Futebol falado

por Mauro Beting em 20.abr.2009 às 17:20h

O que leva um cartola a detonar um rival? Sobretudo um craque?

Só os jornalistas ganham dinheiro no futebol falando. E falando muita bobagem.

Cartola é o primeiro a perder pelo que diz. Pior: a fazer o próprio time ser derrubado e detonado pelos coliformes orais produzidos.

Ronaldo é um que não precisa de cutucões para virar o jogo. A carreira dele é uma coleção de superações. Mas basta ver a primeira declaração dele após a vitória para saber o que são-paulino algum da direção admite – publicamente: que o São Paulo começou a perder o jogo por perder a chance de um cartola ficar calado – ou de exagerar no tom e na crítica.

O vice de futebol são-paulino poderia criticar a horrorosa entrada de Ronaldo em André Dias, no domingo passado. O próprio Fenômeno recriminaria o ato se visse pela TV. Como o próprio árbitro admitiu que errou quando pôde rever o feio lance. Como todos do futebol não entenderam entrada tão brusca de alguém tão legal como Ronaldo. Não é do estilo dele, do jeito dele, do caráter dele.

Mas como pode qualquer profissional de qualquer área dizer que um atleta “acabou”? Sobretudo um Ronaldo?

Pior que o ataque despropositado foi a defesa tricolor que, depois da eliminação, afirmou que a declaração do vice-presidente não era bem aquilo… O caro amigo Marco Aurélio Cunha disse que Leco, o vice de futebol, usou o termo “ex-jogador” no “bom sentido”.

Só se for no balcão do INPS.

“Ex-jogador no bom sentido”?

Além de deplorável desrespeito. De uma infelicidade atroz. Um pedido para que a resposta venha na bola, não pela boca.

O pior é que o autor da bobagem é cidadão consciente, educado, inteligente, equilibrado.

O que apenas mostra que o futebol tira qualquer um do sério.

Até os poucos que tentam trabalhar sério.

Tags: ,

  • http://lancenet.com carlos costa

    Mauro , ocruzeiro ta pensando na libertadores e levou d4,agora o ituiutaba é fraco, os times do interior sao fracos, mas tem um bom elenco, na decisao do mineiro tanto o cruzeiro como o meu galo terao jogos dificeis liberta dores e copa do brasil, apesar do eder luis nao jogar a primeira partida da decisao confio no galo que ainda é um time nao um elenco formado

  • Heinz-Harald Grbic Stojakovic

    Como Rubro-Negro, sei exatamente o que é isso. Ter diretor (ou presidente, no meu caso) falastrao, definitivamente, não dá certo!!
    Abs!

  • Ivan

    NÃO SE PREOCUPE COM ISSO, PREOCUPE-SE COM O PIPOK9, COM O LIXOBURGO E O TIME QUE NÃO GANHA NADA IMPOTANTE DESDE 1999, E QUANTO AO RONALDO, QUE ATACANTE NÃO FARIA AQUELE GOL??? AS PESSOAS O MIMAM DEMAIS, JÁ FOI JOGADOR, HOJE VIVE DO NOME.

  • Vinícius

    Pois é. O árbitro errou, não expulsou o Ronaldo e ele jogou no Morumbi. O A. Dias foi expulso e não jogou. O Sálvio expulsou o Diego Souza e o Domingos pelo bate-boca, mas não expulsou o Cristian e o Arouca pelo mesmo motivo.

    O Corintians ganhou por mérito, jogou muito bem, mas as coisas seriam diferentes se ele não estivesse em campo?

  • Felipe Leite

    Começando pelo futebol do Rio, onde os dirigentes insistem no saudosismo de outrora e no futebol mais apaixonado do que profissional, passando pelos absurdos já ditos pelos mais torcedores do que gestores, Marco Aurélio Cunha e Andrés Sanchez e, agora, pelo vice de futebol do São Paulo, Leco, entramos numa questão de delicada discussão. Discernir amor de profissionalismo é importante. Transformar futebol numa igreja é preocupante. Os dirigentes, jogadores, jornalistas e torcedores, devem sempre prezar pelo respeito mútuo pelo bem do esporte. No caso do Leco, ele ofendeu uma pessoa em particular. Não foi uma provocação prá-clássico típica. Isso deveria ser passível de punição. Agora, o presidente do Fluminense, Roberto Horcades, afirmar que o Flamengo treme nas decisões contra seu time não tem nada além de uma provocação sadia que apimenta e melhora um clássico de futebol. Ninguém pune José Mourinho por frequentemente assumir que seu time é o melhor e irá ganhar com facilidade. Precisamos tomar cuidado com o rigor que tratamos este tipo de questão. Caso contrário, medidas absurdas como não tirar a camisa em comemoração por pura questão mercadológica começarão a ser cada vez mais frequentes no futebol. Abraços!

