Ganhou a coerência e perdeu Arthur



Arthur. Ouvi atentamente a lista de convocados pelo técnico Tite e lamentei a ausência de Arthur. É claro que questiono um ou outro nome e acho isso perfeitamente normal, mas gostaria muito de ter ouvido o nome do jovem gremista.

Arthur poderia entrar como um dos volantes e talvez até mesmo como um meia. Sim, eu entendo que Casemiro seja inquestionável, que Fernandinho também seja, mas, ainda assim, acho razoável a lembrança do nome de Arthur.

Renato Augusto, um dos convocados, esteve presente nas listas de convocados dez vezes. Ele, Coutinho, Paulinho e Willian foram os que mais vezes foram convocados. É bem verdade que Renato não tem jogado bem e ele poderia ter sido substituído por Arthur, mas quando, em sã consciência, alguém poderia apostar que Tite não levaria alguém de tamanha confiança como o ex meia corintiano?

Taison também carrega alguma desconfiança, mas é bom destacar que no Shakhtar Taison tem jogado como um meia central e a seleção tem poucas opções por ali. Além de confirmar a coerência do treinador, que chamou Taison desde o início. Foram sete convocações dele no total.

Arthur, além de muito jovem, tem diversas virtudes desejadas para um jogador de meio. A Copa serviria muito para o amadurecimento dele, mas talvez as contusões tenham atrapalhado. Eu lamento. Arthur vale o esforço. Talvez valha até mesmo a coerência.



MaisRecentes

São Paulo volta a vencer e obriga o Santos a repensar



Continue Lendo

Palmeiras vence e confirma ótima campanha



Continue Lendo

Corinthians vence o clássico e cresce na classificação



Continue Lendo