logo lance
undo
Nacionais
Internacionais

BlogsL!

Colunistas

2 Pontos

por Rodrigo Borges e Fabio Chiorino

Blog da L!TV

Vídeos

Blog do Baldini

por Wilson Baldini

Blog do Bechler

por Marcelo Bechler

Blog do Kfouri

por André Kfouri

Blog do Garone

por André Schmidt

Blog do Gui Gomes

por Guilherme Gomes

Blog do Guilherme de Paula

por Guilherme de Paula

Blog do Janca

por João Carlos Assumpção

Blog do Mansell

por Eduardo Mansell

Blog do Marra

por Mário Marra

Blog do Salata

por Thiago Salata

Blog do Tironi

por Eduardo Tironi

Bulla na Rede

por Rafael Bullara

Crônicas do Morumbi

por Ricardo Flaitt

De Prima

por Fábio Suzuki e Igor Siqueira

Em Cima do Lance

por Bernardo Cruz e Igor Siqueira

Fora de Campo

O dia-a-dia dos atletas

Futebol & Ficção

por Valdomiro Neto

Futebol na Terrinha

por Thiago Correia

Gol de Canela FC

por Jonathan Oliveira

Humor Esportivo

Trollagem e zoação

Laguna Olímpico

por Marcelo Laguna

Lance! Livre

por Lucas Pastore

Made in USA

por Thiago Perdigão

Marketing & Economia da Bola

por Amir Somoggi

Números da Bola

por André Schmidt

O Mundo é Uma Bola

por Leonardo Pereira e Luiza Sá

Papo com Boleiro

por Luiz Otávio Abrantes

Planeta Fut

por Luiz Augusto Veloso

Press Start

por Lazlo Dalfovo, Pedro Scapin e Thiago Bicego

Quem Não Sonhou?

por Gabriel Carneiro

Saque

por Daniel Bortoletto

Segunda Pele

por Leonardo Martins, Rafael Bullara e Vinícius Perazzini

Super-Raio X

por Alexandre Guariglia

Tênis

por Fabrizio Gallas

Clubes

Doentes

MENU DO DIA – Libertadores, Flamengo, Santos, Sport, Goiás, Cruzeiro… | Blog Mauro Beting
logo lance
undo
Nacionais
Internacionais

BlogsL!

Colunistas

2 Pontos

por Rodrigo Borges e Fabio Chiorino

Blog da L!TV

Vídeos

Blog do Baldini

por Wilson Baldini

Blog do Bechler

por Marcelo Bechler

Blog do Kfouri

por André Kfouri

Blog do Garone

por André Schmidt

Blog do Gui Gomes

por Guilherme Gomes

Blog do Guilherme de Paula

por Guilherme de Paula

Blog do Janca

por João Carlos Assumpção

Blog do Mansell

por Eduardo Mansell

Blog do Marra

por Mário Marra

Blog do Salata

por Thiago Salata

Blog do Tironi

por Eduardo Tironi

Bulla na Rede

por Rafael Bullara

Crônicas do Morumbi

por Ricardo Flaitt

De Prima

por Fábio Suzuki e Igor Siqueira

Em Cima do Lance

por Bernardo Cruz e Igor Siqueira

Fora de Campo

O dia-a-dia dos atletas

Futebol & Ficção

por Valdomiro Neto

Futebol na Terrinha

por Thiago Correia

Gol de Canela FC

por Jonathan Oliveira

Humor Esportivo

Trollagem e zoação

Laguna Olímpico

por Marcelo Laguna

Lance! Livre

por Lucas Pastore

Made in USA

por Thiago Perdigão

Marketing & Economia da Bola

por Amir Somoggi

Números da Bola

por André Schmidt

O Mundo é Uma Bola

por Leonardo Pereira e Luiza Sá

Papo com Boleiro

por Luiz Otávio Abrantes

Planeta Fut

por Luiz Augusto Veloso

Press Start

por Lazlo Dalfovo, Pedro Scapin e Thiago Bicego

Quem Não Sonhou?

por Gabriel Carneiro

Saque

por Daniel Bortoletto

Segunda Pele

por Leonardo Martins, Rafael Bullara e Vinícius Perazzini

Super-Raio X

por Alexandre Guariglia

Tênis

por Fabrizio Gallas

Clubes

Doentes


MENU DO DIA – Libertadores, Flamengo, Santos, Sport, Goiás, Cruzeiro…

por Mauro Beting em 04.jul.2009 às 12:37h

Aipim não faz mais cheque desde 1994, quando o Real substituiu o Cruzeiro. Para ele, sempre insubstituível. No boteco do Mendes, é mais um a me cornetar pelo post da classificação celeste,

– Mário Betti… Ocê não pisou na bola; você furou, explodiu e desintegrou sua pelota, amigo. Parabéns. Não é fácil. Pelo menos depois você pediu desculpa com a China. Era o mínimo. Mas ainda acho que você ta fazendo média com o cruzeirense… Aliás, o Mendes, me faz um pingado?

