Muricy, 12/2005 – 06/2009

por Mauro Beting em 20.jun.2009 às 9:23h

Campeão do Brasil em 2006 com um elenco que já havia vencido quase tudo em 2005. Bicampeão brasileiro como raros na história nacional. Único tri nacional, em fantástica recuperação no returno. E tudo isso mesmo longe de ser unanimidade, mesmo sem ter um elenco como o de Telê Santana, um de seus mestres. Mesmo perdendo de goleada a semifinal do SP-07, em casa; mesmo perdendo outra semifinal para rival, em 2008. Repetindo a dose com duas derrotas em 2009 para outro figadal rival, quando tinha um elenco melhor, maior e mais entrosado para encarar a temporada.

Não falo da Libertadores perdida para o Inter, em 2006. Da precoce eliminação em 2007 para o futuro vice Grêmio. Para a derrota na última bola para o futuro vice Fluminense, em 2008. E das duas derrotas para o forte Cruzeiro, em 2009, depois de uma primeira fase capenga, e uma classificação para as quartas-de-final no W.O. Derrotas definitivas para encerrar o ciclo vitorioso de Muricy no Morumbi. Quase um anagrama. Certamente, a casa do treinador, ex-jogador da base, prata e fruto de tudo de ótimo que tem feito o São Paulo nos últimos 40 anos.

Mas tem hora para tudo. Sobretudo no futebol brasileiro. Mestre Felipão ensina há anos: treinador no Brasil tem prazo de validade. Para ele e para o clube. “Quando os jogadores aprendem nossos truques, as horas em que ficamos bravos de mentirinha, é hora de sair”. Talvez fosse realmente o momento. Ainda mais porque Muricy não tem a capacidade de Felipão de desanuviar o vestiário. Falta ao ex-tricolor o cafuné que tão bem sabe fazer Scolari. Muricy, como ele mesmo diz, não tem “conversinha”. Em determinados momentos, para determinados casos, o papo é mais que essencial. Essa DR (discussão de relacionamento) é básica. Não teve. Agora, não tem mais papo.

Os não poucos detratores de Muricy têm razão quando dizem que, em 2009, ele tinha elenco para não precisa improvisar, para achar logo uma formação, para tentar ganhar tudo que disputasse. Mas, na boa, quem consegue ser tetra brasileiro? E com um elenco, sim, mais forte – mas não uma seleção. Até porque, com a queda de rendimento de alguns como Hernanes e Jorge Wágner, e com a contusão de Rogério Ceni (por melhor que seja Denis), não há técnico que dê jeito.

Mas não teve Muricy mais tempo para treinar que qualquer outro (pelo W.O. do Chivas?). Sim. E ele sabe mexer e mudar o time com treino… Ou sabia. Em 2009, em 35 jogos, ele apenas repetiu a formação de um jogo a outro duas vezes. Apenas cinco vezes pôde contar com todos os titulares (mas, em 2008, nenhuma vez nas primeiras 35 partidas ele repetiu formação, e só uma vez escalou os titulares; se agora usou cinco esquemas táticos diferentes, em 2008, a esta altura do campeonato, haviam sido sete…).

Aí entra a participação da diretoria ao encerrar o ciclo de 139 vitórias, 67 empates e 46 derrotas, com ótimo aproveitamento de 64% em 252 jogos. O desgaste era óbvio, desgastado até nas arquibancadas quase sempre fieis ao treinador.

Culpa do Muricy? Culpa do elenco? Culpa da direção? Culpa do Cruzeiro? Culpa do Corinthians? Culpa do Inter que disparou? Culpa de Cotia “sub-aproveitada”? Culpa dos reforços de 2009? Culpa das pretensas estrelas do elenco? Culpa de Hernanes? Culpa do tornozelo de Rogério? Culpa do Leco? Culpa dos atacantes que reclamam? Culpa de Jorge Wágner? Culpa de Aislan que não tem chance? Culpa de Dunga por chamar Miranda?

