Santos arranca a vitória e continua sonhando



Palmeiras e Santos, durante a semana, falavam em título, em recuperação, em motivação para a caminhada até o final do ano.

Cuca já tinha estimulado os seus jogadores e o discurso parecia bem assimilado pelo grupo palmeirense. Levir Culpi parecia bastante abatido após a eliminação na Libertadores, mas poucos dias depois o time bateu o Atlético Paranaense e voltou a querer falar grosso em busca de algo a mais no Brasileiro.

Mas seria impossível os dois saírem com o mesmo discurso ao final do jogo. Para piorar o clima de tensão comum em um clássico, São Paulo, que não via chuva há um bom tempo, foi castigada e o gramado do Allianz Parque sofreu.

Sem condições de fazer a bola rolar, Palmeiras e Santos fizeram um primeiro tempo de luta e pouca inspiração. Matheus Jesus, opção de Levir Culpi para o meio ao lado de Alison, fez um jogo bastante interessante.

O segundo tempo já foi disputado com o gramado em melhores condições e o Palmeiras foi ao ataque. O Santos pouco conseguia passar do meio campo e foram quinze minutos de muita pressão.

Sem contra-atacar, o Santos via Cuca mexer no time e a bola não saía da área de Vanderlei. É bem verdade que Lucas Veríssimo e David Braz fizeram um jogo muito sólido e concentrado. Alison e Matheus Jesus também respondiam bem.

Uma escapada. Uma única. Aos 30, o Santos roubou a bola no campo de ataque e Copete achou Bruno Henrique na esquerda. De Bruno Henrique para Ricardo Oliveira e do camisa nove para o gol.

A pressão aumentava, mas o perigo não chegava a assustar Vanderlei.

Deu Santos. Levir Culpi, em entrevista coletiva, destacou a qualidade do elenco e a luta de seus jogadores.

Cuca vai ter que assimilar o golpe da perda dos três pontos em casa, pontos que foram arrancados pelo Santos com muita luta e muita doação.



MaisRecentes

A primeira rodada da Premier League



Continue Lendo

A noite de Copa do Brasil foi também a noite dos passes errados



Continue Lendo

VAR do VAR



Continue Lendo