Maradona ou Pelé do pop?

por Mauro Beting em 26.jun.2009 às 13:47h

Ele vinha perdendo a cor. Ele morreu pálido. Desfigurado. Desenganado.

Michael Joseph Jackson morreu em 25 de junho de 2009. Michael Jackson morreu em 1991, no último trabalho digno do talento. Mas abusando de todos os clichês para um ícone que virou clichê de tudo e de quase todos os usos e abusos, ele começou a morrer quando nasceu para aquilo que fez melhor que ninguém – sem os exageros da persona exagerada que é.

Michael foi vítima de tudo o que há de pior e de podre e de pobre no que há de melhor e saudável e rico na indústria do entretenimento – tão indústria quanto entretenimento. Na neverland que criou – não a mansão de outra galáxia, mas a própria “vida” que levou -, Michael se perdeu entre tantos corredores e quartos. Virou um clip. Virou um cara que anda para trás do tempo na Lua. Moonwalk na calçada e na caçada da fama.

Triste rei do pop. Mais Maradona que Pelé. Sabia jogar fácil, sabia jogar difícil, não dava mole, jogava duro, ganhou tudo que é título. Mas a pessoa atormentada desde a infância anormal levou a uma vida normal na anormalidade. Wacko Jacko. Piada pronta e ambulante que nem a morte minimizou. “Jokes” para Jackson foram tão ouvidas pelo Brasil quando os lamentos. Faz parte do show. E ninguém fez tanto show quanto ele. Ele é o showman, show-woman, show-all da história.

De fato, uma show-child. Não vou entrar naquilo que se sabe ou se imagina dele. Mas era uma criança quando subiu ao palco aos cinco. Seria uma criança que subiria ao stage na megaturnê que morreu ontem.

Ele, claro, não. Ele não vai morrer. Por mais Benjamin Button que tenha sido. Melhor: Button no fim-começo de vida.

Ele nunca cresceu. Só decresceu a carreira. Só perdeu o vigor dos Jackson Five, uma das tantas estrelas da Motown que completa 50 anos de ao menos 20 de glórias absolutas no panteão da música. Os irmãos Jackson beberam da fonte da juventude da gravadora de Detroit (a melhor da história da música para os ouvidos deste escriba surdo) e produziram um caçula que fez duas pérolas pop de adoçar pistas e vidas: “Off the Wall”, de 1979, e o megatudo “Thiller”, de 1982. Não por acaso capitaneados pelo Michael Jackson dos botões – Quincy Jones.

“Thriller” foi ainda além. Consagrou o videoclip. Estabeleceu a música para ver. Para vender. Nem preciso citar os zilhões de cópias vendidas em vinil e CD. Não por acaso, disco lançado no ano da introução do disquinho prateado. Uma das tantas revoluções da música. Como ele foi uma das tantas do entretenimento.

Esse, sim, é um “artista” sem aspas, um que não precisa se vender em fazendas, que não precisa de “projetos” em BBBs, que apenas vende sua arte e seu dinheiro. Goste ou não do artista (ele sempre foi muito mais que músico), goste ou deteste a vida dele (que é coisa dele e dos supostos prejudicados), o legado é inegável.

Só não precisava acabar assim. Talvez fosse melhor ele ser uma foto de James Dean em “Giant”, uma Marilyn Monroe segurando a saia esvoaçante sobre o metrô. Um ícone preservado. Reservado. Guardado na juventude. Anda mais ele, criança que nunca cresceu.

Mas a vida é dura. E foi dura demais para Michael Joseph. Acredite. É muito provável que ele quisesse 24 horas de palco. Mas com poucas porém fiéis pessoas na plateia.

Como fã do cantor e compositor dos álbuns “Off the Wall”, “Thriller” e da canção “Black or White”, não importa se foi preto, se virou branco. Importa que tem muita gente que se importou com ele e está mais triste. Menos colorida.

Tags:

  • Jovaneli

    Depende, para os argentinos, é o Maradona do pop. Já para os brasileiros, é o P… Okay, esquece, Mauro. É o Maradona mesmo…hehehe
    Incrível como os grandes gênios da música estão indo embora. Elvis, Beatles, Kurt Kobain, entre outros. E o mais triste é a constatação de que não surge ninguém parecido.
    Meus CDs de música são repletos de obras-primas de gente que morreu. Não gosto muito da música que se faz hoje. Respeito quem pense diferente, mas eu acho que o melhor foi feito no passado. Alguns, ainda estão por aí fazendo um bom som em meio a tanta porcaria. Temo pelas próximas gerações….

