Santo André 3 x 3 Santos

por Mauro Beting em 05.jun.2009 às 9:43h

* O placar foi melhor e maior que a partida. Com a bola, o Santos honrou a condição de melhor ataque do BR-09. Sem a bola é que são elas.

* A movimentação dos três meias Madson, Paulo Henrique e Molina é dos bons achados de Mancini. Ainda mais quando se tem Neymar para apostar no segundo tempo.

* Lindo o novo uniforme santista. Melhor o preto e o cinza que atuar com calção negro parecendo o maior rival.

* Golaço o primeiro, a 7min. Paulo Henrique sabe jogar, e Kleber Pereira reaprendeu a fazer gol.

* Por que todo zagueiro que pede acintosamente a posição de impedimento é justamente quem dá a condição legal, como no primeiro gol santista?

* Não gosto do goleiro que celebra defesa. Mas a que Fábio Costa fez na cabeçada de Nunes, a 9min, é para celebrar até o fim dos tempos. Espetacular.

* Também foi cinematográfica a defesa aos 14. Do mesmo jeitão. O problema é que o artilheiro Nunes pegou o rebote e empatou. Mais uma vez explorando o jogo aéreo. A posição também era legal. Foi o bem o trio em dois gols difíceis. Mas, aos 19, um impedimento mal marcado tirou ótima chance andreense.

* Madson fez gol de centroavante, aos 24. Impressiona a vitalidade do meia-atacante, cada vez mais atacante que meia.

* Aos 33, Fábio Costa tentou tirar um encosto de Gustavo Nery. Só isso explica a entrada despropositada do goleiro santista no lateral andreense. Pênalti que o árbitro Luiz Flávio de Oliveira não marcou. E que seria o milésimo cometido pelo goleiro em saídas intempestivas de uso exclusivo das forças armadas.

* Aos 46, mais do mesmo: desta vez, cruzamento da esquerda, Nunes se antecipou a Eller, de cabeça. Mais mérito do Santo André que demérito alvinegro. Santos que não levava gol de cabeça desde 11 de abril, no primeiro jogo da semifinal do SP-09.

* E o golaço de Fabão, aos 20? Que pancada! Disse bem o caro amigo Odinei Ribeiro, na transmissão do Premiere FC: ou Fabão manda para fora do campo, ou manda na gaveta. Que golaço.

* O Santo André joga num 4-2-3-1 parecido com o do Santos. Mas sem a mesma movimentação dos meias.

* Aos 22, desta vez Fábio Costa entrou na bola, duramente, mas foi nela. Nunes dividiu igualmente duro, deixando o pé. Na reclamação, foi expulso. Como qualquer expulsão desse tipo, não há o que comentar. Eu não ouvi o que foi dito.

* Mas vi Luizinho derrubando Artur na área, três minutos depois. Pênalti convertido por Elvis. 3 x 3. É duro empatar três vezes como foi buscar o Ramalhão. Ainda mais com um a menos no terceiro gol. E pouco deixando o rival criar em metade de um tempo com 10 atletas.

* E a bola de KP na trave, aos 46? Um castigo seria para o Santo André, outro foi ter um lance desse no fim do jogo.

* O que fazia Fábio Costa no meio da rua, aos 47, numa dividida com Ricardo Goulart? Como pode um goleiro tão experiente cometer seguidos erros durante toda a carreira? Uma pena. Porque o reflexo é fenomenal. Mas, nesse tipo de lance, a experiência não pesa.

* Fernando tem minha idade. É nove meses mais jovem. Ou menos velho. E corre aos 42 o que não corri aos 18, fugindo de enxame de abelha.

* No desolador panorama da lateral direita, Cicinho é um que sabe o que faz com a bola nos pés, e não é um engodo na marcação.

Tags:

  • João Henrique Trainoti

    Mauro,

    Parabéns pelo texto, pela análise e pela atenção dispensada ao Santos. Diferente de muitos jornalistas que nem prestaram atenção nesse jogo.
    Foi difícil encontra nos blogs críticas sobre o jogo.
    Mas é bom que não se fale tanto do Santos, senão corrermos o risco de perder o Paulo Henrique no meio do ano, porque o que ele está jogando será difícil segurá-lo.

    abraço!

