Sport Clube do Pernambuco

por Mauro Beting em 12.jun.2008 às 13:30h



ESCREVE WAGNER SARMENTO
Repórter do Jornal do Commercio


Havia um outro Brasil além daquele que os holofotes teimavam em propalar.

Uma nação escondida, no coração do país. Havia um outro Nordeste além daquele que ostenta o maior nível de pobreza entre as regiões e abriga as 150 cidades brasileiras com maior taxa de desnutrição. Havia um outro Pernambuco além daquele que é o antepenúltimo nacional em mortalidade infantil e cujos policiais militares agem como sobreforça. Havia um outro Recife além daquele que encabeça os rankings de violência.

Havia uma capital do futebol perdida. Uma Atlântida da bola ora descoberta. Uma Ilha.

Havia o Sport, e não importava quem viesse.

Não havia Palmeiras, Internacional, Vasco da Gama. Restava o Corinthians.
Havia esperança e, com ela, um povo inteiro. Não era só uma partida de futebol. A dignidade estava em jogo. O orgulho de uma gente ferida. A sede de vitória de um povo acostumado a sorrir com pouco, chorar por muito e ser feliz por nada.

Havia um estado que se pintou de vermelho e preto. Duas cores que deram o tom de uma união impossível de se imaginar. Havia Náutico, Santa Cruz e Sport, mas pareciam um só. “Ah, é Pernambuco”, e um novo time se formava.

Muito pelo clima de tensão criado depois do duelo entre Timbu e Botafogo, em que os pernambucanos se viram reféns de acusações sulistas relativas à falta de segurança nos estádios e destempero policial.
Situação agravada pela reclamação corintiana de que faltavam ingressos para a torcida alvinegra – embora, no fim das contas, toda a Fiel tenha conseguido entrar em campo.

Havia uma atmosfera fervente que propiciou o abraço entre rivais. Havia um só sentimento. Pernambuco.

Havia um sonho. Hoje, é a realidade que existe.

Incontestável realidade que acolhe o Sport Club do Recife como campeão da Copa do Brasil. Não só pela campanha irretocável. Não só pelo futebol pragmático e lutador. Não só pelo arrojo de Nelsinho Batista, a predestinação de Carlinhos Bala, a impetuosidade de Luciano Henrique, a entrega de Sandro Goiano, a eficiência de Daniel Paulista, a liderança de Durval, a impermeabilidade de Magrão, a transpiração de Dutra. Havia mais que nomes. Havia mais que 11. Havia mais que 34 mil corações.

Havia um Brasil, e ele é rubro-negro.

ESCREVEU WAGNER SARMENTO

  • Fernando Alencar

    SPORT! SPORT! SPORT!

    PARABÉNS PELO EXCELENTE TEXTO, DE EMOCIONAR.

    AH É PERNAMBUCO!!!

  • Eduardo Carvalho

    Maravilhoso, FANTÁSTICO!!!!

  • pedro

    Parabéns ao Sport! Justiça foi feita, o brasil não é só São Paulo, inclusive São Paulo é mais nordestino que paulista!
    Chora Corinthians nojento.

  • EMERSON GONÇALVES

    Sempre acompanho o LANCE! pela net, leio as notícas e comentários, sobretudo os do mu VASCÃO. Entretanto, nunca tinha deixado nenhum comentário, mas, ao ler este post nao poderia deixar de fazê-lo. por sua excelência. Trata-se de um texto maravilhoso, bem escrito, que ultrapassa as barreiras de um comentário sobre um jogo de futebol (habitualmente pobres e repetitivos). Apesar de não ser torcedor do Sport, que por sinal eliminou o meu VASCO, gostaria de parabenizar o LANCE!, o Beting e, sobretudo, o Wagner Sarmento pelas palabvras dignas de aplausos.
    Abraço.

  • Paulo Taciano

    Lindo texto, perfeito, você souve interpretar com precisão o nosso sentimento, com imparcialidade, justiça e com a sensibilidade de um poeta, parabéns Mauro beting, vc é o mais equilibrado jornalista esportivo do Brasil.

