Bandeira branca em Prudente

por Mauro Beting em 07.mar.2009 às 15:44h

Em São Paulo, verdes e negros só têm uma cor em comum. A branca. A da paz. A da bandeira que deve ser erguida em Prudente por presidentes, treinadores, atletas, jornalistas e torcedores de bom coração. De enorme emoção para aguentar mais um clássico que desde 1917 para a cidade. Qualquer uma. Mais um jogo para corintianos e palmeirenses não se entenderem nem no número. Cada clube faz uma conta diferente para o dérbi. Como o torcedor conta cada clássico do jeito que viu. Se é que viu. Se é que consegue contar o que estas linhas também não saberão.

Palmeiras e Corinthians são um só corpo dividido em duas almas. São pólos diferentes que se atraem por química, são corpos diferentes que ocupam o mesmo espaço na física. São gente desta terra e da terra nostra que se distinguem na história. São paulistanos da Zona Oeste e da Zona Leste que se distanciam pela geografia. São tão diferentes que acabam sendo iguais.

Eles não se odeiam. Respeitam-se. Como duelistas. Todo jogo vai ser dia de vitória. Ou melhor: de derrota. Do outro. O importante não é vencer. O que vale é o outro perder.

Um não vive sem o outro. Um morre se o outro vive. Mas ninguém precisa morrer no duelo onde quem é realmente vivo o vive intensamente. A rivalidade exige o adversário em pé, ainda que derrubado. A graça do clássico é a celebração dupla, da própria vitória, da derrota alheia. Sei que é menor, é mesquinho, é egoísta não se satisfazer apenas com o próprio sucesso, e torcer pelo fracasso alheio. Mas esse é o homem. Ser tão imperfeito e emocionante como um jogo de futebol que premia fracos, que derrota justos, que iguala desiguais. Sobretudo num clássico.

O Santos teve Pelé, o São Paulo tem os troféus. Mas a rivalidade histórica, essa nasceu antes que o craque de Três Corações, antes que o clube das três cores paulistas. É questão de tempo que é senhor da emoção. Corinthians e Palmeiras cresceram juntos, tiveram muitos filhos, e seguem prósperos, apesar de alguns filhos pródigos, impróprios ou infelizes. Seguem fazendo lindo esse casamento jamais consumado. Sempre negado. Mas que a bola sabe que esses dois viverão juntos para sempre. Porque esses amores não morrem. Nem podem matar.

É só o que queremos. Um clássico numa tarde de sol. Uma vitória para contar aos filhos, que contarão aos netos aquilo que realmente conta. Aquilo que os que tomam conta dos clubes estão de parabéns em desarmar espíritos e elevar o futebol àquilo que é: um jogo que vale por uma vida, e não uma vida colocada em jogo por uma cor.

Tags:

  • http://seguraafera.wordpress.com/ Nelson Próspero

    Espetacular, Mauro.

    Corinthians x Palmeiras é isso e muito mais.

  • pedro barioni

    porra!texto retado…fiquei até meio assustado de ver um texto dessa qualidade pelaqui…

  • Thiago Escobar

    Texto brilhante!!! Parabéns Mauro…sou seu fã!!!!

  • http://blip.fm/Flimamiller Fernando de Lima Miller

    Mauro,entrei no seu blog exatamente para reclamar que há muito tempo seu blog não recebia um texto mais, digamos, poético,sobre futebol (só tendo análises dos jogos) e,felizmente,fui desmentido por esse belo post sobre “nós” contra eles…

  • http://pre-vestibular.arteblog.com.br Pedro de Sousa

    ORRRRA MEU!!!!

    Como é que você consegue colocar sempre o ponto final nesses momentos???!!!

    Impressinante!

    Parabéns. Chorei de novo. Você escreve muito! E entende do meu Corinthians e do seu Palmeiras como poucos. Prova toda vez!

    Parabéns mesmo.

  • Paulo H.