  • Roney Dutra

    Olá Mauro
    Segue relato de um amigo sobre a saga de adquirir um ingresso, ontem ao jogo Santos. E vamos organizar uma Copa.
    Abs
    Roney
    São Paulo / SP
    Você conhece as bilheterias do estádio Bruno José Daniel, fica num cantinho ao lado do portão que é aberto quando da saída da torcida visitante. Pois muito bem, agora imagine aquele cantinho com centenas, isso mesmo, centenas e centenas de torcedores santistas se espremendo, se acotovelando e se empurrando para tentar chegar até um guichê e conseguir comprar seu ingresso. Não havia ninguém do Santo André para organizar filas, e nem a mínima estrutura para isso. Para você ter uma idéia da dificuldade de se conseguir o ingresso ontem, eu cheguei para comprar um eram 20:10, e só consegui sair do guichê com o meu às 21:20 tamanha era a dificuldade para se chegar ao guichê, quando cheguei na arquibancada já estava 2 a 1 pro Santos, imagine os que compraram depois de mim.
    Testemunhei dezenas de pessoas simplesmente desistirem de tentar e irem embora indignados com a situação. É importante relatar também que no meio de toda essa gente havia torcedores organizados, torcedores comuns, crianças, mulheres e idosos. Agora imagine se começa um tumulto generalizado ali, pois chegou um momento, já com o jogo em andamento e os gols saindo, que os ânimos estavam muito exaltados, pessoas se empurrando, se xingando, impacientes com os vendedores que demoravam a entregar os ingressos, acredito que foi por pouco que não aconteceu algo mais grave ali.
    Agora eu pergunto: será que a administração do Santos não poderia tentar organizar melhor essa venda de ingressos? Visando seu torcedor, afinal dos 7.818 pagantes quantos eram santistas, uns 6.500? Que tal tentar em um acordo com clubes como esse para montar uma estrutura decente para atender o torcedor santista? Fica a impressão que a administração santista implementa várias ações visando o torcedor da cidade de Santos, mas os torcedores de São Paulo e outras praças ficam largados à própria sorte.
    Estou muito chateado com isso e preciso informar às pessoas que tem o poder de mudar essa situação, afinal, num momento desse, perdemos um grande oportunidade de valorizar o torcedor santista, ganhar mais torcedores e dar um ótimo exemplo aos demais clubes, à FPF, e às autoridades.
    Grande abraço e obrigado pela atenção. Gino

  • Rodrigo Raniéri

    A Portuguesa Santista joga de calções pretos?

  • Jonas Rafael

    O desempenho do Santos não é surpresa pra mim, que acredito no trabalho do Mancini e na boa garimpagem que o Santos fez. Deve estar entre os 5 melhroes no fim do ano.

  • Nick

    3 x 1 contra os reservas do Corinthians. Já contra os titulares do Santo André 3 x 3. A ficha caiu.

  • http://... Con Tribuinte Puto

    A VERDADEIRA HISTÓRIA DO SPFC

    Capítulo I – Nasce o Clube

    O São Paulo foi fundado em 1930 e faliu em 1935 por dívidas acumuladas. Diante da enorme dívida, os dirigentes são-paulinos, liderados por Paulo Machado de Carvalho, sugeriram a incorporação pelo Clube de Regatas Tietê, que pagaria as dívidas e ficaria com o patrimônio do clube, incluindo a Chácara da Floresta, vizinha ao C. R.Tietê.

    Alguns sócios se rebelaram contra a decisão, mas acabaram aprovando a fusão em Assembléia (realizada em 14/01/1935), pois do contrário teriam que assumir a dívida. Com a incorporação, a dívida foi paga pelo Tietê.

    Capítulo II – Renasce o Clube

    No final de 1935, o atual São Paulo foi re-fundado sem dívidas, mas também sem qualquer patrimônio. O time era tão fraco que, nos dois primeiros anos (1936/37), terminou o Campeonato Paulista em 8º e 7º, respectivamente.

    Capítulo III – Re-Renasce o Clube

    Novamente atolado em dívidas, fundiu-se ao C. A. Estudantes da Mooca em 1938, salvando-se de nova falência. O novo time titular foi composto com 9 atletas do Estudantes e 2 do São Paulo, que passou a mandar seus jogos na Mooca, sede do Estudantes.

