AO VIVO – BRASIL 4 X 3 EGITO

por Mauro Beting em 15.jun.2009 às 10:59h

Só Kaká salva

Parecia que a “maldição de Zidan(e)” – autor de dois gols egípcios – empataria um jogo ganho na estreia da Copa das Confederações. Mas Kaká fez a diferença numa partida maluca

Foi um dos melhores primeiros tempos da Seleção de Dunga. Acabou sendo a primeira vez em 41 jogos que o time do treinador levou três gols, e só venceu por 4 a 3 aos 45 minutos, num pênalti convertido por Kaká, e cavado por Lúcio.

O Brasil que iniciou nem parecia um time formado por jogadores em fim de temporada, desfusorados, e depois do desgaste de dois jogos duros pelas Eliminatórias. Aos 4 minutos a Seleção já se impôs, com um golaço de Kaká, chapelando e passando pela zaga egípcia. Mas, na primeira pontada alheia, explorando os mistérios da expugnável lateral esquerda brasileira, Zidan (que nome!) empatou, aos 8. De cabeça; como desempataria Luís Fabiano, aos 11; como ampliaria Juan, aos 36, em dois belos cruzamentos de Elano.

O Brasil marcava bem à frente, Elano e Felipe Melo ajudavam Kaká a construir, Robinho queria jogo, Luís Fabiano era letal. Ótimo primeiro tempo. O Brasil voltou – inteligentemente – tirando o pé do acelerador, esperando o Egito atacar para a Seleção aproveitar o que tem de melhor – o contragolpe. Com o meia ofensivo Eid aberto para cima de Kléber, e sem a devida ajuda de Felipe Melo, o time africano melhorou. Mas foi pelo outro lado, num intervalo de apenas 52 segundos, que Shawky e Zidan (que nome…) empataram em dois belos lances, em duas desatenções seguidas.

Em menos de um minuto, um jogo tranquilo virou um mistério. Ramires entrou para atacar mais que Elano, e conseguiu. Pato mais uma vez entrou e não se achou. Com Al Muhamadi fazendo parceria com Eid, Dunga teve de estrear André Santos para tentar fechar o lado esquerdo. O empate já era até bom negócio quando caiu do céu o gol da vitória. Depois de o Brasil cair na real e sofrer mais que o esperado num jogo melhor que a própria competição.

* MEUS PITACOS – AO VIVO – ENQUANTO COMENTO PELA RÁDIO BANDEIRANTES *

BRASIL – 4-3-1-2 – Júlio César; Daniel Alves, Lúcio, Juan e Kléber; Gilberto Silva; Elano e Felipe Melo; Kaká; Luís Fabiano e Robinho. Técnico Dunga

EGITO – 1-4-3-2 – El Hadary-1; Hani Said-6; Fathi-7, Ahmed Said-4, Gomaa-20 e Moawad-14; Shawky-11, Rabbou-8 e Hassan-17; Aboutrika-22 e Zidan-9.

Vai ser duro, vai ser suado, mas vai ser Brasil. 1 x 0.

COMEÇOU – 11H – Vai, Brasil!

4min – Brasil busca o gol e começa em cima do Egito, com boa movimentação.

4min47s – GOOOOOOOOLAÇO. 1 X 0 BRASIL. KAKÁ. Pé direito. Belo lance pela direita com Daniel Alves, tocou para Kaká por dentro, que chapelou Hani Said, deu um balãozinho em Gomaa, e fez um belíssimo gol. Justo.

7mi57s – GOOOOL. 1 X 1. EGITO. ZIDAN. CABEÇA. segundo pau, pela esquerda, Aboutrika escapou às costas de Kléber (que fase…) e passou na cabeça do atacante do Borussia Dortmund. Sempre tem um Zidan…

11min – GOOOOOOOL. 2 X 1 BRASIL. LUÍS FABIANO. CABEÇA. Falta cruzada pela direita por Elano, Fabiano se antecipou a Gomaa e fez um bonito gol. Tudo que não jogaram – e não jogarão – sul-africanos e iraquianos, brasileiros e egípcios estão jogando. PLACAR VIRTUAL – BRASIL 2 X 1 EGITO.