    Não existe uma rivalidade maior que a outra no futebol paulista. Dizer que Corinthians e Palmeiras são “mais rivais” do que São Paulo X Palmeiras ou Santos X Corinthians, é esquecer, inclusive, a história recente do futebol.
    No fim da era Telê e início da era Parmalat, indubitavelmente a maior rivalidade do futebol paulista era São Paulo X Palmeiras. Ou estou errado? Assim como o Santos foi o grande e odiado rival na época de Pelé. Como foram São Paulo e Corinthians no início dos anos 2000, devido aos mata-matas. E, enfim, Palmeiras e Corinthians quando disputaram ferrenhas partidas decisivas pela Libertadores.
    Resumindo, o que quero dizer, é que as rivalidade se acirram e se tornam mais contundentes conforme a fase e o momento dos times. Em momento algum desdenho da rivalidade entre Palmeiras e Corinthians. Ela só não é maior nem menor do que as outras.

    PAULO H, concordo contigo. nesse caso, “futebol é momento” é mais que cliché. Apenas situo o dérbi como a primeira. não necessariamente a maior.

  • Gustavo T

    clap clap clap!

    Palestra!

  • Diego

    Concordo em genero, numero e grau, minha única ressalva é estarem vendendo ingressos para o setor verde para a torcida do corinthians em Prudente. Se queremos paz, não seria legal misturarem as duas torcidas em um setor tão grande, que ao me consta, seria somente para o Palmeiras.

  • A verdade sobre o título brasileiro de 1982 do Flamengo (quartas-de-final) e final

    1 – Sport 2 x 1 Flamengo (Campeonato Brasileiro, 31/03/1982)

    Vocês acharão estranho terminar essa lista de tragédias com uma vitória. Mas esse triunfo teve o sabor da mais amarga derrota. Como tinha sido batido pelo clube carioca na primeira partida no Maracanã por 2 a 0, o Leão da Ilha precisava de um placar superior a dois gols de diferença nesse jogo. Eis que por volta dos 30 minutos do segundo tempo, quando o placar já marcava 2 x 1 para o time pernambucano, o meia Edson Ratinho arrematou um chute cara a cara com Raul, então goleiro do Flamengo, que espalmou a bola, fazendo-a correr PARALELA à linha de fundo. Bebeto, nosso ponta esquerda, cruzou a pelota voltando e o próprio Ratinho colocou no fundo das redes. Só nesse momento, após todo desenrolar do lance, o auxiliar Almir Laguna levantou a sua bandeira. Sabe o que ele marcou? Escanteio para o Sport! Como se a bola tivesse saído antes do cruzamento. As câmaras mostraram que a bola sequer ficou em cima da linha, mantendo-se totalmente dentro do campo. O juiz, Oscar Scolfaro (não precisam mais temê-lo, já se aposentou!), confirmou o tiro de canto. Foi uma das maiores gatunagens já vistas num campo de futebol. Até os cronistas cariocas ficaram constrangidos. Esse jogo traumatizou o cineasta Lírio Ferreira que, conforme me confidenciou, desde então nunca mais teve a mesma relação com o esporte bretão. Só pra vocês terem uma idéia, o homem das películas (cinema de verdade!), no calor de sua revolta, vendeu uma enorme bandeira rubro-negra que possuía para seu irmão, nobre tricolor coral, que só fez emendar mais uma faixa de tecido branco no pano negociado…
    Nobre contribuição enviada pelo notório Roberto Azoubel, a.k.a. Doutor Estranho
    Mesmo juiz, mesmo campeonato, mesma equipe beneficiada:

    “GRÊMIO 0X1 FLAMENGO

    Campeonato – Brasileirão de 1982 (3º jogo da final)
    Data – 25.4.82
    Estádio – Olímpico (Porto Alegre)
    Árbitro – Oscar Scolfaro (Brasil)

    O tricolor gaúcho buscava o gol do empate – e do título – quando o centroavante Baltazar cabeceou no alto do gol flamenguista. Para impedir o tento, o rubro-negro Andrade meteu a mão na pelota. Pênalti? Não para o juizão Oscar Scolfaro, que mandou o jogo seguir dizendo que o toque foi do goleiro Raul. Mas, como a gente vê na imagem, o arqueiro estava caído na hora do lance…

    http://mundoestranho.abril.com.br/esporte/pergunta_287267.shtml

  • Alessandro

    Vai Corinthians!