    Para “ajudar” financeiramente o São Paulo, Palestra e Corinthians disputaram, em 1938, o famoso “Jogo das Barricas”, assim chamado por causa das barricas colocadas na entrada do Palestra Itália para o povo depositar dinheiro. Os dois clubes nada receberam e ainda doaram a renda para ajudar o São Paulo a pagar suas novas dívidas. Neste “Jogo das Barricas”, Porfírio da Paz, Presidente do São Paulo, andou no meio das torcidas adversárias com uma bandeira esticada, para que os torcedores atirassem algumas moedas para ajudar o São Paulo.

    Capítulo IV – A Tomada do Patrimônio Alheio

    Em 1942, com apenas 7 anos de vida e sem patrimônio, os dirigentes são-paulinos vislumbraram uma grande oportunidade. Com a entrada do Brasil na II Guerra Mundial e a declaração de Guerra ao Eixo, o Governo publicou um decreto que permitia a desapropriação de patrimônios de súditos alemães, italianos e japoneses.

    Após a desapropriação de bancos alemães e companhias aéreas, a possibilidade de tomar o patrimônio dos italianos animou os são-paulinos, que tentaram a todo custo se apropriar do Palestra Itália. Não conseguindo tomar o atual Parque Antarctica, se contentaram com um alvo mais fraco: a “Associação Alemã de Esportes” (também conhecida como “Deustsch Sportive”), que ficava na região do Canindé. Então, com a ajuda da ditadura, ganharam finalmente uma Sede em 29/01/1944, registrando a escritura em Cartório de propriedade de Cícero Pompeu de Toledo.

    Capítulo V – O Morumbi

    Em dezembro de 1950, a Imobiliária Aricanduva (cujo dono era o Adhemar de Barros), conseguiu empréstimo do Governo do Estado (o Governador era o próprio Adhemar) para terraplanar e criar toda a infra-estrutura em uma gleba na região do Morumbi. Um escândalo de corrupção na época. O bairro, com todas as benfeitorias, passou a se chamar JARDIM LEONOR, nome da esposa do Ademar de Barros. Um ano depois, em 1951, o São Paulo convidou Laudo Natel (político ligado a Adhemar de Barros) para ser tesoureiro do clube. Este negociou a compra de 68 mil m2 na região e “ganhou” do Governo do Estado mais 90 mil m2.

    Em 1955, três anos depois, o São Paulo VENDEU ao Governo do Estado o terreno do Canindé (aquele que GANHOU 11 anos antes), sem qualquer benfeitoria adicional. O Governo comprou e repassou à Portuguesa, que se viu obrigada a construir campo e arquibancada par a começar a usar, pois estava completamente abandonado.

    Em 1966, em pleno regime de ditadura militar, Laudo Natel já havia se tornado Presidente do São Paulo e, ao mesmo tempo, Governador do Estado, quando o seu ?mentor?, Adhemar de Barros, foi cassado por corrupção.

    O então Governador determinou que os estudantes da rede pública vendessem carnês chamados “Paulistão”. O dinheiro arrecadado seria para a formatura dos alunos, mas, parte da arrecadação serviu para ajudar na construção do novo Estádio. Ou seja, em um período de ditadura, da censura aos jornais, sem explicações sobre a origem do dinheiro, sem um clube de associados que pudesse gerar receita, sem rendas (pois jogava em estádios praticamente vazios), o SPFC construiu um estádio que nem nos dias atuais (de direitos de TV, patrocínios, venda de atletas) conseguiria construir…

    Com medo de um vexame, o SPF C pediu emprestado 2 jogadores ao Palmeiras (Julinho e Djalma Santos), 2 ao Corinthians (Almir e Ari) e 1 ao Santos (Pelé, contundido, não compareceu) para a festa de inauguração do estádio, contra o Nacional do Uruguai.

    Capítulo VI – E sabia também…

    Que, em 1990, o São Paulo foi rebaixado para a segunda divisão do Campeonato Paulista, mas com o apoio dos dirigentes da FPF, conseguiram reverter no tapetão a fórmula de 1991. Disputaram a divisão inferior, mas conseguiram fazer com que esta indicasse vaga para as finais, e ainda considerasse a campanha da segunda divisão para os critérios de desempate na finais de 1991.

