede de títulos, ele tem amor a esta camisa(Algo que não vemos hoje, talvez o Fábio, que está até hoje e o Kléber que a cada dia que se passa,se identifica mais e mais conosco) e aos 30 do segundo tempo, numa jogada de Ruy pela linha de fundo, num cruzamento para trás, que estava lá para fazer um belo gol de trivela?Ele , JUAN PABLO SORÍN, sim minha gente, já sem bandagem na cabeça, sem sangue escorrendo, porque o seu sangue, fora todo ele dado no jogo, Sorín aparece e faz o gol do título, o Mineirão se explode de alegria, ainda mais pq foi ele SOrin o dono da festa(um jogador que já estava vendido), confesso que nunca vi isso na minha vida, um jogador já vendido e sangrar, como Juampi sangrou, jogar como Juampi jogou, melhor do que isso!!!Foi quando o juiz apitou o fim do jogo levando a torcida a êxtase.Já no pódio Juan Pablo puxou: “Olê-olê-olê-olê-olê-olê-olá, Soy Cruzeiro, y por ese sentimiento no puedo parar. Olê-olê-olê-olê-olê-olê-olá, cada día te quiero más. Soy Cruzeiro, y por ese sentimiento no puedo parar.”
    Não há mais nada a dizer.
    Obrigado Juan Pablo Sorín!!!!!

  • Ricardo

    A Libertadores perdida deixou todos nós cruzeirenses tristes, temos que superar, mas a notícia da aposentadoria do Sorín foi um baque no coração, parecia que estávamos perdendo um parente muito próximo. Quando ele saiu em 2002, escreveu uma carta para torcida, prometeu voltar e voltou, encerrou a carreira aqui, no clube que ele aprendeu a amar, com a torcida que ele guarda no coração. Ele se tornou um belo horizontino, tanto que disse que continuará morando aqui. Mesmo sem jogar mais, queremos ele por perto. Ídolos como Sorín não são feitos da noite para o dia, ou em alguns jogos, é uma relação construída com suor, sangue e carinho.
    Obrigado SORÍN!

  • ALOISIO GOMES MENDES

    Mauro, o texto está a altura do ídolo. Sórin merece todas as homenagens possíveis. Mas acredito que com um pouco mais de boa vontade de dirigentes e comissão técnica, ele poderia continuar. Se tinha condições físicas para entrar no jogo contra o Atlético e na final da Libertadores, logo se conclui que tem condições de jogar os próximos jogos. Apoio o movimento volta Sórin.

  • hugo jose

    igual ao Sorin tivemos poucos no futebol de hoje pelo fato dele ser um estranjeiro pois naum importou a sua nacionalidade
    Ele foi unico
    Sorin saudade de vc pois vc e melhor na posicao do Cruziero no top dos top
    jogava muitoooooo
    sentiremos saudades

  • lucas eodrigues

    SORÍN!!! esse é o nome do “CARA”!!!! esse é o “cara” da grande historia celeste!!! esse é o “cara” da china azul, q com toda força nas cordas vocais canta REI REI REI O SORÍN É O NOSSO REI!!!

    SORÍN= raça, dedicação, lealdade, força, e amor a camisa q veste!!!

    VÁ SORÍN!!… esfriar a cabeça, e volte pra dar mas alegrias a CHINA AZUL!!!

    como vc foi no final de 2002
    SORÍN: ” EU VO, MAS ALGUM DIA EU VOLTO”

    VOLTA SORÍN PORQUE O CRUZEIRO É O SEU LUGAR!!!

  • marcos luiz

    O Sorín sempre engradeceu ainda mais os clubes aos quais serviu, pena não ter jogado no Palmeiras.
    Felicidades Sorín e família!

  • Matheus Pereira

    Mauro, sou cruzeirense é confesso que fiquei mais triste com a aposentadoria do Sorin que com a perda da Libertadores. Nós, cruzeirenses ainda temos esperança que ele volte atrás é reavalie sua decisão, acredito que ele ainda tem potencial para mostrar sua raça e determinação que a China Azul acostumou a vê-lo nos gramados do mundo. Volta Sorin, Mauro que tal entrar nesta campanha?

    Abraços

  • william

    Do craque Alex, camisa 10 de 2003

    “Muito obrigado, Sorín!!!

    Sorín foi exemplo de dedicação com a camisa celeste. Ninguém obtém o respeito e admiração atingida por ele. Necessita de muitas qualidades. Juan Pablo Sorín possuía a principal.

    Entendeu como ninguém a energia que liga o campo com as arquibancadas. Trazia para dentro de campo toda a energia do torcedor e conseguia passar de volta toda a alegria que sentia no gramado usando a camisa do cruzeiro.

    É um momento complicado, mas que chega para todos. Se tomou essa decisão, temos que respeitá-la e, principalmente, agradecer pelos grandes momentos proporcionados.

    Muito obrigado, Sorín!!! Que seu futuro seja tão bom quanto foi seu futebol.

    Alex”

    Fonte: http://www.alex10.com.br/br/pessoal/falaalex.asp?id=445

  • fernando henrique moura

    Muito merecido esse texto para aquele que foi um dos maiores jogadores da sua posiçâo no mundo, eu como torcedor do boca sempre sonhei um dia poder ver o grande Juan Pablo Sorin vestindo o manto sagrado do meu querido boca juniors, infelizmente nâo deu, mais como tambem sou torcedor apaixonado da seleçâo argentina eu me contento com sua grande passagem por ela. espero que o futebol argentino nos dê muitos jogadores como Sorìn, um craque de bola e muito dedicado ao futebol por onde passou.Valeu Sorìn e muito obrigado por tudo que voçê fez em prol do futebol.