Flamengo e Botafogo vencem

por Mauro Beting em 30.jan.2009 às 13:40h

O Flamengo ainda não engrenou, mas segue 100%. O duro é que em vez de se comentar o que deve ser feito para melhorar a equipe, o debate é sobre como salvar a arbitragem. Por contigência, tem beneficiado o Flamengo. Mas, de fato, tem prejudicado o futebol como um tudo. Sem margens e esperanças para melhora num oceano de mediocridades.

Mal vi o Botafogo. Mas esse é um time que só será realmente conhecido para mais de mês.

ESCREVE ANDRÉ ROCHA

http://blogs.abril.com.br/futebolearte

Bangu 1X2 Flamengo – Difícil analisar a partida sem citar a péssima arbitragem comandada por Djalma Beltrani. O Fla, novamente beneficiado (o pênalti em Maxi que resultou no gol de empate não existiu e foi o equívoco mais relevante, entre tantos outros, para ambos os lados), teve dois tempos distintos: no primeiro, organização defensiva, mas pouco poder de fogo, com exceção do pênalti perdido por Obina e da jogada antológica do folclórico atacante do Fla dentro da área adversária; no segundo, defesa escancarada e desatenta, como no gol de Rafael Soeiro (outro lance duvidoso), mas um ataque mais incisivo, com Maxi e Everton abertos pelos lados, Marcelinho Paraíba chegando de trás e Ibson mais participativo. A virada nos últimos cinco minutos foi justa pela coragem rubro-negra e a pouca ambição de um Bangu redivivo, que pode render na frente com Somália e Bruno Luiz. Mas o Flamengo, que não deve ter Juan para a próxima rodada, não precisava contar mais uma vez com os erros de um trio de árbitros tão incompetente;

Botafogo 1X0 Macaé – A chuva de verão e o gramado pesado do Engenhão atrapalharam demais o Alvinegro em sua estréia dentro de casa no Estadual. Menos mal que o gol saiu cedo, logo aos seis minutos, em passe de Léo Silva e conclusão de Victor Simões. O Macaé do técnico Dário Lourenço até tentou ameaçar, mas Renan apareceu bem e fez boas defesas, a melhor em conclusão de Jackson. Ney Franco, vendo sua equipe definhar ainda na primeira etapa, pelo esforço de jogar em um campo molhado, reforçou o meio-campo com Túlio Souza e Batista substituindo Diego e Léo Silva, e adiantou Lucas Silva para encostar em Victor Simões. Maicossuel desta vez não se destacou e o Bota jogou apenas para o gasto, confirmando os 100% de aproveitamento, só ficando atrás do Flamengo no Grupo B pelo maior número de cartões amarelos (9 a 4).

ESCREVEU ANDRÉ ROCHA

Tags:

  • Fred Abreu

    Sou obrigado a discordar de você, André. Se o flamengo foi beneficiado pelo pênalti duvidoso no Maxi, o bangu também foi beneficiado no seu gol. O Somália estava claramente impedido quando tocou na bola depois da rebatida na trave. Depois os dois times tiveram gols legítimos anulados. A arbitragem foi péssima, mas, dessa vez, em erros ficou empatado.

  • Bruno Dam

    Concordo que o Flamengo foi beneficiado pela má arbitragem no primeiro jogo. Agora, discordo quando você diz que o mesmo ocorreu neste último jogo. O Flamengo seria o prejudicado se não tivesse virado a partida. Vejamos:

    – O juiz não expulsou o jogador do Bangu que agrediu o Airton logo no começo do jogo;
    – O primeiro gol do Bangu, o Somália estava impedido;
    – O segundo gol do Flamengo foi anulado, mas o Everton não estava impedido;
    – O lance do pênalti do Maxi é discutível, como também é o segundo gol do Bangu. É o típico lance que o juiz pode ou não dar o pênalti que não haverá um consenso se foi pênalti ou não. Até mesmo os jornalistas ficaram divididos se houve pênalti ou não;

    Não houve favorecimento algum para o Flamengo, que poderia até sair prejudicado. O que se deve pegar deste jogo e dos outros jogos do futebol carioca é que a arbitragem está horrível e que deve fazer algo urgentemente.