    Que em 1994, irritada com o ostracismo provocado pela rivalidade Palmeiras e Corinthians, a Diretoria do São Paulo mandou esburacar o gramado do Morumbi para impedir que o último jogo do campeonato, de entrega de faixas, entre Palmeiras e Corinthians, fosse realizado no Morumbi…

    Que o São Paulo nunca disputou a Taça Brasil (antigo Campeonato Brasileiro), pois este torneio admitia somente os campeões estaduais…

    Que o São Paulo é o único clube grande da capital que NUNCA vestiu a camisa da Seleção Brasileira…

    Que maiores públicos no Morumbi são:

    1) uma reunião de Testemunhas de Jeová, em 1985 [162.957 pessoas],

    2) um jogo entre Corinthians X Ponte Preta, em 1977 [138.032],

    3) do Show do Queen, em 1981 [~131.000]

    4) um jogo entre Palmeiras X Santos, em 1978 [123.318].

    O São Paulo só aparece na lista em 9º lugar, ainda assim em um jogo contra o Corinthians, em 1982.

    Capítulo Final – Conclusão

    O time dos quatrocentões, da extrema direita paulistana, dos políticos sempre relacionados com a ditadura, que sempre cresceram nos piores momentos do País, conseguiu amealhar um bom patrimônio, mas nunca venceu sua maior dificuldade.

    Com uma história propositadamente mal contada, envergonhados do próprio passado, os dirigentes lutam por criar uma identidade que não existe, um clube sem alma e sem história, restando criar o simbolismo de “clube da moda”, de embalo, na eterna luta de tentar transformar “simpatizantes” em “torcedores reais”.

    O verdadeiro vínculo e a verdadeira paixão, o marketing nunca conseguirá resolver…

    E agora o Governo quer dar verba para o Morumbi ser reformado.

    Mas, claro que não vamos permitir, né?

  • Carlos Augusto

    O Ronado foi suspenso por um puxão de cabelo, quantos jogos o Fabio Costa vai pegar pela entrada no Gustavo Nery ?

  • MANOEL S.SANTOS NETO

    MAURO, NÃO É PEGAR NO PÉ DO F.COSTA, ELE FAZ MILAGRES SIM MAS QUER FAZER GOL NELE É CHUTAR NO PEITO DELE E ESPERAR O REBOTE, SOLTA QUASE TODAS E O SANTOS TA PAGANDO CARO POR ISSO, DENOVO VAMOS TER UM ATAQUE ARTILHEIRO E UMA DEFESA SONHO DE CONSUMO DOS ATACANTES ADVERSARIOS,VAMOS REPETIR 2008 TENTAR ESTAR ENTRE OS 10.UM ABRAÇO.

  • jony perestrelo

    mauro, no segundo gol do santos contra o santo andré há um jogador colado no goleiro neneca em completo impedimento. não devia ter sido parada a jogada?

    JONY, para mim ele não interfera no lance ou sobre o goleiro. gol legal.

  • André Cascardo

    Fabio Costa é um marginal!
    Quando um de vocês (jornalistas) terão coragem de dizer, publicar ou manifestar isso? Será qué é pq foi no Gustavo Nery? Se fosse em algum xodozinho da imprensa teria a mesma repercussão?
    Escrevo para vc pq ainda tenho um mínimo de esperança que exista alguém com crédito no futebol. Estou indignado.
    Sou rubro-negro, não tenho nada a ver com esse jogo. Apenas ODEIO MARGINAIS.
    Espero sua resposta Mauro Betting.

    ANDRÉ, não uso termos como esse. Mas, infelizmente, não foi a primeira vítima do goleiro, nem será a última

  • Jadson xavier robrigues

    É o peixe está com um bom time, precisamos de um lateral direito, o luisinho é muito ruim, um novo goleiro, pelo menos pra ir pegando o jeito para substituir fábio costa, se o KP fizer os gols e o paulo henrique jogar acordado, nos ficamos com uma das vagas pra libertadores.Agora uma pergunta Mauro, porque o Peixe vai jogar duas fora de casa?