    Viva o maior clássico do Brasil!

  • http://www.esportejornalismo.blogspot.com Jornalismo Esportivo

    Neste final de semana, o Blog Jornalismo Esportivo inaugura um novo quadro que se chamará Opinião. O primeiro assunto é o retorno do atacante Ronaldo aos gramados e já deve ser lançado como titular contra o Palmeiras ou se deve entrar apenas durante o confronto.

    Vejam as opiniões dos integrantes sobre o tema da semana.

    http://www.esportejornalismo.blogspot.com

  • Lucas

    Parabéns pelo texto!

    Um abraço!

  • Helio Bertachini

    Caramba Mauro!!
    Lindo texto… esse classico arrepia. Foi nesse classico que chorei pela primeira vez no futebol. Foi vendo esse classico que meu pai me ensinou a respeitar os outros, mesmo no futebol. Me fez levantar da cama, enxugar as lagrimas, e ir ouvir as gozacoes dos amigos. Ele disse que um dia ia ter troco. E teve. Depois la vou eu ouvir de novo. Depois é a vez deles… amanha tomara que seja minha vez de novo.

  • Ricardo

    O grande campeão é aquele que respeita seu adversário, não o que o subestima. Grande texto Mauro.

  • Angelini

    Belo texto, aliás, elogiar os textos do Beting é chover no molhado…
    O clima é tenso nas horas que antecedem e o próprio derbi em si… mas essa “tensão” não se confunde com ódio e violência.
    No mais, bandeira branca erguida, mas, os corinthianos não teram vida fácil e, no fim da tarde, estarão de cabeça cheia
    … mais uma vitória verde..dessa vez de goleada… Fofão nem entra em campo hoje, pois, o jogo já estará decidido no primeiro tempo..
    Abraços

  • ANDRÉ FERRAZ

    E AI BETING,OS GREMISTAS ESTÃO CONSIDERANDO VICE CAMPEONATOS TÍTULOS.É O DESESPERO POIS O MÁXIMO QUE CONSEGUEM CHEGAR É AO VICE E ASSIM MESMO,LEVANDO GOLEADAS EM ALGUNS CASOS.QUE O DIGA O BOCA.ALÉM DE FAZEREM FIASQUEIRA ESTÃO COM MEDO DE JOGAR COM O PODEROSO COCÓRICÓ NA COLOMBIA E AINDA ESTÃO COLOCANDO AS CULPAS NAS FARCS PODE????????????????????? ACHO QUE ELES ESTÃO É COM MEDO DOS TRAFICANTES,QUE GOSTAM MESMO É DE DROGAS,ESTÃO TEMENDO VOLTAR DA COLOMBIA SEM JOGADOR.E DA-LE COLORADO CADA VEZ MAIS CADA VEZ MAIOR

  • http://www.gilmars.com.br Gilmar

    Ótimo texto, parabéns!

  • Mariza Almeida

    Nunca ouvi nem li nada parecido a respeito do classico. Coerente, emotivo e lucido. Parabéns!

  • Fabio

    Mauro, concordo que a maior rivalidade HISTÓRICA seja entre Corinthians e Palmeiras. Mas o meu sentimento é que hoje em dia se unem para atacar o outro irmão do trio de ferro. Hoje é muito comum corintianos e palmeirenses, para tentar atacar o são paulo, dizer que clássico de verdade é corinthians e palmeiras e citam na sequência o são paulo dizendo que não vale nada jogar contra o São Paulo. É só fazer consultas na internet que verá inumeros comentários como este. E presencialmente ouço muito este comentário conversando principalmente com corintianos.
    Alias, todo este marketing feito hoje está parecendo provocação mais uma vez para o próprio São Paulo. Nunca vi em clássicos como Boca e River, Flamengo e Fluminense ( a maior rivalidade histórica do rio ), Grêmio e Inter, Cruzeiro e Atlético, sem citar outros, tanta união. Rivalidade é cada um de um lado, se respeitando claro, mas como inimigos dentro de campo, justificando a fama de Eternos Rivais.
    Mais uma vez deixo claro que entendo como a MAIOR RIVALIDADE HISTÓRICA seja Corinthians e Palmeiras, mas acho que estes dois times devem deixar o São Paulo de lado. Corinthians e Palmeiras estão perdendo a essência do que é este clássico para se unirem contra o São Paulo e não é de agora. Isso não é saudável para tamanha rivalidade…..