15min – Toca bem e bonito a bola o time brasileiro. Agora é momento de Felipe Melo dar um pé a Kléber, sobretudo porque o perigoso Aboutrika encasquetou de jogar entre o meio e a direita, às costas do lateral em má fase.

19min – Espetacular pique de Kaká, zaga salva. Impressiona o preparo físico brasileiro. A marcação é lá na frente, e a equipe faz partida muito boa.

22min – Robinho quer jogo, Kaká quer sangue. Luís Fabiano preocupa demais. Melhor. Elano e Felipe Melo ajudam na criação.

22min – Juan sobe sozinho e cabeceia para fora, depois de escanteio pela direita. PLACAR VIRTUAL – BRASIL 3 X 1 EGITO.

27min – Uhhhhh! Luís Fabiano chega um tanto atrasado em belo lance pela esquerda. O Brasil segue absoluto em campo. E não por demérito egípcio.

29min – Rabbou chuta de longe. É o que faz o Egito. E o Brasil precisa dar uma apertadinha no meio para evitar esse tipo de lance.

36min – Falta da direta, D.Alves bateu bem, El Hadary mandou a escanteio. PLACAR VIRTUAL – BRASIL 4 X 1 EGITO

36min – GOOOOOOOL. BRASIL 3 X 1 EGITO. JUAN. CABEÇA. Escanteio da direita cobrado por Elano, Gilberto Silva levou os zagueiros rivais, Juan, de novo, apareceu livre e testou bonito, no meio da área, quase na pequena. Jogada bem treinada e muito bem executada. PLACAR VIRTUAL – BRASIL 5 X 1 EGITO.

46min – Rabbou chegou bem de cabeça e quase diminuiu, em lance pela esquerda. PLACAR VIRTUAL – BRASIL 5 X 2 EGITO.

INTERVALO – Bela partida brasileira, das melhores do time de Dunga. Pena que o ritmo não pode – e não deve – ser o mesmo.

COMEÇOU – 12h02 – Equipes iguais. Gramado se soltou bastante, nas palavras de Antonio Petrin, companheiro de transmissão na Rádio Bandeirantes.

4min – Egito vem, o que é ótimo pro nosso contragolpe. Mas melhor ainda é a consciência brasileira. Não podemos atacar tanto, nem se cansar. Brasil troca a bola sem pressão, com inteligência.

5min – MUDA EGITO – Sai Hassan, entra EID-10. Meia mais ofensivo.

8min31 – GOOOOL. 2 X 3 EGITO. SHAWKY. O meia do Middlesbrough pega uma bomba e diminue a diferença. Lance pelo lado direito de nossa dfeesa

9min23s – GOOOOL. 3 X 3 ZIDAN. 52 segundos depois, Zidan, mas que nome!, empata. Um jogaço. E nós dormimos em um minuto fatal. Não vou falar mais nada. Lance entre Lúcio e Daniel Alves. Primeira vez que levamos 3 gols com Dunga, em 41 jogos. É a maldição de Zidan!!! Buhhh!!! PLACAR VIRTUAL – BRASIL 5 X 4 EGITO.

17min – MUDA BRASIL – Sai Elano. Entra Ramires. Boa mexida de Dunga. Sai Robinho. Entra Pato. Boa mexida de Dunga.

19min – Eid entrou muito bem à direita, em cima de Kléber. É o nosso problema, potencializado pelos dois lances do outro lado. Futebol é coisa de maluco. Mas, aos poucos, o Brasil começa a dominar a partida, com Ramires mais espetado que Elano, e Pato tentando se entender com L.Fabiano.

26min – Pesa agora a questão física, e a má forma de Pato. Jogo mais complicado que o esperado – depois dos 3 a 1, claro.

