Clássico com C maiúsculo



O dia chegou! O dia de ver um grande jogo de futebol chegou e coincidiu de ser um dia de clássico, jogo grande, rivalidade enorme.

O Corinthians se sentia desafiado e precisava voltar a jogar bem e a assustar seus concorrentes. O Palmeiras crescia, pontuava e via o confronto como uma chance de ouro de encostar na liderança da competição.

Clayson pela esquerda e Romero pela esquerda. Rodriguinho mais perto de Jô e muitos avanços de Arana pelo lado esquerdo.

Keno pela direita e Dudu pela esquerda. Bruno Henrique e Tchê Tchê tentando oferecer boa saída de bola, mas o ataque era pouco acionado. Moisés sofreu para conseguir espaço para jogar.

Corinthians e Palmeiras davam pouquíssimo espaço para pensar. Se um jogador do Palmeiras recebesse a bola, um marcador se aproximaria muito rapidamente. Errar era proibido.

O placar de 3 a 1 no primeiro tempo já mostrou um futebol de qualidade e muita disputa. Seria impossível, desumano imaginar um segundo tempo com a mesma qualidade e competitividade.

Os dois times voltaram com a marca da luta pela bola e pelo espaço. O enorme jogo ainda teve o gol de Moisés, o que ligou o alerta do Corinthians para o perigo da partida. É claro que todo clássico gigante pede polêmica de arbitragem e expulsão. O gol marcado por Romero e Deyverson cumpriram o papel de completar os requisitos necessários.

Ainda é cedo para cravar se o Corinthians vai ser campeão, mas é certo que a grandeza do jogo mostra para todos os jogadores que o time precisava voltar a despertar e despertou justamente contra um adversário direto, um rival centenário.

O jogo da Arena do Corinthians teve de tudo um pouco e muito futebol.



  • Antonio Helio Correia Alves

    O GIGANTE MAIS UMA VEZ ESMAGOU A FORMIGUINHA!!!

MaisRecentes

Roger Machado no Palmeiras



Continue Lendo

O ano do Botafogo só merece aplausos



Continue Lendo

Empate bom para avaliação



Continue Lendo