  • Sr. Cabeça de Batata

    Diego Simeone, ex-capitão da Seleção Argentina, um dos mais viris (pra ser educado) volantes que eu já vi jogar, certa feita recebeu uma cusparada no rosto. Seguiu jogando normalmente, e ao fim da partida, perguntado se iria tirar satisfações do agressor, disse: ” O que acontece dentro das quatro linhas, deve ser resolvido dentro das quatro linhas. ”
    A minha opinião é a seguinte: quem não entra em campo pra levar botinada, pra encarar a torcida, ou até pra correr atrás do gordinho que já foi chamado de “Fenômeno”, tem mais é que CALAR A BOCA. No final, não é no deles que arde.
    Pobre dos atletas, que sequer podem reclamar depois.

  • André Antunes

    Caro Mauro,

    Em plena segunda feira, vespera de feriado, me permito ler seu blog degustando uma boa taça de vinho!!!
    Como São Paulino reprovo o infeliz cometário do Sr. Leco, principalmente pelo que o Ronaldo vem jogando nessas últimas partidas! O cara é diferenciado, a arrancada que ele deu no segundo gol, mesmo ainda acima do peso foi fantástica. O Corinthians ganhou em campo com todos os méritos. O São Paulo perdeu em campo, disperdisando uma séries de oportunidades no primeiro tempo e no inicio da segunda etapa. Posto isso, senhores diregentes, pelo amor ao futebol, deixem os jogadores em paz, livres para fazerem aquilo que o público gosta. Jogar bola!!!
    Saúde!!!!!

    André Antunes

  • Anderson Nascimento

    Olá, Mauro Beting.
    Olha, o Ronaldo muitas vezes mereceu levar alfinetadas dos adversários por diversas vezes ter relaxado e não ter dado o seu melhor dentro de campo. No entanto, hoje a história é diferente. Ele mais uma vez provou que é um grande, um genial jogador de futebol e, por isso, não merece ser criticado, muito menos provocado pr um “mané” qualquer.
    Um abraço e sucesso!!!!!!!!!!

  • osmar hening

    A cinco meses atrás o Corinthians estava disputando a seríe B do brasileiro, mostrando um futebol arrasador e com vaga na seríe A garantida com várias rodadas de antecedencia, surgiram debates entre torcedores,trenadores e crônistas esportivos sobre o seguinte assunto:O Corinthians com o elenco da seríe B poderia brigar pelo titulo da seríe A?90% dos cronistas esportivo disseram não, que brigaria pra não cair, que só ganhou de time pequeno, sequer lembraram que alguns meses antes o Corinthias eliminou o Bota Fogo e jogou de igual para igual com o Sport que eliminou os favoritos Palmeiras e Internacional pela Copa do Brasil.Pois bem,esta semana o Corinthians com 80% da base da seríe B eliminou vencendo dois jogos seguidos o tri-campeão brasileiro da”serie A” o São Paulo que manteve o mesmo elenco,ou melhor ,reforsado de um dos artilheiros da seríe A.Se não bastar,o Corinthians jogou com os trêis grandes do estado de SP e se mantem invicto na tenporada.E agora, será que as opiniões estão sendo mantidas?Que o Corinthians não ganha classicos,que seus jogadores são inferiores aos dos rivais e que brigaria para não cair? Na minha modesta opinião não! Eu gostaria de saber qual é a sua opinião Mauro Beting. Obrigado!

    OSMAR, sempre achei o elenco alvinegro competitivo. E, com o Ronaldo, mais ainda.

  • Beto

    coliformes orais… ahahaha, como diria o zé simão: “tucanou o falou merda”

  • davi

    eu só não entendo esse clima de revanche, de desabafo, que o corintianos viveram apás os jogos. tirando as declarações equivocadas do leco, e alguns estúpidos atos isolados de uma certa torcida, o ambiente foi de um respeito raramente visto, celebrados em grandes jogos. de não sei q mágoa foi esta, mas o corinthians perdeu a chance de se portar com mais dignidade. assim como o sr leco. realmente, não precisava.

