Vitória 0 x 2 Bahia

por Mauro Beting em 09.fev.2009 às 21:32h

Enquanto as autoridades baianas não arrumam os estádios que precisam ser arrumados, mais falamos de polícia que de bola – por mais que o frangaço de Viáfara seja caso policial para o rubro-negro…

MELHOR ESCREVE LEANDRO SILVA

O clima de rivalidade que tomou conta da cidade era visível por todas as partes: azul, vermelho e branco e vermelho e preto deixavam o verão de Salvador ainda mais colorido, desde cedo. Era o 415º Ba-Vi. No entanto, ao final do dia, apenas os tricolores tiveram razão para enfeitar as ruas da cidade com a conhecida combinação de cores, após os 2 a 0, que garantiram a liderança, mesmo com um jogo a menos que o rival e a manutenção de um tabu de 3 anos, ou 7 jogos, sem perder no Barradão, com 5 triunfos e 2 empates.


Quanto mais se aproximavam as 17 horas e a área do estádio Manoel Barradas, maior a concentração de cores na cidade. A festa nas arquibancadas era bonita e não parou, mesmo depois que cerca de 50 torcedores do Vitória ficaram feridos por causa de um tumulto envolvendo a polícia na maior torcida organizada do clube.

A rivalidade mostrou as caras logo em um dos primeiros lances do jogo, quando o tempo fechou depois que o volante Vanderson deu uma cabeçada no garoto Ananias.


A torcida do Bahia, assistia, assustada, a um primeiro tempo de pressão do Vitória, que desperdiçou grandes chances com o ídolo Nadson, ex-Corinthians, um gol feito, e vários chutes para o alto do veterano Jackson, ex-Palmeiras.


O término do primeiro tempo com o placar inalterado foi um alívio para a torcida do Esquadrão, mesmo com um esquema ofensivo com dois meias-atacantes e dois atacantes, o Tricolor foi encurralado.
No intervalo, Gallo começou a ser decisivo. Sacou o meia Hélton Luiz, ex-Náutico,destaque do clube no campeonato, e colocou o volante Léo Medeiros, ex-Flamengo. Parecia a senha para armar uma retranca para segurar o empate. Ledo engano. Foi aí que o time deslanchou. Com passes longos e precisos, Léo fez o time do Bahia voar em campo e surpreender o Vitória. Mas ainda faltava uma correção de rota. O treinador havia preferido improvisar o volante Marcone na lateral-direita, deixando o titular Patrício, no banco, por condições físicas, mas o garoto, apesar da vontade não conseguia colaborar ofensivamente. Com a entrada do veterano ex-gremista, o time ganhou mais opções ofensivas e foi ele quem descobriu o baixinho Beto, sozinho do canto da área, livre para colocar o Bahia na frente. Ele chutou cruzado, mas quem tocou contra a própria meta, tentando cortar, foi o ex-palmeirense Thiago Gomes.


Festa do lado tricolor das arquibancadas do Manoel Barradas. A partir daí, o Leão parecia nervoso. Melhor para o Bahia. Logo depois, Patrício fez um lançamento para o volante ex-atleticano Elton, mas a bola seria interceptada pelo goleirão colombiano Viáfara. Seria, porque o arqueiro vacilou e a bola passou por baixo das pernas. Atento, o volante pegou do outro lado, puxou para a perna esquerda e tocou para o gol vazio. A festa não tinha mais hora para acabar para a maior torcida da cidade.

Méritos para um time que conseguiu se reinventar no intervalo, graças ao olhar aguçado do paulista Alexandre Gallo, mas também pela entrega de todos, a exemplo dos zagueiros Alison e Nen, os volantes Leandro Makelele e Elton e o meia Ananias.


Ainda houve espaço para o ex-presidente rubro-negro Paulo Carneiro e o Governador Jaques Wagner serem cantados pela torcida tricolor e xingados pela torcida rubro-negra. Agora, o Bahia tem 16 pontos, invicto, contra 15, do Vitória, que tem um jogo a mais. Na teoria, o resultado de ontem deve servir apenas para ajudar a garantir vantagem em uma futura e possível final. Na prática, é como mais um título para o tricolor, no campeonato da rivalidade.
ESCREVEU LEANDRO SILVA

Tags:

  • Marcos Paulo Carvalho

    Quando foi anunciada a nova diretoria do Bahia, a grande maioria dos torcedores (inclusive eu) e a imprensa, achavam que se tratava do continuísmo que destruiu o Bahia.
    Além disso, quando o ex-general inimigo passou a comandar as tropas tricolores imaginei que se tratava da exacerbação do pesadelo. Nunca imaginei uma loucura dessas… Aprendi de uma vez por todas a negar a palavra nunca, pois hoje pós Ba-Vi, enxergo que estamos no caminho certo.
    Vamos lá tricolor, vamos voltar a elite do futebol, seu lugar te espera!!!!

  • Cristiane dias Lima

    Sou Tricolor doente só não vou ao estádio quando não tenho grana, não sou filiada como sócio torcedor, por não acreditar na diretoria, mas vou esperar esse campeonato e quem sabe faço minha filiação.

    Torci um pouco o nariz para essa nova diretoria por achar que Marcelinho Jr era continuísmo, fiquei mais invocada ainda quando PC foi contratado, agora sei não, tou feliz da vida, igual a pinto no lixo, sei qua ainda é cedo mas é muito bom ganhar dos nisgraças dentro da case deles, nosso salão de festa, apelidado de Barralixão e agora vi na página de um tricolouco como eu, de Barrauvão. Avante tricolor estarei lá no PituAÇO daqui a pouco.

  • carla

    vamos meu BAHEAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

  • carla

    Somos da turma tricolor
    Somos a voz do campeão
    Somos do povo, o clamor
    Ninguém nos vence em vibração
    Vamos avante esquadrão
    Vamos serás o vencedor
    Vamos conquistar mais um tento
    BAHIA, BAHIA, BAHIA
    Ouve esta voz que é teu alento
    BAHIA, BAHIA, BAHIA
    Mais um, mais um Bahia
    Mais um mais um título de glória
    Mais um, mais um Bahia
    É assim que se resume a sua história

  • carla

    Vitoria perdeu
    sofredor tbm
    rsrsrs