29min – MUDA EGITO. Sai Rabbou-8, entra Al Muhamadi-3. Para fechar e garantir o excepcional resultado africano. E o Brasil? Por ora, não mudaria.

31min – Kaká, belo sem-pulo, por cima. PLACAR VIRTUAL – BRASIL 6 X 4 EGITO.

36min – Outro lance de Al Muhamadi e Eid sobre o pobre Kléber. Se Felipe Melo não der um jeito, não terá jogo.

37min – MUDA BRASIL. Sai Kléber, entra ANDRÉ SANTOS. O lateral estreia numa roubada. Mas é o que precisava ser feito. Kléber vem mal. O pior é que André não marca bem.

39min – Belo lance de Kaká, mas foi travado no momento da conclusão.

41min – AMARELO. Falta dura de Moawad em Daniel Alves, Justo,

43min – Lúcio cabeceia, Al Muhamadi enfia o braço direito. Pênalti, que o árbitro inglês demorou a marcar.

45min25 – GOOOOOOL. 4 X 3 BRASIL. KAKÁ. PÉ DIREITO. Rasteiro, canto esquerdo, o goleiro foi lá. Que sufoco!!!! Mas valeu, o jogo foi mais emocionante que o torneio.

45min – VERMELHO. Ah, sim. No pênalti, corretamente expulso Al Muhamadi.

48 – Uhh, o Egito aperta de novo, JC larga, mas a zaga resolve. PLACAR VIRTUAL – BRASIL 7 X 5 EGITO.

ACABOU – Ufa! Bom primeiro tempo, segundo tempo preocupante, vitória previsível, e suada como o esperado antes do jogo – não durante.

JÚLIO CÉSAR – 6 – Não foi o de sempre. Mas tem um crédito do tamanho da categoria.

DANIEL ALVES – 6 – Não tão bem quanto em outros jogos, e com problemas nos dois últimos gols egípcios. Deu a bola para o gol de Kaká, o primeiro.

LÚCIO – 5 – Sofreu demais no segundo tempo, mas fez o lance do pênalti decisivo.

JUAN – 7 – O de sempre. Joga mais que Lúcio, cobre Kléber, e ainda faz um gol de cabeça.

KLÉBER – 3 – Quando era o melhor do Brasil, não era chamado. Quando Fábio Aurélio e Marcelo poderiam jogar, joga além da conta. Não está bem, nem na frente, e ainda pior atrás.

[ANDRÉ SANTOS – sem nota]

GILBERTO SILVA – 5 – Sacrificado taticamente, por vezes muito enfiado entre os zagueiros, por vezes sem conseguir conter os lances rivais na entrada da área.

ELANO – 6 – Pelas duas assistências ganha uma nota maior. Jogou um bom primeiro tempo, mas caiu de produção na segunda etapa.

[RAMIRES – 6 – Mais ofensivo, também pelas necessidades, entrou bem]

FELIPE MELO – 5 – Com a bola, bem, saindo para armar no primeiro tempo. Mas sofrendo para ajudar Kléber.

KAKÁ – 8 – Um golaço, o primeiro, e um pênalti batido no fim como líder que é. Belas arrancadas na primeira etapa, e uma atuação um pouco pior no segundo tempo, também pelo cansaço natural e pelo fuso. Mas, além dele, quem é cria no Brasil?

LUÍS FABIANO – 7 – Letal, atrapalha os rivais, prejudica a saída de bola alheia.

ROBINHO – 5 – Começou bem, mas foi definhando técnica e fisicamente.

[PATO – 4 – Segue fora de forma na Seleção. Não é o que foi. E o que deverá ser.]

  • Rodrigo Eduardo

    parece que a seleção ta “botando pressão” …
    tomara que o segundo tempo seja parecido, e que o time não “relaxe”, como é de costume com placar na frente …

    abç!!!

  • Rodrigo Eduardo

    puts, eu sabiaaa … 3 x 3
    não podia ter relaxado e aceitado o Egito em cima …
    vamo ter que volta pra cima deles …

    mas brasileiro é assim, suor e lágrimas até o fim … Vamos Brasil !!!

    abç !!!

