Flamengo e Vasco vencem, Botafogo empata

por Mauro Beting em 26.mar.2009 às 17:01h

Por excesso de trabalho, escala e questões familiares, não consegui ver nada além dos gols no Rio.

Mas, no terceiro de Josiel, algo inusitado: repare que o zagueiro do Madureira faz obstrução no próprio goleiro. Imaginando estar freando um rival, ele abre os braços e escora o próprio companheiros. Das maiores bizarrices já vistas.

Como a atuação do zagueiro Eduardo Luiz, que ajuda a explicar o porquê da queda vascaína em 2008.

ESCREVE ANDRÉ ROCHA http://blogs.abril.com.br/futebolearte

Madureira 2X4 Flamengo – A novidade da tarde de três gols de Josiel em Édson Passos foi a entrada de Erick Flores atuando pela direita como a mistura de ala, meia e atacante que Cuca tanto gosta de ter em seus times. Com Everton Silva mais plantado, foi a jovem revelação rubro-negra, emulando a movimentação de Jorge Henrique no Botafogo de 2007 e dando duas assistência para o camisa 9 do Fla, que viabilizou o 3-4-3 que o treinador insiste em implantar em suas equipes.

Outro destaque foi Juan, que jogou bastante avançado, criou boas jogadas pela esquerda e ainda apareceu na área para concluir. Foi o ala que fechou o placar na cobrança do pênalti cometido de forma bisonha pelo zagueiro Eduardo Luiz, ex-Vasco, o pior em campo ao falhar em dois gols e o retrato de um Madureira que foi menos que um sparring no Estádio Giulite Coutinho e não serve como parâmetro para qualquer análise da atuação rubro-negra.

Botafogo 2X2 Americano – A liderança do Grupo B da Taça Rio não fez bem ao campeão do primeiro turno. Claramente acomodado, o Bota foi frágil na marcação, exagerou na centralização das jogadas com o trio Maicosuel-Reinaldo-Victor Simões e mereceu as vaias da pequena torcida que compareceu ao Engenhão.

O Alvinegro de Campos poderia ter tido melhor sorte se André Luís Paes Ramos tivesse marcado o pênalti claro de Fahel no bom atacante Kieza e expulsado o volante do Bota quando o placar estava 1 a 1. Mesmo prejudicada pela arbitragem e sofrendo o gol de Reinaldo aos 33 do segundo tempo, a equipe do técnico Toninho Andrade ainda encontrou coragem para buscar o empate no final com Kieza e complicar a vida do Bota, que perdeu Victor Simões, expulso, para o clássico contra o Fluminense no domingo.

Vasco 2X1 Mesquita – A virada conquistada no sufoco em São Januário mostrou que o Vasco precisa investir em peças de reposição se quiser ter uma trajetória mais tranqüila na disputa da Série B do Brasileiro. Sem Titi, Ramón e Carlos Alberto, a equipe penou na primeira etapa com um futebol abaixo do medíocre e só conseguiu reverter o placar pela postura ofensiva do segundo tempo estimulada pela justa expulsão do meia Fabrício, o principal articulador das jogadas do time da Baixada Fluminense.

Léo Lima, o substituto do capitão e craque vascaíno, salvou sua pífia atuação pelo gol de pênalti sofrido por Fernando, mas, ainda assim, foi substituído no intervalo. Com a vantagem numérica a partir dos 17 do segundo tempo, Dorival Jr. colocou a equipe no ataque abrindo Pimpão e Élton pelos lados e enfiando Kardec na área adversária. Mas foi Jéferson, em bela conclusão, que definiu o placar, mantendo o time vascaíno na ponta do Grupo B.

ESCREVEU ANDRÉ ROCHA

Tags: