Um mês de Neymar na França



Um mês. Desde que Neymar fez a sua primeira partida com a camisa do PSG, o brasileiro foi sempre um jogador especial em campo. É óbvio que um mês é muito pouco tempo e que ele ainda não teve grandes desafios, mas que ele tem nisso?

A tabela marcou aqueles jogos e tudo o que cabia a ele entrar em campo e oferecer o seu talento ao seu time, seu treinador e aos seus novos companheiros.

A transferência de Neymar ainda vai ser melhor assimilada com o passar do tempo. Não é todo dia que um jogador toma a decisão de sair do Barcelona. Não é sempre que um companheiro de Messi opta por tentar ser protagonista em outro clube e não é sempre que um clube está disposto a pagar uma milionária multa contratual para buscar um jogador.

O incrível é que para muitos – que talvez não observem que já virou pagar mico – Neymar ainda é um produto da mídia. Haja mídia para sustentar alguém sem conteúdo por tanto tempo. Neymar tem conteúdo e também tem o carinho da mídia, mas qual grande estrela internacional não tem?

Muito da atual birra contra Neymar agora tem sido justificada pelo individualismo do camisa 10 da seleção e do PSG. É verdade. Neymar é bastante individualista. Um fominha. Ele pode melhorar e pode ser mais coletivo. O grande problema não está nele. Pior é quem é bastante solidário e não consegue dar um drible capaz de furar uma defesa adversária.

O tempo, os tombos, as ordens dos treinadores e até mesmo as faltas vão fazer Neymar soltar mais a bola. No entanto, tomara que o tempo, os tombos, as ordens dos treinadores e até mesmo as faltas não tirem de Neymar o malabarismo mágico que rompe estratégias de defesas e faz uma nova geração adotar o futebol como o esporte da vida.

A relação Neymar x PSG ainda está começando, mas já mostra que o novo clube vai exigir dele o papel de figura central. Não só nos holofotes e nas divulgações, mas em campo. Será ele o responsável por resolver as broncas do time.

Se ele é maduro o suficiente para isso? Sim. Ele é maduro resolver as broncas da seleção brasileira e é maduro para ser o líder do time francês. Ser a referência no PSG pode ser ótimo para Tite e para a seleção brasileira.

Nós, que vimos o menino franzino sobrar em uma camisa do Santos, estamos vendo o mesmo menino aceitando desafios cada vez mais complicados.

 



  • JoseAlmeida

    Ninguém tomava conhecimento do futebol francês até ele la chegar. Agora a Globo coloca os jogos do PSG em horário do campeonato brasileiro, obrigando nós a termos uma assinatura de tv com pacotes acima de nossas possibilidades, por o sportv foi tomado para a divulgação do francês.Se quisermos ver jogos por tv fechada temos que aderir ao pacote VIP DA EMISSORA.

MaisRecentes

Domingo é dia de clássico e de saber quem vai ficar com a bola



Continue Lendo

Com futebol pobre, Santos é eliminado da Libertadores



Continue Lendo

Estádio pode ter sido o maior gol da atual diretoria atleticana



Continue Lendo