  • Grafir Jr

    “Nem um, nem outro, Mario Betti, Maico Jéquis é o Mané Garrincha do pop!!!”, disse, de repente, o garçom, enquanto recolhia os copos em torno da mesa de sinuca.

  • Jovaneli

    Minha teoria sobre Michael Jackson:

    Gênio do entretenimento, perfeccionista, Michael Jackson sofreu muito na tentativa de se superar. Leia-se: produzir músicas e discos compatíveis com o trabalho antológico de Thriller. Fazer shows daqueles que realizou na turnê Bad. Fracassou.
    Decidiu, então, que se preciso fosse tomaria um monte de remédios para aliviar as dores do corpo frágil e assim poder fazer bem (no nível de um Michael Jackson) os 50 shows em Londres. Ele foi até as últimas consequências para provar que era capaz de subir ao palco mais essas 50 vezes.
    Normalmente, astros desse tamanho se acham imortais, capazes de fazer qualquer coisas irresponsáveis para atingirem os seus objetivos. Em regra, não cogitam a menor possibilidade de algo dar errado.
    Pois deu errado, de novo. O mundo da música, do espetáculo, do exagero perdeu um de seus maiores nomes: Michael Jackson.

  • Lucas

    Um fenomeno. Explicação melhor não existe para rapidamente explicar quem foi Michael Joseph Jackson. Criança de talento raro que pagou até o dia 25 de junho de 2009 o preço de ser o que era um fenômeno.
    Talvez as acusações e preconceitos impostos contra Michael fossem pura inveja daqueles que no fundo não se conformavam em entender que ali estava alguém abençoado.
    Não me importo se apareceu negro e ficou branco, só aqueles que são insensiveis ou preconceituosos para crucificar alguém por esse motivo.
    Mas ninguem percebeu que Michael não cresceu. Sua Terra do Nunca era sua fuga para a infância, juventude e toda a sua vida roubada pelo mundo do entretenimento.
    Na lembrança suas músicas e sua voz doce quando apenas era uma criança e a certeza que vivi na mesma época de um veradadeiro fenômeno.

  • Ivan Matheos Júnior

    Só uma palavra sobre o texto: Sensacional!
    Parabéns Mauro!

  • Lucas

    Muito legal ter falado sobre isso num blog de futebol. Parabéns Mauro pela atitude e pelo texto.

    Realmente um fato muito triste. Até o Eminem deve estar triste hoje.

  • Paulo

    Parabéns, Mauro, pelo belo texto! Sensato, e sensível e poético como a arte deixada por esse grande artista, que emocionou tanta gente, e com certeza servirá de trilha sonora para muita gente no futuro. Se ele estava decadente ou não é outra história; vamos agora celebrar tudo de bom que ele fez pra tanta gente.
    Grande abraço,
    Paulo – POA/RS

  • http://blogs.abril.com.br/futebolearte André Rocha

    Meus sentimentos desde ontem são basicamente os seguintes:

    – Quando lembro do artista caricato em que ele se transformou desde 1991, dos casos estranhos e mal explicados em que esteve envolvido e da cena dele com o filho na janela eu não consigo pensar em nada, nem ter compaixão;

    – Quando me recordo de “Thriller”, “Don’t stop till get enough”, “Rock with you”, “Billie Jean”, “Beat It” e outros, fico arrepiado com as lembranças do tamanho do seu talento e do seu sucesso;

    – Quando ouço “Ben”, penso na história da canção e de sua infância, e vejo imagens do Jackson Five, dá um nó na garganta tremendo.

    É isso. Michael Jackson foi um cara que não teve como ser tão grande quanto o seu talento e carisma.

    Sem dúvida, o maior artista pop de todos os tempos, longe dos demais.

    Pena que em algum momento o cristal rachou. E nada mais foi igual.

  • Fernando Miller

    O MJ,juntamente com a Madonna e o Pelé formava a Santíssima Trindade do Star System mundial,ladeados apenas com o Presidente dos EUA e o Papa de plantão. (Obama poderá entrar nesse ról se ficar 30,40 anos em evidência de forma consistente,como esses três).Perto deles,Gisele Bündchen,o casal Pittie/Jolie, os Ronaldos…todos ficam em um segundo escalão de importância.Agora,MJ se juntou a outro restrito ról:ele estará ao lado de Elvis Presley e,pelo menos para os brasileiros,de Raul Seixas:artistas que marcaram de tal forma sua geração que infuenciaram (negativamente até) a vida de pessoas mais sensíveis,que deixaram de ser a si mesmos para se tornarem covers constantes desses mitos – todos conhecemos,ou já vimos,pessoas que se acham discípulos diretos de Raul Seixas,Elvis e Michael…

  • Fábio Chamusca

    Ainda acho que morreu o “Maicon” Jackson errado… Hehehehe

  • Maurilio

    Parabéns!
    Mais um texto brilhante.
    E a sacada do “Grafir Jr”, no comentário foi um gol de placa.

