Vitória faz o que os outros todos tentaram e vence o líder



Tenho muita dificuldade em acreditar que o Corinthians tenha perdido a concentração no Brasileiro. É certo que o ritmo de jogo foi quebrado com a interrupção de duas semanas sem jogar, mas não vi o time desconcentrado em campo, contra o Vitória.

É preciso observar que o Vitória é mais um time que, desde a chegada de Vagner Mancini, tem sido eficiente fora de casa e frágil quando tem que agredir o adversário nos jogo em casa.

Fora de casa, na Arena do Corinthians, o time baiano se fechava bem pelo meio e forçava o Corinthians a jogar pelos lados. O jogo na beirada de campo era mapeado pelo Vitória, que roubava a bola e saía em contra-ataque.

Foram dez finalizações do time da casa e apenas uma do Vitória. O colombiano Trelléz marcou após receber ótimo passe de Neilton.

O torcedor do Corinthians teve a decepção de não ver a volta de Guilherme Arana do vestiário. Moisés entrou. O lado esquerdo perdia a força do apoio que Arana oferece.

O segundo tempo mostrou o Corinthians tendo a bola, mas lutando para achar um espaço para finalizar. A defesa e o meio do Vitória ganhavam pelo chão e desafinavam pelo alto. Jô teve oportunidades e Fernando Miguel conseguia evitar que a bola entrasse.

Caiu a invencibilidade do Corinthians. A diferença continua muito confortável, mas o time, pela primeira vez no campeonato, não achou as soluções que achava antes.

É preciso observar com a ótica do que foi o jogo. O Vitória venceu. É importante achar quais motivos levaram o time baiano ao resultado positivo.

Após empatar contra o Cruzeiro no Mineirão e ganhar do Flamengo na Ilha do Urubu, o Vitória mostra que a evolução defensiva é real.

O time mais acertado e mais inspirado durante toda a competição tentou as jogadas bem trabalhadas como sempre tentou. Cruzou mais para a área e levou perigo, mas é mais justo analisar o resultado positivo do Vitória.

A pergunta mais ouvida já há algum tempo agora tem resposta: foi o Vitória que parou o Corinthians.



MaisRecentes

Aprendendo com os erros dos outros



Continue Lendo

A Copa e seus ensinamentos



Continue Lendo

Empate que serve como puxão de orelha



Continue Lendo