De todos eles um pouco. De alguns mais. Mas, mais que tudo, culpa do tempo que fratura, que fatura, que fritura. Num ambiente de tanta pressão, de tanta paixão, a queda é tão rápida quanto a ascensão.

Eu, aqui de fora, ainda tentaria manter Muricy até dezembro (para conversar depois). Eles, lá dentro, os diretores, sacam coisas que não vemos, que não ouvimos, que não sentimos. Talvez tenham mesmo razão de acabar com algo que o tempo terminou. Algo que o São Paulo não fazia desde 2003, quando demitiu Oswaldo de Oliveira. Desde então, troca de treinador só por saída dele – a dupla Roberto Rojas e Milton Cruz sabia que não permaneceria ao final daquela temporada, quando foi substituída por Cuca.

Mas, se o tratamento de choque é esse, o novo treinador que chegue com carta branca para dar cartão vermelho para quem bem entender no atual elenco. Não acho que tenha muita gente que tenha tentado derrubar Muricy. Mas, certamente, tem quem adorou. E quem gostou, esse precisa ser marcado a ferro e fogo. Ou levado direto para a fogueira. Das vaidades.

* P.S.: A relação dos jogadores lançados por Muricy da base tricolor: 2006: Carlinhos (lateral); 2007: Breno (zagueiro), Sérgio Motta (meia), Thiago (atacante), Serginho (volante), Eric (atacante), Juan (volante), Jackson (lateral); 2008: Wellington (volante), Roni (atacante), Vítor (atacante), Rafael (lateral), Pablo (atacante), Oscar (meia-atacante), Mazola (atacante), Jean (volante que recuperou em Cotia, previamente lançado no time de cima por Autuori), Alex Cazumba (lateral), Bruno (volante), Aislan (zagueiro); 2009: Bruno Formigoni (volante), Henrique (atacante).

Na boa: havia tanta gente assim para lançar antes? Breno, é sabido, tinha grande potencial. Como Oscar, que só tem 17 anos, muita bola, mas precisa de mais caixa. No mais, fora um e outro caso, quem poderia realmente somar no período?

Jean, por exemplo, foi aposta dele. Hernanes, em parte, também. Muricy avalizou a saída dele do clube em 2006. E o resgatou em 2007, transformando-o em senhor volante, também pelas carências do elenco montado por Juvenal.

* P.S. 2 – Reiterando: continuo achando as críticas a Muricy tão exageradas quanto os elogios feitos a ele em três anos e meio vencedores de São Paulo.

Tags:

  • Henrique Felix Silva

    O novo técnico foi anunciado, e é bom tomar cuidado com algumas cobras(Washington de exemplo) que existem lá dentro, por que se conseguiu derrubar um dos melhores(melhor na minha opnião) técnicos do país, um dos melhores do mundo, não será sacríficio nenhum derrubar um técnico que não tem nenhum nome pelo menos no brasil.
    E outra coisa o muricy provou ser fiel(coisa que o JJ não foi), e mesmo assim as cobras derrubaram ele, um cara que dá o maior apoio para o atleta, que não é mau caráter.
    A diretoria que diz ser diferente, provou ser igual a todas outras. Uma pena para todos os caras honestos que gosta de futebol, e se o time não ganhar(e bem) do Corinthians vai mandar quem embora, o Milton Cruz????
    >>>>>Lastímavel demissão<<<<<

  • Amilcar – SP

    Mauro, se em outras ocasiões discordei de vc, hoje me sinto na obrigação de lhe dar os parabéns. De todos os comentários que já li sobre a saída do Muricy, o seu foi o mais coerente, equilibrado, inteligente.
    Parabéns

  • Vinicius Sirça dos Santos

    Mauro, vc é um gênio do esporte brasileiro…não perco o costume de ler e ouvir seus comentários, e desta vez seu comenário foi simplesmente perfeito.

