Era mesmo a hora de renovar com o professor?



Foi no dia 30 de julho a última vitória do Sport. De lá para cá, o time marcou três gols e sofreu doze. Foram dois empates em casa e três derrotas fora de casa. A última foi uma senhora pancada.

O Grêmio havia sido eliminado na Copa do Brasil e não tinha alguns titulares em campo. Do outro lado vinha o Sport com Diego Souza, André e Luxemburgo. O placar de 5 a 0 chegou até mesmo a ser pequeno dado o volume de jogo dos donos da casa e especialmente pela falta de jogo do Sport.

O normal e razoável é questionar o rumo do trabalho. Luxemburgo, na coletiva pós jogo, surpreendeu e destacou que algo de errado deveria estar acontecendo com o grupo de jogadores.

A polêmica entrevista há alguns anos costumava dar muito resultado. O treinador fazia o público conhecer os vacilos do elenco e o elenco, se sentindo apertado, dava resultado. Mas será mesmo que Luxemburgo fez tudo o que podia ter feito para mudar a história do Sport na competição? Vale lembrar: para o jogo contra o Grêmio, o Sport teve quinze dias para treinar. Sim, quinze dias para corrigir, aprimorar, criar novas situações de jogo e mesmo assim o resultado foi o pior possível.

Mesmo diante de todo o momento que ameaça ser turbulento, Luxemburgo teve o seu contrato renovado até o fim de 2018. Era mesmo o momento para renovar? Será que não seria melhor esperar o fim do atual contrato para avaliar os resultados e aí renovar ou não?

Com plenos poderes, Luxemburgo já pode iniciar o processo de renovação e até mesmo de ambição do clube. No entanto, em um primeiro momento, tudo indica que Luxa não vai mexer no time. Ao menos uma postura diferente o clube precisa mostrar.



MaisRecentes

Domingo é dia de clássico e de saber quem vai ficar com a bola



Continue Lendo

Com futebol pobre, Santos é eliminado da Libertadores



Continue Lendo

Estádio pode ter sido o maior gol da atual diretoria atleticana



Continue Lendo