logo lance
undo
Nacionais
Internacionais

BlogsL!

Colunistas

2 Pontos

por Rodrigo Borges e Fabio Chiorino

Blog da L!TV

Vídeos

Blog do Baldini

por Wilson Baldini

Blog do Bechler

por Marcelo Bechler

Blog do Kfouri

por André Kfouri

Blog do Garone

por André Schmidt

Blog do Gui Gomes

por Guilherme Gomes

Blog do Guilherme de Paula

por Guilherme de Paula

Blog do Janca

por João Carlos Assumpção

Blog do Mansell

por Eduardo Mansell

Blog do Marra

por Mário Marra

Blog do Salata

por Thiago Salata

Blog do Tironi

por Eduardo Tironi

Bulla na Rede

por Rafael Bullara

Crônicas do Morumbi

por Ricardo Flaitt

De Prima

por Fábio Suzuki e Igor Siqueira

Em Cima do Lance

por Bernardo Cruz e Igor Siqueira

Fora de Campo

O dia-a-dia dos atletas

Futebol & Ficção

por Valdomiro Neto

Futebol na Terrinha

por Thiago Correia

Gol de Canela FC

por Jonathan Oliveira

Humor Esportivo

Trollagem e zoação

Laguna Olímpico

por Marcelo Laguna

Lance! Livre

por Lucas Pastore

Made in USA

por Thiago Perdigão

Marketing & Economia da Bola

por Amir Somoggi

Números da Bola

por André Schmidt

O Mundo é Uma Bola

por Leonardo Pereira e Luiza Sá

Papo com Boleiro

por Luiz Otávio Abrantes

Planeta Fut

por Luiz Augusto Veloso

Press Start

por Lazlo Dalfovo e Pedro Scapin

Quem Não Sonhou?

por Gabriel Carneiro

Saque

por Daniel Bortoletto

Segunda Pele

por Leonardo Martins, Rafael Bullara e Vinícius Perazzini

Super-Raio X

por Alexandre Guariglia

Tênis

por Fabrizio Gallas

Clubes

Doentes

Que Roberto dinamite o bunker | Blog Mauro Beting
logo lance
undo
Nacionais
Internacionais

BlogsL!

Colunistas

2 Pontos

por Rodrigo Borges e Fabio Chiorino

Blog da L!TV

Vídeos

Blog do Baldini

por Wilson Baldini

Blog do Bechler

por Marcelo Bechler

Blog do Kfouri

por André Kfouri

Blog do Garone

por André Schmidt

Blog do Gui Gomes

por Guilherme Gomes

Blog do Guilherme de Paula

por Guilherme de Paula

Blog do Janca

por João Carlos Assumpção

Blog do Mansell

por Eduardo Mansell

Blog do Marra

por Mário Marra

Blog do Salata

por Thiago Salata

Blog do Tironi

por Eduardo Tironi

Bulla na Rede

por Rafael Bullara

Crônicas do Morumbi

por Ricardo Flaitt

De Prima

por Fábio Suzuki e Igor Siqueira

Em Cima do Lance

por Bernardo Cruz e Igor Siqueira

Fora de Campo

O dia-a-dia dos atletas

Futebol & Ficção

por Valdomiro Neto

Futebol na Terrinha

por Thiago Correia

Gol de Canela FC

por Jonathan Oliveira

Humor Esportivo

Trollagem e zoação

Laguna Olímpico

por Marcelo Laguna

Lance! Livre

por Lucas Pastore

Made in USA

por Thiago Perdigão

Marketing & Economia da Bola

por Amir Somoggi

Números da Bola

por André Schmidt

O Mundo é Uma Bola

por Leonardo Pereira e Luiza Sá

Papo com Boleiro

por Luiz Otávio Abrantes

Planeta Fut

por Luiz Augusto Veloso

Press Start

por Lazlo Dalfovo e Pedro Scapin

Quem Não Sonhou?

por Gabriel Carneiro

Saque

por Daniel Bortoletto

Segunda Pele

por Leonardo Martins, Rafael Bullara e Vinícius Perazzini

Super-Raio X

por Alexandre Guariglia

Tênis

por Fabrizio Gallas

Clubes

Doentes


Que Roberto dinamite o bunker

por Mauro Beting em 01.jul.2008 às 12:26h



Mandando no futebol vascaíno (e, por vezes, desmandando até no fluminense e brasileiro), Eurico Miranda ganhou sete estaduais.
Foi três vezes campeão brasileiro.
Foi campeão da Libertadores.
Foi campeão da Mercosul.
Foi vice-campeão mundial duas vezes.

Montou grandes times.
Mas desmontou uma belíssima história de amor, respeito e democracia.

Posso dizer de coração. Tinha afinidade histórica com o Vasco. Admirava o primeiro grande carioca a aceitar negros, em 1923. O título sul-americano de 1948, o Expresso da Vitória, o próprio Dinamite, os grandes times do Vasco nos últimos 30 anos.