    Parabéns

    Vinicius

  • Jorge

    Excelente, Mauro, parábens. Como você, acho que o casamento terminou. Aliás, desde o ano passado o SPFC não joga bola, mas foi novamente campeão. Mas, neste ano havia uma saturação geral. Do elenco, do Murici, do torcedor, da direção. Era a hora da mudança. Não acredito que esta mudaná tenha sido ocasionada pela derrota, mas sim por essa saturação geral e pelo mau futebol que o SPFC se acostumou a apresentar. Derrota é derrota, e qual clube brasileiro não gostaria de ter os títulos do SPFC nos últimos 4 anos. 3 Brasileiros, 1 Paulista, 1 Libertadores, 1 Mundial. Ninguém ao menos chegou perto disso. Mas, o mau futebol, sobretudo para um clube que já teve tantos timaços, como o do falecido Telê ou os menudos do Cilinho, soterrou o casamento. Boa sorte Murici, boa sorte, Ricardo Gomes. Valeu, Mauro.

  • Douglas

    Ótima análise. Fugiu da mesmice que parece ter contaminado grande parte dos bons comentaristas do país. Frases como “o São Paulo não é tão diferente assim”, ditas como se ao clube fosse proibido o direito de trocar de técnico – mesmo quando não o faz a 5 anos. E também não tratou Muricy como vítima intocável, e Juvenal como o responsável por tudo.

    Vários fatores influenciaram na queda de rendimento do time. Sou contra jogar tudo nas costas do treinador. Mas quem acompanha de verdade o São Paulo sabe muito bem das asneiras que Muricy vinha cometendo. Escalações equivocadas, improvisação em excesso, subaproveitamento do elenco – MR escolhe 4 reservas, e não importa quem se machuque, um dos 4 entra -, indefinição de um time titular (jogar uma quartas de final de Libertadores, no dia 18 de junho, com um time claramente desentrosado é uma afronta ao torcedor), falta de oportunidades aos garotos (veja bem, não quero um júnior no time titular, não quero sequer que seja um décimo segundo jogador, mas os jogadores de base sequer entram nos jogos, mesmo que seja aos 40 do segundo tempo) e, principalmente, ser um time de um ataque só a 3 anos (e não dá pra por a culpa disso pala falta de um meia, ainda mais quando o treinador coloca 3 zagueiros, um volante fixo e 2 centroavantes) e não chutar nem 5 bolas no gol contra Corinthians e Cruzeiro – somados, é demais.

    Obrigado pelos títulos, mas não dava mais.

  • http://www.blogdoro.net Rodollfo Bernini

    Perfeito, Mauro.

    A única coisa que melhorava o São Paulo, para mim, era o Muricy. E agora, sem ele, aposto em uma ligeira fila sãopaulina, sem dúvida. Um ou dois anos, pelo menos.

    Tomara que eles se classifiquem para a libertadores (para eles, pois eu, palmeirense, sempre torcerei contra), pelo menos, pois disputar a copa do brasil em 2010 vai ser deprimente…

    Abraços!

  • Daniel

    Infelizmente, pagou o pato o mais fraco. O imediatismo do futebol (só do brasileiro? não.) acaba fazendo não uma vítima, mas sim um injustiçado.

    O rompimento só foi bom para o Muricy, vai descançar, depois, deve ir para o Inter, que nunca negou querer sua volta … Pro SPFC, com a vinda o Ricardo Gomes, só resta REZAR por uma vaga na Libertadores ano que vem… E visto que o contrato do R.G. é só de um ano, não duvido nada de no fim do ano, trocarem de técnico…

    Enfim, uma perda.

    Só espero que esse elenco, que parece ter algumas cobras, aprenda.

  • Almir Moura

    Grande Mauro, desejo toda sorte do mundo a Muricy.

    Um cara do bem, extremamente respeitável, trabalhador e muito competente.

    No entanto, embora não concorde totalmente com a decisão da diretoria, entendo que não havia o menor clima para o treinador tricampeão brasileiro continuar.

    O time desse ano não deu liga, não apenas por culpa do comandante, claro.

    Há motivos diversos, mas a forma pueril como seu time foi derrotado pelo Cruzeiro em pleno Morumbi deixa explícito que suas chances de seguir no comando eram pra lá de diminutas.

