Atlético nem ouve oferta de técnico sueco



Algumas situações no futebol parecem muito aleatórias. Lembram até os absurdos pitorescos de um bom jogo de computador. Que tal ver Sven-Goran Eriksson dirigindo o Clube Atlético Mineiro? Não parece loucura?

Uma coisa é certa: o sueco, ex-treinador da seleção da Inglaterra, Costa do Marfim, México e também de clubes como Leicester, Roma, Benfica e Manchester City de fato não será treinador do Galo, mas bem que ele tentou.

Através de seu agente, Daniel de Paiva, credenciado pela CBF, Eriksson foi oferecido ao Atlético e teve o seu nome prontamente rejeitado pelo diretor Alexandre Gallo, que disse que técnico estrangeiro não daria certo no Galo e nem sequer ouviu as bases da proposta feita por Eriksson, via Daniel de Paiva.

É certo que a história de sucesso de treinadores estrangeiros no Galo quase se resume ao uruguaio Ricardo Díez, campeão em 1949 e 1954, mas um técnico com o nome que tem o sueco deveria ser tratado com um pouco mais de atenção. Alexandre Gallo, nas atribuições de diretor de futebol do Atlético, tem todo o direito de negar qualquer tipo de oferta, mas, na qualidade de alguém que responde por uma instituição centenária, deveria zelar pela imagem de respeito que o clube tem.

Uma proposta já foi negada. Um empresário já não obteve sucesso na oferta, mas outros virão e outros, é certo, que Gallo vai ouvir.



MaisRecentes

São Paulo volta a vencer e obriga o Santos a repensar



Continue Lendo

Palmeiras vence e confirma ótima campanha



Continue Lendo

Ganhou a coerência e perdeu Arthur



Continue Lendo