  • Rodrigo Raniéri

    Ao seu Ivan lah de cima, dizer que qualquer atacante faria aquele gol vc tah de brincadeira! Talvez o Keirrison do Palmeiras e o Nilmar do Inter teriam capacidade para dar aquela arrancada…O Ronaldo é fenômeno e mais uma vez deu a volta por cima…
    E Davi, o clima de revanche talvez se justifique pela desconfiança que caía sobre o time do Corinthians, as expectativas dos torcedores e tudo mais, agora, quem não se portou com dignidade foi o São Paulo, que mais uma vez chorou por arbitragem e não soube perder em campo…

  • Deguinha (Paulo Martins)

    Concordo com o que disse Davi. Após a derrota os dirigentes do São Paulo não fizeram alarde algum. Elogiaram o futebol apresentado pelo Corinthians e disseram que foi merecido. A torcida não partiu para a briga, como muitos jornalistas queriam, e ainda aplaudiu os jogadores do São Paulo. Este dirigente fez muito mal em falar uma besteira dessa, mas não é motivo para tanta raiva expressada pelos corintianos.
    O gesto do jogador do Corinthians no primeiro jogo foi reprovável e a preocupação dos jogadores foi em defendê-lo. Ao invés dele pedir desculpa, no segundo jogo este mesmo jogador saiu fazendo gestos de que os sãopaulinos são chorões. Não vi nenhum meio de comunicação mostrar isso. Será que ele realmente se arrpendeu de ter feito o que fez?

  • Alves

    Ronaldo, como fenômeno, é sim um ex-jogador.
    Se começarem a tratá-lo como um jogador normal (o que ele é hoje), aí sim pode-se afirmar que ele é um jogador. O interessante é que se ele passar um jogo inteiro sem fazer nada e quando o jogo estiver 2×0 pro Corínthians ele fizer um gol, no dia seguintes as manchetes são: “Ronaldo classifica o Corínthians”; “Ronaldo dá show!”. Quem não viu manchetes assim no domingo e na segunda? Pois afirmo que Chicão, Elias e Cristian foram extremamente mais decisivos nos confrontos com o São Paulo do que o Ronaldo.

  • É nóis na final!

    20/04/2009 – 08:34

    Em transe, no meio da torcida do Corinthians

    Repórter do iG acompanhou o duelo São Paulo x Corinthians no meio da Fiel, que era minoria no estádio do Morumbi

    Mauricio Stycer, repórter especial do iG

    SÃO PAULO – Já tinha assistido a jogos no meio da torcida organizada do Corinthians, mas nunca na situação em que a Fiel é visitante no estádio. Senti como se estivesse no meio de um rito, no qual os participantes, num transe coletivo, ignoram a difícil situação em que estão (são, afinal, uma minoria, cercada de adversários ferozes) e cantam, abusadamente, como se fossem donos da situação.

    Com direito a 5 mil ingressos, os corintianos ocupam um módulo e meio da arquibancada do Morumbi. É um espaço justamente ao lado do reservado à Independente, torcida organizada do São Paulo. Não podia ser um lugar pior. Separados por uma grade e duas dezenas de policiais militares, os dois grupos passam três horas trocando ofensas e fazendo provocações mútuas.

    Confiantes na vitória, um grupo de corintianos discute, trinta minutos antes de a partida começar, onde devem ser disputadas as finais. “Por mim, a gente jogava no Maracanã”, diz um, mais animado. “Mas o Botafogo não vai ganhar hoje”, prevê um outro. “E eles vão precisar do Maracanã pra final do Carioca”. Na mosca.

    “Prefiro que os dois jogos sejam no interior, do que ter um jogo na Vila Belmiro”, diz outro torcedor. “Jogo na Vila é sacanagem. Só dá pra entrar mil corintianos”, reclama. “E leva vantagem quem tem dinheiro pra pagar o ingresso”.

    Enquanto a partida não começa, a diversão maior é ofender os são-paulinos. Alguns gritos são ameaçadores: “O pau vai quebrar, se o Corinthians não ganhar!!!”

    Até o vendedor de salgadinhos faz gestos com os dedos para a torcida do São Paulo. Não sei se vendeu mais com esse marketing, mas ganhou muitos tapinhas nas costas.

    Às 15h35 começa um grito de guerra que será ouvido, como um mantra, até a saída dos torcedores do Morumbi: “Vai pra cima dela, Timão… Da bicharada, ô, ô!!!” Quando a torcida do São Paulo grita alguma coisa, imediatamente a Fiel replica com outro grito de guerra, que anula, por assim dizer, o barulho dos adversários.

    No fundo, ninguém ouve ninguém. Melhor assim.

    Numa versão livre, muito livre, o “Hino da Independência” do Brasil vira, na voz da Fiel: “Brava gente, brasileira. Longe vá, temor servil. Quem não for corintiano, vai pra ….”

