Vasco 4 x 0 Vitória

por Mauro Beting em 14.maio.2009 às 12:13h

* Que vitória! Que Vasco! Dorival Júnior não é milagreiro, mas faz coisas muito melhores que a encomenda. Belíssimo resultado que praticamente define a parada no Barradão.

* O jogo era parelho, com o Vitória fazendo boas coisas até bisonha falha do zagueiro-esquerdo Luciano Almeida, muito bem aproveitado por Carlos Alberto.

* Outra bobeada defensiva, outro gol vascaíno. Mas o Vitória ainda não esmorecia.

* Duas faltas muito bem cobradas, porém, dizimaram o time baiano, que ainda perdeu Luciano expulso. Mas…

* O melhor do Vasco foi a consciência de que o relaxamento quase custou ao menos dois gols, das quatro chances baianas. Dorival e Carlos Alberto foram os primeiros a admitir. O elenco está com os pés no chão.

* Carpegiani é bom treinador, e, por vezes, adora brincar de prancheta. Mas a culpa pela goleada é mais pontual que estrutural. O 3-4-1-2 dele não é o culpado. Por mais que pareça estranho o volante Bida na ala direita, o meia Jackson na ala esquerda, e o ala direita Apodi como atacante, não foi isso que derrubou o Vitória.

* Mas dá para dizer que foi isso que também não ajudou…

* Leo Lima foi bem. Foi muito bem. Quando quer, tecnicamente, ele joga fácil. Quando ele quer. Mas, com Jefferson, o Vasco é mais dinâmico e veloz, talvez mais apropriado para a Série B.

Tags:

  • Jovaneli

    O Vasco pode repetir o que fez o Corinthians. Ser finalista da Copa do Brasil em ano de volta obrigatório à Primeira Divisão. O único incoveniente é ser vice, posição que sempre incomodou demais o vascaíno e que agora pertuba o botafoguense.
    Tirando esse aspecto curioso e que pouco deve agradar ao torcedor do Vasco, convenhamos que ir tão longe assim na Copa do Brasil é um baita avanço em meio aquela terra arrasada que era o Vasco pós-Eurico.
    O palmeirense Dorival Jr. sabe das coisas. Luxemburgo que se cuide. Não deve demorar muito para que o nome do Júnior seja cogitado por lá, especialmente se Vanderlei continuar com o péssimo hábito de substituir o principal jogador do time e de contar única e exclusivamente com a sorte para obter resultados.
    Não é toda hora que Cleiton Xavier acertará chutes milagrosos e certeiros no fim do jogo ou que Marcos salvará o time. Ele é São Marcão, e não Deus. E Belluzzo não me parece ser o tipo de pessoa que rasga dinheiro.

  • Ricardo Malagodi

    Os times nordestinos só serão grandes de fato quando conseguirem jogar fora de casa como se estivessem em casa ou parecido. O Vitória consegue golear em casa e ser goleado fora, o Bahia na Fonte Nova era praticamente imbatível, quando saía era uma espécie de Íbis. O Sport é um na Ilha e outro completamente diferente fora dela. Time grande que quer ser campeão de um torneio nacional ou internacional tem que jogar bem dentro e fora de casa.

  • Marcos Filipe

    Chegamos de fininho e mandamos uma baita goleada.Mas eh preciso abrir os olhos pq o Vitoria eh dakeles times esquisitos que perde de 10 e ganha de 11.Quase certo dar Vasco. Ao contrario do q dizem o time eh bom e acredito que se nao fosse o tribunal e um jogo em q nada deu certo (contra o bota) o rio teria um campeao com um futebol melhor do q o do time de volantes e zagueiros do flamengo. Prefiro pegar o Corinthianas nas semi apesar do Flu ser fregues.Por pura intuiçao. Acho q ja podemos sonhar com o titulo!!!

  • Elias Junior

    O pior de tudo é quando fica mal planejado o time. O interino estava bem no vitória, quando inventaram de contratar Carpegianni, e ele, vendo o Superveloz lateral Apodi, inventou de deixá-lo como segundo atacante, sendo que ele não tem habilidade, ele é bom na lateral pra abrir o jogo com velocidade de armar contra-ataque, e não pra receber bolas, foi uma invenção, mas a questão de fora de casa é uma verdade.