Menu do dia – 4as. de final da Libertadores

por Mauro Beting em 15.maio.2009 às 9:09h

Mendes está de folga no boteco. Rincón (aquele moreno como Sivuca, alto como Madson), puxa o papo:

– Mário Betti, eu tô achando que, desta vez, o Cruzeiro está melhor que o São Paulo…

– Chega em melhor condição, sim. O Muricy gosta, treina e sabe mudar o São Paulo de um jogo a outro. Também consegue mudar o modo de atuar mexendo com os mesmos jogadores durante uma partida. Ainda assim, é muitas vezes criticado, não sem razão, por “repetir” demais a equipe em treinos e jogos, de mecanizar demais a forma de atuar do tricampeão brasileiro. Em 2009, ele ainda não conseguiu encaixar a marcação – o seu forte -, nem fazer um time eficiente na frente. É um São Paulo em formação – ou deformado. Para piorar, tem sofrido mais que o usual com contusões – a começar pelo craque-bandeira Rogério Ceni. Sem ele, o time perde qualidade, quantidade, personalidade, atenção defensiva, contragolpe, e bola parada – tudo ainda mais essencial para os times de Muricy. Nem mesmo o esquema com três zagueiros é tão “imexível”. A ala ou lateral direita é outro problema. Sem Jean, fica tudo mais vulnerável. Hernanes não tem sido o de sempre. E até Borges tem rateado mais que o normal. Mas é o São Paulo. De um jogo a outro, tudo pode mudar.

– Ué… Tudo que você está falando eu já vi escrito em algum lugar… Onde foi…. Ah, tá no LANCE! de hoje. Já sei! Você deu um Gastrol C e um Gastrol B e colou na conversa, né? É isso?

– Quase isso, Rincón. Parece que o Mendes deixou um herdeiro…

– Não é isso, seu Mário Betti. É que ele não sabe mexer no computador, e eu pego as fotos que o Comanda-Cheia manda por e-mail e gravo para ele e ainda imprimo. Ele me dá mais 2% de gorjeta.

Bom negócio. Duro mesmo é enfrentar um Cruzeiro de valor e qualidade, com praticamente a mesma experiência e competência em Libertadores que o São Paulo. Igualmente bem dirigido por um treinador também criticado, mas vencedor. Que pode exagerar em algumas mexidas, pode e deve ser cornetado por algumas escolhas, mas soube montar uma equipe com padrão tático e boa qualidade técnica. Soube fazer de Ramires mais que um volante. Está fazendo Wagner tomar mais gosto pelo jogo. Aproveita muito bem a força de Kléber e a qualidade dos demais atacantes.

– Mas eu não acho boa a zgaa do Cruzeiro. Aliás, não acho boa nem mais a do São Paulo…

– Discordo, Rincón. Até a zaga não tem sido tão problemática. Leonardo Silva joga a bola que nunca jogou, Léo Fortunato tem cometido menos erros. Se a lateral-esquerda ainda tem problemas de cobertura pela vocação ofensiva de seus homens (e Athirson é ótimo reforço para o meio-campo, até pela contusão do Wágner), a direita está se virando bem com Jonathan. Mas é no meio que tudo se equilibra com um jogador que não ganha as manchetes devidas: Marquinhos Paraná. Esse faz-tudo – e muito bem – é um dos exemplos de um Cruzeiro que chega melhor que o São Paulo.

– E como é que joga esse Nacional que vai pegar seu time? O Charutinho, amigo do Beto Hora, disse que em 1971 eles acabaram com o Palmeiras…

O Artime, que jogara pelo Palmeiras, é quem acabou com o jogo. Baita atacante. Fez os três no Pacaembu. O time que tinha o Manga na meta acabou campeão mundial. Era muito bom, e competitivo. Agora, nem tanto. O Nacional lembra um pouco o Palmeiras-09. Um ataque veloz e de habilidade, com gosto pelo gol. E uma defesa falha no jogo aéreo e pesada. Duelo para muitos gols, que pode ser decidido pelo critério de gols marcados fora. O que aumentam as chances do Palmeiras.

– Mas do jeito que o Marcos tá largo, acho que vai dar pro Pameiras mesmo… Tá tudo parecido com 99.

– Pode ser. Mas não há como apontar um favorito agora. Nem o Boca, que não tem sido tão Boca, mas ainda é Boca… O Nacional tem na meta o Muñoz, que é bom, mas tem problemas no jogo aéreo com sua defesa desatenta. O lateral argentino Matías Rodríguez é de origem xeneize, mas sem a categoria usual. A dupla Victorino e Romero não inspira confiança. O zagueiro pela esquerda é baixo (1,78m) e tem pouca recuperação. Victorino é um pouco mais alto (1m80), e também tem problemas de posicionamento. Maurício Ramos, Diego Souza, Marcão e a ótima bola parada de Cleiton Xavier podem ser letais no jogo aéreo.