    “Ronaldo, viado!!!”, grita a torcida do São Paulo antes do início do jogo. “Isso, cutuca ele”, pede um corintiano, incentivando os gritos dos adversários.

    Um torcedor chega com a namorada e encontra um amigo na arquibancada. “Apanhamos juntos no Rio de Janeiro”, ele diz, apresentando as credenciais do amigo para a moça. “Eu não apanhei”, o amigo diz. “É verdade, ele fugiu”, explica o rapaz para a namorada.

    Os jogadores estão perfilados, mas não se ouve o Hino Nacional. A Fiel entoa o clássico “Aqui tem um bando de louco! Louco por ti Corinthians! Para aqueles que acham que é pouco, eu vivo por ti, Corinthians! Eu canto até ficar rouco. Eu canto pra te empurrar! Vamos, Vamos meu Timão. Vamos! Meu timão, não para de lutar!” A Independente responde com outra canção, que não dá para ouvir.

    A bola já está rolando quando começam a chegar os torcedores que trazem os instrumentos musicais. A torcida corintiana canta alegremente uma música consagrada pela Independente, mas devidamente adaptada: “Domingo eu vou lá no Morumbi! A Fiel vai invadir. Vou levar foguetes e bandeiras. Não vai ser de brincadeira. Ele vai se campeão. Eu não quero cadeira numerada, eu vou de arquibancada, para sentir mais emoção. Porque o meu time bota pra f… O nome dele é você que vai dizer.”

    A bola já está rolando há mais de 30 minutos e ainda chegam torcedores uniformizados. “Fui parado umas 30 vezes”, reclama um gavião. A área reservada aos corintianos está tão cheia que um policial abre, à força, um corredor para dar vazão ao fluxo de torcedores que ainda querem entrar. “Eu sou corintiano. Eu nunca vou te abandonar. Porque eu te amo!!!”

    Às 16h50, quando termina o primeiro tempo, os torcedores se sentam rapidamente na arquibancada. Como na brincadeira da dança das cadeiras, já que há mais gente do que banquinhos disponíveis, muitos ficam em pé.

    O Corinthians ataca, no segundo tempo, na direção oposta onde está a sua torcida. Na hora do primeiro gol (de Douglas), a festa é enorme, mas ninguém sabe quem empurrou a bola para dentro das redes. “Foi o Ronaldo”, diz um ao meu lado. “Foi o Dentinho”, diz outro. “O Dentinho cruzou”, rebate um terceiro. Ninguém sabe, ninguém viu, o que não atrapalha em nada a festa.

    A discussão não vai longe. Logo outra canção do repertório da Gaviões é entoada: “A maré tá cheia. Tá, tá ,tá, tá, ta. Cheia de sereia. E o Timão querendo golear. Caiu na rede é peixe. Le, leá. O Timão vai golear”.

    Os cantos começam sempre do lado direito. De onde estou, no centro, os torcedores aguardam a orientação que vem do lado para repetir as músicas.

    A festa na hora do gol de Ronaldo é ainda maior que no primeiro. Os torcedores se empurram, se socam e se abraçam de tanta alegria. Alguém que esteja assistindo a comemoração sem ouvir o áudio pode achar que aqueles homens estão se agredindo. Mas é apenas alegria. Um transe impressionante.

    Ronaldo é muito festejado ao ser substituído. Aliás, foi o único jogador que teve o seu nome gritado em coro pela torcida na partida. Em estado de graça, os corintianos se permitem até piadas com o próprio time. “Hoje é dia”, diz um. “Até o Felipe está acertando tudo”, diz, após o goleiro sair para interceptar um cruzamento.

    Aos 30 minutos do segundo tempo, os primeiros são-paulinos começam a deixar o estádio. A torcida grita “tchau” e logo alguém puxa um corinho: “Eliminado! Eliminado!” E outro: “Fica, c… Pra ver o campeão!!!”

    Faltando dois minutos para o final da partida, a torcida do São Paulo acorda e começa a cantar, incentivando o time. Um momento bonito, mas ignorado pelos corintianos.

    “Tá chegando a hora”, cantam alguns. “O Coringão voltou”, começam outros, entoando o grito de guerra usado ao final da participação do time na segunda divisão do Brasileiro de 2008. O grito se alastra. “O Coringão voltou!!!” E, pela primeira vez nesta tarde, tenho aquela sensação desagradável, frequente no Morumbi, de sentir a trepidação da arquibancada.