  • nico

    Fora Dunga! A Seleção nao tem padrao de jogo a muito tempo! Nao joga nada, nao ataque, o setor defensivo pela direita com Daniel Alves e muito fraco. E o Kleber? Nao tem nada de nada para jogar com a camisa do Brasil! Nao tem chute, nao tem marcação, nao ataca. Nulo.
    O meio de campo e ruim, e muito. F. Melo? Elano? Gilberto? E tempo de mudar; mesmo o ataque; Kaka so corre pra frente, Robinho nada, Luis Fabiano e fraco (Ronaldo acima do peso, e o melhor de tudos).
    O banco com Pato, Nilmar, Josue, Ramires, F. Santos… bom, o treinador e um grande problema; Outros times, tentam jogar bola o tempo todo, jogar bonito, mais o Brasil agora joga como la, na Europa. Pelo amor de Deus.
    Fora Dunga!
    Fora Teixeira!

  • Alexandre Melo

    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkk…. esse é o Brasil que conheço! E ainda dizem que a zaga do Brasil é boa…. kkkkkkkkk na minha seleção, o Lúcio não seria nem gandula…. E o Kléber está levando um baile do Aboutrika!

  • Rodrigo Eduardo

    caramba, não adianta, kaká (ótima fase), tem estrela e mais uma vez pode garantir a vitória ao Brasil …

    mas jogo mal o segundo tempo …

    tem que ter mais equilibrio, o jogo é feito em duas etapas …

  • Diogo Amaro

    Pô o Brasil tem que leva…só que o Dunga tem que por André Santos né Mauro…Cléber…sem essa, e outra tinha que ter levado o Ronalducho…

  • Charles

    Vai dar pena se essa seleção pegar a Espanha Mauro, suar pra ganhar do Egito… Sinceramente não estou muito iludido.

  • Jovaneli

    Dizem que Deus é brasileiro. Deve ser mesmo, pois nos fez a gentileza de escancarar aquilo que jornalistas com algum senso-crítico sabem: a seleção brasileira não está pronta e tem graves problemas.
    Que me perdoem os pachecos, mas…Viva o jornalismo independente crítico!!!

  • Jovaneli

    Dois gols de Zidane contra o Brasil em 1998. Dois gols de Zidan em 2009. Em 2010…

  • Alexandre Melo

    Fazendo uma análise séria agora: O Brasil de Dunga não tem o mínimo de organização tática. É só uma seleção não ter medo e pressionar que o Brasil leva sufoco e reza por Júlio César. Aquele jogo contra o Uruguai era para ter sido uns 6×4 para o Uruguai, se não fosse uma das maiores atuações de um goleiro da Seleção. É triste ver a arrogância do Dunga, do Robinho (logo estará no Vietnã, junto com o Denilson) e um futebol ridículo. Não dá para entender como Dungas, Muricys, Luxemburgos tem tanta moral no futebol brasileiro… Guus Hiddink para seleção já!

    Júlio César – sem culpa nos gols, partida normal, não sobrenatural como contra o Uruguai

    Daniel Alves – não tão incisivo quanto nos outros jogos mas ainda assim, anos-luz na frente do Maicon

    Lúcio – para mim sempre foi uma piada… sem comentários sobre esse peladeiro que não jogaria nem no meu time da rua

    Juan – faz a fama do Lúcio, joga pelos dois, mas não dá pra fazer isso todo jogo. Atuação regular.

    Kléber – quando era o melhor lateral do Brasil, nunca era convocado. Está numa péssima fase há pelo menos 3 anos. Levou um baile do Aboutrika. Cadê o Fábio Aurélio, Dunga?

    (André Santos) – sem tempo, mas não o acho jogador para Seleção.

    Gilberto Silva – não tem mais condições de jogar na seleção. Se o Dunga quer jogar com um volante específico de marcação, coloque o Josué (vendo dentro desta convocação). Mas daria chance para o Denílson do Arsenal, Lucas do Liverpool, Pierre do Palmeiras, Jean do São Paulo.

    Felipe Melo – jogador normal, não compromete nem muda o jogo. Poderia dar lugar para um desses acima.

    Elano – jogador tático, mas normal, nunca um titular de seleção. No máximo compondo grupo.

    (Ramires) – bem melhor que o Elano, marcou mais e foi mais incisivo no ataque.

    Kaká – é difícil jogar sozinho, fez um golaço, mas já não mostra há algum tempo aquele futebol que o fez ser eleito melhor do mundo.

    Robinho – reencarnação do Denilson. Um dos jogadores mais improdutivos da história da seleção. Ter habilidade não quer dizer ser um bom jogador. Ele prova isso. Só apareceria com suas pedaladas e dribles ridículos se o Brasil estivesse ganhando por 4 gols de diferença. Na hora de decidir, some, sempre! Esse é o jogador que falou que nunca seria o melhor do mundo no Real Madrid (!) e sim no Manchester City (!!)… Quem sabe ele consegue no Santos, ou no Barueri, ou no Santa Cruz….

    (Pato) – entrou em campo?

    Luís Fabiano – teve poucas chances, a bola não chega nele, mas é admirável seu esforço.

    Dunga – como eu queria ver o Guus Hiddink na seleção brasileira.

  • Almir Moura

    O esporro de Lúcio em Kleber após a enésima besteria feita por este valeu o “ingresso”, Mauro.

    Foi mais empolgante até do que os gols de Kaká.

    [ O primeiro, muito bonito, o segundo, decisivo ]

    A substituição do zero (seis) à esquerda logo após a bronca do capitão pode ser um indício de que novos tempos estão por vir.

    Até porque um jogador que marca pessimamente mal, erra passes absurdos e não arma se quer uma jogada ofensiva não pode JAMAIS ser atleta de uma seleção.

    Menos ainda da Brasileira.

    Kleber, o Pato do dia.

    E Pato, deixa pra lá….

    Abraços,

  • Barneze

    A Seleção é uma piada. Chega a ser ridículo como a “mídia chupeteira” tenta “maquiar o imaquiável”!!!
    Não posso falar sobre o primeiro tempo, pois não acompanhei. Porém, o segundo tempo, foi patético!!!

    Os jogadores da Seleção passaram a noite no zonão…tudo lento e sem disposição (até rimou!!!)!!! A zaga perdida, jogada pela laterais inexistentes…Volantes, o Brasil tem volantes??? Elano e Robinho são uma piada futebolística!!!

    O time joga de um modo que parece que fará os gols a hora que quiser…Talvez por isso encontra dificuldade maior com as seleções mais fracas…A soberba das cinco estrelas se impõe!!!

    Kleber, Elano, G. Silva e Robinho não podem ser titulares em hipótese alguma…O pior, é que contra os EUA, o time certamente jogará da mesma forma….

    Paciência…!!!

  • http://www.guilhermescalzilli.blogspot.com Guilherme Scalzilli

    Olá, convido a todos para a leitura do meu artigo “Os efeitos da altitude na mídia brasileira”, publicado no Observatório da Imprensa (http://observatorio.ultimosegundo.ig.com.br/artigos.asp?cod=541FDS004). O texto, evidentemente muito longo para inserção neste espaço, trata da abordagem distorcida da imprensa acerca dos jogos em grandes altitudes. Espero que gostem.
    Um grande abraço do
    Guilherme

  • http://www.ligadonabola.com.br Thais

    Feriadão é tempo de viajar! Curtir a vida, pegar uma praia e sair do stress do dia a dia! Pra você que chutou a rotina pra escanteio ou que simplesmente ficou mais ocupado assistindo mil dvd’s e comendo brigadeiro, delicie-se com tudo que aconteceu no fim de semana esportivo, na sua segunda-show:

    Neste belo Brasil, a 6ª rodada das séries A e B movimentou o país de norte a sul! Confira os resultados:

