Uma rodada com cara de mata-mata



De vez em quando, em  mais uma daquelas ironias do destino, a tabela do Brasileirão parece querer brincar de mata-mata. A rodada 17 é mais um exemplo disso.

Os quatro primeiros colocados se enfrentarão e os dois jogos deixam de ser jogos comuns de um campeonato com 38 rodadas e assumem caráter de decisão.

Se é mesmo verdade que o Flamengo vai disputar o título brasileiro, é importantíssimo que ele tire pontos do Corinthians nos dois encontros entre eles. Domingo, na Arena do Corinthians, a time de Zé Ricardo tem a primeira chance.

A diferença, que hoje é de 12 pontos, pode cair para nove. Entretanto, se os donos da casa vencerem, o abismo seria de 15 pontos e só mais uma chance de confronto direto.

A necessidade de vencer pode empurrar o Flamengo para cima do Corinthians e o time treinado por Fábio Carille gosta e aceita o convite quando é questionado.

Grêmio e Santos também se enfrentam na rodada. A diferença entre eles não permite que qualquer placar seja determinante para a sequência dos dois na busca pela liderança. Apenas dois pontos separam o time de Renato Gaúcho do time de Levir Culpi. Vale até lembrar que Renato já foi jogador de Levir no passado.

Após ver o rendimento do time cair, a direção santista optou por substituir Dorival Jr. e contratar Levir. Os primeiros jogos e resultados não agradaram, mas já é possível dizer que o experiente treinador achou uma cara para a equipe. Os resultados vieram e o desempenho em campo cresceu.

O novo Santos de Levir se sente bastante confortável quando é atacado. Assim, apostando no contra-ataque, o time reconquistou a confiança, voltou a subir no Brasileiro e obteve ótimo resultado na Libertadores.

O Grêmio, time que procura se manter com a bola e faz ótimo trabalho de movimentação ofensiva, tem sido um time agressivo e inteligente. A partida é daquelas que carregam o apelido de jogo de xadrez. De um lado o Grêmio, agressivo e eficiente com a bola nos pés, e de outro o Santos que é astuto para roubar a bola e veloz para matar o adversário em um ou outro deslize.

A rodada 17 é mais uma que não define, mas pode ajudar bem a entender o que vem pela frente.



MaisRecentes

A luta que nossos clubes podem comprar



Continue Lendo

Real convida o Barcelona ao divã



Continue Lendo

Um pouca da história dos técnicos estrangeiros no Brasil



Continue Lendo