RAIO X – Cruzeiro x Grêmio

por Mauro Beting em 24.jun.2009 às 12:35h

KLÉBER X LÉO – Duelo de seleção. Literalmente. Também pelo próprio “duelo”, no sentido clinteastwoodiano. Kléber vive o melhor momento da carreira, e tem sido letal. Nunca fez tantos gols, nunca preparou tantos gols, nunca apanhou tanto, e, dever dizer, não tem batido tanto. Pode ser expulso. Só que leva junto um. Léo é dos melhores zagueiros do Brasil. Por vezes, se perde. É um enorme risco a expulsão dupla. Mas é seguro que travem um senhor combate – no bom sentido.

WELLINGTON PAULISTA X RÉVER – Também pode ser Thiago Ribeiro. Mas deve ser a primeira opção, melhor no jogo aéreo defensivo, e que fez boa partida (como todos) no Morumbi. O zagueiro e também volante gremista é outro entre os melhores do país. Nas duas áreas. Também por isso a preocupação nas bolas paradas. Como todo o Grêmio, ele está se readaptando a atuar com apenas um companheiro ao lado. Demanda tempo. Até porque precisa fazer a cobertura do falho lado esquerdo tricolor.

WÁGNER X TÚLIO – Contra o São Paulo, uma excelente atuação. Contra o Grêmio, há como se esperar mais do mesmo do organizador ofensivo celeste. Túlio deve ser o volante mais atento a ele. E precisa estar mais esperto do que tem estado. Ele e todo o Grêmio. Além de não se perder em provocações e indisciplinas que têm custado caro a ele durante a carreira.

JONATHAN X FÁBIO SANTOS – A fase do lateral celeste é excepcional. Nunca jogou tanto tecnicamente, nunca correu tanto à frente, e até tem se saído melhor na marcação. Enfrentando um lateral que não vinha jogando bem como ala, e segue sem atuar bem como lateral. Fábio Santos é bom jogador. Mas não tem sido no Olímpico. E precisa marcar o que não tem marcado para segurar o forte lado direito mineiro.

GERSON MAGRÃO X RUY – Dois alas com pés de armador. Mas só um tem atuado bem. Muito bem. O cruzeirense está se acertando até na marcação, e segue sendo alternativa confiável no apoio e na armação celeste. Ruy vinha muito mal como ala, e tende a funcionar ainda menos sendo obrigado a marcar. Como as outras opções também não foram felizes na mudança do 3-4-1-2 de Roth para o 4-2-2-2 de Autuori, o Grêmio vai com Ruy para o Mineirão. E pode não voltar bem justamente por isso.

HENRIQUE X ADILSON – Dois volantes que sabem jogar e se aventurar ao ataque. O cruzeirense fez um golaço de Nelinho, no Morumbi, como bem definiu o nosso André Kfouri. Não é um jogador brilhante, mas sabe fazer seu papel com correção. Adilson é outro que pode ajudar a carregar o piano, e pode até tocar mais que “O Bife”. Precisa e deve jogar mais. Não apenas combatendo.

TCHECO X ELICARLOS – O cruzeirense fez uma partida muito boa no Morumbi na contenção e Marlos que, como o armador gremista, atua mais à direita. Precisa bisar a atuação para evitar que Tcheco organize o jogo. Evitando as faltas que o próprio armador tricolor sabe cobrar e colocar nas cabeças devidas. Mesmo estando longe do habitual – quando atua pelo Grêmio.

SOUZA X MARQUINHOS PARANÁ – Um senhor embate. Empate muito técnico. O cruzeirense tem se saído bem demais. Na sobra à frente dos dois zagueiros no Morumbi, foi mais uma vez irrepreensível. Precisando jogar mais com o time no Mineirão, tem capacidade para tanto. Até para ajudar a minimizar a ausência de Ramires. Porém, o dever é estar de olho em Souza, principal criador gremista – embora já tenha atuado bem melhor em 2009. O tricolor precisa se movimentar mais e tentar aquilo que o previsível time tricolor não tem conseguido.

MÁXI LÓPEZ X LEONARDO SILVA – O gringo tem jogado tudo que o restante do time não tem feito. Muito mais do que eu imaginava. E é do tipo que cresce em decisões, ainda que não tenha a guarida devida. O duro será enfrentar outro cruzeirense que vive o melhor momento na carreira. O jogo aéreo tricolor será tolhido pelo gigante azul.

ALEX MINEIRO X LÉO FORTUNATO – Um time está iluminado quando um zagueiro comum (para usar um eufemismo) atua como jogou no Morumbi, e como tem atuado pelo Cruzeiro. Tarefa que pode ser facilitada pela fase pouco inspirada de Alex Mineiro. E se vier Herrera, muda a correria. Mas nem tanto a qualidade atual.

FÁBIO X MARCELO GROHE – Fosse Victor na meta tricolor, um empate ultratécnico. Mas Grohe não é mau goleiro. Mas não é Victor. E Fábio nunca esteve tão Fábio quanto agora. É dos melhores goleiros do Brasil, cada vez melhor no confronto, cada vez saindo melhor da meta, cada vez melhor colocado.