– É… Mas lá dentro, a zaga do Palmeiras só parece jogar bem na Ilha do Retiro. Se eu fosse o Palmeiras, mandava os jogos no Palestra para Recife.

– Você tem alguma razão, Rincón. Poderia vencer os amendoins verdes lá no Palestra… O Palmeiras também deve evitar faltas a favor do Nacional. O lateral-esquerdo Federico Domínguez, campeão da Libertadores-94 pelo Vélez de Bianchi, ainda é um ótimo cobrador de faltas. E os lances em escanteio são muito fortes do Nacional. Tudo que erram atrás, podem converter à frente. Se jogar, o meia argentino Matute Morales (camisa 10, 33 anos) é um perigo. Tem um excelente cruzamento (passe), sobretudo com o lado de fora do pé direito, com veneno e precisão impressionantes.

O ataque é bom? Tens uns moleques que vi que são bonzinhos…

– O promissor meia-atacante Lodeiro, de apenas 19 anos, hábil, abusado e leve, também bate bem com a canhota. É ele quem leva a bola para a dupla de frente formada ultimamente por Morro García (de pouca técnica, mas muita força e velocidade, aos 18 anos) e o mais ágil El Diablo Mondaini, um argentino destro campeão como reserva pelo Boca, em 2007. O lado esquerdo uruguaio é o mais forte. Problema para o Palmeiras que talvez jogue com Fabinho Capixaba na ala direita…

Você já ouviu na internet a música para o Jumar, “Eu Tenho Medo do Jumar”? Um amigo me mostrou outra do Fabinho Capixaba em ritmo de bossa nova, acho que é isso. Ficaram muito boas.

– É maldade. Mas faz parte do jogo. É preciso aturar. E jogar melhor, também. Talvez Souza seja interessante para ajudar no combate pela ala direita. Mas, no Palestra, o Palmeiras deve se impor. E optar pelo time mais leve e veloz.

Tags:

  • Marco

    Mauro,

    Só discordo de sua opinião sobre Leonardo Silva. Ele jogava tão bem ou melhor em 2004, quando disputou a série B pelo Bahia, dirigido por Vadão. Este, inclusive, já anunciava que Leonardo tinha um bom futuro no futebol. Infelizmente, o último bom time que o Bahia montou perdeu fôlego no quandragular final e não subiu; Leonardo Silva foi em seguida para o Palmeiras e não manteve o nível.

  • Jovaneli

    O Palmeiras leva vantagem contra o Nacional, já que fará o “jogo do medo” (partida em casa, onde precisa se cuidar para não levar o gol exageradamente valorizado do adversário) logo de cara, no Palestra Itália. O mesmo vale para o Cruzeiro diante do São Paulo.
    O time de melhor campanha – no caso, São Paulo e Nacional – deveriam ter a chance de optar se quer jogar em casa a primeira ou segunda partida.
    Fazer o segundo e decisivo jogo com o risco (elevado ao quadrado) de levar gol é perigoso. Muito perigoso.
    Assim, projeto uma semifinal entre Grêmio e Cruzeiro e outra com Boca e Palmeiras.

  • Alex (EUA)

    Mauro, detalhes deixados de lado, a minha opinião é que o duelo contra o Nacional é um pequeno degrau maior, em termos de dificuldade/complicação, do que foi a série contra o Sport. Vi partes dos jogos do nacional contra o River (que está em fase péssima há um ano), e concluí que não há nada de inesperado. Como toda a equipe uruguaia, tem na virilidade defensiva e na rapidez ofensiva suas caracterísitcas principais, com 2-3 destaques individuais. Acredito que virão com um catenaccio à la Sport no primeiro jogo, e, depois, em MVD, tentarão avassalar o Palestra na base da super-excitação típica dos uruguaios quando jogam em casa (e que muitas vezes é ineficiente, porém).
    Acho que o X da questão para o Luxemburgo será absorver lições aprendidas da série contra o Sport. Ou seja, é preciso mais eficiência ofensiva em casa (1×0 acaba sendo pouco) e é preciso uma postura menos defensiva fora, sem entregar de bandeja 2/3 do campo de jogo durante os inteiros 90 minutos. Esse tipo de postura só se sobrevive uma vez niuma série de mata-matas.

  • Renato Albuquerque (Samambaia – DF)

    Acho que o São Paulo passa pelo Cruzeiro. O time apesar de está em uma fase ruim, sabe jogar libertadores, e ainda é um time dificil de ser batido. A defesa do Cruzeiro é fraca, provou isso no jogo contra o Flamengo, só não levou gol pela incompetência do outro time.

    Quanto ao Palmeiras, acho que é “galinha morta” na competição. Mesmo que passe pelo Nacional (e deve passar), enfrentará o Boca ou o Estudiantes, e ai é caixão pro time do palestra.

