Na hora da decisão, Vitória muda os rumos do trabalho



Foram doze jogos. Onze vitórias e um empate. O Vitória está na final do campeonato baiano com uma incrível campanha que teve 100% de aproveitamento na fase de classificação.

Sim, é verdade que o time caiu na Copa do Brasil e que foi desclassificado pelo rival na semifinal da Copa do Nordeste, mas é preciso ter muita (ou pouca) convicção para demitir Argel faltando dois dias para a primeira partida da final e muito perto da abertura do Brasileirão.

Vale lembrar que o treinador demitido segurou o Vitória na primeira divisão do Brasileiro de 2016 e que a nova direção do clube baiano assumiu e sempre demonstrou pouco apreço ao trabalho de Argel.

Também é verdade que quem manda tem todo o direito de mudar e de alterar os rumos do time na temporada. O temor é a data da demissão. Será que vale a pena abrir mão de todo o trabalho que vinha desde a temporada passada? Será que vale a pena arremessar pela janela os cinco meses de convívio diário com os jogadores do atual elenco?

Já que a decisão já foi tomada, vamos ao outro problema: quem substituirá Argel? A direção tem uma bela carta na manga? Algum revolucionário foi descoberto nos últimos dias? Ou será que alguma velha raposa do futebol vai fazer mais do mesmo em menos tempo?

 



MaisRecentes

Empate bom para avaliação



Continue Lendo

Uma Copa sem Buffon



Continue Lendo

Empate em Salvador – melhor para o Galo



Continue Lendo