Fluminense 3 x 0 Resende

por Mauro Beting em 01.fev.2009 às 15:58h

ESCREVE ANDRÉ ROCHA

http://blogs.abril.com.br/futebolearte

O Fluminense lutou contra as escolhas equivocadas de seu treinador na montagem da equipe e de (mais) uma arbitragem confusa, especialmente na etapa inicial, e, com fibra e a colaboração dos jovens Tartá e Maicon, alcançou sua primeira vitória no Cariocão.

René Simões foi na contramão da tendência atual de escalar volantes que saiam para o jogo e plantou Jaílton e Fabinho à frente da zaga. Fez lembrar os meados dos anos 90, nas primeiras tentativas dos treinadores de liberarem seus laterais colocando dois marcadores no meio-campo para cobri-los. Ainda que o Flu realmente precise de proteção para sua defesa, colocar dois “cães-de-guarda” não parece a solução ideal. Pior: os laterais continuaram apoiando alternadamente e Leandro Bonfim, estreando oficialmente no Tricolor depois da recuperação parcial da diferença muscular de suas coxas, recuava muito para tentar iniciar as jogadas.

Sem inspiração no ataque, o Fluminense ainda foi prejudicado aos 26 minutos pela absurda expulsão de Fabinho por conta do segundo cartão amarelo, em um equívoco inacreditável do árbitro Luís Antônio Silva dos Santos, já que a falta foi cometida pelo lateral Leandro. Os jogadores, transtornados com a arbitragem – eles também reclamaram de um toque de mão intencional de Fabiano na área que pareceu lance normal – se perderam ainda mais em campo e o Resende quase abriu o placar no último lance do primeiro tempo, com o atacante Léo perdendo gol feito.

No segundo tempo, o Tricolor voltou mais atento à partida e cresceu ainda mais de produção após a entrada de Tartá na vaga de Leandro Amaral. Ainda que a melhor opção fosse a saída de Roger, o time de René Simões ganhou velocidade na frente. E três minutos após a justa expulsão de Bruno Leite, Luis Alberto abriu o placar. Dois minutos depois, Tartá armou um salseiro pela esquerda e tocou para Roger, que bateu forte e, no rebote, o garoto Maicon, que havia substituído Wellington Monteiro e atuou como um ala-ponta pela direita, ampliou. Aos 34, com o temporal desabando no Maracanã, Leandro Bonfim acertou bela cobrança de falta e definiu o placar.

ESCREVEU ANDRÉ ROCHA

(http://blogs.abril.com.br/futebolearte)

Tags: