Um jogão, cheio de erros, mas um jogão no Morumbi



Terminar o turno na zona de rebaixamento obriga o São Paulo a pensar e deixa o torcedor constrangido e preocupado. Mas o número é frio e é mesmo o resultado do que o time produziu em campo.

Jogar toda a culpa nos jogadores é um erro. Ninguém é totalmente culpado de nada e todos têm culpas em diversos pontos.

Olhando para o campo fica possível perceber que o discurso de falta de confiança é verdadeiro.

O jogo contra o Cruzeiro ofereceu mais uma demonstração muito clara de um time emocionalmente muito abatido contra um time – ainda que misto – muito bem organizado.

Dorival Jr. mexeu na equipe e intensificou os pedidos de ver os laterais mais por dentro. Marcinho e Marcos Guilherme – o primeiro pela direita e o segundo pela esquerda – tentavam abrir espaços na defesa dos donos da casa e se posicionavam bem abertos.

A ideia era boa, mas a execução só vai melhorar com o passar do tempo.

O Cruzeiro, muito mexido, mantinha a estrutura de time. Linhas de marcação próximas, pouco espaço e qualidade quando se propunha a atacar. Sem a bola, o Cruzeiro se posicionava em um 4-4-2, com Sobis ao lado de Sassá apertando a saída de bola.

O placar final, com vitória do São Paulo, foi marcado por erros de arbitragem, erros técnicos individuais e especialmente pela entrega de seus jogadores.

O Cruzeiro, mesmo saindo de campo derrotado, mostrou a todo o país sinais claros de sua força. Vale destacar: o Cruzeiro está na semifinal da Copa do Brasil e poupou diversos titulares, mas é bastante acertado em campo. Joga com padrão, ainda que tenha uma óbvia queda de qualidade entre reservas e titulares.

O torcedor do São Paulo, talvez possesso de raiva por ver seu time distante do ideal e ver a imagem do clube arranhada por causa da campanha irregular, abandonou há algum tempo a paciência, mas não deixou de cantar.

Pedir frieza é ter a certeza de que o pedido não vai ser atendido, mas vamos lá. Adianta pouco vaiar um jogador nervoso em campo. Muitos erros técnicos cometidos em campo não são fruto de falta de preparo. Boa parte dos erros se devem ao momento emocional. A bola passa a pesar.

O resultado final não foi nada bom para o Cruzeiro, mas tirou o São Paulo da zona de rebaixamento. A sequência do time do Morumbi não é das mais agradáveis e deixar pontos em casa poderia exigir um preço alto demais.

 



  • Tigre

    Excelente análise.

MaisRecentes

A luta que nossos clubes podem comprar



Continue Lendo

Real convida o Barcelona ao divã



Continue Lendo

Um pouca da história dos técnicos estrangeiros no Brasil



Continue Lendo