logo lance
undo
Nacionais
Internacionais

BlogsL!

Colunistas

2 Pontos

por Rodrigo Borges e Fabio Chiorino

Blog da L!TV

Vídeos

Blog do Baldini

por Wilson Baldini

Blog do Bechler

por Marcelo Bechler

Blog do Kfouri

por André Kfouri

Blog do Garone

por André Schmidt

Blog do Gui Gomes

por Guilherme Gomes

Blog do Guilherme de Paula

por Guilherme de Paula

Blog do Janca

por João Carlos Assumpção

Blog do Mansell

por Eduardo Mansell

Blog do Marra

por Mário Marra

Blog do Salata

por Thiago Salata

Blog do Tironi

por Eduardo Tironi

Bulla na Rede

por Rafael Bullara

Crônicas do Morumbi

por Ricardo Flaitt

De Prima

por Fábio Suzuki e Igor Siqueira

Em Cima do Lance

por Bernardo Cruz e Igor Siqueira

Fora de Campo

O dia-a-dia dos atletas

Futebol & Ficção

por Valdomiro Neto

Futebol na Terrinha

por Thiago Correia

Gol de Canela FC

por Jonathan Oliveira

Humor Esportivo

Trollagem e zoação

Laguna Olímpico

por Marcelo Laguna

Lance! Livre

por Lucas Pastore

Made in USA

por Thiago Perdigão

Marketing & Economia da Bola

por Amir Somoggi

Números da Bola

por André Schmidt

O Mundo é Uma Bola

por Leonardo Pereira e Luiza Sá

Papo com Boleiro

por Luiz Otávio Abrantes

Planeta Fut

por Luiz Augusto Veloso

Press Start

por Lazlo Dalfovo, Pedro Scapin e Thiago Bicego

Quem Não Sonhou?

por Gabriel Carneiro

Saque

por Daniel Bortoletto

Segunda Pele

por Leonardo Martins, Rafael Bullara e Vinícius Perazzini

Super-Raio X

por Alexandre Guariglia

Tênis

por Fabrizio Gallas

Clubes

Doentes

São Paulo 2 x 1 Santos | Blog Mauro Beting
logo lance
undo
Nacionais
Internacionais

BlogsL!

Colunistas

2 Pontos

por Rodrigo Borges e Fabio Chiorino

Blog da L!TV

Vídeos

Blog do Baldini

por Wilson Baldini

Blog do Bechler

por Marcelo Bechler

Blog do Kfouri

por André Kfouri

Blog do Garone

por André Schmidt

Blog do Gui Gomes

por Guilherme Gomes

Blog do Guilherme de Paula

por Guilherme de Paula

Blog do Janca

por João Carlos Assumpção

Blog do Mansell

por Eduardo Mansell

Blog do Marra

por Mário Marra

Blog do Salata

por Thiago Salata

Blog do Tironi

por Eduardo Tironi

Bulla na Rede

por Rafael Bullara

Crônicas do Morumbi

por Ricardo Flaitt

De Prima

por Fábio Suzuki e Igor Siqueira

Em Cima do Lance

por Bernardo Cruz e Igor Siqueira

Fora de Campo

O dia-a-dia dos atletas

Futebol & Ficção

por Valdomiro Neto

Futebol na Terrinha

por Thiago Correia

Gol de Canela FC

por Jonathan Oliveira

Humor Esportivo

Trollagem e zoação

Laguna Olímpico

por Marcelo Laguna

Lance! Livre

por Lucas Pastore

Made in USA

por Thiago Perdigão

Marketing & Economia da Bola

por Amir Somoggi

Números da Bola

por André Schmidt

O Mundo é Uma Bola

por Leonardo Pereira e Luiza Sá

Papo com Boleiro

por Luiz Otávio Abrantes

Planeta Fut

por Luiz Augusto Veloso

Press Start

por Lazlo Dalfovo, Pedro Scapin e Thiago Bicego

Quem Não Sonhou?

por Gabriel Carneiro

Saque

por Daniel Bortoletto

Segunda Pele

por Leonardo Martins, Rafael Bullara e Vinícius Perazzini

Super-Raio X

por Alexandre Guariglia

Tênis

por Fabrizio Gallas

Clubes

Doentes


São Paulo 2 x 1 Santos

por Mauro Beting em 19.jul.2009 às 18:33h

Das tripas coração

O coração valente de Washington fez os gols que não marcava desde a Libertadores e São Paulo ganha clássico por 2 a 1 contra um Santos que vai dar muito trabalho a Luxemburgo