  • Wanderley Takahashi Assis

    Mauro, faltou lembrar que antes do Muricy, o SP jamais tinha sido eliminado por times brasileiros na Libertadores!
    Com o Muricy, só eliminou o Palmeiras, e com as calças na mão… Virou fregués dos times brasileiros na Libertadores… abrem até um sorriso quando veem o SP do Muricy na Libertadores…
    Como tricolor, fico triste com esses números, olha que é apenas um pouco dos péssimos recordes do Muricy na Libertadores com o SP, mas infelizmente é verdade…

  • João Gilberto

    Mauro, vc como palmerense, não acha que o Wagner Diniz seria um ótimo reforço para o Palmeiras.

    Ele está dando sopa no São Paulo, ele poderia arrebentar no Palmeiras pô!!

  • pvinhas

    qual era o prato do dia hoje??????

    BIG LOVE, fica pra depois. Mas posso dizer pra você, e pra todos, que acabei de ter a honra de almoçar por 3 horas e meia com os inefáveis Paulo Bonfá, Simoninha, Sergio Patrick, meu velho amigo Eduardo Cecchini, e um tal de Evair Aparecido Paulino, que veio pegar o meu livro com o perfil dele, OS 10 MAIS DO PALMEIRAS.

    melhor menu que esse, nao tem

    mas, em breve, coloco o novo prato do boteco do Mendes

  • Luiz Henrique(S.E.PALMEIRAS)

    Certeza Mauro!!!

    Num sei porque Mauro mas to com uma impressão que a FINAL da LIBERTADORES vai ser SÃO PAULOX PALMEIRAS!!!

    Mas é só impressão!

  • João Gilberto

    Mauro, você não acha que o Palmeiras deveria tentar contratar o Wagner Diniz, o Maldonado e o Reinaldo do Gremio?

    Ficariamos com um time quase imbatível!!!

  • http://www.chiqueiroverde.blogspot.com HERMES PALMEIRAS

    OLÁ SENHOR MAURO BETING, TUDO BEM ?
    EU ADMINISTRO UM BLOG COM MÉDIA DE 5 MIL ACESSOS E RESOLVI POSTAR UMA HOMENAGEM AO SENHOR PELOS SEUS SERVIÇOS JORNALÍSTICOS PRESTADOS E PELO SENHOR SER PALMEIRENSE. NÃO ESTOU PEDINDO DINHEIRO NEM LIVRO. SÓ QUERIA SUA VISITA LÁ E SE POSSÍVEL UM POST SEU. FICARIA MUITO AGRADECIDO.
    HONRADO COM SUA ATENÇÃO.
    DESDE JÁ AGRADEÇO:
    HERMES “PALMEIRAS” SERIGATI
    http://www.chiqueiroverde.blogspot.com

  • Gustavo Figueiredo

    Neste clima de mensurações de quem pode mais ou pode menos na libertadores, de quem faz mais e de quem faz menos, as magias do Futebol vem e dão uma rasteira certeira nas análises lógicas e tendenciosas (ainda que travestidas com o manto da imparcialidade) feitas pelos torcedores aparentemente mais serenos e observadores.

    De repente vem Cleyton Xavier e joga o Colo-Colo na vala dos desclassificados, de repente vem Iniesta e deixa o Chelsea sem entender o que está acontecendo, de repente pode vir um Kleberson para derrubar o Inter do trono inabalável, aquele onde o favoritismo exacerbado vai elevando o ego dos jogadores e torcedores culminando com o tombo que revela a dor mais forte sofrida pelos mesmos.

    Que bom que o Futebol não precisa de uma FIA para harmonizar as competitividades.

    Abraços grande Mauro.

  • roberto

    Nao gosto deste “menu do dia”…eh muita enrolação pra falar qual vai ser a analise dos jogos…

  • James

    Mauro,
    O cruzeiro este ano vai fazer igual 2003. Vai ganhar tudo. O São Paulo não vai conseguir superar nosso meio de campo e o Kléber está implacável. Parabéns pelo blog!!!

  • pvinhas

    pô, big love… arruma um emprêgo desses pra mim!!!!!!!!!

    VINHAS, meu ou o do Mendes?

  • pvinhas

    SEU!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    agora, voce não levou essa turma pra almoçar no boteco do Mendes, né?

  • Marcos Appelt

    To torcendo pra muita gente queimar a língua com o Palmeiras, acho q o time não tem tanta técnica, está faltando o Keirrison acordar, mas o espírito de Libertadores está muito parecido com de 1999, o Cruzeiro em 1997 tb era um time q ninguém acreditava e chegou lá.

    Outra coisa

    Tá faltando só a previsão da mãe Dinah, “O Palmeiras não vai ser campeão da Libertadores” aí eu tenho certeza q o verdão chega lá.