ADILSON BAPTISTA X PAULO AUTUORI – Capitão América campeão da Libertadores-95 pelo Grêmio. Campeão sul-americano pelo Cruzeiro em 97 (fora o título vencido pelo São Paulo, em 2005). Outro confronto à altura do clássico. Autuori ainda não foi feliz no Grêmio, e sente a dificuldade em mudar de esquema e de futebol no meio do torneio; Adilson vai superando resistências e vencendo rivais e problemas (e mesmo algumas trocas mais que discutíveis) pela impressionante capacidade de trabalho. No Brasil, não há hoje um técnico que pense tanto futebol, que curta tanto trabalhar quanto ele.

Tags: ,

  • http://www.jocafuteblog.blogspot.com Joaquim Porciuncula

    Excelente postagem Mauro!

  • Jonas Rafael

    Vai sair o post-flashback de oito anos atrás? Estou louco pra ver o texto de 2001 quando o Grêmio patrolou o Corinthinas no Morumbi…

    JONAS, vai sair, sim. mas tive um problema com o arquivo onde estão os textos. mas será sanado e, quanto antes, estará publicado.

  • eduardo guimaraens

    Me desculpe mas entre o gigante estrelado e o Maxi sou mais o gringo, que é mais ágil e rápido que o grande e lento cruzeirense. Se o zagueiro cruzeirense pensa que vai encontrar um centroavante poste à la Washington vai quebrar a cara. Maxi se movimenta e muito.

  • Jovaneli

    O Grêmio é forte na jogada aérea, e a defesa cruzeirense é frágil nesse tipo de jogada, por isso acho muito difícil o time de Autuori não marcar gols nessa primeira partida.
    Minha dúvida é se o Cruzeiro conseguirá fazer os gols que precisa no Mineirão. Se vencer por um gol, pode considerar um baita resultado. 2 a 0 então, aí é goleada. Se empatar, pode esquecer. Como diz um dos Perrelas (nunca sei quem é quem…rss), o Cruzeiro é um gatinho quando joga fora de casa.
    Por tudo isso, acho que o jogo de hoje decide o confronto, e não o segundo, no Olímpico. Concorda seu Mário???
    Como pode ver, insisto na minha tese de que a defesa é o melhor ataque. No confronto da Liga dos Campeões, não deu certo, mas agora acho que vai se confirmar com a classificação do tricolor gaúcho.

  • http://www.esquemastaticos.blogspot.com/ Marcelo Costa

    Estes posts flashback são bem legais. O Léo Fortunato tem um problema físico e, talvez, não vá para o jogo. O Autuori confirmou o Alex Mineiro ao lado de Máxi López, mas não duvido que ele coloque um outro atacante (Herrera ou Jonas) para aproveitar os contra-ataques. Como sempre, aproveito para disponibilizar as análises e os desenhos táticos pré-jogo que fiz de Cruzeiro e Grêmio. Abraços. Marcelo Costa.

    http://esquemastaticos.blogspot.com/2009/06/cruzeiro-versus-gremio-analise-tatica.html

  • Lets

    Mauro, se o Fortunato jogar, o Cruzeiro leva vantagem no jogo aéreo, assim como parou o São paulo e ainda usou a arma deles no primeiro jogo com gol de cabeça do Leonardo Silva, que é alto, mas muito ágil e leve, se o Herrera jogar será melhor ainda. O negocio para o Cruzeiro é não levar gol, pois fora de casa na Libertadores tem se dado muito bem, inclusive ganhando jogos com 10 jogadores em campo, o único tropeço foi contra o Estudiantes num jogo atípico em que chegou atrasado, não tinha o Kleber e já estava classificado, nesse papo de gatinho fora de casa é que o São se ferrou depois de ganhar aquele 3a0 sem importancia pelo brasileirão.

  • Paulo

    Vamos torcer então para o “Palestra Itália” de Minas Gerais. Um time que conta com a determinação e a garra do Gladiador Kleber, num campeonato que tem a cara dele. Seria fantástico poder vê-lo enfrentar o Barcelona da Espanha no fim do ano!

  • alessandro rodrigues

    mauro , bacana o que você escreveu. mas, você esqueceu de falar sobre o banco de reservas do cruzeiro que também é muito forte. abraço a tds da redação

  • tricolor

    pelo visto o cruzeiro leva vantagem em todos os confrontos… veremos.

  • joanino

    é mauro considero voce o mais imparcial dos comentarista , porem hoje, com muito respeito, foste infeliz nessas analizes . no geral o cruzeiro é mais ofensivo que o gremio , mas acho o gremio , mesmo ainda nao sendo o que pode ser com esse grupo ,que alguns consideram limitado, mais acertado . o cruzeiro tem hora que desanda feio . espero que eles nao estejam tao espetacular . e sem contar que a vaga é a soma dos dois jogos . com certeza o autruore te estrategias pra ate uma possivel derrota com gols sendo assim o cruzeiro tende a se “”afobar”” e o gremio sabe que uma derrota com um gol de diferença principalmente 2×1 , 3×2 é favoravel.sem contar que o futebol do gremio , pelo menos tenta , eé segurando a posse de bola. palpites dificil . hoje pode ate dá cruzeiro , porem no somatorio dos jogos dá gremio .