São Paulo volta a vencer e obriga o Santos a repensar



De um lado um time que apostava na velocidade e do outro um meio campo modificado provavelmente com a intenção de ter um pouco mais a bola e de impedir a agressividade dos donos da casa.

O clássico do Morumbi teve o São Paulo voltando a vencer e o Santos conhecendo a décima primeira derrota da temporada.

O volume de jogo do São Paulo no primeiro tempo escancarava as propostas. Foram nove finalizações dos donos da casa contra apenas duas dos visitantes. Mesmo pressionando, mesmo jogando e cima, o gol não saía e o Santos foi se acertando em campo. Não atacava, mas reduzia o ritmo e a velocidade do jogo.

O segundo tempo começou mais aberto. Aos dez minutos, após cruzamento de Everton, Diego Souza disputou no alto e fez o gol do jogo.

O gol chamou o Santos. Alison saiu e Jean Mota entrou. Renato passou a oferecer a maior proteção aos seus defensores. Vitor Bueno, que errou bastante durante o tempo em que permaneceu em campo, também saiu para Yuri Alberto entrar.

Foram longos 40 minutos sem o São Paulo voltar a finalizar. Sim, finalizou e marcou o gol aos 10 do segundo tempo e voltou a bater em gol aos 50, em cobrança de falta de Nenê.

É mesmo preciso ficar contente com o placar mínimo? O São Paulo fez o gol e permitiu campo ao Santos. Quase saiu o gol e só mesmo se saísse gol o São Paulo voltaria a se impor? Marcar o gol e optar pelo recuo é quase uma situação natural, corriqueira. No entanto, foram 40 minutos de recuo! Não era um recuo para respirar. O São Paulo, quase que por opção, perdeu o controle de um jogo que era todo seu. É cedo. São poucos jogos com Aguirre e é normal que o time oscile, mas o recuo pode ainda custar caro.

Preocupante o momento do Santos. Já são onze derrotas na temporada e o pior é que o Santos não tem ainda uma identidade. Talvez nem um caminho. O time é um time de velocidade? É reativo? O Santos joga de acordo com as caraterísticas de seus jogadores?

O trabalho de Aguirre parece ainda pode encontrar o equilíbrio necessário. É realmente cedo ainda. O que preocupa mesmo é o estágio do trabalho de Jair Ventura no Santos.



MaisRecentes

A primeira rodada da Premier League



Continue Lendo

A noite de Copa do Brasil foi também a noite dos passes errados



Continue Lendo

VAR do VAR



Continue Lendo