  • Augusto Frutuoso

    Falar da vida do cara assim é muito fácil. Ninguém sabia o que se passava na cabeça dele, até porque ele não falava isso em público. O que realmente interessa é que esse cara foi tudo em uma única pessoa. NINGUÉM na música fez mais do que ele. Esse cara faliu porque faliram com ele. Ajudou milhões de pessoas e só foi sugado, desde o pai. NEM ELVIS, NEM BEATLES, a música é do Rei e ele se chama Michael. As pessoas ainda não entederam a sua perda. Sabe qndo aparecerá outro assim? Never more! Mauro também tenho um blog e escrevi sobre o fatidico lá. http://www.blogdofrutuoso.blogspot.com.

  • Jovaneli

    Tá explicado. Ou melhor, traduzido…

    Música: Morphine
    Intérprete: Michael Jackson
    Compositor: Michael Jackson
    Álbum: Blood On The Dance Floor/ History In The Mix

    Ele ficou chato, baby
    Levou um chute no traseiro, baby
    Um ataque de coração, baby
    Eu preciso de seu corpo

    Um beijo quente, querida
    Ele é um prostituto, baby
    Você me deixa mal, baby
    Tão desconfiado

    Eu sou um porco, baby
    Um fora da lei, papai
    Eu odeio seu jeito, baby
    Tão cheio de incertezas

    Ouço um zumbido quente, baby
    Ele é um de nós, baby
    Outro drogado, baby
    Você deseja tanto

    Confie em mim
    Confie em mim
    Ponha toda sua confiança em mim
    Você está tomando morfina

    Hoo!

    Eles chegaram, baby
    Chutaram sua cara, baby
    Você odeia sua raça, baby
    Você é uma mentirosa

    Você lambe tudo, baby
    Você se prostituiu, baby
    Você me deixa mal, baby
    Sua alma apenas sobrevive

    Ela nunca rompeu comigo
    Ela nunca rompeu, baby
    Eu tive que trabalhar, baby
    Você só um rival

    Sempre querendo agradar o papai
    Tome jeito e deixe o papai em paz
    Você está matando o papai de vergonha
    Tão indesejável

    Confie em mim
    Só em mim
    Ponha toda sua confiança em mim
    Você está tomando morfina

    Continue, baby

    Relaxe
    Isso não vai te ferir
    Antes que eu injete
    Feche seus olhos e conte até dez

    Não chore
    Eu não vou te converter
    Não precisa se espantar
    Feche os olhos e vá em frente

    Demerol
    Demerol
    Oh Deus ele está tomando Demerol

    Demerol
    Demerol
    Oh Deus ele está tomando Demerol

    Ele tentou
    É duro convencê-la
    É demais o que ele conseguiu
    Hoje ele quer duas vezes pior

    Não chore
    Eu não me ressentirei com você
    Ontem você teve a confiança dele
    Hoje ele está querendo duas vezes mais

    Demerol
    Demerol
    Oh Deus ele está tomando Demerol

    Hee-hee-hee

    Demerol
    Demerol
    Oh meu Deus é Demerol

    Hee

    Oooh

    Oh!

    Ele comeu bosta, baby
    Você se prostituiu, baby
    Você me deixa mal, baby
    Você é uma mentirosa

    É mesmo um jogo, papai
    Alcançar a fama, baby
    É sempre a mesma coisa, baby
    Você está tão segura

    Confie em mim
    Confie em mim
    Ponha toda sua confiança em mim
    Ela está tomando morfina

    Hoo!

    Você se senta no chão, você não diz nada
    Você está tomando morfina

    Hoo!

    Go’on mimam

    Você se senta no chão, você só fala disso
    Você está tomando morfina

    Hoo-hoo!

    Você se senta no chão, você não fala nada sobre isso
    Você está tomando morfina

    Você se senta no chão, você só fala disso
    Você está tomando morfina

    Você se senta no chão, você não diz nada
    Você está tomando morfina

    Hoo-hoo

    Eu estou me acabando, baby
    Você está dizendo Morfina

    Continue, baby!

    Hoo!

    Hoo!

    Morfina!

    Faça isso!

    Hoo!

    Ele está tomando morfina

    Morfina!

    Morfina!