  • José Maria Magalhães

    Oí Mauro!
    Você não acrescenta nada na Rádio Bandeirantes!
    Tirando o seu lap-top você não é nada! Sem graça, prepotente e filho do Joelmir, só. É o que nos passa. Seus comentários são muito superficiais e super-palmeirenses!
    Ontem, quando a SportTV já tinha mostrado que a bola tinha entrado no lance do Vitória, no 1º tempo, você falava que na SUA opinião, você tinha a certeza que não. Fique quieto quando você não sabe, realmente!A Rádio Bandeirantes, infelizmente com você (mala) e o “malão” do super-merchand Milton Neves está na pior, só se salvando o Silvério.

    JOSÉ MARIA,
    obrigado pelo carinho.
    1. o meu laptop tem dados e histórias coletados por mim. falo muita coisa de cabeça. mas, enfim, a opinião é SUA (para usar a sua verve peculiar).
    2. sem graça pode ser. prepotente, na boa, se tem uma coisa que não sou, é isso. filho do Joelmir, de fato, é algo novo. depois de 42 anos, é bom que alguém me diga isso!!! Eu não sabia! embora, de fato, é difícil alguém tão inteligente realmente ser pai de um jornalista esportivo.
    3. os comentários podem ser superficiais. mas “superpalmeirenses”? pergunte à boa parte da torcida do Palmeiras, que me acha nada palmeirense. mas, enfim, é questão de gosto.
    4. ainda bem que eu falo a MINHA opinião. parece que é para isso que sou pago. mas, se você quiser, eu passo a falar a SUA opinião. você me deixa o seu telefone e, quando eu for comentar, eu ligo para você e você me dirá o que dizer, qual será o placar do jogo, enfim, tudo que é necessário.
    5. querido amigo, só havia visto uma vez o lance, e não tinha os recursos da televisão. e, mesmo assim, é um lance difícil. a não ser, claro, para mentes privilegiadas e que tudo enxergam. infelizmente, tenho severas limitações, como você bem sabe.
    6. de fato, como você bem disse, a Rádio Bandeirantes vive um péssimo momento, sem credibilidade, sem audiência qualificada como a sua, sem o maior narrador da história do futebol de rádio – José Silvério, sem índice no Ibope, sem anunciantes, sem comentaristas, sem repercussão. um horror.
    mas, ainda bem, a rádio segue com enorme carinho e respeito pelo ouvinte. com todos os ouvintes. até mesmo aqueles que ouvem a rádio de orelhada e enxergam o futebol com o fígado.

    uma excelente segunda-feira. já que, pelo lido e ouvido, os seus domingos devem ser detestáveis em nossa companhia.

  • Paulo Afonso Brolezzi

    Maurô
    Te admiro bastante, acho vc o melhor comentarista esportivo da atualidade – e olha que há muita gente boa concorrendo! Ouço a Band desde a década de 70 (sou 5 anos mais velho que vc), e nunca vi uma equipe tão boa (competente e qualificada) e tão unida – o MN, você e Silvério, além de todos os repórteres (sem exceção) têm um bom humor inimitável, é sempre uma alegria ouvi-los.
    Repito, a concorrência tá apertando, com CBN e Eldorado-ESPN agora na FM, com ótimo nível, mas vocês continuam um ano-luz na frente. Mesmo comparando com a turma da minha época de adolescente, quando a Band tinha Fiori, Mauro Pinheiro, Roberto Silva, Enio Rodrigues etc.
    Bom, nem sempre é uma alegria, quando meus times perdem (Santo André e Corinthians) o jeito é desligar e ler um livro…
    Não ligue para essa crítica absurda acima (há críticas boas, claro, essas você tem que ouvir, e bem), você está no caminho certo, percebe-se que vc está cada vez melhor e mais à vontade, tanto para escrever quanto comentar ao vivo. Parabéns!

