Cristian

por Mauro Beting em 18.abr.2009 às 12:49h

Cristian, o fominha da Fiel

ESCREVE ROGERIO JOVANELI

Corinthians 2, São Paulo 1. Bom clássico. Bom resultado para o time de Parque São Jorge. Não tão ruim para o tricolor, que precisa “apenas” de uma vitória simples no jogo de volta no Morumbi.

Novidade? Quase nenhuma. Novamente, Jorge Wagner deu uma assistência para gol são-paulino. Elias, novamente, foi o melhor em campo pelo Corinthians. E Cristian, de novo, entrou em campo e saiu dele sem ser advertido com cartão. De quebra, decidiu o jogo com um gol no último lance. Essa, sim, foi a novidade. Cristian não é artilheiro. É marcador, dos bons. E por levar pouquíssimos cartões, está sempre à disposição do treinador. Joga sempre. É o fominha da fiel.

Contratado junto ao Flamengo, em setembro do ano passado, o volante já fez 29 jogos pelo clube de Parque São Jorge, todos como titular absoluto, sendo advertido em apenas seis oportunidades, todas com cartão amarelo. Cristian ainda não foi expulso com a camisa corintiana. O jogador só recebeu o seu primeiro amarelo na 11ª partida pelo clube, contra o Avaí, na Série B do Brasileiro do ano passado, vitória alvinegra por 3 a 2, no Pacaembu.

Nesta temporada, o volante do Timão fez 18 jogos (16 pelo Paulista, um pela Copa do Brasil, além do amistoso contra o Estudiantes) e levou cartões nos jogos contra Barueri, Palmeiras e Ponte Preta, pelo Paulista, Itumbiara, pela Copa do Brasil e no amistoso contra o Estudiantes.

Desde a sua chegada ao clube, Cristian só não atuou contra Paulista, Portuguesa e Mogi, no Paulista, por lesão, e diante do Guarani, sua única ausência por cartões em sete meses de Corinthians.

É, sem dúvida, aquele que mais personaliza a regularidade corintiana. O time titular não perde um jogo desde agosto do ano passado (a última derrota ocorreu para o Vila Nova/GO, na 17ª rodada da Série B). Com Cristian em campo, o Corinthians teve 19 vitórias, dez empates e nenhuma derrota. Isso mesmo. Cristian não sabe o que é derrota com a camisa corintiana.

Abaixo, a relação dos 29 jogos em que Cristian, o fominha da Fiel, entrou em campo com a camisa corintiana e saiu dele invicto, seja com uma vitória ou um empate:

24/09/2008 – Corinthians 2 x 0 Bragantino – Pacaembu

27/09/2008 – São Caetano 2 x 2 Corinthians – Campinas/SP

04/10/2008 – Marília 1 x 1 Corinthians – Londrina/PR

11/10/2008 – Corinthians 2 x 2 Santo André – Pacaembu

18/10/08 – Bahia 0 x 3 Corinthians – Feira de Santana/BA

25/10/08 – Corinthians 2 x 0 Ceará – Pacaembu

01/11/08 – Corinthians 2 x 1 Paraná Clube – Pacaembu

08/11/08 – Criciúma 0 x 2 Corinthians – Criciúma/SC

12/11/08 – Juventude 1 x 2 Corinthians – Caxias do Sul/RS

15/11/08 – Corinthians 3 x 1 Vila Nova – Pacaembu

22/11/08 – Corinthians 3 x 2 Avaí – Pacaembu

17/01/09 – Corinthians 5 x 1 Estudiantes – Pacaembu

22/01/09 – Corinthians 2 x 2 Grêmio Barueri – Pacaembu

25/01/09 – Bragantino 0 x 1 Corinthians – Bragança Paulista

28/01/09 – Corinthians 2 x 0 Botafogo-SP – Pacaembu

31/01/09 – Corinthians 4 x 1 Oeste – Pacaembu

15/02/09 – São Paulo 1 x 1 Corinthians – Morumbi

21/02/09 – Guaratinguetá 1 x 3 Corinthians – Guaratinguetá/SP

25/02/09 – Corinthians 2 x 0 Noroeste – Pres. Prudente/SP

01/03/09 – Marília 1 x 1 Corinthians – Marília/SP

04/03/09 – Itumbiara 0 x 2 Corinthians – Itumbiara/GO

08/03/09 – Palmeiras 1 x 1 Corinthians – Pres. Prudente/SP

11/03/09 – Corinthians 2 x 1 São Caetano – Pacaembu

15/03/09 – Santo André 0 x 0 Corinthians – Santo André/SP

22/03/09 – Corinthians 1 x 0 Santos – Pacaembu

25/03/09 – Corinthians 2 x 2 Ponte Preta – Pacaembu

31/03/2009 – Corinthians 3 x 0 Ituano – Pacaembu

05/04/2009 – Mirassol 2 x 2 Corinthians – Mirassol/SP

12/04/2009 – Corinthians 2 x 1 São Paulo – Pacaembu

* ESCREVEU ROGERIO JOVANELI, jornalista dos bambas

ADENDO – Ah, sim, os braços cruzados e os dedos abertos de Cristian:

Ele não precisa responder na Justiça Comum pela grosseira celebração de gol.