Mas como aceitar e tolerar o intolerante e intolerável Eurico?
Ele conseguiu criar no país um sentimento antivascaíno por tudo que armou e desarrumou no futebol em nome.

Eurico transformou o CRVG em Clube de Regatas Eurico Miranda. Um poço sem fundo e sem fundos de um posseiro despossuído de equilíbrio e convivência democrática.

Não sei se Dinamite será um bom presidente.
Mas sei que não há nome melhor para fazer o melhor para o Vasco.

É assim a democracia.
Algo que não existia em São Januário.

  • borracho

    tirei o chapeu para vc mauro falo tudo… o gremio foi muito prejudico e so vc conseguiu ver isso..

    junto com ledio melhores blogs do brasil

  • gui

    muito bom q vc tenha lembrado q o eurico ja mandou no fluminense.
    chamava de time de segunda divisao e obrigava o horta a pedir desculpas ainda!
    isso eh pra vcs tricoletes, saberem o quanto eh humilhante torcer para esse time de vcs!

    e o dinamite vai apenas dinamitar de vez o vasco, que vai acabar na segundona!

    Meeeeeeeeeeeeeeeeengo! uhuuuuuuuuuu LDU!

  • Ronaldo

    Mauro, muito boa a coluna. Qualquer forma de enxotar a imagem do funesto dirigente merece aplausos. Entretanto, gostaria de chamar sua atenção para os fatos, descritos no livro “O vermelho e o negro” de Ruy Castro, em que o celebrado autor desmitifica este papo de que o Vasco foi o primeiro clube a aceitar negros. Aliás, corrijo, demonstra que foi sim, o primeiro a aceitar negros, mas não por ser um time a frente de seu tempo, a combater o preconceito racial,mas simplesmente por que na época do amadorismo, os ricos portugueses, proprietários de armazéns e outras casas comerciais contratavam negros bons de bola para “trabalhar” em seus empórios e comércios, mas na verdade os remuneravam para jogar futebol pelo Vasco. Como os demais times eram formados por pessoas que tinham outras atividades e que apenas treinavam nos momentos de lazer – pois foi como forma de lazer que as agremiações esportivas surgiram – a vantagem do Vasco com seus “amadores” era gritante. Tanto quem em 1923, o Vasco só não foi campeão de forma invicta por que na semana de um Flamengo e Vasco o jogadores do Mengo fizeram um pacto de concetrar-se totalmente na disputa do jogo, abrindo mão de suas atividades cotidianas para impedir o triunfo cruzmaltino. O resultado foi 3×2 para o Fla, e o Vasco foi campeão,mas, como dito acima, não de forma invicta. Portanto, embora tenha sido o primeiro a aceitar negros, o Vasco não tomou tal atitude calcado em um antecipado despertar de conciência social, mas apenas visando seus próprios interesses, fraudando de forma clara o espírito que movia os clubes na época do amadorismo, que era a disputa entre atletas não profissionais.

  • João Ribeiro

    Vocês criticam tanto o Eurico, mas por quer não fazem a mesma campanha contra Ricardo Teixeira, Andre Sanches, Mustafa, e outros dirigentes pior que ele. Acho que não tem dirigente mais vencedor num clube que Eurico Miranda.
    Ve se conseguem tirar Ricardo Teixeira da CBF antes de 2014
    Tem imprensa, ou outro orgão que consegue, Nem Lula que faz Parte da Cupala, dando dinheiro a vontade para comite Olimpico e outras coisas mais

  • Luiz Antonio

    Mauro qualquer dia comente sobre os dirigentes de outros clubes que podem ir pelo caminho do Eurico, eu destaco os irmãos Metrlhas(Perrelas) que dirigem o Cruzeiro faz muitos anos, conseguiram grandes glórias, mas estão implodindo o clube.

  • Leo

    Vou repetir o que disse em outro blog, sobre meu sentimento vascaíno. No sábado, o Rio amanheceu vascaíno como não se via há muito tempo. Crianças, adultos e idosos vestindo o manto cruzmaltino com orgulho. Tudo bem, alguns podem dizer que não vai dar certo mas mudar de vez em quando é bom. Precisávamos de algo que esse comando não nos dava mais: Esperança. Como vai ser o futuro? Ninguém sabe. É, a liberdade tem seu preço. Liberdade ? Como é isso ? Bom, acho que a partir de terça eu começo a aprender o significado.

  • João Koatz Miragaya

    Parabéns, Mauro!

    Muito bom o texto!

  • International Vasco 48 53 57 98 2000

    Gostei do texto, Mauro. O Vascão conseguiu finalmente sua carta de alforria. Os conselheiros assinaram a LEI ÁUREA e nos libertaram do feitor Eurico, que , aos poucos, ia acabando com as forças do Gigante da Colina. Graças a Deus deixamos de ser uma Monarquia Absolutista de um rei que parecia ter mandato e poder vitalícios, e nos tornamos uma Democracia, com nosso Presidente da República Roberto Dinamite . Só falta mandar o Eurico para a guilhotina ( hahahahhahahhahhahahahahhaah ) . Pensando bem, não sejamos iguais a ele . Vasco é Paz! Boa Sorte, Presidente Roberto !!!!!!!!!!!!!!!