    PAULO, um dos meus tantos erros é não agradeceder devidamente elogios aqui postados.
    sei lá, acho meio cabotino, nào sei.
    mas abro esta exceção.

    sempre respondo às críticas, até para tentar virar o jogo que está meio perdido, meio goleado.

    aproveito para agradecer pelo carinho e respeito.
    nao peço carinho a quem quer que seja.
    mas gostaria de críticas respeitosas a mim e as às minhas críticas.
    amo o humor das pessoas, aprecio o sarcasmo em textos, a ironia fina – mesmo a grossa.
    adoro quando me detonam com inteligência, com ironia, com sarcasmo, até mesmo batendo sem dó.

    quanto a isso, só posso me curvar – não muito, para não perder mais cabelos.

    o duro é quando a crítica é apenas destrutiva – algo que tento evitar quando trabalho, embora muitas vezes não consiga.

    o chato é quando se exagera na crítica, quando se chama de burro, de idiota, de cego, de parcial, de bairrista, de clubista, de vendido, de fazedor de média.

    isso realmente chateia.

    mas não irrita. pq já estou acostumado. são 18 anos no jornalismo esportivo. 18 anos aprendendo, com mais 180 para aprender. e aprendendo a relevar quem se revela maldoso, não contudente.

    todos têm o direito de nào gostar, de criticar, de meter o pau. este blog preza por isso, ao menos por isso.

    mas é preciso saber fazê-lo.

  • Carlos Alberto dos Santos

    Mauro
    Sou colorado de Sapucaia do Sul – RS.
    O jogo foi feio. Violento (de ambas as partes). Agora, pelo amor de Deus! Se aquela saída do goleiro do Cruzeiro em cima do Giuliano não foi falta, então não sei mais o que pode ser marcado. Acho que o juizinho se michou!! Não quise marcar por que estava na casa do Cruzeiro. Eta juizinho ruim hein??? E cá pra nós, arrancar um empate no Mineirão sem Kléber, Nilmar e D’alessandro só prova que o Inter tem elenco e é o maior favorito pra levar essa taça depois de 30 anos. Viva o centenário do Colorado!!! Campeão de tudo!!! Abraço!!

  • http://blogdojaovitor.blogspot.com/ João Vitor Dias de Sousa – 16 anos – Santo André/SP

    Maurão,estive nesse jogo,mas não como no post mais acima,que teve problemas para pegar ingressos,eu na torcida do Santo André cheguei 20h30,sem ingressos,comprei rapidamente e facilmente,é que na torcida adversária é mais difícil mesmo,eu,sendo andreense,acho que o Bruno Daniel não dá tanta ajuda assim,e isso nem é problema do Santo André,e sim da prefeitura,já que o estádio é municipal.Vamos ao jogo…
    O Santo André foi bem no comecinho do jogo,atacando e levando perigo,mas quem não faz…toma,e isso aconteceu muito cedo,me levando a pensar que seria igual ao que aconteceu na Vila Belmiro pelo paulista desse ano,mas estava enganado,este time é melhor que o do paulista,Nunes faz a diferença na área,jogávamos sem o Marcelinho Carioca,que não tem jogado tão bem assim e contamos com uma ótima partida do nem sempre constante Élvis.O Santos tem um bom time,mas pena que o Léo não é mais o mesmo e Luizinho não é aquilo que os santistas esperam.Gostei de ver o Ganso,que de ganso só é desajeitado,mas um bom jogador,Madson não pára,e mesmo com seu tamanho encara de igual para igual os adversários.Vi por trás o lance do F.Costa no G.Nery,não tinha visto direito,pensei que fosse pouca coisa,mas depois vi melhor e vi que o F.Costa ainda não aprendeu a sair do gol,fez penalti e acabou com o joelho do Nery,maldosamente e sem necessidade.Já no lance com Nunes,este que forçou a barra e recebeu merecidamente o amarelo,o vermelho é outra história…Esse juíz acabou conosco também,de má-fé!!!Fernandão aqui é ídolo,uma bandeira,uma imagem de raça,amor a profissão e que sabe se cuidar,mesmo com a idade que tem…
    Grande abraço amigo…

  • Robson Dayraut

    Mauro, o que seria possivel fazer,na sua opinião, pra arrumar essa defesa do Santos? se isso acontecer, o peixe vai ser um time dificil de bater.
    Escuto sempre a Radio Bandeirantes e acho sua equipe esportiva a mais competente do Brasil.E Gosto muito em especial dos seus comenterios,Mauro voce é 10.