    A química com os jogadores, tão vital em qualquer equipe, já não era das melhores.

    Com a diretoria, idem.

    Com os resultados então, nem se fala.

    O fator (derrocadas consecutivas em) mata-mata, sobretudo na Libertadores, foi decisivo para o fim do enlance vitorioso.

    E nem mesmo o tri-campeonato brasileiro foi capaz de segurar a onda (desta vez).

    E quando a química e situação chegam a este ponto, o melhor que os dois lados têm mesmo a fazer é anunciar o divórcio.

    Por mais doloroso que seja para ambas as partes.

    Era chegada a hora de cada um seguir o seu caminho e buscar novos ares.

    Para o treinador, os do Guarujá, talvez os do Internacional, de um jeito ou de outro, novos e bons.

    Para o São Paulo, um (treinador) “internacional”, sim, é verdade, mas ares nem tão bom assim.

    Novos ares estes que poderiam ser efetivamente melhores se a diretoria não fosse tão apressada, e sobretudo, não tivesse agido de forma tão equivocada.

    Até porque a chegada de Ricardo Gomes cheira (e parece beirar) a completa loucura.

    A diretoria não fez nada bem em anunciá-lo.

    Mudar é preciso, mas para melhor, evidentemente.

    Se fosse para descer tanto o nível assim, melhor ter ficado com o treinador tri-campeão mesmo, ora.

    Ricardo Gomes (aquele mesmo do vexame pré-olímpico) como mal sabemos, é dose para Leão e dificilmente agradará gregos, tricolores e troianos.

    Talvez apenas corinthianos, palmeirenses, enfim.

    E nem adianta argumentar que o cara obteve sucesso no futebol francês, pois isso não diminuirá o estigma de mau treinador.

    O cara é ruim mesmo, e ponto.

    Abel Braga, Nelsinho Batista, Emerson Leão (perdão, rubro-negros, pela ousadia), enfim, qualquer um destes, até o próprio Renato Gaúcho, seria muito melhor que o Ricardo Gomes.

    Se antes, o São Paulo começava o ano mal e depois reagia.

    Agora, com a chegada deste rapaz, a tendência é perder os freios de vez, descer ladeira abaixo, no maior desgoverno.

    Infelizmente.

    Culpa da cúpula máxima tricolor, tão desgovernada ultimamente.

    E que só tem tido olhos e governos para o Morumba vinte quatorze.

    Os quartorze mais nove da linha, pelo jeito vão ficar para segundo plano.

    Assim fica difícil…

    Ave Maria, diretoria!?!

    Ave Maria, Ricardo Gomes!?!

    Ave, Muricy!

    Abraços,

  • EMERSON CEGOBIA

    O SR JUVENAL TEM QUE PARAR DE PENSAR EM SEDIAR O JOGO DE ABERTURA DA COPA DO MUNDO DE 2014 ,E SE PREOCUPAR COM O TIME DO SÃO PAULO,AO INVÉS DE MANDAR O MURICY EMBORA QUE PRA MIM É O MELHOR TREINADOR DO PAIS DEVERIA MANDAR OS DOIS CANCER DO TIME WASHINGTON E EDUARDO COSTA.E SE FALAM QUE O MURICY ´´E DE CARATER E COMPETENTE POR QUE O MANDARAM EMBORA,NÃO ENTENDI”ENTÃO TORCEDOR DO SÃO PAULO ALGO ESTÁ MUITO ERRADO E NÃO É O MURICY E SIM A DIRETORIA.
    ENTÃO FORA JUVENAL,FORA CARLOS AUGUSTO,FORA RICARDO GOMES, FORA WASHINGTON,FORA EDUARDO COSTA,FORA ABERTURA DA COPA DO MUNDO NO MORUMBI!QUEREMOS UM TIME DE VERDADE,UM TIME A ALTURA DO SÃO PAULO,COISA QUE NUNCA DERAM PARA O MURICI TRABALHAR,NA VERDADE ELE FEZ FOI É MILAGRE ESSES TRES ANOS!PARABENS MURICY RAMALHO A TORCIDA DO SÃO PAULO AMA VC CONTINUE ASSIM NÃO MUDE POIS TENHO CERTEZA QUE VC MORA NO CORAÇÃO DE TODO SÃO PAULINO!
    QUEREMOS O MURICI DE VOLTA!
    É MURICY!É MURICY!È MURICY!