OLHO 1 – Clássico foi pobre tecnicamente, mas o time que mais buscou o gol venceu

OLHO 2 – São Paulo errou menos na defesa e teve o artilheiro que faltou ao Santos

Foi uma vitória como tantas do tri são-paulino: não precisou jogar muito para vencer um rival direto. Como definiu o saudoso Rogério Ceni, antes do clássico morno na tarde fria do Morumbi: “Até este ano, não jogávamos bem e ainda assím vencíamos; agora, as coisas não estão acontecendo”. Desta vez, deram certo contra um Santos carente de Kléber Pereira (sentiu o joelho antes do jogo), de um meio-campo mais talentoso, e de um sistema defensivo mais confiável.

Ricardo Gomes ainda não repetiu time e formação. Fez um São Paulo como Muricy faria no Morumbi. Três na zaga, Hernanes e Richarlyson refazendo a dupla (bi)campeã em 2007, Jean quebrando o galho pela ala direita, Júnior César pouco fazendo do outro lado, Marlos muito enfiado entre os dois atacantes. E o Tricolor seguiu no primeiro tempo fazendo água – inodora, insípida, incolor. O Peixe de Chulapa fez o feijão com arroz possível: sem Kléber Pereira, corretamente apostou em Roni à frente com Madson adiantado, Paulo Henrique Ganso como único armador, e três no meio marcando (Brum na cabeça da área, Pará e Germano pelos lados). Laterais presos e em fase irregular, e o preocupante miolo de zaga (Domingos e Astorga) atrapalhando os pesadelos de Douglas.

O primeiro tempo foi um zero a zero com gols no fim: aos 44, Dagoberto deu a sua primeira assistência para Washington em 2009, e o artilheiro marcou o primeiro gol desde 30 de maio. Dois minutos e 23 segundos depois, Miranda errou novamente, Germano acertou seu primeiro passe para Roni marcar o primeiro gol pelo Santos desde 15 de março.

Se o jogo não era bom, o aproveitamento tricolor foi ótimo: em bela tabela por dentro. Dagoberto bateu para boa defesa de Douglas, na sobra Washington pegou de canhota, Astorga mais uma vez se atrapalhou, e o São Paulo ficou com o placar que queria. Só faltava o futebol: muito atrás, pouco chegou no contragolpe. Mas como o Santos foi ainda pior, apesar dos esforços de Chulapa, a vitória ficou nos pés mais solidários que em jogos anteriores.

Mas ainda devedores. Como os santistas, depois do mais chocho San-São em tempos.

* ESCALADO PELA RÁDIO BANDEIRANTES E PELO LANCE!, ESTOU NO MORUMBI *

Tags:

  • Gabriel

    O Juvenal é o novo Dualib do futebol brasileiro. Com o Marcelo Portugal Gouveia só tivemos timaços. Com esse safado cara-de-bêbado, só tivemos times medianos. Sem o Muricy não vamos ganhar mais nada, se não formos rebaixados está de bom tamanho. O triste é não ver o tricolor na Libertadores ano que vem. Em vez de mandar o melhor técnico do brasil embora, deveriam dar um pé no Hugo, Jorge Wagner, Eduardo Costa, Washington, Richarlison e todos os outros pernas-de-pau sem raça e contratarem jogadores com qualidade e vontade de vencer que mereçam vestir o manto Tricolor!

  • Sk_TriMundial

    Palmeirense Mauro Betting,

    Nós 2 nos demos muito mal neste domingo, enquanto eu fui escalado para trabalhar as 9h da manhã, você teve que comentar o clássico dos desesperados.
    E olha que eu sou são paulino hein?!
    “Infelizmente” o coração não permitiu que eu ignorasse meu time de coração, mas escutar seus comentários pela Band foi o suficiente para nem procurar os melhores momentos agora a noite.
    Falei com meus amigos que antes dos “3 meses de experiência” eu não falo uma palavra sobre o Ricardo Gomes…e só pra finalizar:
    Este time somente voltará a jogar quando o Rogério Ceni voltar. O meu SPFC tem apenas um, mas o mais grave dos problemas…está sem alma.
    Um abraço e parabéns pelo trabalho.