    Série A

    Botafogo 2×0 Santos / São Paulo 1×1 Santo André / Sport 0x1 Atlético-PR
    Coritiba 5×0 Flamengo / Goiás 0x0 Corinthians / Fluminense 0x0 Grêmio
    Atlético-MG 3×0 Náutico / Internacional 0x0 Vitória
    Palmeiras 3×1 Cruzeiro / Barueri 3×1 Avaí

    Série B

    Ipatinga 0x3 Portuguesa / Brasiliense 3×0 Bahia
    Fortaleza 3×2 Juventude / Duque de Caxias 4×1 América-RN
    Guarani 0x0 Vasco / ABC 1×0 Vila Nova / Bragantino 3×2 Campinense
    Atlético-GO 3×2 Figueirense / São Caetano 0x2 Ponte Preta / Paraná 3×3 Ceará

    (continua…)

    http://www.ligadonabola.com.br

  • Nick

    Prezado Mauro, lendo os demais comentários, fico com a sensação de estarmos diante de um blog feito na Argentina, por argentinos.
    O Brasil é atual Bi-Campeão da Copa América, é o atual Campeão da Copa das Confederações e é líder isolado das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa de 2010, faltando-lhe apenas de 1 a 3 pontos para garantir matematicamente a classificação. Já batemos, em amistosos e jogos oficiais, a badalada Argentina (completa e em duas finais consecutivas), a Itália (atual campeã do mundo) e o Uruguai, em pleno Centenário. Falaram dos 33 anos, mas a verdade é que o tabu era muito maior: O BRASIL JAMAIS GANHARA DO URUGUAI EM JOGOS OFICIAIS DE ELIMINATÓRIAS NO CENTENÁRIO. Metemos um chocolate de quatro nos sempre desleais urugaios, e nada disto basta para alguns críticos.
    Veja, a escalação da seleção não é a minha, mas se fizéssemos uma enquete com os milhões de torcedores brasileiros, teríamos milhões de escalações, pois raramente haveria concordâncias. De todo modo, dois jogadores são unanimidade: Kléber e Gilberto Silva. Não dá para jogar com eles. Seria ótimo que o Brasil entrasse com André Santos e Ramires (ou qualquer outro) contra os EUA. Infelizmente, o Dunga é muito conservador neste aspecto e teremos os dois inoperantes novamente na seleção.
    Contudo, não se pode negar que o Brasil fez um excelente primeiro tempo, com toque de bola rápido, jogadas pela lateral (ainda que os laterais não cruzem bem), grande movimentação do ataque e meio de campo, com os volantes chegando para armar com eficiência. Impressinou também a marcação adiantada do Brasil. Ademais, o gol de Kaká pagou o ingresso.
    O segundo tempo valeu pela superação.
    Digo uma coisa: se o Egito jogar a bola que jogou hoje, acho que Itália e EUA terão grandes dificuldades. O problema é que, diante do Brasil, todo mundo quer aparecer, todo mundo corre mais, acerta passes e lances inacreditáveis. Duvido que o tal do Zidan, que joga no Borussia Dortmund, venha a ter uma exibição igual a de hoje. Afinal, trata-se do jogo da vida, é vitrine, “dá ibope”. A TV sul africana mostrou um torcedor egípcio em prantos na arquibancada, chorando na hora do empate em 3×3. Aposto que não chorou desta forma quando sua seleção conquistou o bi-campeonato da Copa da África. Mas contra o Brasil, tudo é diferente.
    A vitória foi justa, mas não significa que tenha sido fácil. Moleza mesmo pegou a Espanha. Aliás, o sorteio foi todo favorável à Fúria: Iraque, Nova Zelândia e África do Sul são piadas.
    Já o Brasil pegou três pedreiras pela frente. O Egito é o mais forte dos fracos da Copa das Confederações. EUA é sempre um time chato de ser batido (o histórico de confronto entre as duas seleções demonstra isso), e a Itália dispensa comentários.
    Vejamos se a seleção apresenta evolução contra EUA, um teste mais difícil do que o de hoje.
    Voltando à Espanha: os mesmos que atacam o Brasil, falam da Fúria como se fosse a sétima maravilha do mundo. O que a Espanha (a seleção) ganhou até hoje em termos de relevância no mundo do futebol? A Espanha é uma tradicional Portuguesa no mundo da bola mundial, sempre nada para morrer na praia. É uma tradicional freguesa do Brasil em Copas do Mundo: uma vitória (3×1 nas oitavas de 34); um empate (0x0 na primeira fase de 78) e três derrotas: goleada de 6 x 1 no quadrangular final de 50, com direito a Olé e marchinha de Braguinha entoada em coro nas arquibancadas (“Eu fui às touradas de Madri, paratimbum, bum, bum”); 2×1, de virada, na fase de classificação da campanha do bi, em 62, com os famosos dois passinhos de Nilton Santos, que cometeu penalti escandoloso em Abelardo aos 25 do segundo tempo, quando a Espanha ainda ganhava de 1 x 0, e ludibriou o juiz, que só deu falta. Alías, o juiz Salvador Bustamante (amigão chileno) anulou um gol de bicicleta legítimo de Puskas (que se naturalizou espanhol, depois de ir para o Real). A dramaticidade ainda foi maior porque o Brasil perdera Pelé no jogo anterior, contundido, e já considerado o maior do mundo. Mas o “Possesso” Amarildo, que o substituiu, marcou os dois gols da virada, em jogadas espetaculares de Zagallo (pela esquerda) e de Garrincha, ainda mais espetacular, pela direita. Em 86, na primeira fase, o experiente time de Telê, liderado por Júnior e Sócrates, meteu 1 x 0, com gol do Doutor, de cabeça, aproveitando rebote na trave de Careca. Quero mais que venha a Espanha, seja para servir como excelente teste de preparação para o Brasil, seja para ver como a Fúria reaje quando encarar de frente a amarelinha estrelada.
    Vamos ser mais brasileiros pessoal, já bastam argentinos, uruguaios, italianos, alemães, ingleses, franceses e todos os demais para nos detonar.
    Vai Brasil!!!