  • Carlos Bueno

    Postando o mesmo comentário outra vez, é que não consigo conter tanta alegria. Bola com Bala, Bala chuta a Bola e GOOOOOOOOOLLLLLLLLL. Foi com Bala que tudo começou, Sport 1×0. Corinthians abatido a Bala!!! E olha que nem foi Bala perdida, foi Bola perdida. O segundo gol foi só para fazer justiça e restabelecer a verdade, título da Copa do Brasil fica na primeira divisão. O Mano, nome mais que apropriado para técnico do Corinthians, é ou não é mano? Bem o Mano até que tentou com um Saci fajuto. Saci de duas pernas só no Corinthians mesmo, pior pro “TIMÃO”, se ele fosse como os outros Sacis com que perna ele iria se apoiar para pisar no Bala. Olha o Bala ai de novo gente!!!! O Corinthians se vangloria por ter a maior torcida, mas o futebol já faz parte da vida do Brasileiro e na vida é assim mesmo, alegrias são para poucos. Aliás, se os torcedores do SEM CAMPO soubessem o quanto é gostoso gozar corintiano, mesmo que por um dia, torceriam para Santos, São Paulo ou Palmeiras, só para sentirem esse gostinho. O sonho de ser um mero figurante na Libertadores em 2009 acabou mas, como o sonho é livre, sonhem com 2010. AH Corinthians! se você não existisse precisaria ser inventado, como iríamos viver sem ter contra quem torcer! Futebol sem Corinthians seria como circo sem palhaço, não teria a menor graça, afinal o Corinthians está para o futebol assim como o palhaço está para o circo. ESSE TIME SÓ ME DA ALEGRIAS. Nelsinho Batista, você está perdoado por um dia ter feito meu time perder de sete para o SEM CAMPO, afinal já se redimiu. Ajudou e muito na ida do curintia para segunda divisão e ontem acabou com o sonho desse timinho. Obrigado Nelsinho, espero que continue por muito tempo no Sport, mas por muito tempo mesmo, afinal não quero correr o risco de ver você voltar para o Santos, pelo menos não enquanto eu for vivo. Ai é seu lugar.

  • julio

    mauro irei perguntar a você e ao pvc o que vocês acharam do video do luciano do vale criticando a midia paulista?

  • André Maciel

    Perfeito o texto.

  • André Rocha

    E o mais legal é que o Wagner é Timbu. Mais um belo texto, Armando Nogueira da “Doentes por Futebol”.

  • Inaldson Pernambuco de Melo

    Nasci em 74 e apenas agora vejo investimentos capazes de amenizar toda essa pobreza que todos vcs “ouviram falar” e todos nós vemos diariamente, pq será? Esquecer é impossível! Ainda bem que temos o futebol pra amenizar o sofrimento de nossa gente e finalmente alguém no poder com intuito de diminuir essa diferenca brutal. Viva o Brasil, viva o nordeste, viva pernambuco e pelo Sport tudo!

  • Felipe

    É isso ai. Por mais que seja torcedor do Sport, sei das limitações que meu time carrega na história do futebol brasileiro. Ganhamos apenas um titulo Brasileiro, e agora outro titulo de expressão nacional. Enquanto por exemplo o tricolor paulista, estampa na camisa, um 5-3-3. Mas, também sei, que com a força do povo Pernambucano, a nova diretoria, o $$ circulando lá dentro, que podemos em alguns anos chegar mais e mais longe. E conquistar aos poucos o status de verdadeiro time “grande” do Brasil. Esperaremos agora a Libertadores do próximo ano. E não queremos ser mero figurantes. Talvez se conquistamos um titulo desse no próximo ano, ganharemos mais respeito da mídia brasileira. Abraço à todos, saudações rubro-negras.

  • Ana

    O resultado foi LÓGICO: O Time da Primeira Divisão derrotou o Time da Segunda Divisão. A isso dá-se o nome de- LÓGICA!

  • Tricolor SP

    Ótimo Texto!! Acho que a mídia precisa ter mais artigos como esses. Principalmente o programa Jogo Aberto da Bandeirantes, que virou um programa de coritianos. Comentaristas que já se destacaram outras épocas mas que infelizmente deixou o profissionalismo de lado para vestir apenas uma camisa. PARABÉNS WAGNER SARMENTO!!

  • João

    Para o bem da verdade. Quem não é de Pernambuco deve tá achando lindo o que o repórter escreveu. Mas ele escreveu para o texto ficar bonitinho, emocionante. Não é verdade que torcedores rivais se uniram ao Sport. Isto é a maior das mentiras. Nunca ouvi tantos fogos em Pernambuco quando o Corintinhas meteu 3 x 1 no Sport. Pesquisa de um programa de televisão mostrou que 94% dos tricolores e alvirubros estavam torcendo contra o Sport. É assim mesmo. Em qualquer canto do País. O que existe é a mídica querendo fazer matéria bonitinha. Não existe isso de “Ah é Pernambuco”. Essa é uma mentira deslavada. Wagner, infelizmente, caiu no apelo da mídia. É preciso passar essa imagem ao Brasil. Não. Não precisa entender de futebol para saber que torcedores do Santa e do Náutico não torceram para o Sport. Precisa saber apenas um pouco da realidade da cidade.

  • antonio jeorge

    Simplesmente, chorei. Chorei ao ler o brilhante texto de Sarmento. Sou rubro-negro, pernambucano, e fiquei horrorizado com os destemperos verbais dos comentaristas esportivos do Sudeste. Haja tanta discriminação!!!Chega. Quero registrar o meu repúdio contra NETO (aquele gordinho, ex-jogador do Corinthians, que a única coisa que fazia era cobrar falta), PAULO MORSA (parcial e burro) e Osmar de Oliveira (parcial, burro, que discriminou a nós todos, recifenses, e que leu uma coluna de um jornalista que ninguém sabe quem é aqui no Recife, para inflamar a torcida e os jogadores corintianos-sua tática não deu certo). Estou ansioso para ouvir os comentários desses caras nos programas. Já sei, vão dizer que Acosta sofreu pênalti, como disse o gordinho NETO. Desculpas de perdedor não serão poucas. Estou ansioso pra ver o programa de Vanucci, na rede tv!, composto por torcedores do Corunthians-inclusive com o chato mor, Ronaldo (lembram?). A vitória não foi simplesmente a do Sport contra o Corinthians. Foi a vitória de Pernambuco contra São Paulo, do Sport contra a mídia do Sudfeste, especialmente a paulista. VALEU SPORT, VALEU PERNAMBUCO, VALEU RECIFE. CHEGA DE SEPARATISMO, DISCRIMINAÇÃO, DESFAÇATEZ.

  • AUGUSTO SAMPAIO

    Passam das 20:00hs deste dia 12 e vagueando por tudo quanto é de blog (PVC, JUCA KFOURI, BIRNER, etc) cheguei até aqui e, sinceramente, me emocionei. AH, É PERNAMBUCO. Adorei o que escreveu WAGNER SARMENTO. Parabéns. UM ABRAÇO A TODOS PERNAMBUC]ANOS E NORDESTINOS. Não sou bairrista e acho que a vanguarda do Brasil em termos de economia, politica e cultura está em São Paulo e no Rio, mas é lamentável como certos veículos de imprensa e alguns idiotas que tem uso da palavra na tv (Neto e companhia) dizem besteiras e acirram o clima entre as torcidas. De toda sorte, Wagner, seu texto é um primor e consola a minha alma rubro-negra, que, de tão feliz, até sente uma ponta de tristeza porque sabe da efêmeridade das coisas da vida.

  • AQUI É CORINTHIANS!

    O JUCA KFOURI É UM BABACA! Ele é cheio de falar de direitos humanos, de liberdade de expressão… Só que ele quer censurar a indignação dos corinthianos com tudo o que fizeram com o Timão no Recife! O QUE FIZERAM COM O CORINTHIANS FOI MUITA SAFADEZA! Criaram um clima de guerra para receber o Corinthians como nunca se viu neste país! Era para aparecer meia dúzia de corinthiano só para ser esculachado, só que apareceram 5 MIL sem ingresso, e aí o povo daquela terra ficou assustado! Teve que entrar até o governador e o Ministério Público na história, porque eles viram que ia dar merda! Aí, dentro do campo puseram AQUELE SAFADO DO ALÍCIO PENA JUNIOR, que está prejudicando o Corinthians não é de hoje, e o cara operou a seco! Meteu a mão na cara dura, de novo! Amarrou o time, não deixou o Herrera jogar, deixou os caras baterem, inventou impedimento, não ddeu um pênalti escandaloso no Acosta e DEU O TÍTULO PRO SPORT! O Mano tem razão: se eles precisassem ganhar de 3×0, 4×0, 8×0, eles tinham ganho, na marra! A imprensa não quer nem saber, fala que foi justo, os anticorinthianos ficam zoando, E O BABACA DO JUCA KFOURI QUER QUE O CORINTHIANO FIQUE QUIETO? O CORINTHIANO TEM QUE MOSTRAR A SUA REVOLTA! PARA QUE A SUA DIRETORIA SE MEXA E PARA QUE AQUELA POUCA VERGONHA QUE ACONTECEU NO RECIFE NUNCA MAIS SE REPITA!

