Cruzeiro 1 x 0 Universidad de Chile

por Mauro Beting em 15.maio.2009 às 8:03h

* São 24 jogos sem perder no Mineirão. A última vez, em setembro, contra o Palmeiras, quando Marcos fez as dele. Invencibilidade que anima ainda mais o time diante do São Paulo.

* E são 21 vitórias e apenas três empates. A sétima maior sequencia invicta da história do clube. A maior série é de impressionantes 45 jogos, com 35 vitórias, entre 1967 e 1968.

* Impressionante foi o placar magro para tamanha superioridade. Confesso que perdi as contas das chances igualmente perdidas. Se a Universidad só não perdeu na fase inicial para o Grêmio por 73 x 0 por conta do goleiro Pinto, desta vez foi algo parecido.

* No mínimo umas sete grandes defesas ele fez. Mais umas seis grandes chances perdeu o Cruzeiro, que só achou o gol com o implacável Kléber, aos 28 do segundo tempo.

* Wágner sentiu a coxa e saiu. O time não sentiu tanto com Athirson, que entrou bem como meia. E pode e deve ser testado e tentado mais vezes no ofício. Além do ótimo Bernardo.

* Quando preciso, Fábio esteve lá, como sempre. O Brasil segue com grandes goleiros. Problema que Dunga não terá para convocar.

Tags:

  • http://www.casadeespelho.blogspot.com Matheus

    E o Marquinhos Paraná, Mauro? Como você bem disse na prancheta do jogo contra o Flamengo, ele é um jogador multifuncional. Enquanto a grande maioria fala do [maurobeting]todo-campista[/maurobeting] Ramires, o Paraná passa desapercebido. Mas ele é o verdadeiro termômetro da meiuca cruzeirense.

    Há muito tempo não via um jogador de tanta qualidade e regularidade jogando nesse time. Mesmo nos seus 30 e tantos anos, acho que teria lugar na seleção jogasse em São Paulo ou no Rio.

    Um abraço.

  • Jovaneli

    Pelo que tem feito e pelo que o seu adversário não vem jogando, o Cruzeiro é favorito no confronto com o São Paulo, especialmente porque terá a vantagem de fazer o “jogo do medo” (partida em casa, onde precisa se cuidar para não levar o gol exageradamente valorizado do adversário) logo de cara.
    Com esse critério do gol exageradamente valorizado, muito melhor jogar a primeira em casa. Fazer o segundo e decisivo jogo com o risco (elevado ao quadrado) de levar gol é muuuito perigoso.
    O time de melhor campanha – no caso, o São Paulo – deveria ter a chance de optar se quer jogar em casa a primeira ou segunda partida. No mínimo.

  • http://www.chiqueiroverde.blogspot.com HERMES PALMEIRAS

    OLÁ SENHOR MAURO BETING, TUDO BEM ?
    EU ADMINISTRO UM BLOG COM MÉDIA DE 5 MIL ACESSOS E RESOLVI POSTAR UMA HOMENAGEM AO SENHOR PELOS SEUS SERVIÇOS JORNALÍSTICOS PRESTADOS E PELO SENHOR SER PALMEIRENSE. NÃO ESTOU PEDINDO DINHEIRO NEM LIVRO. SÓ QUERIA SUA VISITA LÁ E SE POSSÍVEL UM POST SEU. FICARIA MUITO AGRADECIDO.
    HONRADO COM SUA ATENÇÃO.
    DESDE JÁ AGRADEÇO:
    HERMES “PALMEIRAS” SERIGATI
    http://www.chiqueiroverde.blogspot.com

  • Lets

    Vira essa boca pra lá com o Dunga, tomara que ele nem assista jogos do Cruzeiro e deixe seus jogadores quetinhos lá na Toca, afinal irem pra seleção para ficarem no banco, enquanto jogam perebas como Gilberto Silva, Felipe Melo, Ronaldinho gorducho, etc.

  • Paulo

    O Cruzeiro só tem que aprender também a “jogar” nos bastidores da competição, como sempre atua o Tricolor Paulista de Todos os Lobbys. A Turma do Juvenal Maioral tem grandes “amigos” na FIFA, na CSF e também na CBF. “Rompeu” com o presidente da FPF, porque ele não compactuava com os “esquemas” dos homens do Morumbi. Dentro de campo, e neste ano de 2009, o time da Toca da Raposa joga muito mais do que a rapaziada do Murici Ramalho. Abram o olho, para não serem prejudicados por “esquemas extra-campo” da Turma do Marketing. A tal da gripe suína que infelizmente também fará de toda maneira suas vítimas aqui no Brasil Varonil, foi apenas o primeiro ardil.

  • carlos amendola

    O time do Cruzeiro, ao meu ver, é o melhor candidato brasileiro ao título da Libertadores. Mas acho que Fábio é um goleiro mediano.
    Parece que aquela fase de altos e baixos do ano passado já não faz parte da rotina da raposa.

  • Humberto

    Toda vez que leio seu blag tenho surpresas agradáveis Mauro. Caso raro de jornalista de São Paulo bem atento aos outros centros. É o primeiro jornalista de fora de Minas que eu vi citar o Bernardo (só ouço falar em Neymar, mas você, bem informado como mostra ser, deve lembrar que na única vez em que estiveram frente a frente, na Copinha, a estrela do Bernardo brilhou mais), e é atento ao papel do Marquinhos Paraná, realmente essencial. Não pensei nele ainda na seleção, até porque acredito existirem melhores opções, mas garanto que ele é melhor que a turma que está lá. Só lembrando, Gilberto Silva foi convocado a primeira vez com 27 anos, salvo engano meu, jogando no Galo, depois de se “destacar” no América-MG, ou seja, só apareceu quando era mais erado.