Já na Copa, começa agora a fase mais difícil



Três gols no segundo tempo. Vitória brasileira – mais uma.  A seleção brasileira venceu todos os seus adversários nas Eliminatórias.

O Chile, atual campeão da Copa América, viveu a sua competição com conflitos, escândalos e jogando abaixo do que pode e sabe jogar. Os peruanos, rivais eternos por causa da Guerra do Pacífico, suaram bem mais a camisa e comemoram imensamente a chance que conquistaram em campo de disputarem a repescagem.

É bem verdade que o primeiro tempo não foi legal. O Chile tinha estratégia bem montada e não permitiu que os lados do campo funcionassem. Os meias, que teriam que participar mais do jogo, tinham dificuldade e pouco apareciam no campo de ataque. O placar em branco estava de bom tamanho e mostrava justiça.

O gol de Paulinho, após cobrança de falta de Daniel Alves e falha de Bravo, mudou o jogo. Obrigou o Chile a rever suas ideias e a se abrir.

Aos 11, dois minutos após o primeiro gol, Coutinho fez ótimo lançamento e para Neymar que colocou Gabriel Jesus na cara do gol para marcar.

O Chile se mandou e ainda tomou o último golpe aos 47, com Gabriel Jesus.

O rendimento baixo do primeiro tempo pode ser pauta para Tite e sua comissão técnica. O Chile marcou muito e tem mérito nisso, mas alguém tem alguma dúvida de que outras seleções também vão impedir o jogo pelos lados da seleção brasileiro?

Tite mexeu no segundo tempo e deixou passar a oportunidade de avaliar novos jogadores por ele chamados. Arthur, Tardelli e outros podiam ter sido avaliados em campo. Tite, no entanto, sinalizou que tem os seus jogadores de confiança, o que é perfeitamente normal, mas a chance de ver em campo passou.

Agora chega a fase de amistosos e mais avaliações podem e devem ser feitas. Resta saber se Tite vai abrir a competição por vagas ou vai se fechar com um grupo, o que pode ser um risco.

A preparação da seleção foi perfeita e a classificação antecipada é um brinde ao competente trabalho. O fim da fase de classificação abre o início da fase do “erro zero”. Já vimos um trabalho ser desperdiçado por falta de concentração ou por bagunça na concentração.

Já vimos um grupo ser fechado bem antes do tempo e depois, na hora da Copa, o mesmo grupo se mostrar envelhecido e sem variações.

Tite tem tudo para ganhar um 10 e já sabe dos erros dos outros. É preciso não errar.



MaisRecentes

Levir e a indecisa direção santista



Continue Lendo

Justiça em São Paulo e em BH



Continue Lendo

Lucas Lima precisa acordar



Continue Lendo