  • Paulo

    Corinthianos… Seu time ainda é grande! Abandonem as reclamações, cheias de requalques e máguas e admitam a superioridade da campanha do Sport Recife. Vejam como vocês chegaram e como eles chegaram… Tivemos erros de arbitragem prejudicando os dois lados… O segundo gol de vocês, aqui no Morumbi, foi totalmente irregular… Saiam da favela… Sejam realmente humildes… Este ano, não dava… Ou não admitem que o Saci pisou na bola e num colega de profissão caído e o Felipe comeu um frangão? Em 2005, vocês conquistaram o mais sujo campeonato brasileiro que se tem notícia e com um esquema de arbitragem que apesar de denunciado, deveria mandá-los diretamente para a série C (se este não fôsse o país do Lula e do eterno jeitinho). A Fiel sabe que é a mais nordestina torcida do país. Pode se orgulhar agora, de não ter metido a mão no Sport, como muito de seus apaixonados torcedores gostariam que tivesse acontecido. O destino de vocês, é torcer pro Manchester em finais de Mundiais… Não chora, não chora, não chora!

  • paulo

    os pernambucanos se viram reféns de acusações sulistas relativas à falta de segurança nos estádios e destempero policial….mais um jornalista imbecil alimentando uma inexistente guerra entre estados

  • pedro

    eu queria saber q mania e essa de vcs de falarem q o povo nordestino ri com pouco e só tem miséria aqui.sou nordestino e o q eu vejo de miséria aqui vejo no brasil todo.o nordeste tem desenvolvimento,e a economia q mais cresce no país e tem ótimas oportunidades para sua população.essas críticas q vcs fazem é pura falta de cultura.e como uma paulista q chegou na minha cidade uma vez e ficou impressionada porque ela tinha shoppig.conheçam bem o nordeste vcs vão adorar.

  • ADILSON

    O texto até é bonitinho, porém algumas considerações devem ser feitas;
    Em primeiro lugar, o placar final do embate foi um ” empate ” – 3 x 3 – ou seja não foi tão superior assim.
    Em segundo lugar: uma conquista difícil como esta não pode encobrir os fatos lamentáveis ocorridos naquele Estado no ultimos dias, como por exemplo, prisão de jogador, apredejamento de onibus, ” sumiço de ingressos ” e consequente desrespeito ao estatuo do torcedor, eetc…
    Em terceiro lugar: o time pernambucano deve agradecer e agradecer muito aos céus por não ter saído de São paulo com uma goleada histórica ( pelo menos uns 5 x 0 ).
    Em quarto lugar , uma vez que o placar final foi 3 x 3 há que se respeitar o adversário, que mostrou superiodade aqui. Comparando-se as superiodades locais, a daqui foi, notoriamente, maior que a de Pernambuco.
    Em quinto – o Futebol é mesmo um esporte diferenciado, onde, credita-se apenas ao campeão os elogios.
    Em sexto lugar: a suposta mobilização que acometeu Recife, na verdade, foi de âmbito nacional, afinal é sabido que hoje o Corinthians é o grande vilão do esporte nacional – e isso deve-se exclusivamente á imprensa extremamante anticorinthiana, que tem abusado de seus direitois nos últimos anos de direcionar comentários contra meu time.
    Prá finalizar, como bom desportista que sou ( e filho de pernambucano ) deixo aqui meus parabéns a equipe do Sport. Em final de campeonato além de competencia contam algumas outras coisas. E souberam tirar proveito disto , o que é amplamentre louvável.