– Aipim, desiste do pingado; o boteco tá muito chic; aqui eles inventaram um “chai latte desnatado descafeinado sem lactose sem glúten despressurizado com nutella desavelanizada galvanizada”. Em resumo, um sem-gosto total. Mas, só para reiterar: pisei na pelota, mas não fiz média. Jornalista que faz média acaba abaixo dela. Apenas fiz minha parte. Pedi desculpa, e bola pra frente. Até porque foi um erro de tom. Sempre achei o Cruzeiro favorito. E ainda mais agora, mesmo respeitando o Estudiantes, que será uma pedreira.

– Vai ser doidimais a final. E claro que vai ser tri. O time agora é melhor que o do bi em 1997, mas inferior ao de 1976. É como você escreveu: melhor que aquele do Jairzinho e do Palhinha vai ser difícil.

– Mal comparando, Aipim, a chegada do Jair em 1976 é mais ou menos como a do Kléber em 2009: o cara que faltava à frente. Tem sido o diferencial. E acho que será também na decisão.

– Quem você acha que ganharia um confronto de mata-mata entre Cruzeiro e Corinthians, hoje? Não é porque sou Zeiro, mas ia dar a gente. Temos mais experiência em competição do tipo. Mais banco. Aliás, a molecada, amanhã, contra o bom time do Goiás, vai fazer bonito. Eles não vão ter o Iarley, e nós vamos com o Bernardo, o Dudu, o Zé Carlos Oséas e, para variar, com um zagueiro Luisão bom de bola.

– Aipim, vou ficar em cima do muro. Claro que não se compara Copa do Brasil com Libertadores (embora, para muita gente da mídia, dependendo de quem chega à final, a Copa do Brasil vira a do Mundo, e a Libertadores vira a Intertoto…). Mas é jogo para mais de quilômetro de discussão. O Corinthians está iluminado, e o Cruzeiro passa até quando não joga bem. Honestamente, não sei. O BR-09 não servirá de parâmetro: o Corinthians já está na Libertadores-10, o Cruzeiro também estará – por conta do tri -, e, claro, vai ter de passar a pensar muito mais no Barcelona, O que, convenhamos, é maravilhoso. Como diria o presidente corintiano – o do Brasil -, é para morrer de inveja. Ah, mas no jogo contra o Goiás, acho que a molecada vai bem. Mas, no máximo, volta com empate. O time goiano está certinho.

– Mendes, aqui no boteco você vai ver o Flamengo, né? Ou vamos ver o Vitória? Tenho gostado muito desse time do Carpegiani. Lá no Cruzeiro ele não fez muito, não, em 2001. Mas é um time bacana esse. O Leandro parece que voltou a jogar bem, Esse foi nosso multicampeão em 2003. E o Adriano, joga?

– Em campo ele estará, o que já é um avanço para quem não vai ao treino… Eu tento defender o cara, mas fica difícil. E vai ser duro para o Flamengo, sim. O Vitória é bom time, perigoso no contragolpe… Mas acho que a goleada sobre o Inter deve ter dado outro astral para o time do Cuca. Ou não, diria o Clémer Machado. Sei lá. Está difícil entender o Flamengo. É mais fácil esperar a chegada do Adriano em treino na Gávea.

– Imagine se o Vitória fosse o Barueri… Teria um milhão de reportagens nas TVs paulistas-brasileiras. Humpff. Bem, mas o Barueri também tá bem e só vocês só falam dos times que dão ibope… Os ipobres, nem uma linha… Aliás, mesmo do Santos vocês falam pouco. Nosso amigo Tuninho Nevex do Poxto Seix tem razão. É só Corintxá, Parmera e São Paulo. E acho que o Mancini vai se dar mal com Domingos na zaga e Robson no meio, Até porque eu li que o Leão vai botar o Sport com seis no meio, fechar tudinho com Fabiano e Hugo por ali, e só deixar o Ciro no ataque. Vai ser um belo dum feio de um zero a zero.