    Encerrada a partida, os corintianos são impedidos de deixar o estádio. O anel onde está torcida é isolado pela polícia. Os são-paulinos deixam vagarosamente o Morumbi, enquanto a Fiel se comprime, à espera da abertura do portão. Outra sensação muito ruim.

    Às 18h45, 50 minutos depois de encerrada a partida, o portão é finalmente aberto. Observados pela Tropa de Choque, quem ainda tem forças canta “o Coringão voltou!”. Na avenida Giovanni Gronchi, a cavalaria da PM impede os torcedores de descerem em direção à entrada do estádio. Só é possível sair na direção oposta. “O Coringão voltou! O Coringão voltou!”

  • KAMIKA

    BETTING , COMPARE OS NOMES “CHRISTIAN=CORINTHIANS”, EM CHRISTIAN SÓ FALTA A LETRA “O” E TB. TEM DUAS LETRAS “I”s,
    P/ A TORCIDA DO CORINTHIANS , O CHRISTIAN SÓ QUIS MOSTRAR QUE NO SEU NOME TEM TB. DUAS LETRAS “I”s. LÓGICO,QUE NÃO PODIA MOSTRAR QUE FALTAVA A LETRA “O”. OS BAMBIS ENTENDERAM “Ó P’RO ÇEIS AQUI..ÓH !!..”. DEZ DIAS APÓS FICAM FAZENDO GOL DE “BUNDINHA”. TB NÃO É ATO OBSCENO???…..(PELO MENOS NÃO FOI IMPEDIDO!!!)

    R9 ,APÓS O GOL GESTICULOU : “SOLIDARIEDADE TOTAL P / CHRISTIAN.”..P/ OS BAMBIS ” VÃO TOMAR UMAS BRAHMAS (2X0),!!! ,ESFRIAR A CABEÇA ,QUE NO BRASILEIRO TEM MAIS…” P/ OS FALSOS MORALISTAS …NÃO É NEM QUESTÃO DE INTERPRETAÇÃO!!! ASSISTEM A NOVELA DAS OITO JANTANDO COM OS FILHOS ,CARNAVAL, LUCIANTA GIMENEZ E DISCUTEM BBB9…. SÃO UM BANDO DE HIPÓCRITAS!!!..PRINCIPALMENTE, O JORNALISTA-BAMBI ENRUSTIDO!!!
    COMO DISSE R9….:”TEM BABACA……DO SPFC FALANDO M…”….’COM A CEJEUMA ,ETERNIZARAM O GESTO DO CHRISTIAN-…DAQUI HÁ 10 ANOS QQ TORCIDA ESTARÁ PROVOCANDO OS BAMBIS COM ESTE GESTO-SÍMBOLO… O TIRO SAIU PELA CULATRA (APESAR QUE ESTÃO TROCANDO GOL IMPEDIDO POR GOL DE “BUNDINHA”), O CHRISTIAN NÃO ‘AFINOU” NO 2º JOGO , e nem o futebol vai virar ‘CURSINHO P/ FREIRAS “!!! ( GRAÇAS A DEUS !!! OU SERÁ QUE SEREI PRESO POR MISTURAR DEUS COM FUTEBOL )…UM ABRAÇO

  • KAMIKA

    BETTING, FOI TÃO RIDÍCULA A PARTICIPAÇÃO DA CAMPANHA FALSA-MORALISTA : COMEMORAÇÃO DO GOL CHRISTIAN…GOL R9,,DIEGO SOUZAx ZAGUEIRO DO SANTOS… DA IMPRENSINHA ROSA QUE AS TORCIDAS ESTÃO PERGUNTANDO:
    1- ONDE FICARÁ ESTACIONADO O CAMBURÃO P/ LEVAR PRESO OS JOGADORES APÓS OS JOGOS.?…PERTO DA MACA OU PERTO DA BANDEIRA DE ESCANTEIO…
    2- APARECERÁ UM PROGRAMA ESPORTIVO NOVO P/ DISCUTIR ….ALÉM DE QUEM É SEU EMPRESÁRIO?… QUAL SERÁ O ADVOGADO “PORTA-DE-CADEIA” QUE IRÁ DEFENDER O JOGADOR QDO. FOR DISPUTAR FINAIS OU SEMI-FINAIS?… SE ISTO VAI ESTAR NOS CONTRATOS?
    3- VAI TER AINDA PROGRAMA P/ DISCUTIR OS LANCES DE FUTEBOL DA PARTIDA?

  • Pingback: Fique por dentro Futebol » Blog Archive » Futebol falado » Mauro Beting()