São Paulo sofre, mas deixa a aflição para trás



Se te perguntarem se dá para medir aflição, veja e reveja o segundo tempo do jogo do Morumbi e responda afirmativamente. Afinal de contas, o São Paulo não cabia na zona do rebaixamento e estava lá já há um bom tempo. A suada vitória em cima do Sport fez o time de Dorival Jr. voltar a respirar fora do grupo dos quatro rebaixados.

O primeiro tempo mostrou um São Paulo vigiado pelo Sport e bastante incomodado por não conseguir jogar pelos lados do campo. A marcação do time de Luxemburgo era dobrada. Mena e Sander pelo lado esquerdo, Wesley e Raul Prata pela direita.

Pelo meio o São Paulo achou mais espaços. Cueva e Hernanes carregavam bem a bola e forçavam os jogadores do Sport a fazerem faltas. Os amarelos mostrados para Sander e Rithely indicavam que se os donos da casa fossem rápidos na troca de passes pelo meio, a bola poderia chegar mais vezes até a área do goleiro Magrão.

O gol saiu com Edimar cruzando para a área e a defesa se confundindo. A bola sobrou para Marcos Guilherme marcar.

Foram sete finalizações do São Paulo no primeiro tempo e cinco do Sport. Os números isolados do segundo tempo foram muito diferentes. O Sport bateu a gol na segunda etapa sete vezes contra apenas uma dos donos da casa. O jogo foi totalmente diferente.

O Sport cresceu. Atacou mais e envolveu o meio campo tricolor. Coube ao São Paulo se defender e conviver com suas dúvidas, inseguranças. Aflições.

Os minutos finais foram tensos para o são-paulino e intensos para o torcedor do Sport. Sidão fez duas grandes e salvadoras defesas aos 49 e 50 minutos.

Após a aflição vem o alívio. A qualidade técnica do time caiu muito de um tempo para o outro. O que se via era erro e tensão, mas o apito final devolveu o sorriso ao torcedor do São Paulo.

Ainda falta muito, mas o time que via bola não entrar já sabe que agora é possível.

O Sport, por outro lado, continua descendo a ladeira. É bem verdade que o time reagiu na segunda etapa, mas continua sem vencer.

A zona de rebaixamento que parecia longe já está logo ali. O São Paulo mostrou ao Sport o tamanho de sua aflição. Agora é o time de Pernambuco que passa a conviver com os fantasmas.



MaisRecentes

Robinho é o nome do clássico mineiro



Continue Lendo

São Paulo vence e respira melhor



Continue Lendo

Levir e a indecisa direção santista



Continue Lendo