Taça Rio – Confronto estatístico

por Mauro Beting em 07.abr.2009 às 15:06h

CRUZAMENTOS – Não à toa o Flamengo marcou 9 gols de cabeça na temporada – é a equipe do RJ-09 que mais cruza bolas; dos finalistas, o Vasco cruza menos – e marcou apenas 4 de cabeça, em 2009.

DRIBLES – O Vasco dribla mais que qualquer equipe. O Fluminense, menos, ainda que com equipe tecnicamente mais rica.

FALTAS – O Vasco comete mais faltas – 22, em média, por jogo. O Flamengo faz apenas 16. Necessariamente não são bons números: menos infrações, menos desarmes, menos bola aos pés.

DESARMES – A marcação forte garante ao time de Dorival Júnior melhor desempenho defensivo (apesar da discutível qualidade técnica da zaga); o Fluminense recupera poucas bolas. Também pela característica individual dos homens de frente.

GOLS SOFRIDOS – O Vasco desarma mais, faz mais faltas; logo, tem o sistema defensivo menos vazado: 0,6 gol por jogo; o Flamengo comete menos faltas, embora desarme mais que o Fluminense – e tem o pior desempenho defensivo: 1,13 gols por jogo.

FINALIZAÇÕES – São 19 conclusões por jogo do Botafogo. O Flu finaliza menos. Não por acaso a média de gols do Botafogo é a maior (2,4), e a do Tricolor, a menor (1,8).

PASSES – O Flamengo acerta 90% dos passes. Fluminense 89%, Botafogo e Vasco 88%. Tudo muito igual. No número de passes, aquilo que se sabe – mais técnico (e treinado por Parreira, que valoriza a posse de bola), o Flu passa mais vezes. Em média, troca 340 passes por jogo; o Vasco é mais direto – 297 passes por partida. Questão de estilos e condições técnicas.

POSSE DE BOLA – O Flamengo fica 13min23s por jogo com a bola; o Flu de Parreira fica um pouco menos (13min19s), o Vasco fica com 12min39s, e o Botafogo com apenas 11min53.

SALDO DE PÊNALTIS –

Vasco 6 x 0 cometeu

Flamengo 6 x 3 cometeu

Botafogo 5 x 2 cometeu

Fluminense 2 x 3 cometeu

Vasco tem seis pênaltis de saldo, contra 3 do Flamengo e Botafogo; Fluminense cometeu um pênalti a mais do que sofreu.

Tags: