Com atuações bem distintas nos dois tempos, Palmeiras goleia na estreia do Brasileiro



Quem apenas viu o placar corre o sério risco de achar que todo o jogo foi fácil e que o Palmeiras de Cuca massacrou o Vasco em todos os 90 minutos do jogo. Entretanto, mesmo com 2 a 0 em cada tempo, o Palmeiras teve dificuldades na primeira etapa e mandou no jogo no segundo tempo.

Cuca fez a opção de colocar Willian, Dudu e Guerra perto de Borja e fez inversões de posicionamentos de Jean e Tchê Tchê.

O Vasco de Milton Mendes tinha Jean, que ajudava na saída de bola e se colocava entre os zagueiros, Douglas também pelo centro e abertos Yago Pikachu e Mateus Vital. Nenê tentava encostar em Luis Fabiano no comando do ataque.

O primeiro gol, marcado aos 5 minutos, já obrigava o Vasco a se impor bem no início do jogo. E o Vasco bem que tentou. Foram nove finalizações no primeiro tempo contra sete do Palmeiras.

Fernando Prass fez boas defesas e a bola ainda conheceu a trave, mas o gol vascaíno não saiu e o intervalo foi ótimo para o Palmeiras.

Logo aos 30 segundos do segundo tempo, Tchê Tchê, pela direita, cruzou e Borja aumentou. O terceiro gol calou a organização do Vasco e estimulou o Palmeiras. E tome volume de jogo!

Se o Palmeiras tinha três finalizações certas no primeiro tempo, no segundo foram sete. Milton Mendes tentava acertar o seu time e Cuca revivia o prazer de ver o seu torcedor comemorar em casa a conquista de três pontos. Fabiano entrou na lateral direita no lugar de Willian. Guerra foi para a função do camisa 29. Depois Keno e Róger Guedes entraram.

O quarto gol, também de pênalti, foi marcado novamente por Borja.

Vale destacar que foi apenas a abertura da competição. Faltam longas 37 rodadas, mas já foi muito bom para o Palmeiras resgatar a confiança. Confiança, sem euforia.

O Vasco também não precisa entrar em depressão. O jogo foi fora de casa e contra o atual campeão brasileiro. Sem depressão, mas também sem acomodação. É preciso melhorar o elenco e acertar a mira nas finalizações. O time cria e erra. Se tivesse feito um, poderia ter mudado a história do jogo. Mas não mudou e agora convive com as incertezas que uma goleada traz.



MaisRecentes

São Paulo poupa jogadores e estreia com vitória em casa



Continue Lendo

Rodriguinho decide o jogo para o Corinthians



Continue Lendo

Palmeiras e Boca podem mais e ficam no empate



Continue Lendo