O invejável Botafogo



Tive de recorrer ao dicionário. Lá, me esbofeteando, estava a definição: desgosto provocado pela felicidade ou prosperidade alheia. Ou, para piorar: desejo irrefreável de possuir ou gozar o que é de outrem.

Mas não consegui fugir. Não consigo esconder o sentimento. É mesmo inveja o que sinto quando vejo o Botafogo jogar.

O time de Jair Ventura não recebe os maiores salários e não tem craques brilhando na seleção brasileira. Talvez nem mesmo tenha jogador na lista da Bola de Prata, mas ainda assim o time provoca sentimentos reprováveis em quem acompanha o futebol pelo Brasil.

Desde o sorteio da Libertadores, ainda em dezembro, não foram poucos e tranquilos os desafios do Botafogo. Colo-Colo, Olimpia (com milagres de Gatito nos pênaltis), Estudiantes e o atual campeão Nacional de Medellín já experimentaram a disciplina tática e a entrega dos jogadores do Botafogo.

A sensação que passa é que o time da estrela solitária joga sempre no limite. Vai ter dificuldade contra qualquer time e vai impor dificuldade a qualquer adversário.

Os jogadores do Botafogo nunca brilharam nos outros times que jogaram. Não sei se tem a ver com a estrela do escudo e se os inexplicáveis mistérios do universo conspiraram, mas sei, afirmo que o trabalho que  Jair Ventura faz durante a semana é visto no final de semana.

A última quinta-feira, de novo, foi invejável ver o Botafogo. Ele poderia até ter perdido, na verdade, sofreu muitas finalizações contra o gol defendido por Gatito, mas os jogadores se mataram em campo e bateram mais um campeão da Libertadores.

Tem sido assim,  mas não foi sempre assim. Bem como outros grandes, o Botafogo já fez a sua torcida sofrer muito com administrações fracas e jogadores pouco comprometidos. Já foi uma vergonha e hoje é um orgulho.

Os tempos mudaram. Tudo continua sendo sofrido, mas ver o Botafogo jogar hoje é certeza de que em campo os jogadores vão fazer o impossível. Se a Libertadores vai vir, não dá para afirmar. O que dá para cravar é que hoje o Botafogo já não entra mais em campo derrotado. Para tirar o Botafogo do caminho é preciso sofrer bastante.



MaisRecentes

Empate bom para avaliação



Continue Lendo

Uma Copa sem Buffon



Continue Lendo

Empate em Salvador – melhor para o Galo



Continue Lendo