  • Felipe

    O Muricy sempre recusou propostas de outros times para não roer a corda com o tricolor.
    Em troca, o Juvenal foi traíra e dispensou um dos maiores ídolos da história do SPFC.
    Só espero que o Corinthians não contrate o técnico de maior garra e competência do futebol brasileiro.

  • FELIPE

    O MURICY SEMPRE RECUSOU PROPOSTAS DE OUTRAS EQUIPES PARA NÃO ROER A CORDA COM O SÃO PAULO.
    EM CONTRAPARTIDA, O JUVENAL FOI TRAÍRA E DISPENSOU UM DOS MAIORES ÍDOLOS DA HISTÓRIA DO SPFC.
    SÓ ESPERO QUE O CORINTHIANS NÃO CONTRATE O TÉCNICO DE MAIOR GARRA E COMPETÊNCIA DO FUTEBOL BRASILEIRO.

  • Fora Juvenal

    Atenção Mauro Beting:

    Você esqueceu do título perdido para o Boca pela Recopa Sulamericana, onde o Boca tinha 3 e o SP 2, e o título para o SP, daria empate entre os maiores ganhadores de todos os tempos da Recopa Sul…, mas com a derrota do sp, ficou: Boca 4 títulos e SP 2 títulos. Essa derrota além de custar o que custou acima, também custou para o Brasil, que tem 1 título a menos que a Argentina, coisa que se o Muricy não tivesse perdido para o Boca, estaria igualado.

    Fico satisfeito com a saída do Muricy, afinal perder 4 libertadores, 4 paulistas seguidos e 1 recopa, é muita coisa.

    Virar saco de pacadas de times brasileiros na libertadores é palhaçada.

    Perder de forma humilhante como perdemos para o Cruzeiro dentro do Morumbi é gozação.

    O Brasil demorou 33 anos para vencer o Uruguai no Centenário.

    O Boca não sofria uma derrota na libertadores “acho que a mais de 30” na bombonera, antes de perder para o Defensor.

    Já o SP, entregar as pontas tão facilmente.

    O Boca é o maior ganhador da década, o Independientes nunca perdeu uma final de libertadores, o São Paulo já perdeu 3 finais.

    É inadimissível sair fora tantas vezes seguidas, como foi em 2004 “com o time covarde do Cuca e vice versa”, 2006, 2007 2008 e 2009 com um time que pipocou nas horas necessárias.

    A verdade é que o Muricy, não ganhou UM ÚNICO CAMPEONATO, sequer com o SP, em confrontos de mata mata, somente em pontos corridos.

    O Cuca e seu irmão em 2004, sai do SP, falando do Luiz Fabiano, dizendo que o sp perdeu por causa do atacante, mas na verdade, o time covarde era o reflexo do técnico covarde, somados até com o descaso da demora eterna do Flávio Simplício, andando vagarosamente em sair do campo quando da expulsão diante do Once Caldas, sendo que o Sp, precisava converter o resultado. Aquele jogo foi parecido com o do Cruzeiro, onde o Sp nada fez. E pior o Cuca deixou o SP, completamente bagunçado.

    Somente o Leão, conseguiu organizar o time e vencer o Paulista, invicto se não me engano.

    Agora Ricardo Gomes é brincadeira, adeus em definitivo libertadores.

    Pelo menos, nos livrou do Cuca, pois eu já estava pensando até em torcer para o Flamengo, para eles não dispensarem o Cuca e derrepente esse “técnico de várzea”, vir para o SP.

    Mas é óbvio que fico com o Muricy, se comparar com o Ricardo Gomes.

    Eu queria na verdade é o Abel Braga.