  • marcelo

    Eu, como torcedor do querido Vasco, venho parabenizá-lo pelos textos e comentários que você sempre fez do Vasco, mas nós torcedores não queremos saber de democracia, de aristrocacia(fluzinho), de presidencialismo, nós torcedores queremos saber de títulos e montagens de grandes times, o resto é conversa fiada para boi dormir.
    Sobre o Ruy Castro, esse escritor que nem suas raízes(Caratinga-MG) leva em consideração, o que ele escreve não deve ser levado em consideração.
    Saudações Cruzmaltinas.
    Marcelo-MG

  • CAMPEÃO DO SECULO XX

    Mauro, porquê quando o intolerável Mustafá saiu do Palmeiras a imprensa não destacou as suas glorias também, como tá fazendo com o vasquinho e como fez com o curintia de Dualib??? Porquê tanta perseguição com o nosso Verdão, caro Mauro?? Será que nem você, palestrino de origem e família, não é capaz de nos defender ou pelo menos falar a verdade sobre a nossa história?? Se enaltecem verdadeiros cancers para o futebol como Eurico, Dualib, porque esses caras, mesmo com o que falam ainda é pouco, ganharam titulos porque tinham que ganhar, assim como Mustafá ganhou variosssss no Palmeiras, acredito que muito mais que os dois aí, afinal a década de 90 foi toda verde e o presidente era o seu Mustafá Contursi, outro câncer do futebol, mas que a imprensa não gosta de falar do que ele ganhou no Palmeiras, exatamente por isso, por ser presidente do clube mais invejado e odiado da imprensa brasileira, o campeão do seculo xx, o 4 vezes campeão brasileiro(tirando os outros 4, antes de 71, robertão e taça-brasil), campeão da libertadores, copa do brasil, mercosul, copa dos campeões, 5 rio-são paulo, 22 vezes campeão paulista:PALMEIRAS!!!!

  • JC

    Caro ronaldo,
    Esqueceu para que mal o ruy castro torce? Só isso já bastaria para saber que a história do Vasco seria distorcida!
    A inveja é a mais eficaz arma dos incompetentes!
    O ronaldo, vai caçar traveco!!!

  • Ronaldo

    Jc e Marcelo – seja o Ruy Castro flamenguista ou não – e eu sei que ele é – não é tal circunstÂncia que desqualifica as informações que ele colocou no livro e este é o único “argumento” que vcs apresentam. Se vcs não concordam, provem o contrário, pois agredir quem diz o que a gente acha inconveniente é uma atitude típica de seguidores de Eurico Miranda. Pelo visto ele foi embora mas deixou raízes. Entretanto, Ruy Castro não é o único que afirma isso, é só o mais famoso.

  • Leo

    Ficar falando no passado é bobagem. O que passou, passou. O que importa para o Vasco é o daqui pra frente, pra que se prender no passado. É a mesma coisa falar de como o Flamengo surgiu. O Flamengo surgiu do Fluminense. Jogadores do Fluminense abandonaram o clube e criaram o Flamengo. O que importa isso hoje ? Vamos torcer para que o melhor aconteça ao futuro do Vasco.

  • minha narração

    Saiu a bola, gooool da LDU! O Flu vai pro ataque, gooool da LDU! Lá vai Guerrón, goooool da LDU! Os tricoletes choram, gooool da LDU! Já é amanhã, goooool da LDU! Vai voltar para a Segunda, gooool da LDU!!!

  • Matheus

    Mauro, sou seu fã… Assisti algumas entrevistas suas com o editor da revista Placar, Sérgio Xavier e gostaria que da próxima vez que estiver com ele, perguntasse-lhe a respeito da falta de coerência da revista ao reconhecer os títulos da copa toyota e intercontinental como mundiais e não incluyir a Copa Rio de 1951 no ranking dos clubes (no caso nas conquistas do Palmeiras). A Fifa em seu site inclui a Copa Rio 1951 entre as principais conquistas do clube. Até pode-se adimitir o fato de Placar não considerar tal competição – Copa Rio- como mundial, mas não pode simplesmente ignorá-la como se fosse um mero torneio amistoso. Poderia ao menos incluir na ficha do verdão (1 Mundialito (Copa RIo)), sei lá… mas ao menos considerar a conquista e atribuir alguma pontuação a ela, visto que foi uma competição organizada pela CBF, que reunia alguns dos melhores times do mundo e com aval da Fifa na época. Não é justo considerar a Copa Toyota (popularmente chamada “Taça Jipe”) de um jogo só de “MUndial interclubes” e a Copa RIo, não ser também considerada… Por favor, como grande jornalista, imparcial, defensor da isonomia e, também, como palmeirense, você tem credibilidade para contestar e ajudar a retificar tal injustiça com o Verdão. Agradeço a atenção e aguardo resposta. Abraço!!!
    Matheus