  • adilson

    Ao rapaz ( Paulo ) que citou alguns comentarios contra o Corinthians;
    1 – Saiba você, que em 2005 o Corinthians não teve participaçãao alguma nas remarcações dos jogos; assim, voce acha que deveríamos fazer o que nos jogos remarcados então? Entregar para o adversário, como fez o Internacional contra o Goiás?
    2 – Se você não é aqui de São paulo, saiba, a imprensa aqui faz o maior ” furdunço ” quando arbitragem benefecia o Corinthias e isto acaba vazando para o resto do país..Porém, quando ocorre o contrário, pouco falam; se for-mos passar a limpo todos, eu disse, todos os erros de arbitragens, muitos títulos deveriam ser revistos então, e não só apenas o de 2005.
    4 – Naquel mesmo ano, o Corinthians foi prejudicado em tres jogos consecutivos, mas , ninguém jamais lembrará ou falará disto, óbvio.
    5 – ano passado o Corinthinas foi rebaixado graças ao acordo Inter x Gois. Alguém cita isto? Não, né. Ficamos um ponto atráz do Gois. No jogo contra atlético mineiro no Morumbi 9 placar final 0 x 0 ) o Finazi teve um gol legítimo anulado. Seriam 2 pontos mais. Voc~e viu, lembra ou ficou sabendo disto? Não, né!! Eu sei.
    Procure lembrar-se de algum jogo de futebol em que o juiz tenha voltado cobrança de penalty três vezes. Não lembra, né? Eu sei.
    Assim, mais respeito quando falar do meu time. Respeito á todos, inclusive ao Sport, legítimo campeão brasileiro de 1987 e copa do Brasil 2008.

  • Edison

    se as coisas tivessem sido assim tão bonitas…. dentro de campo o Sport fez por merecer, mas no extra campo todo mundo sabe que as coisas não foram nada bem. e além do mais, esta coisa de Sul x Nordeste é uma besteira sem tamanho.
    na boa Mauro, vc deu bola fora em postar este texto.

  • Edison

    ah… só uma observação, eu sou palmeirense, então ninguém venha me acusar de ser um corintiano chorão, mas isto é fato, transformaram uma final em uma guerra entre estados (SP x Pernambuco). não entendo tanto rancor se o q + tem em SP é nordestino.

  • Juliano

    Para mim, jornalismo é falar a verdade doa a quem doer. Este deve ser o código de ética número 1 de um jornalista.

    Mas foram raríssimos os jornalistas que analisaram a decisão como de fato foi:

    1) Todos ficaram se baseando em justificar o merecimento do título do Sport baseado nas fases anteriores. Ora, as duas equipes chegaram a final com méritos e alguma sorte, pois ambas precisaram dos pênaltis para passar pelas semi-finais. Vamos nos concentrar na final.

    2) Como a última imagem é a que guardamos, as análises foram baseadas apenas no segundo jogo, onde o Sport realmente jogou melhor que o Corinthians. Mas somando-se as oportunidades dos dois jogos, o Corinthians foi superior. Ainda, o título foi definido pelo critério de gols fora, pois houve empate no saldo de gols, mostrando o equilíbrio das equipes.

    3) Devido a confusão criada pela própria imprensa e os dirigentes dos clubes, o jogo acabou tomando cortorno separatista, onde os pernambucanos acusaram os paulistas (sulistas, nas palavras deles) de bairristas. O bravo e, em boa parte, sofrido povo nordestino, encarou a partida como uma revanche contra o maior poder do sul do Brasil, representado pelo Corinthians e sua grande força de mídia.

    4) Aí entra o que considero mais grave: com medo de serem tachados de bairristas, os jornalistas parecem que fecharam os olhos em relação a arbitragem. Uma coisa é o futebol apresentado pelas equipes, outra é a triste e tendenciosa atuação do Alício Pena Junior. É tão simples constatar o medo de desagradarem os considerados vítimas da história do Brasil. Vítimas sim, como todo o brasileiro, de péssimos políticos, especialmente na região onde vivem, onde ainda pratica-se o coronelismo. O temor de parecerem politicamente incorretos os impediu de se expressarem livremente.

    Façamos um simples exercício, onde estaria 1×0 pro Sport e, aos 43′ do segundo tempo, a bola sobra livre para Carlinhos Bala, que, ao invés de bater de primeira, corta o goleiro Felipe e sofre um carrinho por parte do goleiro corinthiano. O que faria a imprensa nesta situação? Ficaria insistindo que o atacante deveria bater de primeira ou diria que o árbrito influi no resultado do jogo? Não tenho dúvidas que seria a segunda opção, pois aí, ela teria total liberdade para agir, sem pressões, pois estavam defendendo o “menor” (na própria visão da imprensa) e haveria diversas reportagens relembrando outras situações similares a favor da equipe de Parque São Jorge.

    Basta lembrar da tão batida falta do Carlos Alberto no primeiro jogo, onde foi necessário caminhar por mais de 60 metros e passar por diversos adversários para sair o segundo gol corinthiano, muito diferente de um lance de penalidade máximo, onde se restringe em 11 metros e apenas o goleiro pela frente.

  • Joaquim do Monte

    perfeito texto, traduz um sentimento e avalia de forma belíssima. parabens!