Um Corinthians sério, dedicado e competente



A Universidad de Chile confiava na data. Sim, em um 10 de maio o time chileno tinha conseguido uma remontada na Libertadores da América.

O primeiro jogo tinha terminado com um impactante Deportivo Quito 4 x 1 Universidad de Chile. O segundo jogo, o da remontada, foi há 5 anos e os chilenos fizeram 3 a 0 aos 35 do primeiro tempo e fecharam com um restaurador 6 a 0.

A torcida chilena acreditava na data, na melhora do time, que está perto da liderança do Chileno. Só que o adversário não se importava muito com as expectativas dos donos da casa.

Com Jadson pela esquerda e Romero pela direita, mas especialmente com Rodriguinho mais adiantado e perto de Jô, o Corinthians não só segurou a Universidad de Chile como acabou aproveitando para abrir o placar e ampliar a vantagem. Rodriguinho, bastante inspirado, fez o dele aos 36 do primeiro tempo.

Hoyos, treinador da La U, abriu mão da pressa de Ontivero e colocou o tradicional Pizarro. Saía a velocidade e entrava a organização e a boa batida na bola.

A Universidad de Chile continuava tendo a bola e oferecendo espaços. Espaço era tudo o que o Corinthians queria. E como o time de Fábio Carille é consciente e bem treinado!

O segundo gol, marcado por Jadson, mostrou a grandeza da temporada do atacante Jô. Sério, profissional, competente, decisivo e solidário. Ele tabelou com Rodriguinho e viu a bola se oferecer a ele. Ele, um goleiro caído e o gol. Jô, observador, percebeu Jadson sem obstáculo algum entre ele e o gol e rolou para o camisa 10 marcar.

Com a classificação garantida, o Corinthians aceitou dar mais campo aos donos da casa e apostou no contra-ataque. Felipe Mora ainda diminuiu, mas o Corinthians conseguiu segurar a vitória em Santiago.

A tal remontada ficou na história, no passado. O Corinthians segue com padrão definido e confiante. O time não é brilhante, mas é bastante organizado e sério em campo.

Não dá para saber qual será a classificação do Corinthians no Brasileiro que começa já no final de semana. Não dá para esperar que o elenco consiga substituir à altura os principais jogadores em uma competição longa e cheia de cartões e contusões. Mas é certo que o que é possível ser feito, o esforço esperado o time vai oferecer. O time de Fábio Carille não perde de véspera, é preciso trabalhar bastante para ganhar do Corinthians.

 



MaisRecentes

Empate que serve como puxão de orelha



Continue Lendo

Bélgica sobra contra uma frágil Costa Rica



Continue Lendo

Galo vence e atinge melhor pontuação dos últimos três anos



Continue Lendo