– Robson foi bem no Palestra. O Domingos com Fabão? Ambos marcando Ciro? Mas foi uma questão de vesitário, mais que de campo. Acho que vai ser jogo bom na Vila. E perigoso pro Santos. Outro que alterna um bom tempo e uma má atuação no outro tempo do jogo. E sobre Santo André x Barueri, no ABC, Pedrão e Thiago Humberto farão muita falta contra um Ramalhão completo. Mas palpito empate, ótimo pro Barueri.

– E empate é melhor ainda procê, meu amigo… Falo que você faz média direitinho… Vai lá fazer uma pra mim, então, no lugar do Mendes.

Tags:

  • Arthur Lima

    Quem é esse Roger aí do comentário? É jogador do Sport não, né? Se for, foi contratado hj pela manhã…

  • Sanderson

    “…Claro que não se compara Copa do Brasil com Libertadores (embora, para muita gente da mídia, dependendo de quem chega à final, a Copa do Brasil vira a do Mundo, e a Libertadores vira a Intertoto…). ”

    Colocação perfeita Mauro! Humildemente penso que você entendeu meu recado do post anterior (“aquela história da minha mãe, que não acompanha futebol e acha que o Corínthians é o todo poderoso.”) Lembra?

    O normal seria eu entrar em blogs de cruzeirenses, ou jornalistas mineiros. Até o faço às vezes, mas procuro sempre ler matérias de diferentes jornalistas esportivos, em diferentes meios de comunicação para tentar me livrar deste bairrismo que existe em mim e poder ver como meu cruzeiro é visto por estes (indenpendente da fase em que o time se encontra).
    Sou cruzeirense fanático, mas procuro enxergar a realidade em tudo na minha vida, até no futebol.

    Sei que o cruzeiro não é melhor time do mundo, quiçá do Brasil, mas tenho plena confiança de que este time pode ser campeão da Libertadores, bem como do mundial, pois tem qualidade e mais importante, conhece suas limitações (SP e Inter que o digam, que ganharam do Barça, mesmo tendo times inferiores tecnicamente, na minha opinião é claro!).

    Sempre te admirei pelo profissionalismo e respeito aos clubes fora do eixo. Depois que comecei a ler seu blog estou virando seu fã.
    Também, sendo filho de quem é não poderia se esperar outra coisa! Parabéns e sucesso!

    Vamos cruzeiro querido de tradição, libertadores, ser campeão! Mesmo que valha menos que a Copa do Brasil.

  • Franklin Bronzo

    Quando eu era criança pequena, lá em Barbacena…Minas Gerais ainda não tinha um campeonato estadual. Tinha, se tanto, um campeonato da cidade de Belo Horizonte. E, nesse, ganhava, quase sempre, um clube regional, um clube local, embora respeitável, o C.A. Mineiro. O meu Cruzeiro E.C., à época, ainda se acostumava com a mudança, não de identidade, mas de cores, de pavilhão, de S. E. Palestra Itália para o maravilhoso Cruzeiro do Sul atual. Até que, a partir do início da década de 60, assumiu a presidência do clube um certo Felício Brandi, logo após o nosso tricampeonato de 59/60/61, título premonitório do que estava por vir daí em diante. E o que surgiu, pouco depois, foi o maior time do Cruzeiro de todos os tempos e um dos maiores da história do futebol brasileiro. O inesquecível esquadrão de Raul, Procópio, Piazza, Zé Carlos, Dirceu Lopes, Natal, Tostão e muitos outros…Que foi campeão brasileiro (sim, campeão brasileiro) em 1966, em cima do inigualável Santos de Pelé e Cia., com sonoros 6 x 2, no Mineirão, e 3 x 2, no Pacaembu. E que inaugurou a era, que se estende até os dias de hoje, dos grandes times azuis e de uma verdadeira “escola de futebol”, acadêmica, clássica, vistosa, embora não menos efetiva e objetiva na conquista de tantos e valiosos títulos, estaduais, nacionais e, principalmente, internacionais. O Cruzeiro E.C. conseguiu atingir um status que o coloca, queiram ou não alguns dos seus obstinados detratores, em uma posição de destaque entre os grandes clubes da América do Sul e, mesmo, do mundo. Graças a uma gestão de diretoria, desde a era Felício Brandi/Carmine Furletti, que alia seriedade e competência administrativa à paixão pura e simples pelas nossas cores. Mas fazendo questão de priorizar, sempre, a ética e o devido respeito a todos os adversários. É muito bom ser cruzeirense…