Grêmio vence e espera o sábado chegar



Enfim a bola rolou e o Grêmio entrou em campo. Se para os torcedores a ansiedade já era gigante, é bem normal aceitar que para os jogadores também. Alguns palpites, não dá para chamar tudo de análise, indicavam favoritismo destacado ao campeão da Libertadores, mas Renato deixou bem claro que o jogo teria suas dificuldades.

Não estava justo com ninguém cravar a fragilidade do Pachuca baseado apenas no primeiro fraco jogo do Mundial. Se o Grêmio estava ansioso na estreia, é claro que os mexicanos – um jogo antes – também deveriam estar com problemas para controlar os nervos.

Com a bola rolando, ficou nítido que o Grêmio sentiu e muito a ausência de Arthur. O jovem valor gremista faz muito bem o papel defensivo e também o ofensivo. Ele daria o ritmo que o Grêmio tanto tentou encontrar e não conseguiu durante o jogo.

Foi possível ver Michel e Jaílson tentando sair. Ramiro assumiu outra postura e por vezes até mesmo outro lado do campo. Tudo foi tentado, mas pouco foi conseguido.

O gol marcado por Everton calou a ansiedade e mostrou que poderia ter sido tentado até antes o jogo com extremos abertos. Fernandinho e Everton trazem obrigatoriamente o ofensividade ao gramado, mas também ajudam a marcar.

Agora sim o papo é outro. O Grêmio já pode falar em final. Ele já está lá. O adversário será conhecido amanhã e a tendência é que seja o Real. É bem verdade que o time de Zidane tem um adversário que o Grêmio não teve: a torcida adversária. Mas com torcida ou sem torcida. Com Romarinho inspirado ou não, a diferença é muito grande.

O Grêmio já aguarda a chegada do sábado. A ansiedade vai continuar, mas pelo menos o time já fez o seu primeiro jogo e já passou pelo desafio.



MaisRecentes

Aprendendo com os erros dos outros



Continue Lendo

A Copa e seus ensinamentos



Continue Lendo

Empate que serve como puxão de orelha



Continue Lendo