  • Ricardo

    Desculpe Nick, mas ser brasileiro não significa ser cego ou engolir a visão do Galvão Bueno sobre futebol internacional. Sobre o Egito eu não posso dizer nada pois antes não tinha visto jogos deles mas sempre ouvi falar que era uma boa seleção e pelo que vi no jogo eles tocavam bem a bola. Agora sobre a Espanha eu me lembro que ela na Copa de 2002 foi ROUBADA no jogo contra a Coréia anularam um Gol legitimo do Morientes. Na Euro 2004 não jogou bem e foi eleminada e 2006 perdeu para a França de Zidane.

  • carlos amendola

    O sujeito que torce para seleção brasileira é um completo imbecil.

  • Fênix

    Eu estou com o Nick. Os números estão com o Dunga. Ele montou uma seleção competitiva e extremamente mortal. Sacudiu duas vezes a Argentina por 3X0, enfiar 6 em Portugal e um chocolate de 4 no Uruguai não é para qualquer um. Não adianta jogar “bonitinho” e não arranjar nada. Vi a seleção brasileira de 82 jogar (Que seleção!) e não passou da segunda fase. E olha que tinha dois jogadores fora de série na saga (Luizinho e Edinho – os dois com mais categoria que todos esses zagueiros que vemos hoje em dia). Porém, futebol é eficiência. E como era eficiente aquele nojento do Paulo Rossi! A verdade é que todo mundo tem sua seleção e nunca iremos concordar totalmente com nenhum técnico. Também acho o Gilberto e o Cléber fracos. Porém, nada de Lucas, Pierre, Jean e outros me enganam que eu gosto. Tem jogador melhor. Ruim por ruim então deixa o Gilberto mesmo. Eu acho os comentários sobre o Lúcio extremamente injustos. Que o Juan (por exemplo) tem mais categoria e é goleador é inquestionável. Porém, para mim, a primeira função de um sagüeiro é defender e nisso o Lúcio é até melhor. Além disso, e mais atento e mais raçudo. Cada vez mais eu vejo o quanto o Luís Fabiano e o Kaká são fundamentais para a seleção.

