Fluminense 2 x 3 Duque de Caxias

por Mauro Beting em 06.fev.2009 às 12:42h

nota do blogueiro – Por motivos alheios à minha vontade, o blog ficou desatualizado desde a madrugada de quinta-feira. Peço desculpas pelas ausências de notas sobre os demais jogos e campeonato.

A Taça Guanabara tricolor tem sido ruim. Mas num dia de alegria com o retorno de Thiago Neves, dá para perder de virada nos minutos finais para o Duque de Caxias?

E numa noite em que Roger faz dois gols!??!

MELHOR ESCREVE ANDRÉ ROCHA

http://blogs.abril.com.br/futebolearte

Depois de tudo dar certo no primeiro tempo, com Jaílton se destacando na marcação e até Roger desencantando com dois gols, o Flu exagerou no freio de mão – talvez pensando no clássico de domingo contra o Vasco e na reestréia de Thiago Neves – e, com o relaxamento, as substituições infelizes de René e o incrível poder de reação do Duque de Caxias, permitiu uma virada simplesmente inacreditável no Estádio Los Larios.

O Tricolor sobrou no primeiro tempo pela boa coordenação do meio-campo com Diguinho, Leandro Bonfim e Conca e o apoio dos laterais, especialmente Wellington Monteiro pela direita. O time envolvia o adversário com extrema facilidade e criava as oportunidades como se estivesse disputando um coletivo. Além dos gols de Roger, em assistências de Conca e Leandro Bonfim (este em cobrança de escanteio), Leandro Amaral teve a chance de encerrar o jejum de gols na sua volta ao Flu, mas na primeira chance o atacante até marcou, mas estava impedido, e depois errou o alvo. O fim do primeiro tempo veio com a sensação de que a goleada seria inevitável.

O Flu voltou mais preocupado com a volta da chuva e não prestou atenção na mexida do treinador Toninho Barroso. Anderson, ex-atacante vascaíno que substituiu Edivaldo, apesar das sérias limitações técnicas, deu mais presença de área ao ataque do time da Baixada Fluminense, que passou a ameaçar mais a meta de Fernando Henrique.

A entrada de Tartá foi uma decisão acertada de René, mas não no lugar de Conca, ainda mais se considerarmos que a troca de Leandros (Bonfim pelo Domingues) já era esperada, por conta dos problemas físicos do meia titular e do campo pesado. O meio-campo do Flu perdeu o bom toque e o poder de marcação e o time foi definhando e enchendo o oponente de coragem. O gol de Geovani em cobrança de pênalti sobre Renatinho aos 30 foi a senha para o Duque de Caxias armar a “blitz” nos minutos finais.

O empate no gol de cabeça do zagueiro Henrique aos 42 acordou o Flu de sua letargia e Leandro Amaral marcou no minuto seguinte, mas estava novamente em claro impedimento. Aos 48, em contragolpe rápido armado após rebote do escanteio, Deni, ex-atacante do Nova Iguaçu e Flamengo, passou como quis por Wellington Monteiro, que falhou também na origem do lance, e marcou um golaço.

A derrota inesperada em Xerém, local que normalmente lembra as ótimas revelações do clube, fez estragos no ânimo do time das Laranjeiras: esfriou o clima de euforia pela chegada do velho/novo reforço, colocou pressão nos jogadores para o primeiro clássico do Estadual e deu ao Vasco a vantagem do empate para tirar um grande da semifinal da Taça Guanabara.

ESCREVEU ANDRÉ ROCHA

Tags:

  • Fred Vasconcellos

    Grande Mauro…

    O que não pode é o René inventar o Wellington Monteiro na lateral…pq não experimentar o Mariano, lateral de origem e bom jogador?? Edcarlos é lento, mas o Luiz Alberto ainda não enxergou isso e ainda pensa que Thiago Silva está ali (corria pelos 2). Alguém viu o Leandro na lateral esquerda??

    Jailton eu não comento, simplesmente desisto!! Diguinho não lembra o jogador voluntarioso do Botafogo…Conca e Leandro Bonfim conseguiram se salvar…

    Leandro Amaral só joga pelo nome…o futebol?? esqueceu em algum lugar…Roger é esforçado…e só !!

    René ainda tem crédito, mas….até quando?? Futebol é resultado…

  • Leonardo

    Duque de Caxias tem um time bom e vai surpreender muita gente na Série B.

  • http://denitricolor DENILSON DE SOUZA SILVA

    como o nome pode pesar tanto no futebol ,mesmo sendo muito bom jogador Thiago neves nem bem chegou e já é titular, mesmo sem saber suas reais condições o treinador já escalou ele para classico contra o vasco e o tartá que vem sendo jogando melhor jogador desde começo de ano continua no banco ,sendo preparado ,prepado para ser vendido por que não da pra intendeder todo treinador que chega fala que ele está sendo lápidado como pode um jogador que já jogou até libertadores ser inesperiente ,quando ele tiver pronto você me avisa Renê.