  • Fora Juvenal

    Almir Moura, concordo plenamente com esse comentário seu:

    “Abel Braga, Nelsinho Batista, Emerson Leão (perdão, rubro-negros, pela ousadia), enfim, qualquer um destes, até o próprio Renato Gaúcho, seria muito melhor que o Ricardo Gomes.”

  • Hector Gonzalez

    Mauro, parabéns pela lucidez e coragem de ir contra a maré.

    Você fez a melhor análise do período Muricy no SPFC que eu já li. Foi equilibrado, ponderado e inteligente. Realmente parabéns.

    Como verdadeiro jornalista você buscou números e identificou quantitativamente motivos para a insatisfação que a diretoria poderia ter com o ex-treinador. Como verdadeiro torcedor do futebol bem jogado, posso te dizer que qualitativamente, ninguém no clube aguentava e acreditava mais no futebol feio, chato, burocrático e previsível do time.

    Abraço, continue o ótimo trabalho.

  • Nick

    Desculpe, Mauro, mas Muricy só conquistou três títulos brasileiros por pura falta de concorrência. Foi o nivelamento por baixo do nível técnico no Brasil que levou o São Paulo ao Tri. Todas as vezes que um time apresentou, contra o São Paulo, um mínimo de desempenho tático e técnico, o time sucumbiu. Vide as derrotas em Libertadores e Paulistas por você já citadas. Os elogios a Muricy são sim exagerados, e as críticas, pelo menos no que tange à falta de educação e de traquejo no trato pessoal, são fundadas. Não sei se Ricardo Gomes conseguirá colocar o São Paulo em rota ascendente novamente, mas estou certo que a cordialidade, elegância e o mínimo de educação no trato com imprensa, jogadores e público retornarão ao Morumbi. Estava farto das idiossincracias de Muricy. Agora, que a mulher dele – a pessoa que se ofereceu para a função – as aguente, sozinha. Sucesso a Ricardo Gomes e ao São Paulo nesta nova fase. Abs.

  • http://ermelindolindo odeio os gamba

    li todos comentarios e qtos idiotas só falam dos tecnicos e não falam do são paulo……e os gamba que acham que vão ganhar a libertadores é piada…não ganharam nem do inter ainda……este cristian do curintia deve ser um frustado sempre que faz gol contra o são paulo provoca …com esta onda de violencia e o idiota faz isso…..corintiano vcs não são nada,nunca ganharam nada,a portuguesa tem mai time que vcs quaquaquaquaqauq vão disputar a segundona seus trouxas,o são paulo nuca vai cair para a segundona o final todos sabem tetra brasileiro…o ricardo gomes é um lixo,mas ele é só um interino para um tecnico top assumir…creio que o scolari vai assumir o spfc…atençaõ porcaiada o dunga vai treinar vcs rsrsrsrsrsrsrsrsrsrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrsrsrsrsrsrsrsrrrrrrrrrrrrrrrrrsrsrsrsr….

  • erivelto braga alves

    vou ser breve gostaria de saber quantas vezes o sao paulo enfrentou o corinthians com muirici e o retrospecto dele com o mesmo e pra mim ele é um dos piores tecnicos que já vi pois com um time forte como o sao paulo teve nas maãos dele era facil ser campeao brasileiro que era ponto corrido mais os mata mata que ele perdeu foi tudo imcompetencia espero que vc passe os numeros dos confrontos que pedi um abraço e vou aguardar

  • Douglas

    O Muricy é um treinador normal, cm os outros, usou alguns jogadores no inicio, mas depois deixou de lado alguns. I sso mexe com o pisicologico dos jogadores, que nós nem sonhamos que acontece, só achamos .. eles tão com dinheiro no bolsa, que nada… logico com dinheiro no bolso e sem ultilização na sua aerea de trabalho. Aislan, teve mais chances ainda , mas e o Cazumba?, o cara não é nem um fenomeno, mas ajudou onde ele pode. Garnto se tivesse mais chances ele faria melhor ainda. Espero ve-lo e tbm outros que estão esquecidos novamente. Abraços