    SK, valeu, amigo.
    mas tente dar uma olhada na aplicação do time. há um bom (mau) tempo não se via algo parecido no Morumbi. talvez seja um início de reação. mas muito longe no nível usual.

  • Silvio

    Cadê o dinheiro da venda do Kaká para o Real Madrid???
    Deviam comprar os reforços necessários enquanto ainda há tempo de lutar pelo tetra.

  • Paulo

    Luxemburgo vai começar um novo ciclo de trabalho no Santos. Acredito muito no treinador, que para mim continua sendo um dos melhores deste país, ao lado de Felipão, Mano Menezes e Muricy. A combinação Luxemburgo + Palmeiras é muito odiada, principalmente por alguns comentaristas que existem dentro da imprensa paulista. Não gosto de generalizar, mas não irei citar nomes. Não é o seu caso, Mauro… As críticas são tão fortes e constantes que não sobra espaço para a análise do trabalho realizado. O ambiente vai se deteriorando aos poucos. E olha, que da última vez, pelo menos campeão paulista, ele conseguiu ser… Agora no Santos, onde a combinação Luxemburgo + Santos, acaba sendo mais permitida, vai fazer a molecada voar e vai ser deixado de lado pelos críticos, verdadeiros algozes. Torço sempre por ele e principalmente pela sua coragem de falar das arbitragens, já que não me recordo de uma outra época em que elas estivessem tão lamentáveis como agora… Talvez seja por isso que tenha sido tão “caçado”… Ou pelo lado manager, que muita gente não aceita… “O ambiente do futebol é um dos meios mais conservadores que existem”, segundo ele mesmo um dia afirmou no microfone da Rádio Jovem Pan.

  • http://copeiros.wordpress.com Caio Di Pacce

    Mauro,
    Esse clássico foi lastimável realmente. Sobre o Luxa, será que ele dará jeito no Santos? Num sei.
    http://copeiros.wordpress.com – Luxa no Santos. É a solução?

    ABS CP.

  • carlos amendola

    Futebolzinho de 2ª divisão.

  • http://cinemaedepois.blogspot.com JúlioMM

    A sina tricolor?

    Pode parecer coincidência, mas para chegar à final da Libertadores é preciso passar pelo São Paulo.
    Este time tri-campeão da competição ambicionou o torneio que é muito difícil de ganhar.
    O time ficou sem disputar a competição desde 1994 quando chegava pela terceira vez a final da competição, e perdeu nos pênaltis para o Veles da Argentina, que tinha o goleiro Chilavert na época.
    O time retornou em 2004, e desde lá sempre disputou o campeonato. Aí começa a sina tricolor, o São Paulo sempre foi apontado como forte concorrente e neste período de 2004 a 2009 ganhou um torneio, e chegou a duas finais, mostrando como é difícil este ganha-lo, e mostrando ser o melhor brasileiro na competição. Times tradicionais do Brasil como Corinthians e Flamengo tiveram participações esporádicas neste período.
    Aqui podemos afirmar que para chegar a final desta tão cobiçada competição é necessário passar pelo São Paulo, vamos aos dados:

    Em 2004, quando o São Paulo retornou a competição, perdeu a semi-final para o então desconhecido para nós Once Caldas, que foi para a final e foi campeão.

    Em 2005 chegou a final contra o Atlético Paranaense e foi campeão.

    Em 2006 chegou novamente a final e perdeu a decisão para o Internacional de Porto Alegre.

    Em 2007 perdeu nas oitavas de final para o Grêmio de Porto Alegre, que chegaria a final contra o Boca Juniors e perderia.

    Em 2008 perdeu nas quartas de final para o Fluminense, que coincidentemente chegaria a final contra a LDU do Equador e perderia a final.

    E em 2009 o São Paulo perdeu nas quartas de final para o Cruzeiro, que mais coincidentemente também chegaria a final contra o Estudiantes da Argentina, e perderia a final.

    Tudo não passa de uma coincidência, mas é uma estatística para o adversário, para chegar a final é preciso passar pelo São Paulo.