Mas só porque a torcida rival não deu bola.

E se eles resolvem responder o gesto quebrando o pau, o estádio e as ruas?

O que Cristian fez não se fez, não pode ser mais feito, e não pode jamais ser tolerado.

O profissional do futebol precisa ser mais responsável.

Procuradores, auditores e advogados de porta de vestiário, então, nem se fale.

Tags:

  • CORINTHIANS ATÉ O FIM

    Carta Aberta ao Herói da Páscoa

    Caro Cristian,

    Quem te escreve daqui é um torcedor comum. Posso dizer que minha segunda-feira está iluminada, mesmo com o as nuvens cinzentas que cobrem o nosso Tatuapé.

    E não sou o único a dizer. Esse sorriso que vi no espelho pela manhã vi também no carinha do posto de gasolina, no chapeiro da padaria, no dono da banca de jornal, no meu sobrinho doutor, no arquiteto famoso e no catador de papelão.

    Eita, Cristian, não sabes o que tem de corinthiano neste mundão! E fizeste feliz a Páscoa de 25 milhões. Mandaste lá, no último minuto, um ovo-bala, veloz e implacável, contra a meta dos arrogantes, dos falsos bons moços.

    Se Páscoa é redenção, foi aquele, no derradeiro minuto, o símbolo de renascimento de uma Nação… Havia tempos, não víamos Corinthians assim guerreiro, sadiamente maloqueiro, sofredor e vencedor.

    Cristian, amigo, sabes que teu nome quer dizer “cristão”? Ora, e que nobre virtude é tua coragem. Coragem de Jorge, meu irmão, valentia dos que jamais baixam a cabeça diante dos poderosos, dos que defendem antes a causa do povo, dos que elevam armas em defesa da boa causa e da boa tradição. Teu chute, Cristian, foi lança guerreira e redentora de uma nação que nunca, jamais, perde a fé.

    Os inimigos hipócritas falam lá do teu gesto, legítimo, e digo que foi resposta justa a todas as provocações e injúrias que sofremos do clube da elite quatrocentona e dos barões da mídia. Teu gesto é mais um escudo, fechado contra o peito, resistência do homem meio negro, meio branco, mestiço como o nosso próprio Corinthians.

    Teu gesto, Cristian, não tem a gravidade das entradas violentas em campo, nem a gravidade da compra de juízes, nem a gravidade do aluguel de jornalistas, nem a gravidade da apropriação indébita do dinheiro público para se construir um estádio. Teu gesto sincero é nosso também e nos representaste com altivez e galhardia. E se algum cínico te interrogar, amigo, diga: “eram as orelhas do coelhinho da Páscoa”.

  • Raphael

    O Cristian é um excelente jogador e só foi emprestado ao Corinthians por falta de espaço para ele no meio de campo rubro-negro. Ibson e Kléberson são quase que incontestáveis e o Jônatas é o reserva imediato… a chegada do Paraíba no meio do ano passado e do Aírton, vindo das categorias de base também contribuíram para a não-permanência do jogador, que mesmo tendo dito que desejava continuar, acabou sendo transferido.

    Torço para que o Cristian se dê bem no Corinthians… é um tipo de volante raro no futebol brasileiro e o Flamengo pode lucrar bastante com a venda dele… se bem que o valor do empréstimo ainda não foi pago pelos dirigentes corinthianos, hehe!!!

    E pensar que até 2007 o André Santos era banco do Juan, e que só foi pro Figueirense porque a torcida não aguentava mais as amareladas dele em jogos importantes… hoje o FLA poderia estar lucrando com ele, mesmo atuando em outro time.

  • http://www.jornalistaincidental.blogspot.com Gilson Moura Jr

    Mauro, sou tricolor, do velho e bom Flu, e me desculpe a pergunta: Vocês nçao lêem uns aos outros não? Pombas, o gesto do Cristian foi tudomenos uma grosseria, pode ser itnerpretado como provocação, tudo, mas pelamordedeus, leia o que diz o Mauro Cézar (http://espnbrasil.terra.com.br/maurocezarpereira/post/44394_GESTO+DO+CORINTIANO+CRISTIAN+JA+FOI+FEITO+POR+VASCAINOS+PALMEIRENSES+E+GREMISTAS)
    .
    Meu deus o gesto é um gesot comum À determinadas facções organizadas, não foi uma grosseria em si, e se for tratado como uma grosseria é como se tapaod o sol com apeneira, a crítica vira moral quando nomáximo é de ser acirrar rivalidades por outro aspecto, o de relaçaõ quase tribal das organziadas.

    Seria idela que nososs jornalistas, inclusive você, tratassem do tema como deve ser tratado, como hooliganismo.

    GILSON.
    o gesto feito para a própria torcida é uma coisa.
    para a outra, não.

    acho que vc é inteligente o suficiente para entender.