  • Nick

    1) Você tem razão Ricardo. Espanha x Coréia em 2002 é uma das páginas mais escandalosas dos erros de arbitragem na história das Copas. Coincidentemente, foi um egípcio que operou a Espanha naquele jogo (Gamal Ghandour é o nome do criminoso). Assistentes? Um de Uganda, o outro, de Vanuatu, uma obscura ilha no Pacífico (será que tem futebol por lá?). E olha que o jogo era de quartas de final, hein! Foram cinco erros escandalosos ao longo da partida que prejudicaram a Espanha e tiveram influência direta no resultado. Aliás, a Itália já tinha sido garfada no jogo anterior, de oitavas, contra a mesma Coréia, pelo equatoriano gordinho, com cara de culpado, Sr. Byron Moreno.
    Ainda no tempo normal, no início do segundo tempo, De Pedro cruza em cobrança de falta e Baraja faz o gol de cabeça. O juiz anula de forma inexplicável, sem nenhuma razão lógica aparente. Alegou depois uma suposta carga de Helguerra em Ji-Sung Park que ninguém viu, só ele. E mais, no segundo tempo deixou de marcar um pênalti no puxão do zagueiro coreano, idêntico ao pênalti marcado contra a Itália, a favor da mesma Coréia, no jogo anterior, de oitavas. Na prorrogação, o erro mais escandaloso: Joaquin vai até a linha de fundo, cruza, Morientes aparece para fazer o gol de cabeça, mas o bandeira de Uganda (Ali Tomusange) aponta que a bola saíra antes do cruzamento e Gamal, o brincalhão, confirma a indicação. Não só o estádio, mas o mundo todo viu que a bola não saiu. E teve mais. Já na prorrogação, foram marcados dois impedimentos escandalosos contra a Espanha. No mais gritante (o segundo), Luís Enrique chegou cara a cara com o goleiro coreano, a mais de meio metro atrás do último zagueiro. Por fim, o golpe final: na cobrança de pênaltis, o goleiro coreano defendeu a cobrança de Joaquin adiantando-se para mais de um metro, e o juiz não mandou voltar. Coréia, primeira seleção asiática classificada para uma semi final de Copa do Mundo, justamente na edição em que é país sede e interesses arrecadatórios garantidos, afinal, sua torcida, conhecida pelo fanatismo, lotou o estádio nas duas partidas subsequentes (eliminação para a Alemanha e derrota na disputa de 3º lugar com a Turquia). Mas repito: a Espanha costuma nadar, nadar e morrer na praia. De todo modo, torço por uma final Espanha x Brasil, além de um grande jogo, será um ótimo teste para a seleção do Dunga.
    2) Tenho muito orgulho de torcer pela Seleção Brasileira. Sou apaixonado por futebol, e a Seleção é o símbolo máximo da eficiência, da competência, da técnica, da raça, da vitória, do sucesso, da beleza e da poesia deste esporte. É uma das marcas de nosso povo, de nossa cultura, de nossa alegria. É uma das poucas coisas nas quais somos notadamente reconhecidos em todo mundo como os melhores no que fazemos. Está ligado à nossa memória emotiva primordial (a primeira bola, as primeiras brincadeiras com o pai, a primeira ida ao estádio com ele, o primeiro uniforme). Vai Brasil!!!!
    3) Concordo, Fênix. Lúcio é um baita zagueiro e merece ser titular. É sério, é competente, apresenta-se à frente e já é campeão do Mundo. Luís Fabiano é, hoje, o camisa 9 primordial da Seleção Brasileira, e KK dispensa comentários.
    4) Abs a todos deste imbecil assumido, com muito orgulho, apaixonado por futebol e pela Canarinho. Pra cima dos yankees Brasil!!!