Habemus Parreira!

por Mauro Beting em 08.mar.2009 às 11:07h

Carlos Alberto Parreira é tricolor.

Tanto que, em 1999, ajudou a resgatar o clube das profundezas da Terceirona, revelando talentos como Roger, e ajudando a reconstruir o Fluminense.

Tanto que só o clube do coração foi capaz de seduzi-lo a voltar ao banco e largar o trabalho de coordenador da Traffic. Com Fred para escalar, e a base deixada por René Simões, Parreira pode repetir a belíssima história de títulos iniciada nos anos 70, passando pelo BR-84, a Série C-99, e, quem sabe, mais e melhores coisas a partir de agora.

Tags:

  • Carlos Magno Rezende

    Olhe, o Parreira é um técnico de leitura fácil. Acho até comum. Fez seu nome nas comissões técnicas da CBF, foi campeão do mundo numa competição em que os adversários eram fraquíssimos, foi finalmente obrigado a chamar o Romário que desprezara e que veio para salvar o time da não classificação, mas também faltou pouco para perder aquela copa.

    A copa que perdemos com ele foi chocante. A teimosia em manter um time improdutivo com veteranos e foras de forma, chegou às raias da loucura. Perdeu merecidamente, rindo e filosofando, enquanto os torcedores brasileiros arrancavam os cabelos com tantas incoerências.

    E por quê? A resposta está na organização déspota de comissões técnicas que afunilam as decisões para o próprio manager, pois não pesa o auxiliar escolhido por ele mesmo e nem outro qualquer colaborador. No final a autoridade ditatorial do técnico nunca é abalada, e ele acaba esnobando imprensa, especialistas e a voz do povo, fazendo o que quer, normalmente errando. Depois vem a público para pedir desculpas.

    Como vascaíno espero que ele imponha no Fluminense o mesmo esquema da seleção, mandando segurar a bola e tocar de um lado para outro no seu próprio campo, e quando o adversário estiver arrumado, sair para tentar algo pelo meio congestionado, deixando quatro ou cinco na defesa. Adorarei ver o traidor Fluminense se esborrachar nas mãos do Parreira. Não fez isso no Corinthians porque não duraria 15 dias no cargo.

  • Hedson Rosa Arantes – Caldas Novas Goiás

    Mauro você é o unico jornalista de verdade,ético,imparcial e escreve sem fanatismo.
    Parabéns,continue assim,abraços..Sucesso…

  • roberto

    é o melhor elenco!!

  • A verdade sobre o título de 1982

    1 – Sport 2 x 1 Flamengo (Campeonato Brasileiro, 31/03/1982)

    Vocês acharão estranho terminar essa lista de tragédias com uma vitória. Mas esse triunfo teve o sabor da mais amarga derrota. Como tinha sido batido pelo clube carioca na primeira partida no Maracanã por 2 a 0, o Leão da Ilha precisava de um placar superior a dois gols de diferença nesse jogo. Eis que por volta dos 30 minutos do segundo tempo, quando o placar já marcava 2 x 1 para o time pernambucano, o meia Edson Ratinho arrematou um chute cara a cara com Raul, então goleiro do Flamengo, que espalmou a bola, fazendo-a correr PARALELA à linha de fundo. Bebeto, nosso ponta esquerda, cruzou a pelota voltando e o próprio Ratinho colocou no fundo das redes. Só nesse momento, após todo desenrolar do lance, o auxiliar Almir Laguna levantou a sua bandeira. Sabe o que ele marcou? Escanteio para o Sport! Como se a bola tivesse saído antes do cruzamento. As câmaras mostraram que a bola sequer ficou em cima da linha, mantendo-se totalmente dentro do campo. O juiz, Oscar Scolfaro (não precisam mais temê-lo, já se aposentou!), confirmou o tiro de canto. Foi uma das maiores gatunagens já vistas num campo de futebol. Até os cronistas cariocas ficaram constrangidos. Esse jogo traumatizou o cineasta Lírio Ferreira que, conforme me confidenciou, desde então nunca mais teve a mesma relação com o esporte bretão. Só pra vocês terem uma idéia, o homem das películas (cinema de verdade!), no calor de sua revolta, vendeu uma enorme bandeira rubro-negra que possuía para seu irmão, nobre tricolor coral, que só fez emendar mais uma faixa de tecido branco no pano negociado…
    Nobre contribuição enviada pelo notório Roberto Azoubel, a.k.a. Doutor Estranho
    Mesmo juiz, mesmo campeonato, mesma equipe beneficiada:

    “GRÊMIO 0X1 FLAMENGO

    Campeonato – Brasileirão de 1982 (3º jogo da final)
    Data – 25.4.82
    Estádio – Olímpico (Porto Alegre)
    Árbitro – Oscar Scolfaro (Brasil)

    O tricolor gaúcho buscava o gol do empate – e do título – quando o centroavante Baltazar cabeceou no alto do gol flamenguista. Para impedir o tento, o rubro-negro Andrade meteu a mão na pelota. Pênalti? Não para o juizão Oscar Scolfaro, que mandou o jogo seguir dizendo que o toque foi do goleiro Raul. Mas, como a gente vê na imagem, o arqueiro estava caído na hora do lance…

    http://mundoestranho.abril.com.br/esporte/pergunta_287267.shtml

  • AUGUSTO CESAR

    Nunca fui fã do Parreira,mas suas passagens no FLU sempre foram vencedoras.O que fizerem com Renê foi uma sacanagem,apesar de cometer alguns erros na escalação,os jogadores é que não renderam nada.
    O Parreira pelo menos se notabiliza por fechar seus times, e disso o FLU está precisando.

  • flavio macedo

    Sr. Carlos Magno Rezende, talvez vc possa questionar o Parreira treinador, direito seu, mas dizer que o Romário que salvou o time para a classificação em 93 chega a ser patético, nas combinações de resultados o Brasil se classificaria até com uma derrota, procure saber depois, pois todos os adversários diretos naquela época não conseguiram, talvez seja um pouco de incoerência de vossa parte questionar o título de 94,pois ganhamos é isso que importa, pois outras seleções eram muito melhores, mas não ganharam , creio que vc como torcedor deve ter ido ás ruas comemorar, mas seu curriculo como treinador é invejável e tem muito cacife, espero que ele possa ter vida longa no Flu pois tem um bom elenco e pode montar um bom time , talvez vc esteja com um pouco de medo, pois deve ser brabo pra vc aturar Pimpões e Jefersons da vida mas ser vascaino foi uma escolha sua , pois ninguém é perfeito, espero que vc possa galgar o caminho de volta a séria A ,pois como tricolor e carioca torço pelo Roberto , alguém de caráter e com amor pelo vasco, que lutou e venceu aquela corja de Eurico e seus asseclas, um abraço e espero quem em 2025 vcs possam voltar a primeira pois com pimpão e Carlos Alberto vai ser brabo!!!!!
    Saudações tricolores!!!!!!!!!!!!!!!
    Fred chegol!!!!!!!!!!!

  • Carlos Magno Rezende

    Prezado Flavio:

    Em 93 o time andava vergonhosamente mal, o Zagalo fez a maior fofoca porque o Romário foi questionar a comissão técnica por ter viajado 15 horas, largado seu time para esquentar o banco de reservas. E tinha toda a razão, pois a CBF adora fazer jogadores de bobos, gastando dinheiro à toa, – nosso dinheiro, – somente para deixá-los no banco: “Para ganhar espírito de grupo”.

    Deram então um gelo no Romário. Todo mundo pedia o baixinho, o time do Parreiras perdia, empatava ou ganhava mal. Mas ele lá do alto do trono, fingia nada escutar. Até que não deu mais jeito, – praga de uma nação pega – então, com medo de ser o primeiro técnico a não classificar o Brasil, mandou vir o Romário, que chegou, deu um show contra o Uruguai, e o Brasil dali em diante não precisou mais de vergonhosas combinações de resultados coisíssima nenhuma.

    Quanto à copa de 94, cruz credo, só tinha uma seleção mais ou menos, que foi a Holanda. Até a Itália, que facilitou tudo nos pênaltis, era muito ruizinha, ficou lá atrás o tempo todo e o Brasil aqui atrás também. Mas quase ganharam da gente nos 90 minutos. No final, desconjuro, os dois mereceram ir mesmo para os pênaltis!

    Mas o time do Fluminense não essa coisa toda que o Parreiras anunciou, é de fraco para médio, e se acham que o Fred vai resolver tudo, acho bom parar para pensar.

  • flavio macedo

    Sr. Carlos magno, antes de mais nada quero parabenizá-lo pela educação e fineza , algo quase esquecido hoje entre os torcedores , creio eu tricolor que estaremos formando um bom time sim, pois temos em nosso elenco Fred, Conca ,TN, Leandro, L.Amaral, que se encontrarem a melhor forma voltarão a jogar um bom futebol, o elenco do Flu é muito bom , agora estaremos sendo capitaneados por Parreira que vai dar forma e equlibrio ao time e seremos campeões Carioca e estaremos de volta a hegemonia , pois os flamenguistas contam 2 titulos em um ano, mas tudo bem, o Freguês tem sempre razão, Saudações tricolores.