  • Luciano

    SEMPRE EM TODA MINHA VIDA ACREDITEI NO PALMEIRAS, SEMPRE CONSIDEREI O TIME, O CLUBE, SUA HISTORIA ENTRE TANTOS OUTROS FATOS QUE ME ORGULHARAM AO LONGO DOS TEMPOS, MAS O JOGO DE HOJE ENTRE PALMEIRAS X CORINTHIANS ME ENVERGONHOU PROFUNDAMENTE, ME ENVERGONHOU EM OBSERVAR UM CONLUIO SUJO E PATÉTICO ENTRE OS CLUBES, A FORMA EM QUE O PALMEIRAS CONTRIBUIU PARA A ASCENSÃO DO JOGADOR RONALDO, DEIXOU DE OBSERVAR EM CAMPO OS MANDOS E DESMANDOS DA ARBITRAGEM, AS FALTAS DE ATAQUES DO PALMEIRAS NÃO ASSINALADAS, O TEMPO EXTRA DE 4 MINUTOS COMO SE ESTIVESSE AGUARDANDO O GOL DO RONALDO, A FALTA DE BOM SENSO DO SR. LUXEMBURGO EM ARMAR O TIME DE UMA FORMA MAIS OFENSIVA E A NÃO RECUAR QUANDO ERA CLARO A INTENÇÃO DE QUE O RONALDO FIZESSE UM GOL E SAISSE DA DRAGA PESSOAL EM QUE VIVE.
    ENQUANTO TIVERMOS O SR. LUXEMBURGO COMO TECNICO, VEREMOS O QUE ACONTECEU HOJE, UMA VERGONHA QUE FICARÁ NA HISTÓRIA, NÃO DO PALMEIRAS OBVIAMENTE, MAS DO CORINTHIANS.

    ATT

  • BAMBI_X_INHA

    AI QUE ÓÓDIOOOOOOO!!!

    ESSES TIMINHOS UÓ FIZERAM O MAIOR BAFÃO NESSE DOMINGO!!

    MAS ISSO NÃO-VAI-FI-CAR-A-SSIM!!!

    O JUJU TEM QUE MARCAR UM JOGO CONTRA PELOTAS, O NOSSO TIME PARCEIRO!!!

    VAI SER O MAIOR CLÁSSICO DO BRASIL:

    VAI SER O DERBIXA !!!

    VAI TER UMA BOLA ESPECIAL, COR-DE-ROSA CINTILANTE!

    E QUEM VENCER O JOGO GANHA O TROFÉU CLÓVIS BORNAY!!

    MAS É SÓ TRANSITÓRIO! PARA FICAR EM DEFINITIVO, TEM QUE GANHAR 24 VEZES!!

    VAMO SÃO PAULO, VAMO SÃO PAULO, VAMO PASSAR BATOM!!

    OLÉ!!!

    Bambi_X_inha

  • Sandro Varela

    Mauro, me permite dizer uma coisa? Para todo sempre rivalidade é PALMEIRAS X CORINTHIANS. Pode o SPFC ganhar títulos e tal, mas nunca eles terão a história que o Derby tem e tradição não se compra em farmácia.
    Não adianta diretor deles vir dizer que Palmeiras e Corinthians tem que se fundir para encará-los, e quer baser, respeito muito mais esportivamente o Corinthians que o SPFC, pois contra o Corinthians são duelos mais limpos e na bola.

    abs